Evento reúne especialistas nacionais e estrangeiros em São Paulo e no Rio 187

É o XII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros

No mês em que se comemora o Dia Internacional do Idoso (1º de outubro), o Grupo Bradesco Seguros, líder do mercado de seguros no Brasil, realiza, no dia 18/10 (quarta-feira), em São Paulo, e 19 e 20/10 (quinta e sexta-feira), no Rio de Janeiro, o XII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros, reunindo especialistas e personalidades nacionais e estrangeiros, que falarão para uma plateia formada por gerontologistas, médicos, psicólogos, estudiosos da longevidade e autoridades públicas da área de saúde.

Atualmente, no Brasil, 24 milhões de pessoas têm mais de 60 anos, o que representa quase 13% da população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas da Organização Mundial de Saúde apontam que, em 2050, esse número chegará a 64 milhões, o que significa que, de cada dez brasileiros, três serão idosos.

“Nosso objetivo é difundir para a sociedade brasileira a importância da conquista da longevidade em seu conceito mais amplo. Se vamos viver mais, nada mais lógico do que nos prepararmos para situações que são mais do que previstas, como a necessidade de se planejar financeiramente para ter um envelhecimento ativo e saudável”, destaca Alexandre Nogueira, Diretor do Grupo Bradesco Seguros.

Com o tema ‘Construindo a Qualidade da Vida Longeva’, Fórum terá transmissão em tempo real pela internet no seu primeiro dia, pelo site. Durante o evento, será realizada a entrega dos Prêmios Longevidade Bradesco Seguros, que chegam à sua sétima edição com o objetivo estimular a reflexão sobre os efeitos da transformação da estrutura etária da população brasileira e mundial, em seus mais diferentes aspectos. Serão reconhecidos trabalhos nas modalidades de JornalismoHistórias de Vida e Pesquisa em Longevidade.

Ainda em São Paulo, o Grupo Bradesco Seguros apresentará a sua Plataforma da Longevidade, conjunto de ações e iniciativas voltadas ao tema, incluindo, entre outras, o lançamento do Portal “Viva a Longevidade”.

Dentre os especialistas internacionais que participam do primeiro dia do Fórum, destacam-se Karen Glaser, diretora do Instituto de Gerontologia, Departamento de Ciências Sociais, Saúde e Medicina da King’s College London, e o arquiteto alemão Matthias Hollfich, criador da architizer.com, maior plataforma digital de arquitetura do mundo. Hollfich é autor dos mais renomados projetos arquitetônicos mundiais que contemplam áreas sociais, acessibilidade, além de sustentáveis e conectados, necessárias para a nova forma de viver e envelhecer.

Entre os brasileiros, o economista Paulo Tafner, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) palestrará sobre o desafio de equilibrar as contas numa vida longeva. Tafner é autor dos livros “Demografia: uma ameaça invisível – o dilema previdenciário que o Brasil se recusa a encarar” e “Previdência no Brasil: debates, dilemas e escolhas”. Já a médica Cláudia Burlá, especialista em geriatria pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), abordará os caminhos para prolongar a vida saudável.

O encerramento contará com a participação do compositor Toquinho, eleito “Ícone de Longevidade” para a edição 2017.

No Rio de Janeiro, o Fórum da Longevidade abordará o tema “A construção da resiliência ao longo do curso de vida”.

“Queremos contribuir para criar um mundo melhor para todos, onde as tecnologias possam responder às necessidades das pessoas de todas as idades, além de proporcionar qualidade de vida. Afinal, a Quarta Revolução Industrial deve estar a serviço do homem, que atualmente vive muito mais”, afirma o gerontólogo Alexandre Kalache, conselheiro sênior sobre Envelhecimento Global da Academia de Medicina de Nova York, ex-coordenador de programas de envelhecimento da Organização Mundial da Saúde (OMS) e presidente do Centro Internacional de Longevidade (ILC-BR). Kalache é consultor do Grupo Bradesco Seguros para assuntos relacionados à longevidade.

