Migração para TV Digital gratuita tem início em Porto Alegre e outros 88 municípios da região 127

Novo sinal de TV aberta traz mais qualidade de imagem e som

Esta semana começou a contagem regressiva. Em 31 de janeiro de 2018, o sinal analógico de TV aberta será desligado na região de Porto Alegre e as transmissões dos canais serão feitas apenas pelo sinal digital, que proporciona imagem e som de melhor qualidade, livre de chiados, chuviscos e fantasmas.

O processo é conduzido pela Seja Digital, entidade responsável por operacionalizar a migração do sinal de TV aberta do analógico para o digital no Brasil. Criada por determinação da Anatel, a entidade tem como missão informar à população o que precisa ser feito para ter acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits com antenas e conversores para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal.

“Este processo representa um grande avanço tecnológico, pois coloca o Brasil no mesmo patamar de transmissão televisiva de países como Estados Unidos e Reino Unido, que já realizaram o desligamento do sinal analógico”, afirma Antonio Carlos Martelletto, diretor geral da Seja Digital.

O executivo reforça que a prioridade da entidade é promover ações didáticas voltadas, principalmente, para o esclarecimento à população sobre a transição, assegurando que todos estejam preparados para o novo momento da TV no Brasil. “Nosso principal compromisso com a digitalização da TV no Brasil é preparar a população para que não fique sem acesso ao sinal dos canais de TV aberta”, explica Martelletto.

Durante o período de transição, os telespectadores de Porto Alegre e região que assistem os canais de TV aberta passarão a ver durante a programação um sinal com a letra “A”. Este símbolo indica que o sinal daquela TV é analógico. No dia 31 de janeiro de 2018, o sinal analógico será desligado e apenas o sinal digital estará disponível.

Além da capital, o sinal analógico será desligado em outros 88 municípios do estado: Alto Feliz, Alvorada, Araricá, Arroio do Meio, Arroio dos Ratos, Balneário Pinhal, Barão, Barão do Triunfo, Barra do Ribeiro, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Bom Retiro do Sul, Brochier, Butiá, Cachoeirinha, Campestre da Serra, Campo Bom, Canela, Canoas, Capela de Santana, Capivari do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Charqueadas, Cidreira, Colinas, Dois Irmãos, Eldorado do Sul, Estância Velha, Esteio, Estrela, Farroupilha, Fazenda Vilanova, Feliz, Flores da Cunha, Garibaldi, General Câmara, Glorinha, Gramado, Gravataí, Guaíba, Harmonia, Igrejinha, Imbé, Imigrante, Ivoti, Lajeado, Linha Nova, Monte Belo do Sul, Montenegro, Morro Reuter, Nova Petrópolis, Nova Roma do Sul, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Osório, Palmares do Sul, Pareci Novo, Parobé, Paverama, Picada Café, Portão, Presidente Lucena, Rolante, Santo Antônio da Patrulha, São Francisco de Paula, São Jerônimo, São José do Hortêncio, São José do Sul, São Leopoldo, São Marcos, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Tabaí, Tapes, Taquara, Taquari, Teutônia, Tramandaí, Três Coroas, Triunfo, Tupandi, Vale Real, Veranópolis, Viamão, Westfalia e Xangri-lá.

Para saber mais informações sobre como se preparar para desligamentos do sinal analógico dos canais de TV aberta, acesse este portal especial.

Benefícios da mudança

O desligamento do sinal analógico irá liberar a faixa de 700Mhz para que a oferta de internet 4G possa ser expandida na região. O 4G é uma das tecnologias mais avançadas do mundo, que permite a celulares, smartphones, laptops e tablets acessarem sinal de voz e dados a velocidades muito mais rápidas, até mesmo em ambientes fechados. De acordo com um estudo da GSM Association, esse processo de migração para TV digital pode trazer mais de US$ 5 bilhões ao PIB brasileiro, além de mais de 4 mil empregos.

A TV Digital também oferece uma série de melhorias em relação ao sinal analógico. A transmissão possui qualidade muito superior tanto de imagem quanto de som. Outra questão fundamental são os recursos interativos. Por meio do sinal digital, o telespectador pode ter acesso a conteúdos adicionais como informações de bastidores, galerias de imagens do programa, ofertas de produtos relacionados, previsão do tempo e notícias em texto – tudo gratuitamente e de acordo com as definições de cada emissora.

