Sompo Seguros promove ação especial para produto Vida 2311

Companhia reuniu parceiros de negócios na manhã desta quinta-feira, em Porto Alegre (RS)

A Sompo Seguros realizou na manhã desta quinta-feira (09), uma ação especial junto aos Corretores de Seguros parceiros da companhia, no Paris 6 de Porto Alegre (RS). Na oportunidade, foram apresentadas as novidades, vantagens e inovações do produto Vida da companhia.

O “Meu Evento Seguro” contou com a presenta de Renato Comarin, gerente comercial Rio Grande do Sul, da assessora comercial, Estela Formiga, e demais componentes da equipe local da seguradora.

Meu Evento Seguro – Todas as imagens

Rio Grande, Previsul, Travelers e Sancor Seguros entre os 500 maiores do Sul 357

Grupo GBOEX também integra lista elaborada pela Revista Amanhã e PwC Brasil

Coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (16) anunciou os integrantes da lista ‘500 Maiores do Sul‘. O ranking, elaborado pela Revista Amanhã e pela PwC Brasil mostra como as principais empresas da região conduziram seus negócios em um ano desafiador. A soma de todos os patrimônios dos 500 maiores fechou em R$ 283,8 bilhões, praticamente repetindo o valor de 2015 – com um acréscimo de 1,1%. As cinco centenas de companhias classificadas produziram uma cifra de R$ 516,4 bilhões em receita liquida, o que significa dizer que, em relação ano anterior, o faturamento total delas praticamente estagnou, crescendo 0,3%. Retrato de um ano perdido? Nem tanto. Em primeiro lugar, é preciso considerar o ambiente adverso enfrentado pelas empresas em 2016, quando o PIB brasileiro encolheu 3,6%. Castigadas por uma recessão sem precedentes, os discretos avanços obtidos no ano passado mostram uma obra de pura resiliência, em um período para ajustes internos, e busca de eficiência no limite do possível.

A Rio Grande Seguros e Previdência integra a lista na posição 252, em 2015 estava em 421. Recentemente, a companhia recebeu o título de Seguradora Destaque Rio Grande do Sul, durante a cerimônia de 15 anos do Troféu JRS, realizada em 27 de outubro.

A Previsul Seguradora subiu da posição 352 para 257, em 2016. A Travelers não havia rankeado em 2015, no entanto, surgiu como a 452ª maior empresa do Sul na lista de 2016. Já a Sancor Seguros deu um salto. Da emergente posição 528 em 2015, pulou para 390, em 2016.

O Grupo GBOEX também integra a lista. Aparece na posição 327.

Confira o ranking completo!

O estado com maior número de representantes no ranking segue sendo o Rio Grande do Sul, com 186, praticamente empatado com o Paraná, que neste ano reforçou sua bancada com mais quatro companhias na comparação com o ranking anterior, chegando a 185 empresas. Santa Catarina emplacou 129 companhias.

A cerimônia de premiação das empresas vencedoras será realizada no dia 22 de novembro, na Expo Unimed, em Curitiba, a partir das 8h30. O evento conta com participação de Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, e do juiz Sérgio Moro.

Grupo Sonda abre 500 vagas em todo Brasil 64

Oportunidades são destinadas à profissionais de TI

O Grupo Sonda, maior companhia latino-americana de serviços e soluções de tecnologia, está com 500 vagas abertas para profissionais de TI em diversas regiões do Brasil. As oportunidades estão dividas entre três operações do Grupo: SONDA, CTIS e Sonda Ativas.

A demanda surge com o reaquecimento do mercado, que trouxe a ampliação e a chegada de grandes contratos com os órgãos públicos e com a iniciativa privada, fomentando de maneira orgânica a criação de novos cargos para atuação em projetos, bem como em alocações dentro de clientes.

