RedeTV, Record TV e SBT deixam TV paga em SP e Brasília 57

Emissoras não entraram em acordo com operadoras

A partir de hoje (29), a programação das emissoras SBT, Record e Rede TV! não deverá mais ser transmitida pelas operadoras de TV por assinatura em São Paulo e Brasília. Isso porque emissoras e operadoras não chegaram a um acordo sobre o valor a ser pago para a disponibilização dos canais aos clientes.

Por enquanto, a transmissão das três emissoras só pode ser interrompida onde o sinal analógico já foi desligado. A lei que regulamenta o serviço de TV paga no Brasil determina que as operadoras devem oferecer os canais abertos, mas a obrigatoriedade acaba com a digitalização dos canais.

Com o desligamento do sinal analógico, a distribuição dos canais digitais abertos pelas operadoras de TV por assinatura passou a depender de autorização de cada emissora. Portanto, se não houver acordo, outras cidades podem ser afetadas, à medida que o desligamento analógico for feito.

Embate

De um lado, as emissoras reclamam que não são remuneradas de maneira justa pelo conteúdo. Os três canais, que formaram a empresas Simba Content, alegam que o seu conteúdo nunca foi remunerado pelas operadoras de TV a cabo e querem que seja utilizado o mesmo método que vem sendo praticado com outras emissoras internacionais e algumas nacionais.

“Como as operadoras não conseguem chegar a uma proposta que remunere de maneira justa as emissoras, os assinantes podem perder grande parte do conteúdo que faz mais sucesso na TV paga. A Record TV, o SBT e a Rede TV! respondem por boa parte da audiência da TV aberta e fechada. A falta de diálogo das operadoras foi preponderante para que a Simba Content respondesse com essa ação”, diz um comunicado conjunto das emissoras.

As operadoras de TV paga, no entanto, discordam da cobrança. A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) informou que a decisão de não permitir a transmissão dos sinais digitais das três emissoras na TV paga em Brasília e São Paulo foi uma iniciativa da Simba, por meio de notificação encaminhada às operadoras. Segundo a entidade, para que esses canais continuem sendo distribuídos na TV por assinatura nessas cidades, é necessário que as partes firmem um acordo, conforme prevê a legislação do setor.

“As operadoras de TV por assinatura sempre estiveram e continuam abertas ao diálogo. No entanto, consultadas pela ABTA, a maior parte delas informa que sequer recebeu uma proposta comercial da Simba até esta data”, diz a entidade, que representa os principais grupos de TV paga do país.

Emissoras

As três emissoras têm divulgado vídeos durante a programação, com seus principais artistas explicando a situação para os telespectadores. Nas redes sociais, as emissoras também têm se manifestado sobre a questão.

Em sua conta no Facebook, o SBT diz que as operadoras de TV pagam para grandes canais estrangeiros e para outras emissoras nacionais, mas ainda não chegaram a um acordo com as três emissoras. “E quanto recebemos pela exibição dos nossos canais? Nada! Absolutamente nada! Queremos somente os mesmos direitos dos outros canais que estão dentro do seu pacote”, diz o SBT.

“Queremos continuar levando conteúdo de qualidade para os nossos telespectadores, entretanto as operadoras não querem utilizar o mesmo método pela exibição de seu sinal, que vem sendo praticado com outras emissoras abertas”, diz a Record no Facebook. Na página da RedeTV, um vídeo gravado pelo apresentador Marcelo Carvalho mostra a posição da emissora. “Nós buscamos receber das operadoras um valor justo por nossa programação, exatamente como os outros canais, nacionais e internacionais, já recebem”, diz. Segundo ele, as operadoras se recusam a pagar o minimamente justo pela programação das três emissoras.

Operadoras

Em Brasília, o sinal das emissoras já foi desligado na segunda-feira (27). Em comunicado divulgado em sua programação, a NET explica que deixou de transmitir os sinais digitais desses canais para atender a uma solicitação das próprias emissoras. A operadora diz que já tem acordo para a distribuição de outros canais abertos, mas que até o momento, a Record, a Rede TV! e o SBT não autorizaram a NET e a Claro TV a manter a distribuição dos seus canais.

“É importante esclarecer que esses canais sempre foram distribuídos gratuitamente. A NET segue negociando para que você volte a receber o sinal aberto na sua TV por Assinatura como sempre recebeu, sem ter que pagar a mais por ele”, diz a operadora, que também representa a Claro TV.