Participam dos painéis e debates os seguintes especialistas: Anita Liberalesso Neri, da Unicamp; Gil Sant’Anna, do Instituto D’Or, Brasil; Gabrielle Kelly, Resilience and Wellbeing Centre, Austrália do Sul; Claudia Hofheinz Giacomoni, da UFRGS; Ted Feder, da Associação Latino-americana de Psicologia Positiva; Gill Windle, da Dementia Services Development Centre (DSDC), Bangor University, País de Gales; Daniel Prieto Sancho, da Universidad Complutense, Madrid/Espanha; Ricardo Iacub, da Universidade de Buenos Aires, Argentina; Silvia Gascón, da iSalud, Argentina; Volker Deville, da Universidade de Bayreuth e Berlin Demography Forum Advisory Board; Ligia Py, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG); Marília Louvison, da Escola de Saúde Pública, USP; e Ali Naghieh, da Universidade de Oxford, Reino Unido.

Ações por uma melhor qualidade de vida

Realizado desde 2006, o Fórum da Longevidade faz parte de um conjunto de ações desenvolvidas pelo Grupo Bradesco Seguros com o intuito de difundir a importância de aliar proteção e planejamento financeiro a um futuro com qualidade de vida e bem-estar.

Além dos Prêmios Longevidade Bradesco Seguros, as iniciativas incluem o Circuito da Longevidade, conjunto de provas de corrida e caminhada realizadas em diversas cidades do Brasil desde 2007, e que já reuniu mais de 410 mil participantes; os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros, que chegam à sua sétima edição, contemplando as modalidades de Jornalismo, Histórias de Vida e Pesquisa em Longevidade; e o programa Porteiro Amigo do Idoso, que já capacitou mais de três mil profissionais, em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

RS: Inscrições abertas para o curso de corretagem de seguros 3352

Unidade Porto Alegre recebe matrículas até o dia 9 de fevereiro, vagas são limitadas

Que tal começar o ano investindo em sua carreira? A Escola Nacional de Seguros é a única entidade devidamente habilitada a conceder o título de corretor de seguros no Brasil, uma profissão que segue em alta – dada maior conscientização do brasileiro sobre a importância da proteção através das apólices de seguros.

As aulas da Unidade Porto Alegre começam no dia 26 de fevereiro e acontecem de segunda a sexta-feira, das 18h45min ás 22h15min. O investimento no modulo de capitalização é de três parcelas de R$ 390. O curso completo pode ser parcelado em dez prestações de R$ 631. A Escola Nacional de Seguros está localizada na Av. Otávio Rocha 115 – 1º andar, Centro.

Gostou? Faça sua inscrição através do site da Escola. As vagas são limitadas e apenas matrículas de alunos com toda a documentação serão realizadas.

Documentos exigidos: Carteira de Identidade, CPF e Comprovante de Residência (Original e uma cópia); Comprovante de Escolaridade: Certificado de Conclusão “Mínimo” Nível Médio (cópia autenticada); 01 foto 3×4 atual; 02 vias do Contrato assinada; Pagamento da  parcela.

Material Didático Digital

O material didático será disponibilizado em formato digital para todas as disciplinas, conforme antecipou o JRS em reportagem. Neste formato, o aluno poderá acessá-lo de qualquer local e quando quiser através do seu smartphone, tablet, e-reader ou computador.

Mais informações no (51) 3224-1965.

HDI Seguros instala operações da matriz em novo endereço em São Paulo 1542

Mudança faz parte do processo de transformação da companhia

A HDI Seguros está em novo endereço. A companhia alemã instalou as operações da matriz em novo prédio na capital paulista: o WTorre. A seguradora passa por um processo de transformação desde o início de 2017 e as instalações, por serem modernas e integradas, fazem parte do seu novo momento.

“A mudança física complementa o processo de reformulação pelo qual estamos passando e que nos tornará uma companhia muito mais tecnológica e conectada aos hábitos de consumo atuais. Estamos muito contentes e animados com as novas instalações”, comentou Murilo Riedel, presidente da companhia.

O novo edifício conta com tecnologia de ponta em todos os sistemas operacionais e projeto paisagístico diferenciado para empreendimentos de grande porte na cidade. Além disso, o complexo possui a certificação de construção sustentável LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), concedida pela ONG americana U.S. Green Building Council, que usa critérios de racionalização de recursos para certificar os empreendimentos.