As oportunidades disponíveis são para estagiários, analistas, técnicos e desenvolvedores de programa com especializações como Java, .NET, PHP e Cobol, além de outros cargos mais estratégicos que englobam posições comerciais, como consultor e gerente.

O Grupo Sonda proporciona possibilidade de crescimento e experiência dentro de um dos maiores conglomerados de TI do Brasil. Além disso, é possível se candidatar a vagas em outros países onde a SONDA atua, tais como Chile, Argentina, México, Uruguai e Colômbia, entre outros. Ao todo há oportunidades para dez países, que disponibilizam atualmente 140 vagas de trabalho.

Para acessar as vagas, tanto no Brasil quanto na América Latina, os candidatos interessados devem cadastrar o currículo no site da companhia.

Como a telemetria pode ser útil para frotas? 142

Boletim do CESVI Brasil indica diversas soluções

Você sabia que a telemetria pode ser utilizada em todos os meios de locomoção como automóveis, caminhões, embarcações, aeronaves, motocicletas e até em equipamentos de agropecuária.
Para os frotistas, essa tecnologia permite o acompanhamento de diversos parâmetros de funcionamento dos veículos, podendo melhorar os controles ligados à manutenção da frota.

Confira algumas dessas possibilidades:

Gestão de combustível
A telemetria pode auxiliar na gestão desses custos, além de revelar possíveis desvios de combustível.

Controle de RPM
Esse controle possibilita identificar como está sendo a condução do veículo (se o condutor dirige de forma agressiva, por exemplo), tornando possível saber quais são os melhores – e os piores – motoristas.

Distinção de condutores
Auxilia na gestão de multas e é mais um instrumento para a identificação da forma de condução de cada motorista.

Controle de carga fria
É feito por meio de um sensor de temperatura dentro do baú frigorífico – e serve para possíveis auditorias na carga transportada.

Jornada de trabalho
Com a nova legislação, protege tanto o empregador quanto o empregado, além de auxiliar na garantia de que a pessoa a conduzir o veículo estará em boas condições físicas.

Controle de velocidade
Permite monitorar a condução do veículo, além de criar alertas para o motorista na eventualidade de um excesso de velocidade em retas ou curvas.

Rastreamento
Na telemetria, o rastreamento fica sendo uma possibilidade de menor importância, uma vez que a tecnologia não tem foco em segurança patrimonial (roubo).

Rede CAN
Com alguns equipamentos, esses dados todos são coletados pela rede CAN, por onde passam todas as informações do veículo: velocidade, consumo, combustível, estado do farol, lanterna, luzes em geral, freio, aceleração, entre outras informações.
Dessa forma, além da instalação do sistema no carro ser menos invasiva, as informações obtidas têm maior precisão e confiabilidade em relação a sensores adicionais instalados no veículo.

Sompo inova com aplicativo que facilita acesso à rede de serviços do Seguro Saúde 45

Novo app traz carteirinha virtual e recursos que permitem a criação de listas

A Sompo Saúde acaba de lançar um aplicativo que tem como objetivo trazer mais facilidades e agilidade no atendimento. Com uma interface simples e intuitiva, o novo recurso está disponível para download gratuito na Playstore e Apple Store e traz como funcionalidades a carteirinha virtual, rede referenciada e um local com notícias.

Com a Carteirinha Virtual, o beneficiário passa a contar com os dados de seu convênio no aplicativo. Com isso, sempre que precisar de um atendimento, terá acesso aos seus dados, mesmo que não tenha a carteirinha física à mão.

Edglei Monteiro, Diretor de Benefícios da Sompo Seguros / Divulgação

“O novo aplicativo é uma das muitas novidades que trazemos aos segurados a partir dos investimentos em tecnologia, infraestrutura e gestão. Vale considerar que já está em estudo a implementação de um upgrade que trará em breve, ainda mais funcionalidades ao aplicativo. Nosso principal foco é trazer mais comodidade e conforto ao beneficiário em sua jornada junto à seguradora”, explica Edglei Monteiro, Diretor de Benefícios da Sompo Seguros.

