Susep autoriza novos aportes em capital social 209

Confira as principais notícias desta terça-feira, 19 de abril, no #GirodoMercado

Susep autoriza novos aportes em capital social 

Plants

Portaria publicada pela Susep aprova o pedido de aumento de capital dos acionistas da Bradesco Seguros S.A.. Com isso, a seguradora receberá aporte de R$ 175.000.000,00 em seu capital social, elevando- o para R$ 7.225.000.000,00, dividido em 724.802 ações ordinárias, nominativas-escriturais, sem valor nominal. Já Allianz Seguros S.A está autorizada a elevar seu capital social em R$ 95.000.000,00, para R$ 1.228.035.479,00, dividido em 1.105.066.478 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, segundo outra portaria da autarquia. Na Austral Seguradora S.A., além de aumento no capital social, a autarquia ratificou, na mesma portaria, a mudança do endereço da sede para Avenida Bartolomeu Mitre, 336, 3º andar, parte, Leblon, Rio de Janeiro – RJ. Em relação ao capital, a seguradora fará aporte de R$ 2.811.811,28, elevando o capital social para R$ 44.359.680,84, dividido em 44.104.964 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Os acionistas de HDI Global Seguros também receberam sinal verde da autarquia para ampliar o capital social em R$ 1.999.999,98, para R$ 47.004.499,98, dividido em 51.248.313 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal.

Prorrogado o prazo para inscrição na Certificação Profissional CNseg

habilitacaocorretores

Atendendo a pedidos, o prazo para inscrição na edição 2016 da Certificação Profissional CNseg (CPC) foi estendido até 20 de maio. Considerada estratégica pelas lideranças do mercado segurador por contribuir para o aumento da qualificação de todo o setor, a CPC também contribui para a melhoria da empregabilidade de seus profissionais, pois certifica que estão preparados para atuar com eficiência em um ambiente cada vez mais competitivo. Assim, trata-se de um processo em que, aqueles que desejarem acelerar o seu progresso profissional , diferenciando-se no mercado, devem estar envolvidos. Para se inscrever na Certificação Profissional CNseg, os interessados devem acessar o site cpc.cnseg.org.br onde, além da inscrição, podem acessar o regulamento, conferir os locais de prova – que será realizada em 13 cidades brasileiras, no dia 22 de junho. Uma importante novidade desta edição é o curso online oferecido pela Escola Nacional de Seguros, que contará com vídeo aulas, tutoria online e exercícios simulados. Inscreva-se aqui.

Brasileiro já pagou R$ 600 bilhões em impostos este ano

divida

O brasileiro pagou R$ 600 bilhões em impostos do início do ano até este sábado (16), segundo o “Impostômetro”, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). No ano passado, esse mesmo montante foi alcançado um dia depois, em 17 de abril. Com essa quantia destinada aos cofres públicos pelos brasileiros, seria possível construir mais de 17 milhões de casas populares de 40 metros quadrados cada, de acordo com a ACSP. Também daria para criar mais de 2 milhões de postos de saúde equipados. Os R$ 600 bilhões pagos até agora também seriam suficientes para adquirir mais de 7.525.568 ambulâncias equipadas e comprar mais de 22.437.342 carros populares. Segundo a ACSP, seria possível, ainda, construir mais de 6.584.872 km de redes de esgoto e adquirir 550.734.761 geladeiras simples.

Essor reforça o time de Auto/Transportes

MarcioFeitalDiretortecnicoautotransportesEssor

A Essor Seguros tem um novo diretor técnico na área de Auto/Transportes. Com mais de 20 anos de experiência no mercado de seguros, o executivo Marcio Feital assume o cargo após atuar, durante três anos, como gerente na seguradora. Ele abraça a função com a tarefa de impulsionar ainda mais a área, em franca expansão na companhia, marcada pelo desenvolvimento de produtos diferenciados e inovadores.

