Perdas com ciberataques podem ultrapassar US$ 2,1 trilhões até 2019 89705

Segurança digital é o tema do momento

Os ataques globais registrados durante todo o ano de 2017 expuseram como nunca uma questão contemporânea: os riscos cibernéticos, bem como as perdas potenciais oriundas destas ações. Até 2019, estima-se que as perdas podem atingir US$ 2,1 trilhões, de acordo com um estudo da Cyber Handbook.

Tudo que evolui para o bem da sociedade, também evolui para o mal. O que antes parecia ficção científica tornou-se realidade. Sistemas de hospitais, energia elétrica e telefonia em mais de 74 países foram atingidos pelos temidos ataques ransomware, onde é exigido o pagamento de um resgate para liberação do acesso aos documentos do usuário.

Maior alvo de ciberataques na América Latina, o Brasil também registrou contratempos com ataques do gênero. O empresário Augusto Lisboa (nome fictício), revela que teve seu servidor com todo o banco de dados necessário para o funcionamento de sistemas e serviços afetado pelo programa malicioso. “Mesmo com o pagamento exigido pelos hackers, nosso sistema não foi restabelecido”, conta ao lembrar que não houve nenhum comportamento suspeito nos computadores da rede antes do ataque.

O pagamento, ao qual a vítima se refere é realizado em Bitcoins, uma moeda virtual criptografada que impede o rastreamento. Em média, é cobrado US$ 300 por computador, mas o valor varia. Um Bitcoin era cotado a R$ 26.914,86 no dia 17 de novembro.

Os riscos cibernéticos foram tema central de um fórum organizado pela seguradora AIG, onde Luiz Milagres, Gerente de Riscos Cibernéticos da consultoria Ernst Young, ressaltou a percepção de amadurecimento das empresas brasileiras em relação ao assunto. “Cerca de 40% das empresas listadas na Bolsa de Valores já incluem em seus relatórios informações sobre investimentos em segurança digital. Isso mostra o quão sensível é o tema”, afirma ao ressaltar que 68% dos ataques partem de dentro da própria organização.

Além da perda de dados e da extorsão, ficam os ditos “lucro cessantes” e os prejuízos institucionais à imagem da empresa. A boa notícia é que, apesar do crescente temor causado pelos atos recentes, existem opções disponibilizadas pelo mercado de seguros para minimizar o impacto deste problema. Segundo a corretora Marsh, as contratações deste tipo de seguro somam aproximadamente US$ 2 bilhões e devem bater US$ 20 bilhões até 2025. Os Estados Unidos continuam a ser o maior mercado de seguros cibernéticos, onde quase 20% de todas as organizações têm cobertura contra estes riscos.

Este tipo de cobertura está disponível em terras tupiniquins desde 2012. “Trata-se de um seguro que não se limita apenas à proteção contra os riscos, mas sim uma solução para o gerenciamento da exposição cibernética de uma empresa”, explica Flavio Sá, gerente de linhas financeiras da AIG Brasil.

Segundo Ana Albuquerque, Gerente de Linhas Financeiras da Willis Towers Watson, a busca por este tipo de cobertura cresceu 143% em 2016. Hospitais, instituições financeiras, tecnologia, varejo, alimentos e bebidas estão entre os cinco segmentos que mais contratam seguros cibernéticos. É um novo nicho de mercado a ser explorado pelos Corretores de Seguros, os profissionais devidamente habilitados a realizarem uma consultoria profissional sobre as reais necessidades de empresas e consumidores que desejam ter uma garantia para que este problema não seja prejudicial a ponto de desestabilizar os resultados financeiros e tornar-se, assim, irreversível.

“Este tipo de proteção ainda é recente, mas está em evolução e o mercado de seguros sempre vai de encontro às mudanças da sociedade”, pensa Fernando Cirelli, executivo responsável pelo produto de Seguro Digital na BR Insurance. “É um produto complexo e com uma linguagem específica, mas aplicável a todos os ramos de atividades”, completa ao projetar que, em um futuro próximo, possivelmente, o seguro residencial, por exemplo, deve disponibilizar cobertura para dispositivos conectados.

Além dos ataques ransomware, o phishing (ver quadro) é um dos golpes mais comuns na rede, reitera Temistocles Mendes, Gerente Comercial de Identidade e Acesso da Gemalto. A empresa é especialista em soluções mundiais em tecnologia e também indexa os ataques reportados em nível mundial. Mendes ainda lembra que com o advento “internet das coisas” deve explodir o número de dispositivos suscetíveis a invasões e que as pequenas e médias empresas são as mais afetadas, pois, normalmente, não possuem estratégias de segurança digital.

De encontro a isso está a digitalização completa de processos até então burocráticos. É o que diz Alessandro Buonopane, Head of Insurance no Brasil da consultoria em tecnologia GFT. “Estamos evoluindo rapidamente e pensar a médio e longo prazo é necessário. As próprias seguradoras tornam suas tarefas mais acessíveis, seja na comunicação com o corretor ou na abertura de sinistros, que hoje pode ser feita por aplicativos móveis”, conta. “Vivemos uma nova era para os serviços financeiros”, diz ao lembrar do processo de digitalização dos bancos, que ocasionou na demissão de 20 mil profissionais que atuavam em agências físicas, como informou recentemente o Banco Central.

