Por que o Blockchain é a tecnologia chave do sistema financeiro? 1986

Confira artigo de Alex Marin Silva, gestor de inovação da Sonda

O bitcoin, espécie de moeda virtual, foi desenvolvido para confrontar a hegemonia bancária. Ironicamente, tudo indica que sua tecnologia-base, o blockchain – sistema de criptografia que dá suporte às transações com bitcoins – será usada para fortalecê-la ainda mais.

O Bitcoin despertou a atenção dos bancos no mundo todo não exatamente por sua ideia de desafiar o sistema financeiro com a circulação de dinheiro virtual, mas sim por seu sistema de criptografia icônico no processo de transformação digital que vivenciamos atualmente.

O blockchain funciona como um registro de transações e é baseado em um banco de dados distribuído e descentralizado. Para hackear o blockchain, seria necessário quebrar a criptografia de todos os blocos da cadeia, em todos os computadores da rede e ao mesmo tempo, o que torna a tarefa virtualmente impossível e confere um sistema seguro.

Comparado a um livro-razão de todas as operações bitcoins, o blockchain foi descrito pela The Economist, em 2015, como uma tecnologia extremamente disruptiva, que permitirá inovações nos sistemas de segurança dos bancos, tornando as transações muito mais seguras e baratas do que são atualmente. É por isso que muitas instituições financeiras trabalham arduamente para encontrar um ponto de ligação entre o blockchain e seus sistemas de segurança digital.

A seriedade com que o mercado financeiro enxerga essa tecnologia é tão grande que grandes players do segmento, como Nasdaq, Visa e Citi, já mergulharam em testes para aplicar a segurança do blockchain em suas transações financeiras.

Segundo estudo do World Economic Forum, cerca de 10% do PIB global estará em blockchain até o ano de 2027. Tudo aponta, portanto, que, com o fortalecimento da transformação digital, as empresas migrem cada vez mais seus serviços para nuvem, alcançando processos 100% digitais, o que inclui as transações eletrônicas criptografadas que deverão, em breve, entrar no cotidiano das empresas e dos consumidores.

Com a globalização do capital financeiro, é necessário que as transações sejam cada vez mais eficientes, baratas e menos sujeitas a vulnerabilidades. A tecnologia blockchain permite exatamente isso, já que a descentralização e automação de atividades de troca de valores e propriedade de fundos diminui custos de transação, além de ser mais segura devido à verificação peer-to-peer.

Assim, bancos, operadoras de crédito e bolsas de valores já estão testando a utilização e aplicabilidade da tecnologia blockchain em seu dia a dia. É algo que promete reduzir falhas, vulnerabilidades e custos de transação, portanto aumenta os rendimentos de seus usuários e ajuda a superar crises. Além disso, é uma tendência que condiz com a atual digitalização das operações financeiras e bancárias, que crescentemente deixam de ser realizadas por meio da circularidade das moedas e dos títulos de valor mobiliário.

Grupo Sonda abre 500 vagas em todo Brasil 64

Oportunidades são destinadas à profissionais de TI

O Grupo Sonda, maior companhia latino-americana de serviços e soluções de tecnologia, está com 500 vagas abertas para profissionais de TI em diversas regiões do Brasil. As oportunidades estão dividas entre três operações do Grupo: SONDA, CTIS e Sonda Ativas.

A demanda surge com o reaquecimento do mercado, que trouxe a ampliação e a chegada de grandes contratos com os órgãos públicos e com a iniciativa privada, fomentando de maneira orgânica a criação de novos cargos para atuação em projetos, bem como em alocações dentro de clientes.

As oportunidades disponíveis são para estagiários, analistas, técnicos e desenvolvedores de programa com especializações como Java, .NET, PHP e Cobol, além de outros cargos mais estratégicos que englobam posições comerciais, como consultor e gerente.

O Grupo Sonda proporciona possibilidade de crescimento e experiência dentro de um dos maiores conglomerados de TI do Brasil. Além disso, é possível se candidatar a vagas em outros países onde a SONDA atua, tais como Chile, Argentina, México, Uruguai e Colômbia, entre outros. Ao todo há oportunidades para dez países, que disponibilizam atualmente 140 vagas de trabalho.

