Seguradoras devem iniciar já a implantação da estrutura de gestão de riscos, alerta especialista 86

Segundo Assizio de Oliveira, tempo é curto para colocar em prática a complexa Circular Susep 521/2015

“Não existe mágica. A norma é complexa, requer muito estudo e precisamos nos preparar desde já”, disse Assizio de Oliveira, presidente da Comissão de Controles Internos da CNseg. Ele participou do workshop “Estrutura de Gestão de Riscos – Praticando a Circular Susep 521/2015”, promovido pela Editora Roncarati no dia 27 de abril, no auditório da KPMG, empresa apoiadora do evento.

Embora as empresas de seguros tenham prazo até dezembro de 2017 para implantar completamente a Estrutura de Gestão de Riscos (EGR), o tempo é curto para decifrar a abrangência, conteúdo e responsabilidades indicadas na Circular Susep 521/2015. Até porque, a norma traz outras exigências antes do prazo final. Em 30 de junho deste ano termina o prazo para entregar à Susep o pedido de dispensa total ou parcial da EGR e em 31 de dezembro para nomear o gestor de riscos.

Rafael Kozma, gestor da área de riscos do Grupo Porto Seguro, reconhece as dificuldades de implantação da EGR. “Trata-se de um projeto multidisciplinar, que envolve finanças, contabilidade, atuarial, controles internos, TI, produtos e outros”, disse. Para ele, que iniciou o trabalho de gestão de riscos desde 2012 no Grupo Porto Seguro, composto por 27 empresas, o maior desafio é tornar esse processo tangível dentro da organização, de forma clara e detalhada.

“Não subestimem o esforço, a complexidade é muito grande. Falar de apetite ao risco com a alta administração não é simples e reajustar as rotinas das áreas também não é fácil. Por isso, é melhor iniciar o processo o quanto antes para que haja, inclusive, uma adaptação cultural”, disse. Para Phelipe Linhares, sócio da KPMG na área de Financial Risk Management, “difícil mesmo é assegurar que outras áreas participem”. Daí porque sugere o compromisso de alguém da alta administração, com poder de decisão.

Segundo Assizio, a EGR deve ser proporcional à exposição a riscos da companhia e compatível com a natureza, escala e complexidade de suas operações. Também deve estar alinhada com o sistema de controles internos, independentemente de como estejam organizadas suas funções (gestão de riscos, auditoria interna e função atuarial). Podem requerer a dispensa da EGR as companhias que operem exclusivamente o DPVAT ou apenas produtos em run-off.

A “alma” da Circular

Em relação a riscos, a norma da Susep traz alguns conceitos, como o das categorias, que abrangem, obrigatoriamente, as de subscrição, de mercado, de crédito e operacionais. São opcionais outras categorias, como as de risco estratégico, risco de reputação, de liquidez, risco país etc. O mais desafiador, entretanto, é o conceito de Apetite a riscos, que requer da empresa a descrição dos riscos que decide assumir para alcançar seus objetivos estratégicos. Para Kozma, trata-se da “alma” da Circular 521, porque depende de um plano de negócios e de como a função de risco atua no sentido de atingir os objetivos.

Júlio Cesar Ferigo, sócio da KPMG na área de Financial Risk Management, frisou que a capacidade de tomada de risco é diferente do apetite a risco. Segundo ele, o primeiro significa o quanto a empresa pode correr de risco, sem comprometer a sua continuidade ou o enquadramento de capital regulatório. “Teoricamente, a diferença é o excedente de capital ou buffer de capital, que servirá para os momentos de estresse”, disse.

Assizio citou alguns exemplos de apetite a riscos. “Se o objetivo for aumentar a rentabilidade, por exemplo, então a empresa poderá decidir conquistar mais corretores, abrir mais sucursais, desenvolver mais produtos e assim por diante”, disse. O passo seguinte, segundo ele, é identificar os riscos de cada operação, avaliá-los quanto à probabilidade e impacto, escolher os que se deseja correr e definir as respostas mais convenientes aos escolhidos.

Nesse processo, é necessário mensurar o quanto a companhia admite perder caso algum daqueles riscos aceitos resulte em uma perda. Assim, ele destaca que “se a empresa pretende abrir sucursais, é preciso saber que, na esteira dessa ação estratégica para aumentar a rentabilidade, há riscos, como, por exemplo, de não se conseguir o terreno, de não se obter a licença para construir, ou, até mesmo, de que o local não seja apropriado para o negócio”.

Em relação à nomeação do gestor de riscos, uma das exigências da circular, Assizio expôs a alternativa de nomear um único gestor para duas ou mais empresas supervisionadas que pertençam ao mesmo grupo. Caso a nomeação do gestor próprio traga impacto financeiro relevante, a empresa poderá terceirizá-lo, opção indicada para empresas com sistemas de baixa complexidade e coberturas pouco diversificadas. Resseguradoras estrangeiras podem centralizar a função do gestor em suas matrizes. “Mas, a terceirização ou a centralização não retira a responsabilidade dos administradores da companhia”, frisou.