Brasília: a primeira capital brasileira com sinal de TV aberta 100% digital

No dia 17 de novembro, o sinal analógico de televisão foi desligado em Brasília. Mais de 4 milhões de moradores da região passaram a assistir os canais abertos de televisão apenas pelo sinal digital, que transmite a programação gratuitamente com imagem e som de cinema. Para cumprir sua missão no Distrito Federal, a Seja Digital promoveu ações sociais, mutirões de orientação e parcerias com organizações sociais e distribuiu cerca de 340 mil kits gratuitos com antena, conversor e controle remoto. Em breve, as campanhas de comunicação e as ações de mobilização chegarão a Porto Alegre e região anunciando o desligamento do sinal analógico dos canais abertos de televisão.

 

Última semana para o recadastramento de corretores de seguros 950

Mais de 43 mil deram entrada no processo, afirma Susep

Na próxima sexta-feira, dia 15 de dezembro, será encerrado o prazo estabelecido pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para o recadastramento do corretor de seguros pessoa física. O não recadastramento implica na suspensão do registro conforme o disposto na Circular da Susep 552, de 17 de maio de 2017.

“O último recadastramento de corretores de seguros realizado pela Susep foi em 2008 e esse processo é fundamental para a segurança do consumidor e para estudos e ações do mercado de seguros”, observa o titular da autarquia, Joaquim Mendanha de Ataídes, reiterando que o prazo não será prorrogado.

Sociedades corretoras

Um outro ponto importante envolve os corretores de seguros que são os responsáveis técnicos em sociedades corretoras. Caso o corretor pessoa física não realize o processo de recadastramento este ano, o mesmo ficará impedido de atuar como o corretor responsável.

Passo a passo do recadastramento

Ao dar entrada com o pedido de recadastramento no portal da Susep, o corretor precisa estar atento a todos os passos do processo: preencher seus dados nos campos indicados, salvar o cadastro e verificar o recebimento de dois e-mails da Susep. O primeiro e-mail informará o número do seu pedido e o segundo e-mail trará um link, no qual o solicitante deverá clicar para realizar a confirmação do seu pedido e poder continuar com o processo.

A Susep esclarece que os corretores que finalizarem o pedido de recadastramento dentro do prazo e o mesmo permanecer em análise por parte da autarquia, não serão prejudicados e os seus registros continuarão ativos até a conclusão da análise.

Em caso de dúvidas, o site do Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor) possui um passo a passo detalhado sobre o recadastramento e há linhas diretas para os corretores nos telefones (21) 3233-4146 e (21) 3233-4045, da Susep, e (21) 3509-7070, do Ibracor.

Presidente da CNseg destaca o desempenho superior do setor segurador em 2017 em almoço do Sindseg-SP 557

Atuação dos empresários do mercado e melhoria da política econômica do governo estão entre as razões, aponta Coriolano

O presidente da CNseg, Marcio Coriolano, fala, do púlpito, à elite do setor, presente no almoço de fim de ano do Sindseg-SP / Divulgação

Em 2017, o mercado segurador brasileiro teve um desempenho bastante promissor, principalmente se comparado a outros setores da economia, devendo registrar um crescimento de 7%, em termos reais, enquanto o PIB deve crescer apenas cerca de 1%, afirmou o presidente da CNseg, Marcio Coriolano, durante o almoço de fim de ano do Sindicato das Seguradoras de São Paulo, ocorrido nesta quinta-feira, 7, no Hotel Intercontinental, na capital paulista.

E, para ele, essa resistência do setor não é obra do acaso, devendo ser atribuída, principalmente, a quatro fatores. Primeiro, ao trabalho empreendido pelos empresários do mercado segurador em prol de um ajuste operacional, visando uma melhor eficiência administrativa e uma maior capacidade de solvência. Empresários que, apesar de tudo, continuaram a depositar confiança no País e em sua capacidade de recuperação, mantendo os investimentos e as contratações de mão de obra.

Em segundo, devido a uma melhoria constante dos fundamentos da política econômica do Governo, o que contribui para o aumento do ambiente de confiança. Confiança, esta, reforçada pela reconhecida evolução da interlocução do setor com o governo, com a ambição do setor de colocar-se no centro das políticas públicas tendo encontrado um terreno mais fértil, sendo este o terceiro fator.

E, por fim, devido a um crescimento da consciência da população a respeito da importância da proteção securitária.

A conjunção desses fatores levam o presidente da CNseg  a acreditar que “temos todas as condições para mirarmos 2018 com confiança, apesar das dificuldades que se apresentarão por tratar-se de um ano eleitoral, com o Congresso mais travado”. E, considerando esse cenário, afirmou que  o momento é mais que oportuno para os militantes do mercado propugnarem um programa mínimo de políticas microeconômicas que independam do processo legislativo para que o setor continue a crescer.