A Sky diz que discorda da cobrança e critica as três emissoras por querer cobrar pela transmissão do conteúdo. “Apesar de ter uma concessão gratuita, a Record, o SBT e a Rede TV!desejam cobrar dos clientes pelo mesmo conteúdo de programação. Essa foi uma decisão unilateral da Simba, empresa que reúne as emissoras em questão. A SKY discorda da cobrança e segue aberta às negociações, tendo como objetivo sempre preservar os direitos e interesses de seus assinantes”

A Vivo diz que não vai se manifestar sobre o assunto, e a Oi não divulgou sua posição.

Consumidor

A coordenadora da Proteste Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, afirma que os clientes não podem ser prejudicados por esse embate entre as emissoras e as TVs. “Eles vão acabar tendo menos canais, isso é bastante prejudicial”. Ela orienta os consumidores que se sentirem lesados pela retirada dos canais do pacote a pedir um ressarcimento às operadoras e a procurar os órgãos de defesa do consumidor.

Segundo Maria Inês, os clientes que quiserem rescindir o contrato com as operadoras de TV por assinatura não devem pagar multa, se estiverem no prazo de fidelização. Também devem ser ressarcidos se pagaram antecipadamente pelo serviço. “As operadoras de TV são responsáveis por garantir o contrato entre elas e o consumidor”, explica, lembrando que os clientes devem ser informados de forma clara sobre a mudança.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) avalia que as operadoras de TV por assinatura não têm a obrigação de continuar transmitindo os canais abertos, por serem cortesia. “O consumidor que quiser ter acesso a eles precisará ter um televisor preparado para receber o sinal digital por conta própria (sem o sinal da TV por assinatura)”, orienta o Idec.

O número de assinantes de TV por assinatura vem caindo há dois anos. Em 2015, o setor perdeu 3,1% de sua base de clientes e no ano passado a queda foi de 1,91%. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em fevereiro o país tinha 18,6 milhões de clientes de TV paga.

Aplicativos enviarão “lembretes” sobre o Trenó Iluminado da Bradesco Seguros 118

São, ao todo, 58 apps parceiros

Quem passar pela Avenida Paulista nos dias que antecedem o Natal vai receber, no celular, um convite para participar da ação Trenó Iluminado do Grupo Bradesco Seguros. Os “lembretes” (imagens em anexo) poderão ser enviados por um dos 58 aplicativos parceiros da iniciativa, que contam com o sistema de geolocalização. Por meio deles, os usuários serão informados sobre o evento natalino que começa neste fim de semana na CicloFaixa de Lazer de São Paulo – iniciativa idealizada pela Prefeitura de São Paulo e patrocinada, desde sua inauguração, em 2009, pela marca Bradesco Seguros.

Na ação, o Papai Noel irá passear pela Avenida Paulista em um Trenó Iluminado, puxado por bicicletas, entre as praças do Ciclista e Oswaldo Cruz. Neste sábado (16), a partir das 17h, o Trenó ficará exposto na Praça do Ciclista para que o público possa tirar fotos com o Papai Noel. Já no domingo, o horário vai das 10h às 16h. Neste mesmo dia, haverá empréstimos de bicicletas para que os ciclistas possam seguir o trenó, além de distribuição de gorros de Natal.

CicloFaixa de Lazer de São Paulo – Especial de Natal: Trenó Iluminado

Data: 16, 17, 23 e 24 de dezembro de 2017;
Local: trecho da Avenida Paulista ao Parque do Ibirapuera, com exposição do Trenó Iluminado na Praça do Ciclista;
Horário: dias 16 e 23 (sábados), o Trenó ficará exposto para fotos com o Papai Noel das 17h às 22h. Já o passeio pela Avenida Paulista será realizado das 22h às 2h de domingo (17 e 24), saindo a cada 30 minutos. Nos domingos (17 e 24), o passeio acontecerá das 10h às 16h – nesses dias, o Bom Velhinho ficará em exposição para fotos nos intervalos entre as saídas do Trenó.

Uso de blockchain no setor de finanças e seguros 121

Startup brasileira quer acelerar o uso em diversos setores da economia com o apoio de parceiros

A Smartchains, consultoria brasileira especialista em blockchain permissionada, anuncia parceria com a ProjecTI, focada em serviços de TI para o mercado de Meios de Pagamento e Seguros. Juntas, as empresas planejam fomentar o uso de blockchain especialmente entre Bancos e Seguradoras, a fim de tornar o setor ainda mais seguro e transparente.

