Atenção às oportunidades garantem futuro tranquilo 622

Pelotas recebe Seminário de Seguros do Sincor-RS

O vice-presidente corporativo da Icatu Seguros, César Saut / William Anthony

A cidade de Pelotas, no sul do Estado, recebeu o último Seminário de Seguros promovido pelo Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira (10). “A cidade é hoje um polo de suma importância para os corretores e a região Sul como um todo vem crescendo constantemente. Por isso trouxemos a quinta edição deste evento, que faz parte do nosso projeto de interiorização, e que visa a atualização profissional e troca de experiências”, destacou Ricardo Pansera, presidente do Sincor-RS.

Ricardo Pansera, presidente do SIncor-RS, e André Thozeski, diretor de Marketing da entidade / William Anthony

A tarde foi dividida em dois painéis. O primeiro, sobre novas oportunidades, contou com o vice-presidente corporativo da Icatu Seguros e presidente da Rio Grande Seguros, César Saut, o superintendente da Região Sul da Bradesco Seguros, Anderson Mundim, e a gerente de automóvel da HDI, Ana Luiza Dal Pian, como expositores. Além da participação de Pansera como mediador.

Saut salientou a importância de se enfrentar o pessimismo, característica que muitos brasileiros demonstram ao se referir ao seu próprio país. “O Brasil é um poço de oportunidades, os mercados que mais crescem no mercado de seguro de pessoas é China e Brasil, com uma perspectiva de 5 a 10%”, salientou ao lembrar que 90% da população nacional não possui seguro de vida, o que representa grandes oportunidades.

O mercado de seguros retorna à sociedade R$ 222 bilhões, por parte das seguradoras. Para o superintendente da Bradesco Seguros, não há como fugir das obrigações sociais inerentes ao papel do seguro e das práticas de atender bem, tanto corretores como segurados. “Atualmente todo mundo quer agilidade e eficiência e, além disso, se faz necessário ofertar todos os tipos de proteção ao segurado para que as soluções sejam ainda mais completas”, disse.

Ana Luiza Dal Pian focou nos desafios e perspectivas do mercado de seguro de automóvel. Com a constante mudança de comportamento do consumidor brasileiro, que pode acarretar na diminuição de carros nas ruas devido às novas tecnologias que oportunizam serviços de compartilhamento, é importante ao mercado de seguros estar atento a essas transformações. “A HDI não quer tirar ninguém do mercado, e sim fazer o ecossistema funcionar com a ajuda da tecnologia”, complementou.

Com a mediação do advogado Juliano Ferrer, a especialista de seguro de pessoas da MAPFRE, Katiane Frigulha, e o subscritor de riscos de engenharia e Responsabilidade Civil da Sompo Seguros, Luciano Azevedo, comandaram o segundo momento do Seminário de Pelotas. Para a especialista da MAPFRE, o seguro educacional ainda precisa ser mais explorado: “É um universo azul para os corretores navegarem e até mesmo perguntarem às escolas ao seu entorno se estão protegidas por uma apólice. Quanto mais for falado, mais as pessoas vão entendendo”.

Azevedo diferenciou risco de engenharia e responsabilidade civil: o primeiro é a proteção a própria obra e o segundo danos a terceiros. “Precisamos entender o que o cliente quer e do que ele precisa”, lembrou ao ressaltar que apólices como essas tem na assessoria do corretor uma peça fundamental. “O seguro nos traz otimismo, pois é ele que garante a tranquilidade social”, refletiu o mediador Juliano Ferrer ao encerrar o momento.

Seminário de Seguros em Pelotas – Todas as imagens

Futuros corretores de Curitiba aprendem a prática da profissão 36

Iniciativa destinada aos alunos dos Cursos para Habilitação de Corretores de Seguros contou com a presença de nove seguradoras

A Escola Nacional de Seguros promoveu, no dia 6 de novembro, mais uma edição da Oficina do Corretor de Seguros, dessa vez em sua Unidade em Curitiba (PR). A iniciativa é voltada para os alunos dos Cursos para Habilitação de Corretores de Seguros, ministrados pela Escola, e visa apresentar o lado prático da profissão aos futuros profissionais.

O evento contou com a participação de 124 alunos, que tiveram a oportunidade de conhecer como é o dia a dia de grandes seguradoras. As empresas, por sua vez, apresentarem produtos e explicaram detalhes sobre algumas modalidades. Estiveram presentes as seguradoras AIG, Liberty, HDI, Equatorial, BB e Mapfre, Porto Seguro, SulAmérica, OdontoPrev e Extramed.