Já na funcionalidade Rede Referenciada, o segurado passa a contar com um Guia de Saúde que identifica médicos, clínicas, laboratórios, hospitais e demais estabelecimentos de saúde mais próximos, de acordo com o plano contratado. As diferentes opções de busca permitem identificar a rede de atendimento por critérios como localização do beneficiário, tipo de prestador de serviços (médico, clínica, laboratório etc), especialidade, tipo de plano ou até mesmo pelo nome do profissional ou estabelecimento de saúde. Por meio do sistema de geolocalização do aparelho, o aplicativo traça uma rota mais próximo para se chegar ao serviço escolhido. Além disso, o beneficiário pode também pode customizar as informações, incluindo o prestador ou estabelecimento de sua preferência em uma lista de favoritos.

Já a área de Notícias traz novidades para manter o beneficiário informado sobre a área de saúde.

Fenacor e Sincor-SP respondem questionamentos sobre o Zim 55

Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo promoveu diálogo sobre a plataforma


Os corretores de seguros paulistas tiveram a grande oportunidade de esclarecer todas as suas dúvidas sobre a plataforma tecnológica Zim no encontro promovido pelo Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP), em conjunto com o Sincor-SP e a Fenacor, dia 7 de novembro, no Circolo Italiano. As respostas aos questionamentos da categoria foram fornecidas por Armando Vergílio dos Santos, presidente da Fenacor, federação nacional da categoria, Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP, sindicato estadual, e por João Silveira e Heverton Peixoto, presidente e diretor, respectivamente, da Wiz, empresa que criou o Zim.

A plataforma Zim foi lançada pela Fenacor, durante o seu congresso em outubro, como opção para inserir o corretor de seguros na era digital, aumentar sua produtividade e potencializar os negócios. Mas, o fato de a Caixa Econômica Federal – instituição que criou a Youse – deter 25% de participação societária na Wiz gerou dúvidas e incertezas para alguns membros da classe. A celeuma ganhou força nas redes sociais, com debates acirrados, gerando, inclusive inverdades sobre a questão. Para Alexandre Camillo, houve politização e até alguma passionalidade na abordagem do Zim, que no final das contas não foi imposto à categoria, mas oferecido como uma opção de acesso à era digital. “A adesão depende do arbítrio de cada um”, disse.

Camillo também esclareceu que o Zim não tem a condição de exclusividade para a categoria. “Cumpre a esta ferramenta conquistar os corretores por sua eficiência. Mas, se surgir outra nas mesmas condições, estamos dispostos a conhecê-la”, disse. Ele fez questão, ainda, de narrar as circunstâncias como a situação se desenvolveu, revelando que coincidentemente o sindicato, ao mesmo tempo que a Fenacor, também discutia a possibilidade de lançar uma ferramenta digital, porém voltada para o segmento de seguro saúde. Nessa ocasião, o Sincor-SP criou um comitê de inovação para discutir o assunto, inspirando, posteriormente, a Fenacor a também criar grupo semelhante.

A ideia surgiu, segundo o dirigente, a partir da percepção de que a tecnologia está provocando o empoderamento do consumidor e de que o corretor precisa não apenas entender esse novo conceito como fazer parte dele. “Hoje, o cliente não pertence a ninguém. Por isso, não devemos ser ‘donos’ do cliente, mas sim das suas escolhas, das suas decisões de compra”, disse.

A decisão de lançar o Zim

A razão para a existência do Zim foi apenas uma, segundo Armando Vergílio: inserir os corretores de seguros na era digital. Ele entende que se a tecnologia é inexorável, então a categoria não deve lutar contra, até porque esta seria a solução contra algumas ameaças à atividade. “Estão todos falando que o espaço do corretor vai diminuir cada vez mais e que algumas empresas estão desenvolvendo plataformas para a venda direta. Por isso, a Fenacor teve de agir, tomando para si o peso da decisão de lançar a nova ferramenta”, disse.