Um novo olhar sobre o Continente Africano 1328

Patrocinada pelo Ourocap, mostra ‘Ex Africa’ chega ao Rio com trabalhos de 18 artistas que vão além do universo étnico

Chega ao Rio de janeiro, no próximo dia 20, a exposição Ex Africa, com patrocínio Ourocap – título de capitalização da Brasilcap –, reunindo trabalhos de 18 artistas de oito países africanos, além de dois brasileiros: Arjan Martins e Dalton Paula. Montada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a mostra é organizada em quatro eixos temáticos – ‘Ecos da História’, ‘Corpos e Retratos’, ‘Drama Urbano’ e ‘Explosões Musicais’. A iniciativa reafirma a contribuição da Brasilcap como patrocinadora contínua da cultura no Brasil – em toda a sua diversidade. A empresa já abraçou, entre outros projetos, o filme ‘Vidas Partidas’, o espetáculo ‘Rio mais Brasil, o nosso musical’ e a mostra ‘Retrospectiva Jean-Michel Basquiat’.

“Como em toda parte, o continente africano está em permanente processo de renovação criativa e intenso intercâmbio artístico. Em Ex Africa, isso fica muito claro. Portanto, quem for conferir a exposição esperando ver trabalhos cheios de referências étnicas, com o estigma do ‘artesanato de aeroporto’, com certeza, vai se surpreender”, diz o curador da mostra, Alfons Hug.

Pela primeira vez fora de Gana – Notabilizado por criações de grande escala, o ganês Ibrahim Mahama, 30 anos, usa aproximadamente dois mil caixotes de madeira para formar cubo gigante em Non-orientable, instalação que, pela primeira vez, sai de seu país. Objetos diversos, como bonecas, jornais, sapatos e outros itens do cotidiano, vêm fixados aos caixotes – engradados de madeira usados para transporte de frutas –, numa montagem adaptada para o Brasil, já que no original ele empregou caixas de engraxates.

“Antes de tudo, sou um artista que preza a independência. É muito importante para nós a possibilidade de criar a partir de qualquer contexto, para além do universo das instituições em que estamos inseridos. Na escola em que me formei, é muito viva e fluente a ideia de que devemos produzir trabalhos que transformem o público e até o próprio sentido da arte”, explica Mahama.

O artista conta que se interessa muito por objetos, sua relação com as pessoas e temas sociopolíticos, dentro do contexto em que existem e são usados. “Dessa forma, não fazia sentido trazer a obra da África para cá. No meu país, o que me inspirou foi o cotidiano dos engraxates. Eles constroem seu principal instrumento de trabalho – a caixa onde guardam cera, escovas, entre outros materiais que usam para polir os sapatos das pessoas – com pedaços de pau achados pelas ruas. E sequer têm onde dormir. A caixa é, então, a casa deles. É tudo o que têm”, narra o africano.

Guerra como referência

Também ganhou versão local na mostra Ex Africa o trabalho ‘Geometria da Passagem’, do egípcio Yousseff Limoud, que escolheu o tema ‘lugar’. Inspirado por fotos da guerra civil na Síria, ele iniciou a criação há quatro anos. Segundo Limoud, a narrativa presente nos objetos envolve quatro elementos: lar, morte, música e solo, conceito associado a uma antiga filosofia indígena.

De acordo com Alfons Hug, vídeos, músicas, projeções, telas e esculturas completam o acervo da exposição. “Há, por exemplo, uma sala dedicada exclusivamente ao afrobeat, música muito popular em Lagos, na Nigéria. Destaca-se também a série fotográfica ‘Gênesis’, de Kudzanai Chiurai, que resgata a colonização da África Central e Oriental ocorrida no Século 19”, descreve o curador. Entre os africanos, estão também o cantor e compositor Nástio Mosquisto, o artista visual e performer Jelili Atiku, e o fotógrafo Leonce Raphael Agbodjelou.

Serviço:
Exposição Ex Africa
Quando: 20 de janeiro a 26 de março, das 9h às 21h
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro.
Quanto: Entrada gratuita
Informações: (21) 3808-2020

Grupo BB e Mapfre participa do 2º Congresso de Diversidade e Inclusão Corporativa 1673

Evento reúne líderes e diretores de companhias nacionais e internacionais

Executivos do Grupo BB e Mapfre durante o evento: Cristiane Lima, gerente de Cultura e Transformação Organizacional; Francesco Kabwit Tshitang, colaborador da empresa e Cynthia Betti, diretora de Recursos Humanos. Divulgação

Os desafios enfrentados pelos refugiados de diferentes nacionalidades para serem inseridos no mercado de trabalho brasileiro foi o tema central da palestra de Cynthia Betti, diretora de Recursos Humanos do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, durante o 2º Congresso de Diversidade e Inclusão Corporativa, que acontecerá entre os dias 17 e 18/01, em São Paulo (SP).