*Informações de Editora Roncarati.

GBOEX apresenta o novo Portal do Associado: prático e inovador 3146

Espaço foi pensado para manter desempenho em computadores e smartphones

O GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas – está sempre inovando seus produtos e serviços, para garantir o melhor atendimento aos seus clientes. Recentemente apresentou o novo Portal do Associado: além do design moderno e clean, está mais fácil localizar informações de interesse, atualizar dados cadastrais, consultar benefícios e vantagens.

O Portal foi planejado pensando na melhor experiência para os seus usuários, mantendo excelente desempenho tanto em acessos pelo desktop ou notebook, quanto em dispositivos móveis, como celular e tablet.

Outra novidade é que esse espaço agora contempla recursos de acessibilidade, como a possibilidade de aumento das fontes. “Buscamos sempre aprimorar as formas de comunicação com os nossos associados. O Portal está mais intuitivo, facilitando e atendendo as necessidades de todos os perfis de usuários”, explica a Assessora de Marketing e Comunicação do GBOEX, Ana Maria Pinto. Além de todas essas vantagens, a segurança das informações disponibilizadas são garantidas pelo certificado digital.

O GBOEX completa 105 anos em maio de 2018, e sua missão é garantir aos seus associados a segurança que a sua família merece.

GBOEX – Tradição, solidez e segurança, valores que fazem a diferença na vida de muitas pessoas.

Generali lança perfil no Spotify 2940

Ideia é posicionar marca e demonstrar visão positiva do mercado de seguros

A Generali Brasil Seguros, subsidiária brasileira da Generali e uma das principais seguradoras do mundo, lançou no dia 21, quarta-feira, seu perfil no aplicativo de música Spotify. Com as playlists “Meu Caminho Generali”, “Meu Tempo Generali”, “Meu Foco Generali” e “Generali do Brasil”, com duração média de 1h, a Companhia inova suas opções de comunicação com o público, de uma forma atrativa e divertida.

A Generali utilizará o perfil no aplicativo para ampliar a visibilidade da marca e permitir interações positivas no ambiente digital. Também irá transmitir o posicionamento da marca e demonstrar a visão positiva do mercado de seguros.

“Essa parceria com o Spotify mostra que a Generali enxerga a necessidade de apostar em novas formas de integrar a vida real e digital das pessoas a fim não só de protegê-las, mas também de participar ativamente do dia a dia de cada uma. Nosso intuito é ampliar nossos canais para milhões de pessoas mostrando por que a Generali é uma das maiores seguradoras mundiais”, afirma Michele Cherubini, Head de Marketing e Comunicação Externa.

Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor? 8649

Wagner Torres

Wagner Torres abriu as atividades do CVG/RS em 2018

Um grupo seleto de corretores e operadores do mercado de seguros acompanhou a abertura das atividades do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) em 2018. O momento aconteceu no Clube do Comércio, localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na manhã desta terça-feira.

“Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor?”. Foi com este questionamento que o gerente executivo da diretoria geral de Vida da Mapfre Seguros, Wagner Torres, deu início a apresentação onde correlacionou diversos fatores chave para o crescimento da participação dos seguros no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Na visão do especialista a solução não é a venda casada, e sim, a conscientização da importância do seguro de vida na manutenção das famílias.

Torres ainda apresentou alguns dados que evidenciam o panorama geral do seguro no Brasil, e, principalmente, quem é o corretor de seguros da atualidade. Segundo o executivo, 65% das receitas das corretoras são oriundas de negócios com Pessoas Físicas. O faturamento de até R$ 20 mil é registrado em mais de 60% dos casos.

Ainda na sequência de dados sobre os corretores, Wagner Torres evidenciou que a grande maioria das operações de corretoras são familiares, 66% funcionam com até 5 pessoas trabalhando – 5 também é o número médio de seguradoras que 78% dos profissionais da corretagem trabalham.

Palestra com Wagner Torres no CVG/RS – Todas as imagens

Corretores da Grande Porto Alegre prestigiam novidades da Mapfre 12907

Nomes importantes do mercado da região participaram de almoço no Restaurante Casa do Marquês

Nesta quarta-feira, 7, os corretores de seguros da Grande Porto Alegre prestigiaram ação da Mapfre Seguros, com foco nos produtos de Vida. Na oportunidade, o diretor territorial Sandro Pinto de Moraes e a executiva Katiane Frigulha elencaram pontos em que a companhia inovou nas apólices do ramo. O encontro faz parte dos planos de aproximação da companhia com os profissionais do Rio Grande do Sul, conforme JRS mostrou em recente reportagem.