“A Smartchains passa a ser um braço de inovação da ProjecTI. Temos investido em novas tecnologias e precisávamos de um parceiro que nos ajudasse a compreender a blockchain e como ela pode ser aplicada nas operações de nossos clientes e prospects”, aponta Vinicius Lopes, Presidente e Fundador da ProjecTI. “Essa parceria nos coloca à frente com relação à essa tecnologia em meios de pagamento e esperamos ter excelentes resultados a médio e longo prazo”.

Para Fulvio Xavier, co-fundador da Smartchains, essa aliança é estratégica por permitir que a startup se insira no setor de pagamentos de forma rápida e assertiva. “Ao juntarmos a expertise da ProjecTI aos nossos conhecimentos, somos capazes de disseminar, cada vez mais, os inúmeros usos das redes privadas de blockchain no mercado de Pagamentos para tornar as operações das empresas mais seguras, confiáveis e transparentes”, explica.

Busca por novos parceiros

A Smartchains busca novas alianças com empresas de tecnologia voltadas para o desenvolvimento de soluções e projetos especializados em um ou mais setores. O objetivo da startup é, com o apoio dos parceiros, expandir o uso da blockchain nos mais variados mercados.

“Essa tecnologia permite às organizações rastrear e acompanhar ativos e dados com precisão, sem desconfianças ou abertura para golpes – e isso se aplica a qualquer indústria”, diz Fúlvio. “A ideia, então, é unir nossa experiência nessa tecnologia ao conhecimento especializado desses parceiros e desenvolver plataformas aderentes a diversas áreas da economia­­”.

Delphos e a Inovação no Mercado de Seguros 125

Insurtechs trarão benefícios com ganhos de produtividade

O princípio das FinTechs, iniciadas no mercado financeiro, logo chegou no setor de seguros, dando origem às Insurtechs. Para o Diretor da Delphos, Carlos Trindade, tal movimento trará benefícios como a desburocratização e a simplificação das atividades do setor, com ganhos de produtividade. “Por provocarem disruptura em um mercado que por muito tempo foi considerado conservador, esse processo terá que contemplar a administração de efeitos colaterais e riscos, que ocorrem em todo tipo de avanço. Mas o consumidor deverá ser o mais beneficiado, e o aumento de seu conhecimento fará com que contrate mais seguros”, prevê.

Carlos Trindade, diretor de TI da Delphos / Divulgação

Trindade conta que foi criado, na Delphos, um comitê de inovação para identificar novas tecnologias que poderão ser usadas internamente e oferecidas aos clientes. “Para atendimento, relacionamento e inteligência artificial, por exemplo, temos uma equipe dedicada ao CRM Salesforce, com capacidade para identificar as ‘dores’ do mercado e pensar em soluções”, lista o diretor. Segundo ele, esse produto em particular permitirá atender, além do setor de seguros, o financeiro e outras indústrias.

Já o ERP (Enterprise Resource Planning) SegDelphos, que gerencia todas as fases da operação do seguro, terá uma nova versão a partir de 2018. “Vamos investir na customização do sistema nativo, adquirido este ano, para ramos nos quais ele ainda não está totalmente alinhado ao mercado nacional”, conta o executivo. A estratégia inclui também a capacitação da equipe para acompanhar as novas frentes de trabalho.

Todas essas iniciativas buscam auxiliar o mercado a se preparar para um segurado cada vez mais exigente. “Quando um setor se moderniza, ele eleva o nível concorrencial. Não terá vez o corretor que demorar dias ou mesmo horas para fornecer uma cotação de seguros para seu cliente. Então teremos o segurado bem informado, exigindo mais, e um mercado sempre perseguindo melhorias para atender a esse novo perfil”, avalia Trindade.

Por outro lado, o diretor da Delphos acredita que pode haver maior colaboração entre as empresas. “Se uma determinada seguradora trabalha apenas com ramos elementares, poderá de forma ágil e segura trocar informações com outra companhia, para oferecerem produtos combinados de seus portfólios. No mínimo, haverá um benchmarking que remeterá a avanços”, aposta. Para ele, o mesmo vale para corretores e assessorias.