Para acessar as vagas, tanto no Brasil quanto na América Latina, os candidatos interessados devem cadastrar o currículo no site da companhia.

Como a telemetria pode ser útil para frotas? 142

Boletim do CESVI Brasil indica diversas soluções

Você sabia que a telemetria pode ser utilizada em todos os meios de locomoção como automóveis, caminhões, embarcações, aeronaves, motocicletas e até em equipamentos de agropecuária.
Para os frotistas, essa tecnologia permite o acompanhamento de diversos parâmetros de funcionamento dos veículos, podendo melhorar os controles ligados à manutenção da frota.

Confira algumas dessas possibilidades:

Gestão de combustível
A telemetria pode auxiliar na gestão desses custos, além de revelar possíveis desvios de combustível.

Controle de RPM
Esse controle possibilita identificar como está sendo a condução do veículo (se o condutor dirige de forma agressiva, por exemplo), tornando possível saber quais são os melhores – e os piores – motoristas.

Distinção de condutores
Auxilia na gestão de multas e é mais um instrumento para a identificação da forma de condução de cada motorista.

Controle de carga fria
É feito por meio de um sensor de temperatura dentro do baú frigorífico – e serve para possíveis auditorias na carga transportada.

Jornada de trabalho
Com a nova legislação, protege tanto o empregador quanto o empregado, além de auxiliar na garantia de que a pessoa a conduzir o veículo estará em boas condições físicas.

Controle de velocidade
Permite monitorar a condução do veículo, além de criar alertas para o motorista na eventualidade de um excesso de velocidade em retas ou curvas.

Rastreamento
Na telemetria, o rastreamento fica sendo uma possibilidade de menor importância, uma vez que a tecnologia não tem foco em segurança patrimonial (roubo).

Rede CAN
Com alguns equipamentos, esses dados todos são coletados pela rede CAN, por onde passam todas as informações do veículo: velocidade, consumo, combustível, estado do farol, lanterna, luzes em geral, freio, aceleração, entre outras informações.
Dessa forma, além da instalação do sistema no carro ser menos invasiva, as informações obtidas têm maior precisão e confiabilidade em relação a sensores adicionais instalados no veículo.

Bradesco Seguros e Waze oferecem serviço exclusivo de SOS nas estradas 1427

É possível fazer chamadas de assistência e emergência através do aplicativo

Por meio de parceria exclusiva com o Waze, o Grupo Bradesco Seguros passa a oferecer assistência profissional para chamadas de emergência nas estradas. A atualização do recurso SOS do Waze permite aos motoristas acionar serviços profissionais de assistência, em caso de incidentes nas vias.

O novo serviço de assistência profissional está disponível para clientes de Automóvel da Bradesco Seguros e também para usuários que não possuem seguro da Companhia. Caso o Wazer seja segurado Bradesco Seguros e possua também em seu smartphone o aplicativo Assistência Dia e Noite, ao clicar no recurso SOS do Waze, ele será direcionado para o aplicativo de Assistência da Bradesco Seguros.

Já o Wazer não segurado Bradesco Seguros, ao clicar em SOS, será encaminhado pelo Waze para um atendimento onde é possível consultar e contratar as assistências disponíveis, entre elas: reboque, troca de pneus, chaveiro e bateria.

Os serviços oferecidos pelo Gruo Bradesco Seguros incluem reboque, troca de pneus, chaveiro e bateria, entre outros. A capacidade de trabalhar em colaboração nas vias é um dos principais aspectos da rede de usuários do Waze, e o lançamento de serviços profissionais na estrada ressalta o compromisso contínuo da empresa com a promoção da segurança e serviços localizados para motoristas em todos os lugares.

Mensalmente, o Waze recebeu mais de 108 mil alertas de carros parados nas vias no Brasil. Com o objetivo de atender melhor esses motoristas, o Waze passa a permitir que os usuários façam chamadas de emergência e acionem policiais, ambulâncias ou o corpo de bombeiros sem ter que sair do aplicativo.

