“Consumidor está cada vez mais atento à proteção”, conta diretor comercial regional da SulAmérica 139

1º Congresso de Corretores do Nordeste reuniu principais lideranças locais

Entre a última quinta e sexta-feira, aconteceu a primeira edição do Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste. Com o tema “Os desafios do setor de seguros e o fortalecimento do mercado na região”, o evento foi organizado pelos Sindicatos dos Corretores de Alagoas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe. Rio Grande do Norte foi o grande anfitrião.

Na sexta-feira, dia 10, Mario Ferrero, diretor de massificados, vida e saúde, da Allianz Seguros, participou do painel “O futuro do ramo auto e as oportunidades em ramos elementares”. “Estamos investindo fortemente no Nordeste porque queremos atender os corretores e os segurados com mais eficiência e, assim, solidificar e alavancar negócios. Temos a expectativa ainda de diversificar a carteira e alcançar participação de mercado regionalmente em algumas linhas de produtos, pelo menos, igual a que temos no restante do país”, afirma Ferrero.

Para Ricardo Zhouri, diretor regional da Allianz em Minas Gerais e no Nordeste, a região está no centro da estratégia de negócios. “O Nordeste, em 2015, alcançou mais de R$ 20 bilhões em prêmios. Das sete filiais que abrimos entre o segundo semestre do ano passado e o início de 2016, cinco estão localizadas na região. Em 2015, entraram em funcionamento as unidades de Teresina e Aracaju e nos últimos meses foram inauguradas as de São Luis, João Pessoa e Maceió. Com isso, passamos a estar presentes com operação própria nos nove estados”.

Murilo Riedel, vice-presidente técnico da HDI, também participou do painel. O diretor das regionais Norte e Nordeste da companhia, Paul Canarin, também comentou a relevância da oportunidade promovida pelas entidades de mercado. “A região do Nordeste é extremamente importante para o mercado segurador e queremos contribuir para que cresça ainda mais. É essencial para o setor que os corretores e as companhias seguradoras estejam em sintonia para aprimorar serviços e entender as necessidades dos clientes”.

Para a SulAmérica, a região é considerada estratégica, tendo apresentado crescimento consistente e recebido investimentos por parte da companhia. No primeiro trimestre deste ano, a carteira de saúde e odonto cresceu 14%, mesmo patamar de expansão de Capitalização e Vida e Acidentes Pessoais.

“É com muita satisfação que participamos deste primeiro congresso, uma iniciativa bastante positiva dos sindicatos de corretores da região. O evento trará informação e conhecimento, e nos aproximará ainda mais dos nossos parceiros comerciais”, afirma o vice-presidente comercial da SulAmérica, Matias Ávila.

O diretor comercial da Regional Norte e Nordeste da SulAmérica, José Henrique Pimentel, conversou com nossa reportagem:

Nos últimos anos, podemos perceber que o consumidor está mais consciente em relação às coberturas securitárias. Você também percebe isso nas regiões Norte e Nordeste?

Certamente. O consumidor tem estado cada vez mais atento à questão da proteção, e uma das causas dessa conscientização é a atuação das entidades do setor, que têm investido em processos educativos e se aproximado do consumidor. Cada vez mais as pessoas conhecem os benefícios do seguro e os corretores estão se aprimorando como consultores de proteção para todos os momentos da vida dos clientes.

Vale lembrar que estamos falando de um mercado subpenetrado e com grandes oportunidades de expansão. Acreditamos muito no potencial da região e neste ano já inauguramos seis filiais – Natal (RN), Maceió (AL), João Pessoa (PB), São Luís (MA), Teresina (PI) e Petrolina (PE) -, além de otimizar nossa operação em Aracaju (SE).

A crise econômica que atinge nosso país também funciona como impulso para o crescimento da área de seguros?

O processo de conscientização acontece também em momentos de crise, pois o cliente sabe que justamente em um cenário desafiador não pode abrir mão da proteção. Ficar sem o automóvel para trabalhar ou sofrer o impacto de uma conta médica no orçamento são acontecimentos indesejados em todas as épocas, e mais ainda em momentos que pedem atenção redobrada às finanças. No caso das PMEs isso é bastante evidente. Temos seguros empresariais para diversas atividades de pequenos e médios empreendimentos a um valor baixo, e que evita grandes transtornos no caixa da empresa.

Do lado da oferta, é preciso que a seguradora entenda o momento e o perfil do consumidor para disponibilizar produtos aderentes àquela necessidade. Pensando nisso, estamos lançando o SulAmérica Auto Compacto, um seguro inteligente que garante as principais coberturas com preço mais acessível e a reconhecida qualidade de serviços da companhia. É um produto que tem tido uma ótima aceitação por parte dos corretores e clientes.