SulAmérica conquista Prêmio de Inovação em Seguros da CNSeg 463

Seguradora é reconhecida por tecnologia pioneira de solicitação de reembolso via aplicativo

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, foi a vencedora do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros 2017 na categoria “Processos e Tecnologia”, com o case “Reembolso Digital”, de autoria do superintendente Fabiano Carraro e equipe. Promovida pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), a cerimônia de premiação reuniu líderes do mercado segurador brasileiro nesta quarta-feira (13), no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

O reembolso digital é uma funcionalidade inédita que foi incorporada ao aplicativo SulAmérica Saúde para agilizar o processo de reembolso de consultas de até R$ 1.000,00. Desenvolvida na garagem de inovação da companhia, a tecnologia utiliza algoritmos de machine learning para reconhecer recibos médicos por meio de uma foto, que pode ser feita pelo próprio segurado com a câmera do smartphone, e encaminha o pedido para análise de forma rápida e segura. O serviço agregou mais um diferencial ao aplicativo, que já registra 1 milhão de downloads.

A SulAmérica conquistou troféus em seis das sete edições do prêmio, reflexo do investimento consistente da companhia em tecnologia e melhoria operacional. “A SulAmérica está liderando uma transformação digital no mercado segurador e este reconhecimento por parte da CNSeg nos incentiva a seguir investindo em projetos inovadores para agregar valor aos clientes, corretores e demais públicos com os quais nos relacionamos”, afirma o presidente da seguradora, Gabriel Portella. “Esta premiação torna-se ainda mais especial quando consideramos a alta qualidade dos projetos inscritos e da comissão julgadora, composta por lideranças e acadêmicos que pensam o futuro do seguro.”

O Prêmio de Inovação em Seguros da CNSeg tem como objetivo reconhecer iniciativas que contribuam para o desenvolvimento do setor de seguros, impulsionando a evolução do mercado e o aprimoramento das relações com o consumidor. Nesta sétima edição, a premiação registrou 89 trabalhos inscritos, que passaram por uma etapa de avaliação individual e outra de defesa oral.

A comissão julgadora deste ano foi composta pela economista Maria Eugenia Buosi; pela defensora pública estadual Patrícia Cardoso Maciel Tavares; pelo professor de Economia da Unicamp Antônio Márcio Buainain; pelo gerente-geral da Associação Palas Athena do Brasil, Júlio Albuquerque Bierrenbach; pelo advogado e colunista do jornal O Estado de S. Paulo Antônio Penteado Mendonça; pelo ex-presidente nacional do Brasilcon, Bruno Miragem; pelo economista Sergio Besserman; pelo professor de Direito Constitucional da FGV Joaquim Falcão; e pelo economista e professor da UFRJ Hélio Portocarrero.

Sompo conquista prêmio por lançamento do Seguro Residencial Supremo 118

Seguro residencial voltado à imóveis de alto padrão teve campanha reconhecida

Divulgação

A Sompo Seguros acaba de ser reconhecida na 18ª edição do Prêmio Caio, conhecido como o “Oscar dos Eventos”, com a premiação Prata na categoria Marketing Estratégico para Eventos por conta das ações desenvolvidas para o lançamento do Seguro Residencial Supremo, produto lançado em junho deste ano com o objetivo de contemplar as necessidades específicas dos proprietários de casas ou apartamentos (habitual ou de veraneio) com foco em imóveis de valor superior a R$ 1 milhão. A premiação foi conferida durante cerimônia realizada na noite de terça-feira (12), no Expo Center Norte, na capital paulista.

O case inscrito foi uma campanha de endomarketing produzida pela Alternativa F Eventos, que apresentava para os colaboradores da companhia as vantagens e características do produto. Como parte da estratégia, os colaboradores foram surpreendidos com uma exposição de arte num primeiro dia, com imagens de joias, carros e objetos de alto valor. Numa outra etapa, receberam a informação de que esses “objetos” teriam sido supostamente roubados, incendiados e molhados e foram convidados a opinar sobre o que teria acontecido. Ao final, a divulgação de um vídeo trouxe a solução do mistério, além do sorteio de dois jantares.

A iniciativa, que teve como objetivo reforçar os atributos do produto junto aos colaboradores da companhia, encontrou grande repercussão e foi uma das ações desenvolvidas no processo de lançamento de divulgação do produto. “Foi uma grata satisfação receber a notícia do reconhecimento de nossa iniciativa pelo Prêmio Caio. A premiação é feita sob curadoria e votação dos profissionais que representam as principais entidades do segmento. Isso só comprova nossa preocupação em investir nas melhores práticas para incrementar cada vez mais as ações de comunicação e relacionamento com os diversos públicos da companhia”, destaca Andre Gouw, Gerente de Comunicação e Marketing da Sompo Seguros.