Programas de saúde ganham peso na hora da renegociação 165

Resolução normativa da ANS prevê o direito de premiação ou negociação aos beneficiários ou contratantes que ofereçam programas de saúde

Incentivo à alimentação saudável, campanhas antitabagismo, exercícios laborais e até custeio em academias. Tudo isso tem feito a diferença na hora de combater o aumento dos preços dos planos empresariais no momento da renegociação, além de diminuir a taxa de sinistralidade entre os planos médicos.

Uma resolução normativa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) prevê o direito de premiação ou negociação aos beneficiários ou contratantes que ofereçam programas de saúde – como incentivo aos colaboradores, de acordo com a CEO da Aliança para Saúde Populacional (Asap), Milva Gois. No entanto, a adesão ao benefício ainda é pequena. Poucas empresas já usufruem da medida para conseguir melhor reajuste na renovação anual dos contratos.

Para Milva, felizmente este cenário está mudando. “O contratante tem de se tornar agente participativo”, afirma. O executivo acredita que a falta de conhecimento e engajamento das empresas faz com que percam a oportunidade de reduzir o gasto com plano de saúde. Outros equívocos comuns nas empresas, segundo ele, é não utilizarem informações de exames periódicos e obrigatórios, além de dados das operadoras de saúde para a negociação. “Muitas vezes a sinistralidade deve-se a um caso específico e a empresa pode solicitar as informações”, diz. Milva aponta que a solução não é mudar a operadora de saúde, mas mapear a população e negociar de forma mais transparente e assertiva com a operadora do plano.

“A renegociação não é boa para ninguém”, afirma o vice-presidente de Saúde e Odonto da SulAmérica Seguros, Maurício Lopes. De acordo com ele, se por um lado na renegociação anual a operadora consegue readequar o aumento dos custos, por outro é uma oportunidade de pedir ao cliente que vá embora. “Claro que não queremos isso. Acreditamos que seja necessária a sinergia. Se ambas as partes querem o mesmo é um ganho a ganho”, comenta.

Incentivos

Segundo o executivo, a operadora não apenas aceita a apresentação de programas de saúde, como também incentiva. Um de seus clientes, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, por exemplo, conseguiu ficar três anos sem reajuste após a implementação do Programa Bem-Estar, mencionado anteriormente pelo DCI. Na época, o gerente de qualidade de vida e saúde, Rodrigo Bornhausen Demarch, disse que o hospital conseguiu economizar mais de R$ 5 milhões com plano de saúde, que hoje é considerado o maior gasto das empresas brasileiras, perdendo apenas para a folha de pagamento.

Desafios

Ainda segundo Lopes, da SulAmérica, com a instabilidade econômica aumentou o número de empresas que querem implantar programas de saúde para uma renegociação mais vantajosa e até para diminuir a taxa de sinistralidade. No entanto, tem sido um desafio. Para Lopes, isso ocorre porque gerir programas de bem-estar na empresa em um momento que já sofre outras pressões financeiras é mais difícil.

De acordo com ele, o desafio independe do porte. Na hora de implementar um programa de saúde para beneficiários, Lopes aponta que a relação com funcionários de pequenas empresas é menos restrita, porque não existe uma área intermediária, o que dá maior flexibilidade e agilidade para as ações. “Mas também temos menos apoio entre as pequenas empresas. Nas grandes há uma interface entre o plano e o funcionário.”

Cadeia setorial

Para o sócio do escritório Dagoberto Advogados, Ricardo Ramires Filho, a sinergia pode ser utilizada não apenas entre operadoras e contratantes, mas também com outras empresas da cadeia, como a indústria farmacêutica. Segundo ele, já existem casos em que a operadora consegue um desconto maior no medicamento e aproveita o programa da fabricante para que o paciente se cuide corretamente. Um exemplo citado por Ramires é o de pacientes com doenças mais graves, como o câncer. “Em vez de a operadora prover só o exame, ela pode tentar parceria com a fabricante do remédio para ter desconto e buscar a cura mais rápida.”

Segundo ele, o interesse das operadoras em ajudar a reduzir o reajuste nos contratos não é em vão. Com a instabilidade econômica e o fluxo de caixa menor nas contratantes, os planos de saúde têm sofrido com o downgrade das carteiras (migração para planos mais baratos) e a perda de beneficiários do mercado privado, provocada principalmente, pelo desemprego. “Assim como o pessoal que aluga tem deixado de aplicar reajuste para manter o imóvel alugado, as contratantes estão com maior poder de barganha com as operadoras.”

Ele acredita que encontrar um reajuste consensual deixou de ser uma forma de decidir quem sairá ganhando e passou a ser uma forma de sobreviver. “Muitas operadoras estão quase no vermelho”, ressalta. Com a sinistralidade em torno de 82,4%, o executivo aponta que a margem acaba sendo extremamente baixa, sendo pior em operadoras menores. “Em média, as operadoras estão com uma margem de lucro entre 1,8% e 2%”, destaca.

