Como o caos na Segurança Pública do ES afetou o mercado de seguros 49688

Estima-se que as seguradoras devem pagar cerca de R$ 3 milhões em indenizações de roubos e furtos de veículos

Policiais militares voltam às ruas em Vitória. Imagens de Tânia Rêgo/Agência Brasil

A corretora de seguros Jaqueline Bergami (39), de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, viu sua cidade ser assolada por uma onda de crimes e saqueamentos. Criminosos armados e uma população impossibilitada de sair às ruas era o cenário descrito da janela de sua residência.

O motivo deste fenômeno assustador foram as manifestações que impediam o policiamento no Espírito Santo. Os Policiais Militares começaram a retornar às ruas no sábado (11), após um acordo entre representantes da categoria e governo e um chamado do comando geral da PM.

À luz do mercado de seguros, dois ramos são afetados: automóveis e patrimoniais. No seguro auto, o aumento de sinistros foi de 200%. O número de roubos e furtos de carros foi três vezes maior, registrando, no início da semana passada, cerca de 200 ocorrências. Estima-se que as seguradoras devem pagar cerca de R$ 3 milhões em indenizações de roubos e furtos de veículos.

Segundo o presidente do Sindicato das Seguradoras do Rio de Janeiro e Espírito Santo (SindSeg RJ/ES), Roberto Santos, o aumento do roubo tem por objetivo, por parte do criminoso, um segundo delito: o de roubar para transportar objetos furtados. “Depois disso os carros são abandonados, o que significa que serão recuperados quando a Segurança Pública voltar à situação normal”, esclarece, ao lembrar que a recuperação de carros praticamente zerou neste período.

No seguro auto se registrou um aumento de sinistros de 200%.

A questão dos seguros patrimoniais é mais complexa nessa situação, pois, segundo a entidade, as seguradoras não estão sendo devidamente comunicadas das ocorrências. Na Porto Seguro, empresa onde o presidente atua, só duas ocorrências do tipo foram realizadas nos primeiros cinco dias da paralisação. “Ainda não conseguimos saber a extensão do problema. Pois, nos seguros patrimoniais, o proprietário da loja muitas vezes precisa procurar o seu corretor para comunicar o sinistro e os corretores não conseguiam trabalhar em função da Segurança Pública”, diz.

Santos acredita que este tipo de evento não refletirá no valor dos seguros. “Aumenta o nível de sinistralidade por algumas semanas, o que não é suficiente para alterar os preços das seguradoras, pois isso acontece com eventos de comportamento que duram muito tempo”, afirma, ao comentar que as companhias estão operando normalmente.

O Sindicato dos Corretores do Estado (Sincor-ES) fechou as portas da sua sede, em Vitória, no dia 06 de fevereiro e voltou a operar meio turno no dia 09 de fevereiro para não expor seus colaboradores à situação em que se encontrava a Capital capixaba. O presidente da entidade, José Rômulo da Silva, diz que as corretoras de seguros tiveram que alterar suas rotinas, “uma vez que seus segurados estão preferindo não sair de suas residências e não existe comércio aberto, incluindo a rede bancária”. “Os que seguiram operando, o fizeram de suas residências ou escritórios em função do atendimento aos seus clientes, principalmente no que diz respeito a orientação e procedimentos a serem adotados em caso de sinistros”, comenta.

Lições

Manifestantes fazem caminhada pela paz em Vitória.

O Sincor-ES reforça que a lição que fica para o corretor de seguros num momento de tensão como este é de que se deve proceder com muita calma, já que o segurado precisa do auxílio do profissional. “Por certo o corretor deverá sofrer um desgaste grande e uma queda em seus negócios, face ao medo e o recolhimento dos segurados e possíveis segurados neste momento. Mas creio que passada a tempestade, terá muito trabalho, não só para ajudar seus segurados, como também para atender a novos clientes que tiveram seus veículos furtados ou roubados ou seus estabelecimentos comerciais saqueados”, avalia.

Para o SindSeg RJ/ES, o aprendizado que se extrai é o da necessidade de proteção através de apólices de seguro. “O mercado segurador está acostumado com catástrofes e está preparado para lidar com situações como esta. Então, a lição que fica é para que a população se conscientize de que é melhor se proteger”, assegura.

Na visão da corretora Jaqueline, citada no início desta reportagem, a importância do profissional corretor de seguros fica ainda mais evidenciada em momentos como este.

“O cliente não quer comprar somente um produto, ele quer segurança. E isso só um corretor que conhece o produto pode oferecer. Ele não quer preço simplesmente, ele quer solução”, finaliza.