Brasilcap comemora um ano do projeto de Escolinha de Vôlei em Deodoro

Luis EFigénio/nFACTOS - 12 de Fevereiro de 2009 - Guimaraes - Jogo para a liga dos campeoes de voleibol, entre Vitoria de guimaraes e Iraklis Thessaloniki
(Foto: Luis Efigénio)

A Brasilcap, empresa líder do mercado de capitalização, comemora um ano da Escolinha de Vôlei de Praia da medalhista olímpica Adriana Samuel, na região olímpica de Deodoro, no Rio de Janeiro, patrocinada pela Companhia. O projeto promove a inclusão social e o desenvolvimento humano por meio do esporte, atendendo cerca de 100 alunos por mês. Ao apoiar o projeto, a Brasilcap fortalece assim seu papel de agente transformador da sociedade, atendendo a princípios de responsabilidade, ética, valorização da vida e educação. No último ano, os recursos investidos em iniciativas socioambientais ultrapassaram os R$ 13 milhões. “A Brasilcap segue contribuindo para o futuro de muitos brasileiros. Seja pelo estímulo à disciplina financeira proporcionada por nossos produtos, seja pelo apoio a projetos socioambientais que valorizem a educação como ferramenta de transformação na vida de crianças e jovens”, declara Marcio Lobão, presidente da Companhia. Uma pesquisa realizada com os alunos da Escolinha mostrou que 93% disseram gostar muito das aulas de vôlei, mesmo índice dos que acham que o comportamento na sala de aula melhorou. “É perceptível a interação social e vínculos de amizade entre eles, bem como toda parte cognitiva e disciplinar. Minha filha é privilegiada por essa oportunidade e nós da família somos agradecidos a todos os profissionais e patrocinadores”, conta Ana Lúcia, mãe da aluna Mariana, de 9 anos.

*Informações de CNseg, G1 e assessorias de imprensa das empresas citadas.

CCS-RJ divulga sugestões entregues a seguradoras sobre seguro auto 1348

Carros

Bradesco Seguros, Mapfre, Porto Seguro, SulAmérica e Tokio Marine receberam documento estudam o que pode ser colocado em prática

Após entregar a cinco seguradoras um documento com sugestões para a operação do seguro de automóvel no Rio de Janeiro, que vem sofrendo com os altos índices de roubos e furtos em diversas regiões, a Comissão de corretores formada no 1º Encontro dos Corretores de Seguros da Baixada Fluminense, da Zona Norte e da Zona Oeste, realizado em março, divulga agora os seis itens apresentados.

Tanto o encontro como a elaboração do documento foram uma iniciativa do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) em conjunto com a Associação dos Corretores de Seguros da Baixada Fluminense (ACBF), unidos pelo objetivo de viabilizar a manutenção da carteira de seguros de automóvel nas regiões mais afetadas pelo aumento do roubo de veículos no estado.

A comissão é formada por seis corretores, um dirigente do Clube e um da ACBF, sendo dois corretores da Zona Norte, um corretor da Zona Oeste e três corretores da Baixada Fluminense. “A grave crise de segurança que estamos vivendo vem atingindo com mais intensidade as Zonas Norte e Oeste da capital e os municípios da Baixada Fluminense”, diz o presidente do CCS-RJ, Jayme Torres.

Ele explica que a empreitada visa a beneficiar não só os corretores das regiões representadas, mas de todos os locais do estado que apresentam a mesma dificuldade, como São Gonçalo, Niterói e algumas cidades da Região dos Lagos.

O problema social impacta a atividade seguradora. Provoca, por exemplo, o aumento nas taxas de seguros, que, muitas vezes, inviabilizam a manutenção dos segurados, inibe e até proíbe a entrada de novos clientes. Outra consequência é a recusa de riscos e de segurados sem histórico de sinistro, o que dificulta a atuação dos corretores nas regiões, abrindo espaço para a atuação das associações que comercializam a proteção veicular.