É consenso geral que o descuido do próprio usuário com acesso à rede é a maior causa dos problemas relacionados a segurança digital. Os ataques mundiais aconteceram devido a uma falha do Windows, que já contava com atualização que corrigia o problema. Nas versões mais recentes do sistema operacional uma funcionalidade que previne este tipo de ataque aconteça. Cabe ressaltar que também foram registrados ataques no Linux, mas em escala muito menor e isolada.

“A evolução diária dos riscos cibernéticos demanda atenção sobre o nível de segurança da informação corporativa dos usuários e a seguradora tem como missão cuidar dos recursos que garantem a continuidade dos negócios”, afirma Carlos Cortés, Head de Risk Engineering da Zurich no Brasil. A companhia é uma das poucas que também fornece seguro para riscos digitais que oferece proteção financeira à empresa em casos de responsabilidade civil decorrente de ameaças cibernéticas ou atos de violação de segurança ou de privacidade, incluindo proteção em casos de investigações formais e inquéritos.

Antônio Prado (RS) recebe visitantes de braços abertos na Noite Italiana 4343

GilsonBochernitsaneJúlia

38ª edição do evento acontece nos dias 18 e 25 de agosto

Desde 1980, a Noite Italiana de Antônio Prado (RS) é um dos eventos mais aguardados pelos amantes da cultura italiana no Brasil. A cidade possui cenários encantadores e recebe milhares de visitantes nos dias 18 e 25 de agosto, no Centro de Eventos do município, localizado na Serra Gaúcha.

Na última edição, mais de 4 mil participantes apreciaram o melhor da culinária e do vinho da Itália. Quem marcou presença na última edição foi a Generali, representada por Nery Silva, head da companhia na América Latina; Rafael Alquati, diretor da Região Sul; e Fabrício Porto, gerente da filial Porto Alegre. Os profissionais foram recepcionados pelo CEO da Solaris Corretora de Seguros, Laureano Fortuna, e sua equipe.

Mercado segurador em peso na cidade de Antônio Prado

O mercado segurador prestigiou em peso a última edição da Noite Italiana. Gilson Bochernitsan, diretor regional da SulAmérica; Waldecyr Schilling, diretor Região Sul da Zurich Seguros; e o casal Clovis e Joyce Della Flora, do Grupo Autosul, também prestigiaram a ação.

Brasesul traz palestras mundialmente reconhecidas para Corretores de Seguros 1393

Evento acontece nos dias 19 e 20 de julho, em Florianópolis (SC)

Diante dos desafios impostos ao mercado brasileiro de seguros, o Congresso Sul Brasileiro de Corretores de Seguros, traz além de relevantes debates e assuntos técnicos, temas que falam diretamente com o empreendedor da corretagem de seguros.

Palestrantes mundialmente reconhecidos falarão diretamente com profissionais do setor. Além do entendimento sobre o nicho, fazer boas vendas envolvem conhecimento sobre pessoas. “É preciso que esses profissionais conheçam e saibam se aproximar de seus clientes, para desenvolverem negócios prósperos e inovadores”, disseram os organizadores do evento, em nota. Um público de 2 mil pessoas é aguardado entre os dias 19 e 20 de julho, em Florianópolis (SC).

O palestrante Marcos Scaldelai fala sobre empreendedorismo e pensamento inovador. Responsável por uma grande renovação na comunicação da Bombril, rejuvenesceu a marca e mostrou que é preciso acompanhar a evolução do mundo para permanecer relevante no mercado. Com sua conhecida frase “de criativo e presidente todo mundo tem um pouco”, suas palestras abordam a confiança e ajudam a trilhar o caminho para que empreendedores alcancem o sucesso.

Já o palestrante Joe Jordan, ex-vice-presidente da MetLife, acredita que trabalhar no setor financeiro é uma das profissões mais nobres do mundo e suas palestras motivacionais têm inspirado executivos a reafirmar seus propósitos. Jordan ajuda os profissionais a perceber e celebrar seus valores, levando-os aos clientes e reforçando fatores importantes como a necessidade de independência, comprometimento e paixão pelo que se faz.

A premiada palestrante Martha Gabriel fala sobre disrupções digitais e como elas proporcionam uma mudança radical na vida de executivos e clientes. Além de promover reflexão sobre como aproveitar inovações digitais, Martha destaca como minimizar riscos e garantir experiência satisfatória fideliza o cliente e auxilia no desenvolvimento de qualquer setor.

Complementando o seleto time de painelistas, Gilclér Regina começou aos 12 anos como catador de papel e teve uma longa jornada até hoje acumular diversos títulos, como o de bacharel em Administração de Empresas e Marketing e graduado em Dinâmica Humana pelo The National Value Center (Texas, EUA), entre outros. Liderança e vendas são o foco de sua apresentação, conduzida com bom humor e leveza.