MBM apresenta Seguro AP Caminhoneiro em Minas 79

Evento apresentou o produto para parceiros e assessorias com foco em transporte

Alexsander Kaufmann, superintendente do Grupo MBM / Divulgação

A filial do Grupo MBM de Minas Gerais promoveu o lançamento do Seguro Acidentes Pessoais (AP) Caminhoneiro. Durante o encontro, que aconteceu no dia 10 de janeiro, os corretores parceiros, futuros parceiros e Assessorias com foco em transporte esclareceram dúvidas sobre o produto. O Superintendente, Alexsander Kaufmann, que além de explanar sobre o produto, ressaltou o crescimento da seguradora nos últimos anos e tirou dúvidas dos convidados presentes.

O evento teve um clima bastante descontraído e no final foi realizado um sorteio de brindes, sendo contemplados representante da Salco Corretora e o representante da Souza Pinto Corretora.

“Além de aproximar os corretores do Grupo MBM, o evento foi muito importante para fortificar a marca e trazer boas expectativas de produção”, comentou Marinada dos Santos Dias, gerente da filial MBM Minas Gerais, que também participou do evento.

A filial do Grupo MBM de Minas Gerais está localizada na Avenida Augusto de Lima, 479, Belo Horizonte. Os telefones são (31) 3271-2395 e (31) 3271-6078.

SulAmérica Auto eleva satisfação do segurado com oficinas referenciadas 80

Programa de Relacionamento com Prestadores (PRP) certificou 126 parceiros com selo de excelência Diamante em 2017

A SulAmérica Auto elevou em cerca de 70% o nível de satisfação do cliente com as oficinas referenciadas da seguradora por meio do Programa de Relacionamento com Prestadores (PRP), que visa aprimorar a rede de serviços ao segurado em sinistros automotivos. Em 2017, 126 prestadores foram reconhecidos com o selo Diamante, a classificação máxima de excelência do programa, pela apresentação de elevados índices de satisfação dos clientes com o atendimento, qualidade do serviço e infraestrutura de oficina, dentre outros indicadores. Ainda dentro do PRP, 224 oficinas receberam o selo Ouro e 569 foram classificadas como Prata, atestando o foco crescente da rede em qualidade, eficiência e satisfação.

“A SulAmérica investe continuamente no relacionamento com prestadores e no aprimoramento constante da rede, reforçando o compromisso da companhia em garantir um serviço de excelência ao segurado. Neste cenário, as oficinas de reparação são fundamentais, pois realizam uma das principais entregas do seguro de automóveis. Estamos muito orgulhosos do desempenho daquelas que participam do PRP e que, por meio de melhorias internas, têm conquistado a satisfação do cliente”, afirma o diretor de Operações Auto e Massificados, Renato Roperto.

Desde 2014, quando foi lançado, o PRP vem promovendo uma revisão completa de processos, indicadores e metas na operação de oficinas referenciadas, por meio de ações estruturadas com foco nos pilares de comunicação e reconhecimento. Até o momento, já foram realizados 16 eventos de alinhamento de metas e 17 premiações de oficinas destacadas com o selo Diamante por três anos consecutivos, além de treinamentos de legislação ambiental e boas práticas de gestão.

Riscos em segurança: prevenir ou remediar? 80

Confira artigo de Paulo Sergio, especialista em Gestão de Riscos e Segurança Patrimonial da ICTS Security

Surpresas boas ou ruins são inevitáveis. Situações adversas que causam danos físicos e materiais podem ocorrer em qualquer atividade. Por isso, é importante que os empresários ou os comerciantes considerem a possibilidade de danos a equipamentos, instalações, perdas no processo de produção e até mesmo a redução ou interrupção da capacidade produtiva do seu negócio. Conhecer os custos destes possíveis prejuízos também é importante.

Todos nós já vivenciamos ou conhecemos alguém que esteve em uma situação de perigo, trazendo danos financeiros ou fatalidades como a perda de um ente querido. A tendência do ser humano é pensar que nada acontecerá com ele, deixando-o na zona de conforto para enfrentar as adversidades.

Dominar o cenário no qual estamos inseridos e os riscos aos quais estamos expostos ajuda a escolher, entre as opções disponíveis, as que propiciam melhor controle das situações. Uma análise detalhada de sua rotina profissional ou de seus hábitos domésticos ajudam a fazer escolhas. O olhar de um profissional especializado é efetivo na tomada de decisões sobre nossa segurança.

Em função do fácil acesso à informação, temos como conhecer antecipadamente uma série de fatores, a exemplo menciono condições climáticas, locais de grande concentração de violência, frequência de furtos em um determinado bairro, entre outros. Estar informados nos mantém atentos aos riscos e faz a diferença no modo como nos preparamos para evitar ou desviar de situações desagradáveis.

