SulAmérica reforça presença no Vale do Sinos 106

Companhia oferece suporte aos corretores de seguros de Novo Hamburgo e região

Com a presença do diretor regional Gilson Bochernitsan, a SulAmérica promoveu um jantar especial para parceiros de negócios e representantes de entidades do mercado segurador gaúcho em sua nova sede, na cidade de Novo Hamburgo, na região do Vale do Sinos, no Rio Grande do Sul. Ricardo Pansera, presidente do Sindicato dos Corretores (Sincor-RS) e André Thozeski, diretor de marketing da entidade representativa, destacaram a importância da presença física da seguradora para o desempenho das atividades dos corretores de seguros.

Diretor regional, executiva e gerente da unidade inauguram instalações em Novo Hamburgo – Filipe Tedesco/JRS

“É uma noite realmente especial para a SulAmérica. Estamos comemorando a abertura do nosso escritório na cidade de Novo Hamburgo. Sempre procuramos novas oportunidades para contribuir com o desenvolvimento do mercado de seguros. E sempre de portas abertas para o nosso parceiro corretor de seguros, oferecendo produtos com coberturas adequadas pelo preço justo”, contou Bochernitsan.

Fachada da nova unidade – Filipe Tedesco/JRS

A gerente da unidade é Adriana Pereira, ela conta sobre os desafios de operar em uma região tão próspera. “Estamos preparados para receber nossos parceiros de negócios. Isso fortalece bastante nossa marca”, comentou ao Seguros Sem Mistério Drops.

Filipe Tedesco/JRS

A expansão orgânica das operações da SulAmérica na região é fundamental para a consolidação dos bons resultados obtidos pela companhia. Players estratégicos, como Cesar Dioni Costa, vice-presidente da REP Seguros, também estiveram atentos às novidades da seguradora para a região. As novas instalações estão localizadas na Rua Joaquim Nabuco, nº 1571 – Loja 2, no Centro de Novo Hamburgo.

Confira todas as imagens:

Delphos e a Inovação no Mercado de Seguros 125

Insurtechs trarão benefícios com ganhos de produtividade

O princípio das FinTechs, iniciadas no mercado financeiro, logo chegou no setor de seguros, dando origem às Insurtechs. Para o Diretor da Delphos, Carlos Trindade, tal movimento trará benefícios como a desburocratização e a simplificação das atividades do setor, com ganhos de produtividade. “Por provocarem disruptura em um mercado que por muito tempo foi considerado conservador, esse processo terá que contemplar a administração de efeitos colaterais e riscos, que ocorrem em todo tipo de avanço. Mas o consumidor deverá ser o mais beneficiado, e o aumento de seu conhecimento fará com que contrate mais seguros”, prevê.

Carlos Trindade, diretor de TI da Delphos / Divulgação

Trindade conta que foi criado, na Delphos, um comitê de inovação para identificar novas tecnologias que poderão ser usadas internamente e oferecidas aos clientes. “Para atendimento, relacionamento e inteligência artificial, por exemplo, temos uma equipe dedicada ao CRM Salesforce, com capacidade para identificar as ‘dores’ do mercado e pensar em soluções”, lista o diretor. Segundo ele, esse produto em particular permitirá atender, além do setor de seguros, o financeiro e outras indústrias.

Já o ERP (Enterprise Resource Planning) SegDelphos, que gerencia todas as fases da operação do seguro, terá uma nova versão a partir de 2018. “Vamos investir na customização do sistema nativo, adquirido este ano, para ramos nos quais ele ainda não está totalmente alinhado ao mercado nacional”, conta o executivo. A estratégia inclui também a capacitação da equipe para acompanhar as novas frentes de trabalho.

Todas essas iniciativas buscam auxiliar o mercado a se preparar para um segurado cada vez mais exigente. “Quando um setor se moderniza, ele eleva o nível concorrencial. Não terá vez o corretor que demorar dias ou mesmo horas para fornecer uma cotação de seguros para seu cliente. Então teremos o segurado bem informado, exigindo mais, e um mercado sempre perseguindo melhorias para atender a esse novo perfil”, avalia Trindade.

Por outro lado, o diretor da Delphos acredita que pode haver maior colaboração entre as empresas. “Se uma determinada seguradora trabalha apenas com ramos elementares, poderá de forma ágil e segura trocar informações com outra companhia, para oferecerem produtos combinados de seus portfólios. No mínimo, haverá um benchmarking que remeterá a avanços”, aposta. Para ele, o mesmo vale para corretores e assessorias.

SulAmérica conquista Prêmio de Inovação em Seguros da CNSeg 463

Seguradora é reconhecida por tecnologia pioneira de solicitação de reembolso via aplicativo

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, foi a vencedora do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros 2017 na categoria “Processos e Tecnologia”, com o case “Reembolso Digital”, de autoria do superintendente Fabiano Carraro e equipe. Promovida pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), a cerimônia de premiação reuniu líderes do mercado segurador brasileiro nesta quarta-feira (13), no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

O reembolso digital é uma funcionalidade inédita que foi incorporada ao aplicativo SulAmérica Saúde para agilizar o processo de reembolso de consultas de até R$ 1.000,00. Desenvolvida na garagem de inovação da companhia, a tecnologia utiliza algoritmos de machine learning para reconhecer recibos médicos por meio de uma foto, que pode ser feita pelo próprio segurado com a câmera do smartphone, e encaminha o pedido para análise de forma rápida e segura. O serviço agregou mais um diferencial ao aplicativo, que já registra 1 milhão de downloads.

A SulAmérica conquistou troféus em seis das sete edições do prêmio, reflexo do investimento consistente da companhia em tecnologia e melhoria operacional. “A SulAmérica está liderando uma transformação digital no mercado segurador e este reconhecimento por parte da CNSeg nos incentiva a seguir investindo em projetos inovadores para agregar valor aos clientes, corretores e demais públicos com os quais nos relacionamos”, afirma o presidente da seguradora, Gabriel Portella. “Esta premiação torna-se ainda mais especial quando consideramos a alta qualidade dos projetos inscritos e da comissão julgadora, composta por lideranças e acadêmicos que pensam o futuro do seguro.”

O Prêmio de Inovação em Seguros da CNSeg tem como objetivo reconhecer iniciativas que contribuam para o desenvolvimento do setor de seguros, impulsionando a evolução do mercado e o aprimoramento das relações com o consumidor. Nesta sétima edição, a premiação registrou 89 trabalhos inscritos, que passaram por uma etapa de avaliação individual e outra de defesa oral.

A comissão julgadora deste ano foi composta pela economista Maria Eugenia Buosi; pela defensora pública estadual Patrícia Cardoso Maciel Tavares; pelo professor de Economia da Unicamp Antônio Márcio Buainain; pelo gerente-geral da Associação Palas Athena do Brasil, Júlio Albuquerque Bierrenbach; pelo advogado e colunista do jornal O Estado de S. Paulo Antônio Penteado Mendonça; pelo ex-presidente nacional do Brasilcon, Bruno Miragem; pelo economista Sergio Besserman; pelo professor de Direito Constitucional da FGV Joaquim Falcão; e pelo economista e professor da UFRJ Hélio Portocarrero.

BB e Mapfre recebe Prêmio Inovação em Seguros da CNseg 108

Empresa foi a campeã na categoria Comunicação

O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre conquistou mais um prêmio em 2017. A companhia foi a vencedora do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, na categoria Comunicação, com o projeto ‘Campanha de Compensação de CO2’ que envolveu colaboradores e clientes com o objetivo de contribuir para a diminuição do impacto ambiental dos veículos segurados. A cerimônia aconteceu no dia 13 de dezembro, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro (RJ).

“Estamos muito felizes com mais essa conquista. A comunicação é uma das principais ferramentas para aproximação dos nossos stakeholders, da sociedade como um todo e a sustentabilidade é um dos nossos pilares. O projeto despertou o interesse dos clientes que contrataram a apólice dentro do período de vigência da campanha. Eles perceberam a importância de participar de uma ação que visa contribuir para melhoria do meio ambiente e do planeta como um todo”, explica Leonardo Mattedi, diretor geral de Administração, Finanças e Marketing do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

A Campanha de Compensação de CO2 previa que, para cada apólice de seguro de automóvel contratada pelos sites da Mapfre Seguros e do Banco do Brasil Seguros durante o mês de junho, o Grupo se comprometia a compensar as emissões de gás carbônico geradas durante um ano limitado a 20 mil quilômetros rodados por ano por veículo.

A compensação das emissões veiculares foi feita por meio da compra de créditos de carbono, com base em uma metodologia de uma empresa especializada na área. O valor da cota adquirida foi investido em um projeto para a recuperação e conservação ambiental que também promove benefícios sociais à comunidade. Para participar da ação, bastava o cliente adquirir a apólice por meio dos portais do Banco do Brasil Seguros ou da Mapfre Seguros, durante o período de vigência da ação.

O Prêmio Inovação em Seguros é promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) e contou com a participação dos principais players do setor que concorreram nas categorias Processos e Tecnologia, Comunicação e Produtos e Serviços.

CSP-MG participa de almoço com lideranças do mercado, promovido pela CNseg 858

Evento também marcou a entrega do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros

O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) participou do tradicional almoço das lideranças do mercado segurador, realizado nesta quarta-feira (13) pela CNseg, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O evento também marcou a entrega do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros.

O presidente João Paulo Moreira de Mello representou a entidade no encontro, que reuniu executivos de seguradoras, dirigentes de instituições de mercado e representantes de órgãos governamentais, como Susep e ANS.

O presidente da Confederação, Marcio Coriolano, fez um resumo do ano e afirmou que, apesar da crise política e econômica, o mercado deve fechar 2017 com crescimento global de 10%, o que representa um desempenho muito positivo diante do cenário atual. Coriolano ressaltou a resiliência do setor e a expectativa de bons resultados em 2018, considerando a melhora dos índices macro da economia.

Na área de Pessoas, destaque para os produtos de acumulação (VGBL) e Vida Individual, segundo o presidente da FenaPrevi, Edson Franco. No setor de Saúde, Solange Beatriz, presidente da FenaSaúde, apontou os grandes desafios enfrentados pelo segmento – como a queda de beneficiários e o aumentos dos custos de prestadores – mas fez questão de elogiar a união do setor de saúde suplementar na busca de soluções.

O superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, afirmou que em 2018 a autarquia volta a discutir o microsseguro e as mudanças necessárias para que o produto seja definitivamente inserido na sociedade. O dirigente também afirmou que a regulamentação do Seguro de Vida Universal é uma das prioridades da Susep para o ano que vem.

“Ficamos muito satisfeitos de ouvir das principais lideranças do setor, tanto nos pronunciamentos como nas rodas de conversas, as boas expectativas que todos têm para 2018. Vamos em frente na busca do desenvolvimento do mercado”, salientou o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello.

Divulgação

O almoço de lideranças também contou com as presenças dos presidentes dos CVGs do Rio de Janeiro, Carlos Ivo Gonçalves, de São Paulo, Silas Kasahaya e do Paraná, David Novloski. Também prestigiaram o evento os presidentes do Sindseg MG/GO/MT/DF, Augusto Matos, e do Sincor-MG, Maria Filomena Branquinho.

Com crescimento das franquias, mercado segurador traz grande oportunidade ao empreendedor 154

Dados divulgados em novembro pela ABF mostram que setor cresceu 7,8% no 3º trimestre

Divulgação

Criação e inovação são características imprescindíveis para quem quer se tornar um empreendedor de sucesso. Esses aspectos ilustram o crescimento do número de pessoas que querem uma empresa para chamar de sua, na busca da construção do seu próprio castelo e a geração de uma renda que garanta conforto e estabilidade financeira. De acordo com pesquisa divulgada em novembro, pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento do setor brasileiro de franquias cresceu 7,8% no terceiro trimestre de 2017. Em comparação com o segundo trimestre, que contou com um crescimento de 6,8%, o mercado de franquias cresceu 11,4%. Na pesquisa, são levados em conta os números do semestre atual em relação ao mesmo período no ano anterior. A Associação ainda divulgou dados que mostram que o número de empregos gerados pelas franquias cresceu 0,4%. Com esse número, o franchising gerou o total de 1.205.714 empregos diretos.

Recentemente, o Grupo Life Brasil iniciou o processo de Franchising em Seguro de Vida, através do Minha Franquia Minha Vida. De acordo com Alberto Junior, Chairman do Grupo Life Brasil, o modelo de negócio de sucesso, os processos já estabelecidos e a marca constituída são os principais pontos que levam o desejo das pessoas em ter a sua própria franquia. “Além do fato de ser dono do seu próprio negócio, os franqueados contam com menor risco de falência, exatamente por ser direcionados e orientados por quem entende do assunto, já fez acontecer e, claro, por ter a definição de empreender em algo que agregue valor a sua estratégia”, disse Alberto.

A incorporação do novo modelo de franchising do Grupo já recebeu o seu primeiro reconhecimento, com a conquista do prêmio de Inovação em Franquias no 15º Troféu JRS, um dos principais eventos nacionais de destaque às empresas do mercado segurador brasileiro. Com a conclusão do treinamento dos primeiros franqueados da Life Brasil Franchising e o crescimento do setor de franquias no Brasil, Alberto Junior destaca que o principal objetivo agora é a aceleração com sucesso dos franqueados, acertando na conexão do perfil e capacidade intelectual e física para buscar suas conquistas.

Para isso, o Chairman frisou os principais pontos que destacam o sucesso para quem quer investir em franquias de seguro e proteção de pessoas. “Com o aumento da conscientização da população sobre a importância do seguro e, consequentemente, na medida em que as pessoas passem a aderi-los, maior será o grau de estruturação e experiência, os ganhos em escala e hereditários e, por fim, a possibilidade de multiplicação do seu próprio negócio em um novo mercado que está em crescimento potencial”, disse.