Confira as sugestões:

1 – Criação de produto ou aumento do desconto nos prêmios quando o segurado optar por porcentagem da FIPE igual ou inferior a 90% nos produtos atuais. A participação do cliente no prejuízo deverá contribuir para um cuidado ainda maior do segurado com seu veículo e para reduzir proporcionalmente a sinistralidade por Perda Total (PT);

2 – Criação de produto ou aumento do desconto nos prêmios quando o segurado optar por franquia facultativa nos produtos atuais. Hoje, a diferença de prêmios gerados quando o segurado faz opção por franquia facultativa ou até mesmo obrigatória em relação à franquia reduzida é muitas vezes insignificante;

3 – Criação ou adaptação de produtos atuais com cobertura exclusiva para Perda Total (PT), roubo e acidente com limitação da FIPE em 80% a 90%, ou aplicação de franquia com opções de 10% ou 20%. Trata-se de uma alternativa para alta demanda de clientes preocupados com maior risco, porém, com sua participação nos prejuízos, é provável que as fraudes sejam reduzidas, devendo ser atraente também para proprietários de veículos com mais de cinco anos de uso;

4 – Nas renovações sem sinistro, limitar o reajuste do prêmio a 20%, ainda que seja necessário aumento da franquia ou limitação da porcentagem da FIPE em 85%. Essa ação evita a dificuldade de justificar alguns aumentos extremamente significativos de prêmios para segurados que não têm sinistro. Serve também para que esse segurado com bom histórico não saia do nosso mercado;

5 – Melhores condições de aceitação para carros blindados. A evolução tecnológica utilizada nos veículos nos últimos cinco anos minimizou bastante os danos e os riscos nos veículos, diferentemente do que ocorria no passado. Porém, a política de aceitação desses riscos não acompanhou essa evolução. Seria interessante uma reavaliação nesses critérios;

6 – Maior flexibilização na análise do perfil do cliente. Muitos clientes têm o risco recusado ou o prêmio agravado em função do seu histórico no Serasa. Entretanto, um estudo revela que 41% dos brasileiros estão, de alguma forma, negativados em função da crise econômica. A sugestão é uma análise pontual, caso a caso, com o corretor, para identificar o que de fato teria potencial para fraude.

JRS acompanha 20º Transposul, em Bento Gonçalves (RS) 11754

Mercado de seguros marca presença na feira

No final de junho, foi realizada a 20ª edição da Transposul. O programa Seguro Sem Mistério, apresentado de forma inédita aos domingos, a partir das 11h30min, no Canal BahTV, acompanhou tudo de perto e traz todos os detalhes ao público.

Test Drive de caminhões, Feirão de Seminovos, Visitas Orientadas pelos stands, espaço Pit Stop Logístico e outras atrações rechearam a programação do encontro. O público-alvo são os profissionais de transportes de carga.

Representando o setor de seguros, o Grupo MBM, juntamente com a Promaster Corretora de Seguros, participam do evento. Entre os seguros expostos na feira, o destaque é o AP Caminhoneiro, que oferece ao motorista (e seu ajudante, se contratado) tranquilidade durante as viagens seguradas pelas apólices de RCTR-C, RCTA-C e Transporte Nacional. Fácil de ser contratado e altamente flexível.

Foi a primeira vez que o MBM participou do evento. Para o superintendente comercial do Grupo, Alexsander Kaufmann, a participação do MBM gerará maior visibilidade para a seguradora.

“Decidimos participar porque a feira é direcionada não somente para compradores de caminhões, mas para seus usuários/motoristas, corretores e públicos voltado ao segmento de transporte”, comenta. “A Transposul conta com stands de grandes corretoras e é muito bom fazer parte deste grande evento. Pretendemos voltar no próximo ano”, completa.

20º Transposul – Cobertura do JRS:

Fenapaes pede revisão de norma da Susep que prejudica o apoio prestado ao trabalho das Apaes 1438

Recibo

Mudança torna inviável continuidade do apoio prestado às 2.178 Apaes do país

A Federação Nacional das Apaes (Fenapaes), representada por seu presidente, José Turozi, e pelo 1º diretor financeiro, Nilson Alves Ferreira, protocolou, nesta quarta-feira (4), na sede da Superintendência de Seguros Privados (Susep), em Brasília, um documento com sugestões visando ao aprimoramento das normas contidas na Circular Susep nº 569, de 2 de maio de 2018. Essa Circular prevê que, a partir de sua vigência, em dezembro deste ano, a Fenapaes não poderá mais captar recursos por meio de operações com Títulos de Capitalização na modalidade incentivo, que deve ser substituída pela modalidade “Filantropia Premiável”, criada pela mesma circular. Para José Turozi, “nos termos do que está posto na circular, e também considerando normas complementares em consulta pública até esta quinta-feira (5), fica inviável a continuidade do apoio prestado pela Fenapaes aos projetos sociais desenvolvidos pelas 2.178 Apaes do país”.

