CEO e diretores da Generali contam como parcerias podem alavancar resultados 4087

E tem muito mais na edição 207 da Revista JRS

A temporada mais gostosa do ano está chegando. E com ela, as ações especiais do JRS no Litoral Gaúcho. São diversas atividades que promovem a indústria do seguro também no período de férias, diretamente do tradicional QG JRS Litoral, localizado na Praia de Rainha do Mar, em Xangri-lá (RS).

Há mais de uma década o mercado de seguros já sabe o ponto de encontro dos operadores do setor no período mais quente do ano. O editor, Jota Carvalho, recebe amigos e parceiros de negócios em gravações especiais do programa Seguro Sem Mistério na TV. Além disso, consolidamos, nesta edição, a unificação de marcas do Grupo JRS. Tudo isso com muito conteúdo de qualidade, de quem sempre está ao lado do setor de seguros.

Delphos e a Inovação no Mercado de Seguros 305

Insurtechs trarão benefícios com ganhos de produtividade

O princípio das FinTechs, iniciadas no mercado financeiro, logo chegou no setor de seguros, dando origem às Insurtechs. Para o Diretor da Delphos, Carlos Trindade, tal movimento trará benefícios como a desburocratização e a simplificação das atividades do setor, com ganhos de produtividade. “Por provocarem disruptura em um mercado que por muito tempo foi considerado conservador, esse processo terá que contemplar a administração de efeitos colaterais e riscos, que ocorrem em todo tipo de avanço. Mas o consumidor deverá ser o mais beneficiado, e o aumento de seu conhecimento fará com que contrate mais seguros”, prevê.

Carlos Trindade, diretor de TI da Delphos / Divulgação

Trindade conta que foi criado, na Delphos, um comitê de inovação para identificar novas tecnologias que poderão ser usadas internamente e oferecidas aos clientes. “Para atendimento, relacionamento e inteligência artificial, por exemplo, temos uma equipe dedicada ao CRM Salesforce, com capacidade para identificar as ‘dores’ do mercado e pensar em soluções”, lista o diretor. Segundo ele, esse produto em particular permitirá atender, além do setor de seguros, o financeiro e outras indústrias.

Já o ERP (Enterprise Resource Planning) SegDelphos, que gerencia todas as fases da operação do seguro, terá uma nova versão a partir de 2018. “Vamos investir na customização do sistema nativo, adquirido este ano, para ramos nos quais ele ainda não está totalmente alinhado ao mercado nacional”, conta o executivo. A estratégia inclui também a capacitação da equipe para acompanhar as novas frentes de trabalho.

Todas essas iniciativas buscam auxiliar o mercado a se preparar para um segurado cada vez mais exigente. “Quando um setor se moderniza, ele eleva o nível concorrencial. Não terá vez o corretor que demorar dias ou mesmo horas para fornecer uma cotação de seguros para seu cliente. Então teremos o segurado bem informado, exigindo mais, e um mercado sempre perseguindo melhorias para atender a esse novo perfil”, avalia Trindade.

Por outro lado, o diretor da Delphos acredita que pode haver maior colaboração entre as empresas. “Se uma determinada seguradora trabalha apenas com ramos elementares, poderá de forma ágil e segura trocar informações com outra companhia, para oferecerem produtos combinados de seus portfólios. No mínimo, haverá um benchmarking que remeterá a avanços”, aposta. Para ele, o mesmo vale para corretores e assessorias.

Insurtechs vieram para melhorar a experiência do consumidor 294

Confira artigo de Henrique Mazieiro, diretor executivo e sócio fundador da Planetun

No embalo do sucesso das chamadas fintechs, startups que aliam serviços financeiros e tecnologia, nasceram as insurtechs, empresas que também utilizam ferramentas digitais, porém são voltadas ao mercado de seguros. As insurtechs começaram a ganhar força principalmente no ano de 2016 e têm como foco buscar inovações constantes que melhorem a experiência do cliente.

Diante de um novo cenário, totalmente digital, os consumidores buscam cada vez mais soluções práticas e ágeis que facilitem processos com o uso da tecnologia. As insurtechs chegaram ao mercado justamente para suprir essa necessidade, desenvolvendo soluções disruptivas a partir de algo que precisa ser melhorado. E ainda oferecem benefícios também para as empresas, com um modelo de negócios inovador, repetível e escalável, em que é possível obter mais ganhos com menos custos.

Hoje, o setor de seguros é o que mais investe em desenvolvimento de tecnologia, de acordo com um estudo realizado pela empresa de TI e consultoria de dados Tata Consultancy Services (TCS). Na pesquisa, após analisarem 835 executivos de 13 setores da indústria global em quatro regiões do mundo, a indústria de seguros ultrapassou os outros segmentos pesquisados, investindo, em média, US$ 124 milhões em inteligência artificial.