Os usuários poderão saber mais sobre a parceria exclusiva com o Grupo Bradesco Seguros por meio dos anúncios dentro do próprio app e que aparecem quando o veículo está completamente parado, chamados de “Zero Speed Takeovers”.

“Percebemos que, muitas vezes, em caso de pane ou acidente, o condutor fica numa área de risco sem qualquer suporte, ou seja, é uma questão de segurança ter, nessas horas, um serviço de assistência emergencial rápido. Esse é o objetivo da parceria com o Waze”, comenta Enrico Ventura, Diretor-Executivo de Auto/RE do Grupo Bradesco Seguros.

“Pensamos sempre na segurança e em serviços que venham a colaborar para uma experiência de direção mais rápida e segura, e este é mais um benefício que trazemos para os nossos usuários para que eles tenham opção de assistência em caso de necessidades enquanto dirigem.”, diz André Loureiro, diretor geral do Waze no Brasil.

Medida sobre lucros cessantes vale a partir de 2018 253

Circular revoga outros 17 normativos e permite que seguradoras estabeleçam cláusulas próprias

Por meio da Circular nº 560, de 7 de novembro, publicada nesta quinta-feira, 9 de novembro, no Diário Oficial da União (DOU), a Superintendência de Seguros Privados (Susep) determina novas regras e critérios para a operação das coberturas oferecidas nos planos de seguro de Lucros Cessantes. Essa circular substitui e altera outros 17 normativos, inclusive a Portaria do Departamento Nacional de Seguros Privados e Capitalização (DNSPC) n.º 17/63, de 11 de junho de 1963, expedido antes mesmo da constituição da própria Susep. As disposições da circular passam a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2018 e os planos de seguro de Lucros Cessantes atualmente em comercialização deverão ser adaptados até a data prevista.

A iniciativa, de acordo com o superintendente da Susep, Joaquim Mendanha de Ataídes, está norteada pelas atuais diretrizes básicas da autarquia. “Estimular um ambiente favorável ao desenvolvimento do mercado por meio da elaboração e aperfeiçoamento de produtos está entre as prioridades da Susep”, destacou. Joaquim Mendanha ressaltou que, desde o início da sua sugestão, o órgão já emitiu 20 circulares, entre elas, as que estabelecem novos critérios para os seguros de Riscos de Engenharia, RC D&O, Acidente Pessoal de Passageiros (APP) e RC de Hangares, além de resoluções do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), que foram constituídas com propostas da Susep, como a do Seguro Popular de Automóvel, a do seguro RCTR-VI-GF, a do Seguro de Vida Universal e, mais recentemente, as das famílias PGBL e VGBL.

A Circular nº 560 permite que as seguradoras estabeleçam seus próprios clausulados e, na estruturação de seus planos de seguro, elas poderão prever coberturas adicionais, desde que os riscos cobertos estejam diretamente relacionados com o ramo de Lucros Cessantes e não sejam típicos de outros ramos. O seguro de Lucros Cessantes deve ser contratado optando-se por pelo menos uma das seguintes coberturas básicas: perda de lucro bruto; perda de lucro líquido; perda de receita bruta; ou despesas fixas. A critério da seguradora, determinada cobertura adicional poderá ser oferecida em conjunto com uma das coberturas básicas descritas anteriormente sob o mesmo limite máximo de indenização.

Confira o normativo na íntegra, no site da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Aconseg-RS promove confraternização de final de ano 138

Evento reforça a importância das assessorias para corretagem de seguros

A diretoria da Associação das Empresas de Consultoria em Seguros (Aconseg-RS) promoveu nesta terça-feira (14), seu tradicional encontro anual, no Restaurante Copacabana, em Porto Alegre (RS). O momento contou com a presença de diversas personalidades do setor de seguros no Rio Grande do Sul e teve Celso Azevedo, da CCA Assessoria, como grande anfitrião.

Confira todas as imagens – Confraternização da Aconseg-RS