Como o resultado, o setor tem cada vez menos fôlego para investimentos e sobrevivência, o que tem deixado o mercado mais concentrado. Depois de alcançar 2.400 operadoras médico-hospitalares no ano 2000, em setembro de 2015 o total foi de 999, das quais 843 com beneficiários. Sendo que 80% das vidas estão em 155 operadoras.

Outras estratégias apontadas por ele para diminuir a sinistralidade nas empresas é incentivando o funcionário a fazer um uso mais consciente do plano. “Além de diminuir o uso do Sistema Único de Saúde [SUS]”, afirma o executivo. De acordo com Ramires, 67% do ressarcimento das operadoras ao SUS se deve ao uso em atendimento ambulatorial, que já faz parte da cobertura dos planos.

*Informações de DCI.

GBOEX apresenta o novo Portal do Associado: prático e inovador 3151

Espaço foi pensado para manter desempenho em computadores e smartphones

O GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas – está sempre inovando seus produtos e serviços, para garantir o melhor atendimento aos seus clientes. Recentemente apresentou o novo Portal do Associado: além do design moderno e clean, está mais fácil localizar informações de interesse, atualizar dados cadastrais, consultar benefícios e vantagens.

O Portal foi planejado pensando na melhor experiência para os seus usuários, mantendo excelente desempenho tanto em acessos pelo desktop ou notebook, quanto em dispositivos móveis, como celular e tablet.

Outra novidade é que esse espaço agora contempla recursos de acessibilidade, como a possibilidade de aumento das fontes. “Buscamos sempre aprimorar as formas de comunicação com os nossos associados. O Portal está mais intuitivo, facilitando e atendendo as necessidades de todos os perfis de usuários”, explica a Assessora de Marketing e Comunicação do GBOEX, Ana Maria Pinto. Além de todas essas vantagens, a segurança das informações disponibilizadas são garantidas pelo certificado digital.

O GBOEX completa 105 anos em maio de 2018, e sua missão é garantir aos seus associados a segurança que a sua família merece.

GBOEX – Tradição, solidez e segurança, valores que fazem a diferença na vida de muitas pessoas.

Generali lança perfil no Spotify 2946

Ideia é posicionar marca e demonstrar visão positiva do mercado de seguros

A Generali Brasil Seguros, subsidiária brasileira da Generali e uma das principais seguradoras do mundo, lançou no dia 21, quarta-feira, seu perfil no aplicativo de música Spotify. Com as playlists “Meu Caminho Generali”, “Meu Tempo Generali”, “Meu Foco Generali” e “Generali do Brasil”, com duração média de 1h, a Companhia inova suas opções de comunicação com o público, de uma forma atrativa e divertida.

A Generali utilizará o perfil no aplicativo para ampliar a visibilidade da marca e permitir interações positivas no ambiente digital. Também irá transmitir o posicionamento da marca e demonstrar a visão positiva do mercado de seguros.

“Essa parceria com o Spotify mostra que a Generali enxerga a necessidade de apostar em novas formas de integrar a vida real e digital das pessoas a fim não só de protegê-las, mas também de participar ativamente do dia a dia de cada uma. Nosso intuito é ampliar nossos canais para milhões de pessoas mostrando por que a Generali é uma das maiores seguradoras mundiais”, afirma Michele Cherubini, Head de Marketing e Comunicação Externa.

Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor? 8658

Wagner Torres

Wagner Torres abriu as atividades do CVG/RS em 2018

Um grupo seleto de corretores e operadores do mercado de seguros acompanhou a abertura das atividades do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) em 2018. O momento aconteceu no Clube do Comércio, localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na manhã desta terça-feira.

“Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor?”. Foi com este questionamento que o gerente executivo da diretoria geral de Vida da Mapfre Seguros, Wagner Torres, deu início a apresentação onde correlacionou diversos fatores chave para o crescimento da participação dos seguros no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Na visão do especialista a solução não é a venda casada, e sim, a conscientização da importância do seguro de vida na manutenção das famílias.

Torres ainda apresentou alguns dados que evidenciam o panorama geral do seguro no Brasil, e, principalmente, quem é o corretor de seguros da atualidade. Segundo o executivo, 65% das receitas das corretoras são oriundas de negócios com Pessoas Físicas. O faturamento de até R$ 20 mil é registrado em mais de 60% dos casos.

Ainda na sequência de dados sobre os corretores, Wagner Torres evidenciou que a grande maioria das operações de corretoras são familiares, 66% funcionam com até 5 pessoas trabalhando – 5 também é o número médio de seguradoras que 78% dos profissionais da corretagem trabalham.

Palestra com Wagner Torres no CVG/RS – Todas as imagens

Corretores da Grande Porto Alegre prestigiam novidades da Mapfre 12913

Nomes importantes do mercado da região participaram de almoço no Restaurante Casa do Marquês

Nesta quarta-feira, 7, os corretores de seguros da Grande Porto Alegre prestigiaram ação da Mapfre Seguros, com foco nos produtos de Vida. Na oportunidade, o diretor territorial Sandro Pinto de Moraes e a executiva Katiane Frigulha elencaram pontos em que a companhia inovou nas apólices do ramo. O encontro faz parte dos planos de aproximação da companhia com os profissionais do Rio Grande do Sul, conforme JRS mostrou em recente reportagem.