Ainda segundo o presidente, “a atuação da Fenapaes na captação na modalidade incentivo permitiu o apoio a mais de 1.600 projetos contemplados com recursos advindos dessa importante fonte, gerando benefícios a milhares de pessoas com deficiência intelectual e múltipla e suas famílias atendidas na rede apaeana”.

O presidente e o 1º diretor financeiro também foram recebidos em audiência, na Câmara Federal, pelo deputado Eduardo Barbosa, que é membro do Conselho Consultivo da Fenapaes. O objetivo da audiência foi solicitar o apoio do parlamentar no esforço que está sendo feito por mudanças nas normativas da Susep. Eduardo Barbosa reafirmou sua disposição de participar desse esforço no sentido de apoiar o pleito da Fenapaes. A audiência na Câmara contou também com a participação de Miguel J. Muccillo, diretor da MDM8, empresa de assessoria.

A Circular Susep nº 569 criou a “Filantropia Premiável” com o argumento de que atenderia melhor aos interesses das entidades filantrópicas na captação de recursos via Títulos de Capitalização. No entanto, para o presidente da Fenapaes, “o rigor das novas exigências da Susep inviabiliza a atuação da Fenapaes nesse tipo de captação”.

O presidente da Fenapaes e o 1º diretor financeiro da entidade também tiveram uma reunião com Miguel J. Muccillo, diretor da MDM8, em que trataram de assuntos inerentes aos trabalhos desenvolvidos na captação de recursos com Títulos de Capitalização.

Vendas da Mapfre Consórcios crescem quase 200% 3036

Desempenho é referente ao negócio de automóveis

Os negócios da Mapfre Consórcios entre os meses de janeiro, fevereiro, março e abril cresceram 189% em comparação com 2017 nas vendas de consórcios de veículos. A empresa, associada à BR Consórcios, também registrou desempenho de 90,8% no mês de abril, o quarto mês seguido que registra avanços.

“Os resultados foram impactados positivamente pelo aumento do portfólio de produtos nesta categoria, tanto na ampliação das faixas de créditos, quanto na diversificação de prazos disponíveis”, afirma Renato Fernandes, diretor da Mapfre Consórcios.

Neste período, a empresa passou a incluir moto e serviços em seu catálogo, o que refletiu no retorno positivo dos consumidores. Com ofertas variadas, a empresa atraiu para sua rede quase 240 novos corretores nos primeiros quatro meses de 2018. “Com o objetivo de aumentar sua carteira de clientes e sua remuneração, ao mesmo tempo em que prestam um serviço de excelência, cada vez mais os corretores estão aderindo a comercialização de consórcios”, avalia Fernandes.

Susep aprova compra da QBE pela Zurich 1591

Negociação

Operações estão totalmente incorporadas, a partir de hoje

A seguradora global Zurich teve a aprovação da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para a aquisição das operações da QBE Insurance Group Limited (QBE) no Brasil. Portanto, com a conclusão do processo, a partir de hoje, a QBE já passa a atuar como Zurich no mercado brasileiro.

A compra foi anunciada pelo Grupo Zurich no final de fevereiro e, além do Brasil, incluiu ainda as operações da QBE na Argentina, Colômbia, Equador e México. O valor total da operação na região foi de US$ 409 milhões.

A aquisição consolida a Zurich como top player na América Latina, com posição forte em mercados relevantes, aprimorando canais e tecnologias de distribuição, complementando capacidades em seguro empresariais e fortalecendo a posição de liderança em Ramos Elementares. No Brasil, a Zurich passa a ter uma gama de capacidades adicionais e acesso a novos canais de distribuição.

De acordo com Edson Franco, CEO da Zurich Brasil, a aquisição das operações da QBE no Brasil vem fortalecer a atuação da companhia alinhada com sua estratégia. “Está dentro do nosso princípio estratégico com objetivo de somar mais negócios em afinidades, seguro viagem e seguros empresariais, bem como aumentar escala e ampliar canais de distribuição”, reforça o executivo.