Armando Vergílio considera natural haver críticas – “o novo sempre causa desconforto”, disse -, porém, não concorda com o rumo político do debate. Para ele, a participação acionária da Caixa Econômica na Wiz não deveria ser um entrave, considerando, por exemplo, que a categoria não rejeita trabalhar com algumas seguradoras que são geridas por bancos. Nesse ponto, lembrou os resultados alcançados pela Fenacor na sua luta contra a prática da Youse de alijar o corretor de seguros.

O dirigente também ponderou em relação ao vulto tomado pela discussão sobre o Zim, concluindo que, possivelmente, haja a ação velada de empresas de tecnologia interessadas em explorar o segmento da corretagem de seguros. “A Fenacor não se alia com quem traga algum risco, perigo ou possa fazer algum mal ao corretor”, disse. Disposto a trazer a verdade, o presidente da Fenacor tratou de frisar dois pontos sobre o Zim: 1 – A Caixa Econômica não tem participação na gestão da Wiz. 2 – Os dados das carteiras dos corretores estão protegidos durante e depois do uso do Zim (caso o corretor decida sair) por meio de um contrato que garante a inviolabilidade. “O senhor é o tempo da razão. Uma mentira contada mil vezes não se tornará verdade”, afirmou.

Funcionalidades do Zim

De acordo com João Silveira, presidente da Wiz, a empresa tem 44 anos de existência, abriu seu capital desde 2015 e conta com investimentos de mais de 200 fundos, a maioria internacional. A Wiz aumentou seu lucro líquido de R$ 20 milhões, em 2012, para R$ 200 milhões, em 2017 e já acumula 12,5 milhões de clientes únicos, que também são clientes da Caixa Econômica Federal. Por isso, a Wiz decidiu diversificar a sua atuação, focando, entre outros negócios, na oferta de uma plataforma tecnológica aos corretores. “Investimentos R$ 60 milhões nessa tecnologia e temos certeza de que teremos retorno na parceria com os corretores. Temos seriedade, estrutura e governança para levar essa parceria adiante”, disse.

Heverton Peixoto, diretor da Wiz, explicou as funcionalidades do Zim, destacando que, por enquanto, a ferramenta não dispõe de multicálculo para cotações de seguro automóvel, mas oferece outras vantagens. Uma delas é o recebimento de leads, próprios ou capturados na internet, além da possibilidade de fazer cross sell e CRM. “O Zim ajuda o corretor a se relacionar com a sua carteira”, disse. Segundo o executivo, a ferramenta permite enviar e receber propostas de forma rápida e simples e também conecta o corretor ao seu cliente, que passa a dispor de recursos para acionar serviços e monitorar o seu sinistro. Para os associados do Sincor-SP a ferramenta é gratuita e para os não associados o custo, segundo Peixoto, é de R$ 90 reais por mês.

Adesão de seguradoras
No debate durante o encontro, os dirigentes da Fenacor, Sincor-SP e Wiz puderam esclarecer diversas dúvidas dos associados do CCS-SP, como, por exemplo, a adesão das seguradoras à plataforma. João Silveira reconheceu que o ganho de produtividade para o corretor ocorrerá com a adesão de seguradoras. Mas, ele acredita que as seguradoras serão levadas a aderir quando o número de associados da plataforma, atualmente na casa de 2 mil, atingir 5 ou 10 mil.

Com a presença de diversas autoridades, entre as quais o presidente do Sindicato das Seguradoras de São Paulo (Sindseg-SP), Mauro Batista, e o presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar, o encontro promovido pelo CCS-SP foi considerado pelo mentor Adevaldo Calegari como um momento histórico para a entidade. “O Clube, que acaba de completar 45 anos de existência, mostra a sua força diante de temas polêmicos e a sua essência de capitanear debates importantes”, disse.