Os ramos elementares representam qual importância para os números regionais da companhia?

Atualmente os ramos elementares respondem por 25% do resultado da companhia nas regiões Norte e Nordeste.

Como a SulAmérica lida com o atual momento dos planos de Saúde?

A SulAmérica se mantém otimista e aposta no potencial do segmento de saúde. Temos uma visão de negócios baseada na geração de valor no longo prazo e isso nos permite construir uma base sólida para alcançar resultados positivos. Nosso crescimento de 14% em Saúde e Odonto é reflexo de um trabalho focado tanto na retenção quanto em novos negócios.

Qual a importância de encontros como o Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste?

Ficamos muito satisfeitos quando soubemos que este primeiro congresso estava sendo planejado. É uma iniciativa de extrema importância para incentivar o desenvolvimento dos negócios na região, tanto pelo conhecimento que dissemina quanto pelo relacionamento com corretores e demais parceiros que proporciona. Esperamos que o Conseg-NE tenha vida longa.

As entidades representativas, como os Sincors, por exemplo, são fortes aliados aos profissionais e operadores dos ramos de seguro?

Sem dúvida consideramos os corretores os nossos grandes parceiros de negócios e acreditamos na importância do fortalecimento do relacionamento com esse público. Portanto, vemos com muito bons olhos a atuação das entidades representativas desses profissionais. Ao longo dos nossos 120 anos de atuação, inovamos constantemente, buscando oferecer produtos sob medida e capacitação para que os corretores possam se tornar referência em soluções completas de proteção para seus clientes e aproveitar as oportunidades de novos negócios. Buscamos ouvir sempre as entidades representativas para entender os interesses dos nossos corretores.

*Agradecimentos especiais a Patrícia Boroski, da CDI Comunicação. Com informações de Virta e Ketchum Comunicação.

Congresso Sul Brasileiro reserva espaço para debates 1119

Arquivo JRS

Brasesul fortifica relacionamento entre profissionais do setor

A proximidade entre corretores de seguros e seguradores é um dos principais atrativos do Congresso Sul Brasileiro de Corretores de Seguros (Brasesul), que acontece a partir desta quinta, em Florianópolis (SC).

Saiba mais: Seguradoras participam em peso do Brasesul.

Para enfatizar esse relacionamento, os Sincor-SC, Sincor-PR e Sincor-RS, entidades idealizadoras do congresso, prepararam um painel especial para o segundo dia do evento. Intitulado “Painel das Seguradoras e Corretores de Seguros”, terá como mediador convidado o presidente em exercício da Fenacor, Robert Bittar, e contará com as apresentações dos dirigentes de grandes companhias, falando sobre os planos de suas empresas para aprimorar a parceria com os profissionais da corretagem nos próximos anos.

Confira a programação completa do Congresso Sul Brasileiro

Sob o tema “O que podemos esperar do futuro – caminhos, alternativas e soluções”, as apresentações serão focadas em como a relação com o corretor, peça-chave para o desenvolvimento do mercado, é vista pelas principais seguradoras. O painel terá espaço para perguntas do público, que serão feitas via WhatsApp.

Seguro auto e assistência 24 horas: entenda cada serviço 1133

Assistência carro

Saiba como proceder e a quem acionar

É comum que, com a correria do dia-a-dia, a manutenção periódica do veículo fique em segundo plano. E vamos combinar que a má qualidade dos asfaltos da cidade somada ao tempo gasto nos engarrafamentos desgastam cada vez mais os veículos, fazendo com que o risco de contratempos no trânsito seja maior.

Caso esses imprevistos ocorram, é necessário saber como proceder e a quem acionar. “Existem duas opções distintas: a proteção integral do veículo, garantida pelo seguro auto ou apenas a assistência 24h, para eventualidades. As duas possuem vantagens, mas é preciso estar ciente dessas diferenças para utilizar cada uma no momento apropriado”, afirma Fábio Lucato, diretor comercial da Allianz Partners Brasil. No segmento de assistência, a empresa atua no país com as marcas Mondial Assistance e Allianz Global Assistance.

Umas das principais diferenças está na forma de contratação do serviço: a apólice de seguro é contratada por meio de um corretor e, além dos serviços de socorro emergencial/assistência 24 horas, traz coberturas securitárias e indenização em caso de sinistro, enquanto os serviços de assistência 24h podem ser contratados sob demanda, pela internet, com contratação anual, ou apenas para o momento da ocorrência, sempre utilizando a rede de prestadores de serviços da empresa de assistência 24 horas.