O Centrosul Florianópolis é o palco deste grande encontro, organizado pelos Sindicatos dos Corretores de Seguros do RS, SC e PR. O espaço fica localizado na Av. Governador Gustavo Richard, 850, no centro da capital catarinense. As inscrições podem ser realizadas neste endereço.

CVG/RS organiza Feijoada de Integração do Mercado no Dia Continental do Seguro 1517

Feijoada CVG/RS 2017

Segunda edição da iniciativa acontece no dia 19 de maio, no Grêmio Náutico Gaúcho

O Dia Continental do Seguro foi criado para ressaltar a importância social e econômica do ramo, além de promover confraternização entre os profissionais de seguros das Américas. A data, comemorada no dia 14 de maio, ganha comemoração especial em Porto Alegre (RS). O Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) organiza pelo segundo ano consecutivo a Feijoada de Integração do Mercado, no Grêmio Náutico Gaúcho.

Feijoada de Integração do Mercado
Feijoada de Integração do Mercado / Divulgação

Os convites individuais podem ser adquiridos por R$ 65. Sócios possuem desconto, e participam pelo valor de R$ 50. Os valores não incluem bebidas e o estacionamento.

Em 2017 foram mais de 250 participantes em um sábado tomado pela emoção e troca de experiências entre grandes amigos do mercado segurador. “Este evento agora já faz parte do nosso setor”, destacou Eder Oliveira, presidente do CVG/RS.

Libertadores de futsal: ACBF avança para as quartas de final com apoio de seguradora 1395

ACBF Divulgação

Rio Grande Seguros e Previdência incentiva o esporte e consolida marca na memória dos gaúchos

As vantagens da prática esportiva são inúmeras. Em um país como o Brasil, onde são registradas mais de 60 mil mortes por ano, o esporte é grande aliado para inibir os jovens do mundo do crime. A saúde é outro ponto importante, estima-se que 50% da população brasileira esteja acima do peso, o que desencadeia em uma série de malefícios para o corpo e para o desenvolvimento cerebral.

Diante desses dados, a Rio Grande Seguros e Previdência é patrocinadora oficial da ACBF, de Carlos Barbosa, na Libertadores de Futsal. A equipe é anfitriã do torneio e a iniciativa consolida a seguradora como uma das grandes marcas na memória dos gaúchos.

A equipe da Serra avançou na segunda-feira (23) para as quartas de final da competição, quando venceu o Colo-Colo por 4 a 0. São, ao todo, seis pontos em dois jogos. A ACBF derrotou o Boca Juniors na estreia de 5 a 3.

A ACBF segue adiante na Copa Libertadores de futsal. Anfitriã do torneio, a equipe de Carlos Barbosa venceu o Colo-Colo por 4 a 0, nesta segunda-feira (23), no principal jogo da segunda rodada da competição, e está classificada para as quartas de final. Na terça, foi a vez de garantir 100% de aproveitamento nesta primeira fase contra o C.R.E, da Bolívia, por 2 a 0.

Próximos jogos da Libertadores de Futsal / Divulgação
Próximos jogos da Libertadores de Futsal / Divulgação

A competição vai até o dia 29 de abril, quando acontece a disputa pelo 3º lugar, a partir das 11h, e a grande final, a partir das 13h.

Seguro Prestamista: tranquilidade evita a inadimplência 2122

Cobertura de parcelas a vencer evita inadimplência em caso de desemprego involuntário, invalidez ou morte

Consumidor consciente se preocupa em manter seus débitos em dia, mesmo em situações difíceis: para isso, contrata um Seguro Prestamista, que garante a quitação de sua dívida ou o pagamento de um determinado número de parcelas, dependendo do contrato, em caso de desemprego involuntário, perda de renda do autônomo, invalidez ou morte.

A contratação do Seguro Prestamista é tão importante hoje que, de janeiro a novembro de 2017, cresceu 24,3%, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep). “Esse tipo de seguro é oferecido ao consumidor por lojas que vendem a crédito, bancos e financeiras, para a proteção das empresas que tem valores a receber e a tranquilidade dos segurados, ” afirma Rubens Nogueira, Diretor de Seguros Massificados, da BR Insurance.

O Seguro Prestamista pode garantir a quitação dos valores em aberto a vencer até o limite da dívida, que é o mais corriqueiro, mas também pode garantir um valor acima da dívida contraída, para as situações em que ocorrer um dos riscos previstos na apólice. Nesse caso, a dívida será quitada e o saldo remanescente será pago ao beneficiário que o segurado tiver indicado na hora da contratação.

O consumidor pode, por exemplo, contratar um Seguro Prestamista quando tomar um empréstimo num banco, para cobrir o cheque especial ou fatura do cartão de crédito, ou, ainda, quando obtiver um financiamento para aquisição de um imóvel, veículo ou eletrodoméstico. O preço a pagar mensalmente pela contratação deste seguro costuma ser barato, então observe em sua próxima compra se o produto está disponível para adesão.

Queremos conhecer ainda mais nosso público, participe da pesquisa de opinião! (Leva menos de 2 minutos)Participar
+