Quando escolhemos um automóvel, de modo geral, os critérios de escolha são gosto pessoal, motorização, conforto e tecnologia embarcada. Para comportar-se preventivamente, é importante acrescentar nesta análise o quanto este modelo é visado para roubos e furtos e seus índices de sinistros. Custos com seguros também são importantes, pois ao assumir despesas muito altas, é provável que o proprietário passe a economizar em itens como estacionamento, o que o torna mais vulnerável.

O pior risco é aquele que não é assim considerado e, portanto, não tratado. Profissionais especializados em gestão de riscos identificam e categorizam vulnerabilidades, planejam e controlam processos, treinam e a capacitam pessoas, orientam sobre uso e investimentos em tecnologia, bem como atuam em monitoramento e reavaliação constantes para garantir a qualidade da gestão dos riscos.

Eliminar todos os riscos não é uma possibilidade real, entretanto, gerenciar de maneira inteligente, antecipar possibilidades e condições inseguras é a alternativa mais adequada. O comportamento preventivo tem por objetivo manter os riscos aos quais estamos sujeitos em níveis mínimos e aceitáveis para garantir o bem-estar e a tranquilidade em nossa vida e da nossa família.

Planejamento Estratégico é essencial para todo empreendedor 89

Kuantta Consultoria ministra palestra em diversas sucursais da Porto Seguro

O empreendedorismo é essencial para o crescimento profissional do corretor de seguros. O Professor da Escola Nacional de Seguros e idealizador da Kuantta, Arley Boullosa, faz parte do Programa Porto Seguro Educação e está apresentando o tema “Corretor Empreendedor”, onde a companhia promove uma série de palestras e treinamentos para corretores de seguros em todo o Brasil. As apresentações iniciaram no dia 11 de janeiro, com parceiros de negócios que são atendidos na Sucursal Tijuca, no dia 12 teve continuidade com os profissionais que recebem suporte no escritório de Nova Iguaçu. No dia 16, a sucursal Petrópolis realiza palestras em Nova Friburgo e Teresópolis e no dia 17 será a vez da sucursal Petrópolis e Volta Redonda, localizada na Região Sul-Fluminense.

Para Arley, a importância do Planejamento Estratégico é essencial para todo empreendedor. “Estou bastante feliz com o resultado das palestras que realizamos até agora. O foco principal é trabalharmos o Planejamento, estratégia e utilizarmos OKR (Objetives and key results) para isso. Trata-se de uma framework de gestão de metas criada em 1970 pela Intel e popularizada em 1999 quando foi adotada pelo Google quando tinha menos de um ano de vida e 40 funcionários. Até hoje, com 60 mil funcionários, o Google utiliza a ferramenta devido a sua simplicidade e direcionamento focado em resultados. Precisamos que os corretores tenham mais foco na execução para mudarem de patamar e se prepararem para as mudanças que estamos enfrentando em nosso mercado”, declarou.

Empreender é imprescindível no mercado segurador. As atitudes empreendedoras produzem o aumento na demanda de comercialização das apólices e é algo maior, que a simples ideia de abrir um negócio. Significa melhorar o desempenho e planejar para alcançar metas e objetivos traçados durante o trabalho, encontrando novas soluções para o crescimento da produtividade.

iFood busca talentos no RS 84

Oportunidade é para atuar em Caxias do Sul

O iFood está em busca de profissionais da região Sul para trabalhar na posição de Vendedor Externo na cidade de Caixas do Sul. As candidaturas devem ser feitas na aba Vagas na página do iFood no Linkedin.

O colaborador do iFood tem a oportunidade de ingressar em uma das mais inovadoras foodtechs do mundo e trabalhar em uma plataforma estratégica para o negócio dos restaurantes parceiros, com soluções que contribuem para o crescimento destes estabelecimentos e, ao mesmo tempo, facilitam a vida do consumidor.

Na empresa, o profissional tem a liberdade de criar e ter ideias que podem ter grande impacto no negócio, por isso, é sempre estimulado a empreender, trabalhar com transparência, além de ser colaborativo. O iFood valoriza a diversidade e está em busca de todos os ingredientes que se complementam e fortalecem a cultura e os valores.

A empresa brasileira, com seis anos de mercado, acaba de ganhar dois prêmios Great Place To Work e é uma das mais bem avaliadas na plataforma Love Mondays. Com mais de 650 colaboradores no Brasil e cerca de 200 entre México, Colômbia e Argentina. A empresa vem registrando um crescimento médio de 120% ao ano, mantém a cultura de startup e não para de contratar.