O presidente do Sindseg-SP, Mauro Cesar Batista, também manifestou otimismo com o desempenho do setor, destacando, ainda, as diversas ações empreendidas pelo Sindicato em prol do fortalecimento do seguro, como  as envolvendo a disseminação da cultura do seguro entre jovens e a educação da sociedade para a segurança no trânsito.

O encontro contou, ainda, com uma homenagem ao secretário da Educação do Estado e São Paulo, José Renato Nalini, que destacou a importância de se investir em educação. “Não vamos apostar na ignorância, que é nefasta”, concluiu.

Ministro prevê crescimento de 2% em 2018 531

Dyogo Oliveira diz que setores econômicos terão crescimento mais uniforme nos próximos anos

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, afirmou que o crescimento da economia tende a ser mais equilibrado entre os diversos setores nos próximos oito a 12 anos, em razão da perspectiva de melhoria dos fundamentos econômicos. O ministro participou de um café da manhã com jornalistas, em Brasília, quando previu crescimento da economia de 2% no próximo ano. No Orçamento, porém, já foi incorporada a previsão de 2,5% de alta. “Os fundamentos gerais da economia brasileira são muito saudáveis”, disse o ministro.

Ele reconheceu que o crescimento projetado ainda estará abaixo do potencial da economia. Ele lembrou que essa estimativa de crescimento ocorre com inflação abaixo do centro da meta (4,5%). “É um nível de crescimento neutro do ponto de vista inflacionário”, disse.

Por estar abaixo do potencial, o ministro disse que é preciso reforçar a necessidade do processo de reformas. “E não é só a reforma da Previdência. É preciso continuar avançando em várias áreas. No próximo ano, aprovada a da Previdência, a pauta será a reforma tributária. Será a base para uma economia com PIB (Produto Interno Bruto, soma de todos os bens e serviços do país) potencial mais alto”, afirmou.

Oliveira também afirmou que o estado ainda é “atrasado e ineficiente”, com recursos mal alocados. Como exemplo, ele citou que a revisão do auxílio-doença, que levou ao cancelamento 80% dos benefícios. O ministro disse ainda que o governo precisa também avançar na digitalização dos serviços públicos. “Até agora, temos 40% dos serviços digitalizados. A eficiência virá por meio de tecnologias com custo menor e mais qualidade”, destacou.

Palestra online: O corretor e as novas tecnologias em 2018 955

Webinar é gratuito e acontece no dia 13 de dezembro

Atendendo a uma solicitação dos corretores de seguros que atuam em outros estados que estão impossibilitados de participar das palestras realizadas no Rio de Janeiro, no dia 13 de dezembro, o Sincor-RJ promove em parceria com a Kuantta Consultoria um Webinar gratuito às 16 horas, sobre “O Corretor e as Novas Tecnologias em 2018”. Quem vai ministrar palestra será o Diretor de Ensino e Tecnologia do Sincor-RJ e Professor da Escola Nacional de Seguros, Arley Boullosa.

A iniciativa tem como objetivo a participação de todas as pessoas que não podem assistir às palestras e de todas que marcaram presença em 2018. Boullosa afirma que essa dinamização serve para que todos tenham acesso ao conteúdo da apresentação. “Estamos empenhados em compartilhar para o maior número possível de corretores. Mesmo na região metropolitana sei das dificuldades dos corretores para comparecerem aos nossos encontros semanais. Iremos fazer uma palestra / bate-papo sobre um tema que tem despertado muito interesse entre os corretores: como a tecnologia está impactando nosso negócio e irá nos afetar no futuro. O Sincor RJ, a Kuantta e a MercadoLead, que irá intermediar a webinar, estão juntos para mais uma vez levarem o tema para a categoria”, explica Arley.

Para participar, é só acessar este site.

Senado fará audiência para debater lei de contrato de seguro 953

Projeto está na pauta desta quinta-feira

O projeto de lei do contrato de seguro estará em pauta no Senado nesta quinta-feira. Na ocasião, o presidente do Instituto Brasileiro de Direito do Seguro (IBDS), Ernesto Tzirulnik, que idealizou o projeto, participará de audiência pública no Congresso para discutir o PLC 29/2017, que está em fase final de tramitação, após mais de 13 anos de discussões e ajustes.

Tzirulnik explica que o Brasil é um dos poucos países que não conta com lei específica para os contratos de seguros. “Essa lei trará mais regulação e desenvolvimento para o setor, dando segurança jurídica para os contratos”.

A audiência acontece no Senado Federal, a partir das 09h00.