Embora haja distinções entre seguro automóvel com assistência 24 horas e os serviços de assistência 24 horas pontuais, o executivo assegura que, na Allianz Partners Brasil, a assistência 24 horas visa prestar o serviço com “Agilidade nas análises e tratativas, além da empatia no atendimento e proteção para todos que estejam no local da emergência”, enfatiza. “Independentemente da ocorrência, a prioridade é garantir o bem-estar do cliente, além de serviços de alto nível e excelência”, finaliza Fábio.

O seguro auto na prática

O seguro auto é uma apólice contratada com diversas coberturas, além dos serviços emergenciais da assistência 24 horas, que também são cobertos. Lucato explica que “o seguro se responsabiliza também por grande variedade de riscos a que o auto está sujeito, o que pode incluir a substituição do bem em casos de roubo ou furto, incêndio, perda total ou reparos quando houver sinistro, quando contratados”. Além disso, existem ainda outros seguros disponíveis, como, por exemplo, o seguro de terceiros, que cobre lesões a outras pessoas envolvidas em um acidente.

Já os serviços de assistência 24 horas se faz presente quando o cliente solicita o guincho, mecânico para realizar serviços paliativos no local, táxi, chaveiro, troca de pneu, retrovisor, entre outros, de acordo com a rede de prestadores de serviços disponibilizada pela empresa prestadora de serviços, sem possibilidade de reembolso em caso de escolha de outro prestador não cadastrado. A assistência 24 horas oferece comodidade e segurança com atendimentos em uma série de ocasiões repentinas. “É uma opção para não deixar o carro e a si próprio desprotegidos em situações emergenciais para quem prefere não optar pelo seguro, porém, sem coberturas indenitárias, que exige um investimento maior”, conclui o executivo.

Chubb Brasil nomeia novo Vice Presidente de P&C 1171

Chubb

Companhia foca em serviços superiores aos clientes

Leandro Martinez é o novo vice-presidente de Subscrição de P&C da Chubb Brasil
Leandro Martinez é o novo vice-presidente de Subscrição de P&C da Chubb Brasil

A partir de julho, Leandro Martinez assume a Vice-Presidência de Subscrição de P&C da Chubb Brasil, reportando-se diretamente ao Presidente Executivo da Chubb Brasil, Antonio Trindade e funcionalmente a Pablo Korze, Vice Presidente Sênior de P&C Commercial.

Leandro será responsável pelo P&L de Global, Middle Market/SME e Resseguros. O executivo está na companhia desde janeiro de 2011, e em agosto de 2014, passou a desempenhar o papel de Vice Presidente Regional de Linhas Financeiras, onde contribuiu com desenvolvimento das carteiras de D&O, PI, FI e Cyber na América Latina.

Leandro é advogado, pós-graduado em Direito Civil e de Empresas, com MBA pela FGV e extensões em mercado de capitais pela Escola Superior de Advocacia da OAB de São Paulo.

Toda mudança realizada na Chubb tem como objetivo garantir uma subscrição e execução superiores, bem como a entrega de um serviço superior para os seus clientes.

Dicas para investir e ir às Olimpíadas no Japão, em 2020 1808

Tokyo

Quem não foi à Rússia, pode aportar em fundos cambiais para realizar sonho de fazer parte da torcida brasileira

Quem gosta de grandes eventos esportivos, mas não conseguiu ir para a Rússia, pode se preparar para as Olimpíadas do Japão, em 2020. De acordo com a Mapfre Investimentos, existem boas alternativas para fazer o dinheiro render e fazer parte da torcida brasileira do outro lado do mundo.

Antes de realizar uma aplicação, é necessário definir o montante necessário para o passeio, considerando o valor em moeda estrangeria – já que a viagem é para o exterior– e o tempo disponível até o embarque, neste caso, dois anos. “O fundo deve ter pouco risco para não comprometer o volume de dinheiro essencial para viajar. A recomendação é seguir o planejamento de investir parte em fundo cambial e parte em fundos de renda fixa”, explica Carlos Eduardo Eichhorn, diretor de gestão de recursos da Mapfre Investimentos.

“Os fundos cambiais são uma opção segura e rentável, porque garantem o poder de compra em dólares e liquidez para a data estimada da viagem. Além disso, também não há a cobrança do spread exigido pelas casas de câmbio”, completa.

Já os fundos de renda fixa são os mais populares entre os brasileiros. São veículos de investimento com menos risco e que podem ser compostos por títulos públicos e de crédito, com o objetivo de rentabilidade associado ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI).