Cinco argumentos imbatíveis para os corretores venderem o seguro D&O 2096

Artigo de Thabata Najdek, profissional com dez anos de atuação no mercado segurador nas áreas de linhas financeiras

Diversificar a carteira, realizar cross selling, venda cruzada etc. Os corretores de seguros bem sabem quais sãos os caminhos para ampliar os negócios e aumentar o faturamento. Na prática, porém, nem sempre é fácil convencer o cliente. Por exemplo: vender uma apólice de seguro D&O para gestor de empresa familiar ou de pequeno porte parece uma tarefa impossível. Mas, não é. Com argumentos certos, é possível não apenas vencer a resistência do gestor, como também convencê-lo de que o seguro D&O é um investimento baixo para proteger o patrimônio que ele construiu com esforço, caso venha ser acionado na justiça por algum de seus atos ou de seus comandados.

A seguir, cinco argumentos fortes que os corretores de seguros podem utilizar para as principais justificativas dos gestores que resistem à ideia de contratar o seguro D&O:

1 – “Minha empresa não tem ações na bolsa, não preciso de seguro”

De fato, as empresas de capital aberto necessitam de seguro D&O porque são reguladas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que fiscaliza a conduta de seus gestores e por isso têm maior exposição a riscos. Mas, é um erro pensar que as empresas de capital fechado não estão sujeitas a riscos. Estão sim, e muito. Nenhuma empresa está livre de ser acionada na justiça e tampouco seus gestores, especialmente pelo risco de responsabilização previsto nos códigos de defesa do consumidor, tributário, civil etc. E o seguro D&O serve, nesses casos, para cobrir os custos de honorários advocatícios para que o administrador tenha a melhor defesa e, se for condenado por ato culposo, o reembolso da indenização paga.

2 – “Sou diligente, e, portanto, nunca enfrentarei processos na justiça”

Todos os gestores são responsáveis por sua conduta e a de seus subordinados. Então, ainda que aquele ato ou omissão não tenha sido cometido diretamente por ele, estará sujeito a ser questionado, porque era sua obrigação verificar se a conduta era correta, se os manuais de procedimentos estavam sendo seguidos etc. Um exemplo é o caso de um diretor que foi acionado na justiça porque o empregado, que trabalhava em outro estado, morreu em acidente de trabalho por não utilizar os equipamentos de segurança disponibilizados pela empregadora. O diretor foi processado por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, porque o Ministério Público entendeu que ele deveria ter fiscalizado o uso dos equipamentos de segurança. Veja que a responsabilidade na condição de executivo da empresa extrapola a sua conduta. Então, o risco é bem maior do que se possa mapear.

3 – “A empresa é familiar e os acionistas não vão me processar”

A maioria das ações na justiça contra o empresário não é promovida por sócios ou acionistas. Geralmente, são ajuizadas pelo Ministério Público por questões criminais, tributárias, consumeristas e ambientais, entre outras. Os fornecedores também podem questionar a conduta do administrador durante o processo da ação de falência, por duvidarem que a empresa possa honrar suas dívidas. Então, o fato de a empresa ser familiar pouco importa na promoção de ação contra o executivo.

4 – “Sou sócio administrador e o seguro D&O não me protege”

De fato, se ele for apenas sócio não terá a cobertura do seguro. Mas, se for sócio administrador terá cobertura para o risco de administração da empresa. Então, caso seja questionando na justiça pelo recolhimento de um tributo, por sonegação fiscal, pouco importa o fato ser ou não sócio, porque o foco da ação será apurar um ato de administração da empresa. Para indenizar, a seguradora irá avaliar se no momento do sinistro a reclamação foi contra a figura do sócio ou do administrador.

5 – “A empresa é pequena, não necessita de seguro D&O”

Esse argumento é recorrente, mas não faltam exemplos para derrubá-lo. Empresas pequenas podem ter riscos bem grandes. Um exemplo dos mais conhecidos é o de um shopping em Osasco que explodiu, em 1996, gerando uma série de desdobramentos contra os seus executivos, inclusive o gerente. Além de processados criminalmente, a justiça se baseou no Código de Defesa do Consumidor para a indenização de todas as vítimas, aplicando a desconsideração da personalidade jurídica, pela qual os gestores respondem com o seu patrimônio. E para piorar, foi de forma solidária. O caso chegou ao STJ e eles foram absolvidos no processo criminal, mas tiveram de arcar com as indenizações civis. O shopping tinha o capital social de R$ 3 milhões, montante insuficiente para pagar altas indenizações. Ou sejam o risco era desproporcional ao tamanho da empresa e o patrimônio dos administradores ficou extremamente vulnerável.

Por isso, é fundamental que o gestor tenha apólice de D&O, porque por meio dela conseguirá transferir grande parte dos riscos de sua gestão à seguradora, podendo exercer a sua administração de forma mais tranquila. E o melhor argumento de vendas é explicar para o empresário que o custo do prêmio é provavelmente muito menor, por exemplo, que o prêmio do seguro de automóvel dos executivos da empresa, e a proteção (limite segurado) muito maior.

“D&O – Argumentos de venda” é um dos 24 cursos online, disponíveis no site cursos.linhasfinanceiras.com, ministrados por Thabata Najdek, profissional com dez anos de atuação no mercado segurador nas áreas de linhas financeiras e responsabilidade civil nas companhias líderes de mercado, e autora do Blog Linhas Financeiras

Atendimento médico de emergência no exterior pode comprometer as finanças 84

Sem proteção do seguro, custo de diária para internação hospitalar pode chegar a US$ 5 mil 

Com a chegada das férias, aumenta o número de viajantes em busca de descanso em destinos nacionais e internacionais. Para garantir a tranquilidade durante esse período fora de casa, é importante contar com a cobertura de um seguro de viagem que evite desequilíbrios financeiros em caso de necessidade de atendimento médico ou problemas com ocorrências de perda ou furto de documentos. A Mapfre Assistência, empresa especializada em assistência a pessoas, residências e veículos, alerta que, principalmente para quem viaja ao exterior, os custos com atendimento médico em uma situação de emergência podem ser bastante elevados.

De acordo com um estudo feito pela companhia, os honorários de atendimento médico nos Estados Unidos chegam a US$ 1500, uma consulta no dentista pode chegar a US$ 750 e um exame de raio-X odontológico fica em torno de US$ 350. Os valores de internação podem custar U$ 5 mil (por dia) e uma consulta com um ortopedista, US$ 800. “Custos com problemas de saúde durante o passeio ou com a perda dos bens dentro e fora do país costumam ser realmente altos”, afirma Almir Fernandes, presidente da Mapfre Assistência. Segundo o executivo, as pessoas podem e devem encarar a contratação de uma assistência viagem como um investimento. “Essas despesas inesperadas podem impactar as finanças de quem viaja, mas a inclusão de um seguro entre as providências para as férias, principalmente no caso de destinos internacionais, elimina esse risco”, explica.

Perfil dos acionamentos em 2017

Um levantamento da Mapfre Assistência mostra que, em 2017, os principais motivos de acionamentos foram consulta com clínico geral (44,3%) e honorários médicos por reembolso (37,5%), seguidos de atendimento médico a domicílio (5,7%), odontologia (3%) e ortopedia (2,2%). A maioria dos seguros é contratada pelos viajantes entre 31 e 40 anos, com 21,9% dos bilhetes emitidos, seguidos pelas faixas etárias dos 19 aos 30 anos (17%) e de 41 a 50 anos de idade (com 16,4%). Os principais destinos dos viajantes que contrataram o SEGURVIAJE em 2017 foram Estados Unidos (33,5%), Brasil (24%), Chile (7,5%), Argentina (6%), França (2,8%), Itália (2,8%), Espanha (2,7%), Portugal (2,3%), México (2,2%) e Uruguai (2,2%). A companhia é a responsável pelos atendimentos aos segurados do SEGURVIAJE, produto que provê proteção em viagens nacionais e internacionais, da saída até a volta para casa, com planos personalizados.

Confira dicas para uma viagem mais segura:

· Avaliação médica: antes de qualquer viagem, é indicado que os turistas façam um check-up. Uma simples consulta e exames preventivos evitam dores de cabeça longe de casa.

· Medicação: para casos crônicos, o recomendado é levar a medicação necessária com original da receita médica assinada pelo especialista, pois cada país tem seus critérios para venda de medicação.

· Alimentação: faz parte do roteiro conhecer a gastronomia regional, mas é preciso evitar exageros; antes de viagens longas, não consuma pratos pesados, de difícil digestão; finalmente, tenha atenção com prazos de validade e ingredientes que possam causar alergia.

· Bagagem a despachar: muitas malas têm formato e cor similares, personalize sua bagagem, com fitas, por exemplo, para facilitar a visualização na esteira e evitar que outro passageiro a pegue por engano. Em viagens internacionais, embalagens com líquidos acima de 100 ml precisam ser despachadas.

· Cadeado TSA: se seu destino for os Estados Unidos, certifique-se de que seu cadeado é aprovado pela TSA (Transport Security Administration) – órgão responsável pela segurança nos aeroportos do país. Dessa forma, os fiscais podem checar sua bagagem e fechá-la novamente sem qualquer dano. A checagem é procedimento comum e acontece de forma aleatória.

Mitos sobre apólices de seguro 96

Muitos ainda acreditam que estar protegido é caro e complicado

O investimento na proteção dos bens, como o carro e a casa, ou até mesmo na estabilidade financeira ante um imprevisto, é algo que ainda não entra no planejamento dos brasileiros. Um levantamento recente da Universidade Oxford aponta que, no Brasil, apenas 19% das pessoas possuem seguro de vida. E a baixa penetração se repete quando observado a proteção de automóvel, a mais popular no País. Segundo dados da CNSeg, apenas 30% da frota que roda pelas ruas possuem seguro.

Enrique de La Torre, diretor geral de Seguros de Vida do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, comenta que muitas pessoas ainda acreditam que contratar uma proteção é algo caro e complicado. Por isso, para esclarecer as principais dúvidas dos clientes, especialistas do Grupo respondem perguntas recorrentes sobre as apólices.

Seguro de vida só paga a indenização após o falecimento de quem contratou?

Mito. De La Torre explica que as apólices hoje trazem uma série de situações nas quais o cliente consegue adiantar uma parte da indenização prevista no contrato. No GRUPO, por exemplo, contamos com um contrato voltado exclusivamente à mulher, com cobertura em caso de diagnóstico de câncer de mama, útero e ovário. Se a segurada for diagnosticada com este tipo de doença, receberá uma parte da indenização imediatamente e poderá usufruir com total liberdade, seja para o tratamento da doença ou outra necessidade que tenha.

Apólice de vida só é interessante para pessoas mais velhas!

Esta é uma interpretação equivocada de acordo com diretor geral de seguros de Vida da seguradora. “Imprevistos podem acontecer independentemente do momento da vida em que a pessoa se encontra e estar protegida faz muita diferença. A cobertura que mencionei, que adianta uma parte da indenização em caso de doenças graves, é um exemplo disso. Pois mesmo sendo jovem, qualquer um está sujeito a este tipo de enfermidade e, nessa hora, contar com um recurso pode fazer a diferença”, ressalta Enrique.

O seguro, de forma geral, é algo muito cara!

Isso é outro mito, conforme esclarece o diretor de Produtos e Subscrição de Automóvel da empresa, Gláucio Toyama. “Vou usar como exemplo a casa ou apartamento que, na maioria das vezes, é o item de maior valor que as pessoas possuem. Um seguro residencial custa em média R$ 350,00 por ano, variando conforme as coberturas escolhidas. Se avaliar proporcionalmente com o valor do imóvel, a pessoa verá que a proteção é muito acessível. E se o segurado considerar que este tipo de apólice oferece um pacote de assistências gratuitas para a residência (chaveiro, encanador e eletricista), o valor final fica ainda menor”.

Sempre que acionar um dos serviços do seguro do carro a pessoa paga franquia!

Mito. Toyama explica que o cliente só precisa pagar o valor da franquia quando ele tem um sinistro no seu veículo e precisa passar por processo de reparação. Quando segurado utiliza qualquer uma das diversas assistências disponíveis na apólice (socorro mecânico, assistência emergencial para gestante, guincho etc.) não existe cobrança.

Seguro residencial reembolsa tudo que estiver dentro do imóvel em caso de incêndio!

Não. Gláucio conta que as coberturas básicas cobrem casos de incêndio, queda de raio e explosão. No entanto, vale checar quais danos e bens estão previstos em sua apólice e acrescentar objetos de valor que ocasionalmente não estejam contemplados no contrato.

Previsul leva corretores ao Vale do Silício em nova campanha de incentivo 5854

Seguradora efetiva ação em 20 cidades, entre janeiro e março

A Previsul Seguradora sempre procura inovar em processos e produtos, ainda mais agora, com o foco em ser a seguradora do futuro. Não poderia ser diferente em sua Campanha de Incentivo de Vendas. A inovação nos processos e soluções digitais da companhia foi o grande diferencial em 2017 e será intensificada este ano. Assim como em 2017, a Previsul quer se destacar como a seguradora digital do corretor, inovando nas entregas ao profissional da corretagem, seu único parceiro, e aos segurados. Entre os meses de janeiro a março, a Previsul passará por 20 cidades em 13 estados para o lançamento da Campanha “Sou + Previsul 2018 – É você corretor, no centro da inovação”. Os corretores de Porto Alegre conheceram a campanha e todos os detalhes nesta quarta-feira (10).

“A ideia é oportunizar ao corretor que ele possa participar dessa campanha o ano inteiro e introduzir o profissional nesse mundo digital. A Previsul se inspira em empresas inovadoras para propiciar algo diferenciado aos nossos parceiros de negócios e clientes”, explicou Renato Pedroso, presidente da companhia.

Este ano, os 10 corretores com melhor desempenho em novas vendas emitidas durante a campanha (01 de janeiro a 31 de dezembro), embarcam para uma viagem inesquecível com acompanhante para São Francisco e Vale do Silício, nos Estados Unidos. Os destinos são conhecidos como centros de tecnologia e inovação, onde nasceram grandes empresas como HP, Google e Facebook. Outra novidade é o programa de pontos “Clube Sou + Previsul”, que possibilita a troca de pontos por prêmios mensais mediante a produção.

“Sempre pensamos com muito carinho neste momento importante. Não é apenas mais um lançamento de campanha, estamos falando de um aprendizado muito grande e de aprofundamento do entendimento do que o corretor quer, deseja, almeja”, conta a diretora de negócios Andreia Araújo. “Em cima disso, dessas expectativas, tentamos montar algo que surpreenda e atenda expectativas. Toda essa preparação é feita com muito carinho, hoje tivemos um momento especial e diferente, onde passamos um vídeo da nossa viagem para Las Vegas, em maio de 2017. O objetivo é mostrar qual a nossa proposta de campanha, que é uma experiência com a Previsul – e o objetivo é a proximidade com o profissional da corretagem, para ouvir cada vez mais e atender suas necessidades”, completa.

Em sorteio realizado com os participantes desta primeira etapa de ativação, a profissional Fernanda Penha foi sorteada com um tablet.

A Previsul Seguradora possui 111 anos de atuação e é referência em seguro de pessoas no Brasil. Está presente em 12 estados brasileiros, 8 sucursais e mais de 20 escritórios, além da matriz em Porto Alegre (RS).

Todas as imagens – Nova campanha da Previsul Seguradora

*Colaborou: Literal Link

Banco Mercedes-Benz lança seguro para ônibus 2859

Primeiro contrato com o Grupo Comporte foi fechado antes mesmo do lançamento e irá assegurar cerca de 1.200 veículos

O Banco Mercedes-Benz, por meio da Mercedes-Benz Corretora de Seguros e em parceria com a Essor Seguros, inicia neste mês operações de seguro para ônibus. Antes mesmo do lançamento oficial, a corretora já fechou o primeiro contrato: o Grupo Comporte, um dos maiores do País no segmento de transporte rodoviário de passageiros, assinou contratos para assegurar cerca de 1.200 ônibus.

O seguro cobre veículos da Mercedes-Benz e de outras marcas, zero quilômetro ou usados. Nesta primeira etapa de lançamento, o Banco Mercedes-Benz vai atender o segmento rodoviário. “Estamos trabalhando para, no futuro próximo, ampliar a oferta para os ônibus urbanos”, afirma Marcello Larussa, gerente de Seguros do Banco Mercedes-Benz. “Dessa forma, seguimos nossa estratégia de ampliar ainda mais nosso portfólio de seguros, que até então cobria caminhões e vans”, completa.

O pacote contratado pelo Grupo Comporte é o de responsabilidade civil, destinado principalmente aos empresários que atuam no segmento de transportes interestadual, intermunicipal e urbano. O produto cobre danos corporais e/ou materiais causados a passageiros e também a terceiros não transportados.

O seguro do Banco Mercedes-Benz ainda oferece as opções de seguro de casco e responsabilidade civil facultativa. O seguro de casco garante indenização em caso de colisão, incêndio e roubo/furto. “Com este produto, a instituição financeira mantém o seu foco nas necessidades de seus clientes, garantindo mais segurança em suas operações”, diz Larussa.

Além disso, há cerca de outros 20 tipos de coberturas adicionais que se aplicam às mais diversas situações: “A nossa expertise no segmento de transportes, aliada ao fato de a Mercedes-Benz ser líder no mercado nacional de ônibus e o Banco Mercedes-Benz ser o maior financiador de ônibus do país nos credencia a oferecer o que há de melhor no mercado”, afirma o executivo.

O Banco Mercedes-Benz

O Banco Mercedes-Benz, desde 1996 no Brasil, atua no segmento de veículos comerciais (caminhões, ônibus e vans) e de automóveis de passeio da marca Mercedes-Benz, e oferece também produtos de seguro integrado e prestamista para os planos de financiamentos de seus clientes, além de financiar os estoques de seus concessionários. A instituição está presente no país por meio de suas regionais em São Paulo (SP), Recife (PE) e Porto Alegre (RS). A sede fica na cidade de São Paulo, no Centro Empresarial do Aço. No total, emprega 296 colaboradores e atende a mais de 200 concessionários da marca. Em 21 anos de atuação no mercado nacional, o Banco Mercedes-Benz conta com uma carteira de R$ 8,0 bilhões, com mais de 53 mil contratos ativos e mais de 106 mil unidades financia das até dezembro de 2017.

Mercer Marsh Benefícios oferece seguro para bicicleta 3452

Produto foi desenvolvido pela Argo Seguros Brasil e conta com diversas coberturas diferenciadas

O Brasil tem hoje mais de 70 milhões de bicicletas, de acordo com dados da Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). Já se foi o tempo em que andar de bicicleta era apenas uma atividade de lazer ou esporte. Muitos são os brasileiros que usam as bikes para trabalhar, ir a faculdade ou fazer compras. Por outro lado, as empresas também estão incluindo em suas ações de comunicação e cultura corporativa o incentivo para o uso deste meio de transporte no dia a dia, além de instalações como vestiários e estacionamento para bicicletas.

A Mercer Marsh Benefícios, alinhada com esta tendência, passa a oferecer um seguro com proteções e serviços voltados para usuários de bicicletas. O Seguro Bike é exclusivo para clientes do CLUBMMB, plataforma desenvolvida em parceria com grandes empresas clientes. Os produtos e serviços oferecidos para os funcionários das empresas têm mais opções de coberturas e preços diferenciados em relação aos praticados no mercado.

O Seguro Bike foi desenvolvido pela Argo Seguros Brasil, e o custo médio varia entre 8 a 10% do valor da bicicleta segurada. “Existem bicicletas que possuem alto valor tanto financeiro como sentimental para as pessoas e por isso há a busca por proteção. O mercado de seguros para este segmento ainda é muito novo, mas nós conseguimos condições para oferecer aos nossos clientes um seguro viável”, explica Sandra Beccaro, superintendente de Auto Frotas e Worksite da Marsh no Brasil.

“O produto está disponível para todo o Brasil e pode ser adquirido de forma 100% online, inclusive no procedimento de vistoria na hora da contratação, que é realizado por foto”, complementa.

O seguro inclui coberturas para Bikes de 3 mil a 60 mil reais para roubo e furto, acidentes (reparo ou reposição) e danos a terceiros, que pode ocorrer quando o ciclista atropela algum pedestre ou bate em um carro, por exemplo. Também há a cobertura para acidentes durante o transporte da bicicleta, que protege tanto em caso de acidente enquanto se carrega a bicicleta no carro ou no avião, em viagem nacional.

A plataforma CLUBMMB

O CLUBMMB hoje atende funcionários de empresas multinacionais e nacionais, de grande e médios portes. Os produtos e serviços oferecidos para os funcionários têm mais opções de coberturas e preços diferenciados em relação aos praticados no mercado.

“Disponibilizamos outros seguros como o viagem, pet, auto, residencial, e para dispositivos portáteis. Trata-se de mais uma possibilidade para as empresas poderem aumentar o pacote de benefícios, diminuir custos de operação e agregar valor à sua política de RH”, afirma Beccaro. Além da ampla cobertura, os membros também têm como vantagem prazos de carência bastante baixo quando comparado aos disponíveis no mercado. No caso do seguro Bike o prazo é de 24 horas.