A edição também foi prestigiada por diversos docentes da Escola. “A Oficina do Corretor de Seguros é uma oportunidade ímpar para os nossos alunos vivenciarem e conhecerem as seguradoras, além de enriquecerem ainda mais o conhecimento adquirido ao longo do curso, com as apresentações e informações repassadas pelas seguradoras”, afirmou o professor Paulo Oliveira.

Ele também destacou que a Oficina sempre gera feedback positivo, tanto por parte dos alunos como das seguradoras. “O evento acrescentou muito para mim como futuro corretor”, afirmou o aluno Ricardo Marcolino.

Rio Grande, Previsul, Travelers e Sancor Seguros entre os 500 maiores do Sul 357

Grupo GBOEX também integra lista elaborada pela Revista Amanhã e PwC Brasil

Coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (16) anunciou os integrantes da lista ‘500 Maiores do Sul‘. O ranking, elaborado pela Revista Amanhã e pela PwC Brasil mostra como as principais empresas da região conduziram seus negócios em um ano desafiador. A soma de todos os patrimônios dos 500 maiores fechou em R$ 283,8 bilhões, praticamente repetindo o valor de 2015 – com um acréscimo de 1,1%. As cinco centenas de companhias classificadas produziram uma cifra de R$ 516,4 bilhões em receita liquida, o que significa dizer que, em relação ano anterior, o faturamento total delas praticamente estagnou, crescendo 0,3%. Retrato de um ano perdido? Nem tanto. Em primeiro lugar, é preciso considerar o ambiente adverso enfrentado pelas empresas em 2016, quando o PIB brasileiro encolheu 3,6%. Castigadas por uma recessão sem precedentes, os discretos avanços obtidos no ano passado mostram uma obra de pura resiliência, em um período para ajustes internos, e busca de eficiência no limite do possível.

A Rio Grande Seguros e Previdência integra a lista na posição 252, em 2015 estava em 421. Recentemente, a companhia recebeu o título de Seguradora Destaque Rio Grande do Sul, durante a cerimônia de 15 anos do Troféu JRS, realizada em 27 de outubro.

A Previsul Seguradora subiu da posição 352 para 257, em 2016. A Travelers não havia rankeado em 2015, no entanto, surgiu como a 452ª maior empresa do Sul na lista de 2016. Já a Sancor Seguros deu um salto. Da emergente posição 528 em 2015, pulou para 390, em 2016.

O Grupo GBOEX também integra a lista. Aparece na posição 327.

Confira o ranking completo!

O estado com maior número de representantes no ranking segue sendo o Rio Grande do Sul, com 186, praticamente empatado com o Paraná, que neste ano reforçou sua bancada com mais quatro companhias na comparação com o ranking anterior, chegando a 185 empresas. Santa Catarina emplacou 129 companhias.

A cerimônia de premiação das empresas vencedoras será realizada no dia 22 de novembro, na Expo Unimed, em Curitiba, a partir das 8h30. O evento conta com participação de Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, e do juiz Sérgio Moro.

Grupo Sonda abre 500 vagas em todo Brasil 64

Oportunidades são destinadas à profissionais de TI

O Grupo Sonda, maior companhia latino-americana de serviços e soluções de tecnologia, está com 500 vagas abertas para profissionais de TI em diversas regiões do Brasil. As oportunidades estão dividas entre três operações do Grupo: SONDA, CTIS e Sonda Ativas.

A demanda surge com o reaquecimento do mercado, que trouxe a ampliação e a chegada de grandes contratos com os órgãos públicos e com a iniciativa privada, fomentando de maneira orgânica a criação de novos cargos para atuação em projetos, bem como em alocações dentro de clientes.

As oportunidades disponíveis são para estagiários, analistas, técnicos e desenvolvedores de programa com especializações como Java, .NET, PHP e Cobol, além de outros cargos mais estratégicos que englobam posições comerciais, como consultor e gerente.

O Grupo Sonda proporciona possibilidade de crescimento e experiência dentro de um dos maiores conglomerados de TI do Brasil. Além disso, é possível se candidatar a vagas em outros países onde a SONDA atua, tais como Chile, Argentina, México, Uruguai e Colômbia, entre outros. Ao todo há oportunidades para dez países, que disponibilizam atualmente 140 vagas de trabalho.