“Realmente precisamos estar juntos aos corretores e demonstrar as oportunidades de negócio que estes produtos disponibilizam aos profissionais. Além da rentabilidade, fica evidenciado o cunho social que este tipo de apólice tem na vida de todos”, contou Moraes ao lembrar da baixa adesão do brasileiro aos planos de seguro de vida.

Durante a fala dos executivos, ficou evidenciada a importância do corretor profissional de seguros centralizar a carteira, de modo que a gestão de riscos do segurado passe por este profissional.

No mês de março as mulheres são foco da companhia, que destaca diversas vantagens do Mapfre Vida Mulher. O produto é específico para o público feminino e conta com cobertura de diversos itens específicos, como em casos de câncer do colo do útero, mama, entre outros.

Encontro da Mapfre Seguros em Porto Alegre – Todas as imagens:

RS forma novos corretores de seguros 11082

60 alunos comemoraram conclusão do curso de habilitação da Escola Nacional de Seguros

A noite desta quinta-feira (22) foi mais do que especial para os 60 alunos do curso de habilitação em corretagem de seguros da Escola Nacional de Seguros. A cerimônia de formatura contou com o apoio de Liberty Seguros, representada pela gerente Marina Mello; Icatu Seguros, representada pelo executivo Raul Lopardo; e Bradesco Seguros, representada pelo superintendente rede Lourenço Lorini.

Os três alunos com maiores notas das três turmas de formandos

“Resolvi vir para a corretagem após acompanhar a expertise do meu pai, que está há 30 anos no mercado. Atuamos em diversos ramos como empresariais, condomínio, automóvel”, contou o formando Felipe Dalpiaz, da Criseg Corretora.

“Foi muito tempo de estudo, premiado agora com a Formatura. A área do seguro é apaixonante e o mercado é muito amplo, possui espaço para todos. Especialização e investimento em cursos, muitos oferecidos pelas companhias seguradoras, é fundamental”, disse a formanda Aline Gomes, da Diretiva Corretora.

A corretora Aline Gomes em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério

Diversos integrantes do Clube de Seguros de Vida em Seguros do Rio Grande do Sul (CVG-RS), os presidentes do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS), Guacir de Llano Bueno, e do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), Ricardo Pansera e demais autoridades do setor na região marcaram presença na cerimônia, realizada no auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS).

“Oportunidades inúmeras lhes aguardam. Desejo que alcancem pleno êxito na carreira de corretores de seguros”, desejou Guacir Bueno, presidente do SindSeg-RS. Bueno destacou o êxito da Escola Nacional de Seguros, que formou mais de 4.300 novos profissionais em 2017.

Jane Manssur é coordenadora da Escola Nacional de Seguros no Rio Grande do Sul

Este trabalho no Rio Grande do Sul é coordenado por Jane Manssur. “Amizades, negócios e parcerias foram feitas. Na vida é preciso agradecer sempre, ainda mais àqueles que foram fundamentais para nossa chegada até aqui”, afirmou Jane no discurso realizado ao público presente.

Marina Mello, gerente da Liberty Seguros no Rio Grande do Sul

Os seguradores também deram o recado. “Buscamos sempre qualidade, entrega e procuramos oferecer tranquilidade aos corretores na operação conosco, é com muito orgulho que parabenizo vocês”, explicou a gerente Marina Mello, da Liberty Seguros.

Lourenço Lorini, superintendente rede Bradesco Seguros

“Nada melhor que preparação. Trabalho de especialista ninguém irá substituir. Com esta qualificação vocês passam a ser fundamentais para outras pessoas, empresas. Nosso mercado é muito promissor e é muito bom ver que existem novas pessoas acreditando e ingressando nele”, estimou o superintendente rede da Bradesco Seguros, Lourenço Lorini.

Raul Lopardo, executivo da Icatu Seguros

“Busquem sempre o caminho da especialização e do conhecimento. Nunca esqueçam o papel social do seguro, desempenhem esta atividade com paixão, pois estarão ajudando não apenas seus clientes, como a sociedade como um todo. Contem sempre com a Icatu Seguros para este objetivo”, disse o executivo Raul Lopardo.

Ricardo Pansera, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul

O Sincor-RS também marcou presença. O presidente Ricardo Pansera deu as boas vindas aos novos corretores. “Estes profissionais, tenho plena convicção, muito acrescentarão ao mercado segurador. Parabéns por escolherem esta atividade nobre. Nossa profissão protege pessoas, garante patrimônios e garante conquistas. Além da responsabilidade social, ressalto a nossa responsabilidade ética”, concluiu Pansera.

Confira todas as imagens – Formatura dos Corretores de Seguros do RS:

Queremos conhecer ainda mais nosso público, participe da pesquisa de opinião! (Leva menos de 2 minutos)Participar
+