No painel que ocorreu hoje (17), Cynthia Betti abordou os processos e os resultados alcançados pela companhia no “Programa Jovem Aprendiz Refugiado”, que promoveu a capacitação profissional de cerca de 24 jovens refugiados e está apoiando na busca de oportunidades de trabalho. O painel contou também com a participação de Francesco Kabwit Tshitang, refugiado que foi contratado pelo Grupo como Aprendiz, no início de 2017, e hoje atua como colaborador efetivo. Francesco compartilhou a sua história com os participantes.

“Acreditamos que somente com um ambiente plural, que respeita as diferenças, é possível construir uma empresa sustentável e próspera. E para nós, que já desenvolvíamos grupos internos para debater e propor ações inclusivas, a questão dos refugiados, que possuem uma presença significativa em nosso país, não poderia ficar de fora”, explica a executiva.

“Foi uma experiência muito gratificante poder compartilhar com outras companhias os resultados do projeto que participamos no ano passado para capacitar e ajudar a incluir estes imigrantes de diferentes países no mercado de trabalho do Brasil”, conclui.

Organizado pela Next Business, o evento é dividido em cinco eixos de debate (Estratégia, Processos, Cultura, Desenvolvimento e Liderança) e busca a troca de experiências com as empresas que têm modernizado os seus processos internos e gerado resultados ao incluir profissionais com perfis diversos.

Destinado para profissionais da área de RH, o evento reunirá líderes e diretores de companhias nacionais e internacionais. Informações sobre inscrição e a programação completa podem ser encontradas neste site.

Seguro para casas de praia e campo cresce em 2017 1704

Proteção para esse segmento de imóvel é tão importante quanto para moradias fixas

A Porto Seguro registrou aumento de 10% no segmento de Seguro Residência Veraneio em 2017, comparado a 2016. O crescimento mostra que os brasileiros estão mais conscientes sobre a importância deste tipo de seguro e apesar de o roubo ainda ser a maior preocupação dos proprietários, é preciso ficar atento a outros danos.

Com a chegada do verão, que vem acompanhado de muito calor, pancadas de chuvas e temporais, o risco de quedas de raios e danos elétricos é maior, ocasionando a queima de bens, como ar-condicionado, TV, geladeira, câmeras de segurança, além de vendavais, que destroem telhados e trazem prejuízos repentinos. Nesta estação, muitas casas de campo e de praia ficam fechadas e, quando os proprietários chegam ao local, se deparam com problemas que poderiam ser evitados. Pensando em ajudar esses viajantes a aproveitarem as férias e feriados prolongados com tranquilidade, o Porto Seguro Residência apontou alguns cuidados que devem ser tomados:

  • Trancar a residência sempre que sair, ainda que por alguns instantes;
  • Verificar se o gás vazou durante o tempo que a casa ficou vazia, antes de ligar o fogão. Isso pode prevenir uma explosão;
  • Certificar de que a caixa d’água está limpa para evitar a proliferação de insetos, principalmente o Aedes Aegypt. Seguradoras como a Porto Seguro oferecem o benefício de limpeza das caixas d’água a seus segurados, então, pode ser acionada nesses casos;
  • Ao final das férias, lembrar de tirar os equipamentos de tomadas, evitando assim a queima por quedas de raios ou curto circuito.

Segundo Jarbas Medeiros, superintendente de Ramos Elementares da Porto Seguro, o seguro para esse segmento de imóvel é tão importante quanto para moradias fixas. “Entendemos que é um nicho promissor que vem crescendo consideravelmente. Com a residência fechada, questões como fechadura emperrada, lâmpadas queimadas, roubos, só são percebidas em último caso, pois muitos só se atentam em ter um seguro residencial quando algo realmente acontece”.

Seguro residencial

O Porto Seguro Residencial Veraneio oferece coberturas de incêndio, explosão, fumaça, vendaval, danos elétricos, quebra de vidros e inclusive cobertura para subtração de bens como: tv, home theater, eletrodomésticos, móveis, roupas, malas, artigos esportivos, entre outros. O produto ainda dispõe de reparos emergenciais 24 horas por dia, 7 dias por semana. Na contratação de um dos planos de serviços, ele também disponibiliza o Check-up Veraneio, que proporciona diagnósticos hidráulico e elétrico, troca de lâmpadas e lubrificação de fechaduras e dobradiças.