Para acessar as vagas, tanto no Brasil quanto na América Latina, os candidatos interessados devem cadastrar o currículo no site da companhia.

Câmara de Porto Alegre vai homenagear 75 anos do Sincor-RS 45

Sindicato dos Corretores também foi a ‘Entidade do Ano’ nos 15 anos do Troféu JRS

No dia 27 de novembro, no período de comunicações, a Câmara Municipal de Porto Alegre deve homenagear os 75 anos do Sindicato dos Corretores de Seguros (Sincor-RS), informou a entidade. A iniciativa é dos vereadores Márcio Bins Ely (PDT) e Idenir Cecchin (PMDB).

Recentemente o Sincor-RS foi reconhecido como ‘Entidade do Ano’, nos 15 anos do Troféu JRS (foto). No mesmo dia da cerimônia, em 27 de outubro, o atual presidente da entidade, RIcardo Pansera, foi reeleito com 71% dos votos válidos.

75 anos do Sincor-RS são homenageados na Assembleia gaúcha

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul também prestou homenagem. Conforme o deputado Frederico Antunes, o Sincor-RS é referência às demais entidades sindicais pelo padrão de atuação ao longo de sete décadas e mais, “sempre em busca da solução de litígios e defesa do direito do consumidor com ética e independência”. A entidade foi fundada em 14 de outubro de 1942 na rua Caldas Junior, no centro de Porto Alegre, e a Carta Sindical marcou o início do sindicato. Nos anos 60 surgiu o movimento pela regulamentação da profissão, formalizada em 29 de dezembro de 1964 pela aprovação da lei. Nas duas décadas seguintes, “mesmo num período político centralizador e a inflação nas alturas”, observou o parlamentar, o produto se tornou indispensável.

Antunes destacou a iniciativa pioneira do Sincor ao criar o slogan “Com corretor de seguros é mais seguro”, em 1995, ação que logo em seguida foi adotada também pela Fenacor, a federação da categoria, que lançou a campanha publicitária “Seguro, só com corretor de seguros”. A categoria dispõe de um banco, o Credicor-RS, desde 1999, tendo consolidado o mercado a partir do ano 2000 “com a modernização dos seus produtos e processos, preparando-se para os novos tempos”, disse o deputado, mostrando o salto de participação de 1% do PIB para 6%, promovendo a geração de 200 mil empregos no país e seis mil no Rio Grande do Sul, “com profissionais qualificados que produzem progresso e trazem tranquilidade às famílias”.

Como a telemetria pode ser útil para frotas? 142

Boletim do CESVI Brasil indica diversas soluções

Você sabia que a telemetria pode ser utilizada em todos os meios de locomoção como automóveis, caminhões, embarcações, aeronaves, motocicletas e até em equipamentos de agropecuária.
Para os frotistas, essa tecnologia permite o acompanhamento de diversos parâmetros de funcionamento dos veículos, podendo melhorar os controles ligados à manutenção da frota.

Confira algumas dessas possibilidades:

Gestão de combustível
A telemetria pode auxiliar na gestão desses custos, além de revelar possíveis desvios de combustível.

Controle de RPM
Esse controle possibilita identificar como está sendo a condução do veículo (se o condutor dirige de forma agressiva, por exemplo), tornando possível saber quais são os melhores – e os piores – motoristas.

Distinção de condutores
Auxilia na gestão de multas e é mais um instrumento para a identificação da forma de condução de cada motorista.

Controle de carga fria
É feito por meio de um sensor de temperatura dentro do baú frigorífico – e serve para possíveis auditorias na carga transportada.

Jornada de trabalho
Com a nova legislação, protege tanto o empregador quanto o empregado, além de auxiliar na garantia de que a pessoa a conduzir o veículo estará em boas condições físicas.

Controle de velocidade
Permite monitorar a condução do veículo, além de criar alertas para o motorista na eventualidade de um excesso de velocidade em retas ou curvas.

Rastreamento
Na telemetria, o rastreamento fica sendo uma possibilidade de menor importância, uma vez que a tecnologia não tem foco em segurança patrimonial (roubo).

Rede CAN
Com alguns equipamentos, esses dados todos são coletados pela rede CAN, por onde passam todas as informações do veículo: velocidade, consumo, combustível, estado do farol, lanterna, luzes em geral, freio, aceleração, entre outras informações.
Dessa forma, além da instalação do sistema no carro ser menos invasiva, as informações obtidas têm maior precisão e confiabilidade em relação a sensores adicionais instalados no veículo.