“Realmente precisamos estar juntos aos corretores e demonstrar as oportunidades de negócio que estes produtos disponibilizam aos profissionais. Além da rentabilidade, fica evidenciado o cunho social que este tipo de apólice tem na vida de todos”, contou Moraes ao lembrar da baixa adesão do brasileiro aos planos de seguro de vida.

Durante a fala dos executivos, ficou evidenciada a importância do corretor profissional de seguros centralizar a carteira, de modo que a gestão de riscos do segurado passe por este profissional.

No mês de março as mulheres são foco da companhia, que destaca diversas vantagens do Mapfre Vida Mulher. O produto é específico para o público feminino e conta com cobertura de diversos itens específicos, como em casos de câncer do colo do útero, mama, entre outros.

Encontro da Mapfre Seguros em Porto Alegre – Todas as imagens:

RS forma novos corretores de seguros 11089

60 alunos comemoraram conclusão do curso de habilitação da Escola Nacional de Seguros

A noite desta quinta-feira (22) foi mais do que especial para os 60 alunos do curso de habilitação em corretagem de seguros da Escola Nacional de Seguros. A cerimônia de formatura contou com o apoio de Liberty Seguros, representada pela gerente Marina Mello; Icatu Seguros, representada pelo executivo Raul Lopardo; e Bradesco Seguros, representada pelo superintendente rede Lourenço Lorini.

Os três alunos com maiores notas das três turmas de formandos

“Resolvi vir para a corretagem após acompanhar a expertise do meu pai, que está há 30 anos no mercado. Atuamos em diversos ramos como empresariais, condomínio, automóvel”, contou o formando Felipe Dalpiaz, da Criseg Corretora.

“Foi muito tempo de estudo, premiado agora com a Formatura. A área do seguro é apaixonante e o mercado é muito amplo, possui espaço para todos. Especialização e investimento em cursos, muitos oferecidos pelas companhias seguradoras, é fundamental”, disse a formanda Aline Gomes, da Diretiva Corretora.

A corretora Aline Gomes em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério

Diversos integrantes do Clube de Seguros de Vida em Seguros do Rio Grande do Sul (CVG-RS), os presidentes do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS), Guacir de Llano Bueno, e do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), Ricardo Pansera e demais autoridades do setor na região marcaram presença na cerimônia, realizada no auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS).

“Oportunidades inúmeras lhes aguardam. Desejo que alcancem pleno êxito na carreira de corretores de seguros”, desejou Guacir Bueno, presidente do SindSeg-RS. Bueno destacou o êxito da Escola Nacional de Seguros, que formou mais de 4.300 novos profissionais em 2017.

Jane Manssur é coordenadora da Escola Nacional de Seguros no Rio Grande do Sul

Este trabalho no Rio Grande do Sul é coordenado por Jane Manssur. “Amizades, negócios e parcerias foram feitas. Na vida é preciso agradecer sempre, ainda mais àqueles que foram fundamentais para nossa chegada até aqui”, afirmou Jane no discurso realizado ao público presente.

Marina Mello, gerente da Liberty Seguros no Rio Grande do Sul

Os seguradores também deram o recado. “Buscamos sempre qualidade, entrega e procuramos oferecer tranquilidade aos corretores na operação conosco, é com muito orgulho que parabenizo vocês”, explicou a gerente Marina Mello, da Liberty Seguros.

Lourenço Lorini, superintendente rede Bradesco Seguros

“Nada melhor que preparação. Trabalho de especialista ninguém irá substituir. Com esta qualificação vocês passam a ser fundamentais para outras pessoas, empresas. Nosso mercado é muito promissor e é muito bom ver que existem novas pessoas acreditando e ingressando nele”, estimou o superintendente rede da Bradesco Seguros, Lourenço Lorini.

Raul Lopardo, executivo da Icatu Seguros

“Busquem sempre o caminho da especialização e do conhecimento. Nunca esqueçam o papel social do seguro, desempenhem esta atividade com paixão, pois estarão ajudando não apenas seus clientes, como a sociedade como um todo. Contem sempre com a Icatu Seguros para este objetivo”, disse o executivo Raul Lopardo.

Ricardo Pansera, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul

O Sincor-RS também marcou presença. O presidente Ricardo Pansera deu as boas vindas aos novos corretores. “Estes profissionais, tenho plena convicção, muito acrescentarão ao mercado segurador. Parabéns por escolherem esta atividade nobre. Nossa profissão protege pessoas, garante patrimônios e garante conquistas. Além da responsabilidade social, ressalto a nossa responsabilidade ética”, concluiu Pansera.

Confira todas as imagens – Formatura dos Corretores de Seguros do RS:

Queremos conhecer ainda mais nosso público, participe da pesquisa de opinião! (Leva menos de 2 minutos)Participar
+