A expectativa é que esse panorama continue crescendo cada vez mais, graças a alta demanda dos consumidores por digitalização, o que também gera uma grande oportunidade para as empresas do setor de seguros que tenham como foco trazer melhorias atreladas às novas tecnologias aos seus clientes. Essa é uma preocupação constante da nossa empresa, Planetun, na qual temos como objetivo implementar processos que tragam mais agilidade, comodidade e segurança aos consumidores, melhorando sua experiência.

Apenas para falarmos do que estamos desenvolvendo com foco no relacionamento com o cliente, temos os produtos de Auto Inspeção, Vistoria e Sinistros. Por exemplo, imagine que o segurado detecta que depois de uma forte descarga de energia ocorreu a queima de sua geladeira. Neste momento, após o contato prévio com a seguradora, o próprio cliente, através de um aplicativo web, que não requer qualquer instalação no celular, pode abrir um sinistro, realizar as fotos, áudio e vídeo dos danos, e inserir toda a documentação necessária para que o processo possa ser analisado e aprovado de forma segura, transparente, ágil e com um custo infinitamente menor. Hoje, isso já é uma realidade para os ramos de seguro auto, equipamentos, residência e empresarial.

Por vivermos em uma era cada vez mais tecnológica e ágil, é necessário que as empresas se moldem a esse novo tipo de consumidor, que está cada vez mais conectado e buscando por produtos novos que conversem com o modo atual de viver da era digital. Nesse momento, acredito que a tecnologia é uma grande aliada às empresas, que têm a oportunidade de oferecer ao cliente uma experiência que ele procura: rápida, prática e com maior autonomia.

Sem dúvida que existem riscos em todo esse processo, já que nem sempre as inovações são vistas em um primeiro momento como algo bem-vindo. Quando trabalhamos em parceria com as grandes seguradoras, também precisamos encontrar profissionais e estruturas visionárias que acreditem e queiram inovar e mudar a forma com que se relacionam com seus clientes, porque, sem o apoio deles, nada disso poderia ocorrer. Eu vejo que esse processo irá beneficiar a todos, sem exceção. Com estas novas plataformas, traremos maior agilidade e facilidade na relação seguradora, corretor e segurado.

Inclusive, o maior ganho com todas estas mudanças é, com certeza, do consumidor. Se antes ele enfrentava diversas burocracias ao, por exemplo, bater o carro, hoje ele não tem mais essa dor de cabeça, pois o processo ficou mais simples de ser realizado. Fazendo uso da tecnologia, é possível realizar os processos no dia e hora que forem mais adequados ao segurado, de forma ainda mais rápida, evitando perda de tempo ou interrupções no trabalho. Agora, acionar o seguro deixou de ser um problema, graças ao advento do atendimento digital. E o segurado pode receber e pagar por um serviço que tem a sua cara e que lhe oferece exatamente aquilo que procura de forma muito mais objetiva e inovadora.

CSP-MG participa de almoço com lideranças do mercado, promovido pela CNseg 1031

Evento também marcou a entrega do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros

O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) participou do tradicional almoço das lideranças do mercado segurador, realizado nesta quarta-feira (13) pela CNseg, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O evento também marcou a entrega do Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros.

O presidente João Paulo Moreira de Mello representou a entidade no encontro, que reuniu executivos de seguradoras, dirigentes de instituições de mercado e representantes de órgãos governamentais, como Susep e ANS.

O presidente da Confederação, Marcio Coriolano, fez um resumo do ano e afirmou que, apesar da crise política e econômica, o mercado deve fechar 2017 com crescimento global de 10%, o que representa um desempenho muito positivo diante do cenário atual. Coriolano ressaltou a resiliência do setor e a expectativa de bons resultados em 2018, considerando a melhora dos índices macro da economia.

Na área de Pessoas, destaque para os produtos de acumulação (VGBL) e Vida Individual, segundo o presidente da FenaPrevi, Edson Franco. No setor de Saúde, Solange Beatriz, presidente da FenaSaúde, apontou os grandes desafios enfrentados pelo segmento – como a queda de beneficiários e o aumentos dos custos de prestadores – mas fez questão de elogiar a união do setor de saúde suplementar na busca de soluções.

O superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, afirmou que em 2018 a autarquia volta a discutir o microsseguro e as mudanças necessárias para que o produto seja definitivamente inserido na sociedade. O dirigente também afirmou que a regulamentação do Seguro de Vida Universal é uma das prioridades da Susep para o ano que vem.

“Ficamos muito satisfeitos de ouvir das principais lideranças do setor, tanto nos pronunciamentos como nas rodas de conversas, as boas expectativas que todos têm para 2018. Vamos em frente na busca do desenvolvimento do mercado”, salientou o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello.

Divulgação

O almoço de lideranças também contou com as presenças dos presidentes dos CVGs do Rio de Janeiro, Carlos Ivo Gonçalves, de São Paulo, Silas Kasahaya e do Paraná, David Novloski. Também prestigiaram o evento os presidentes do Sindseg MG/GO/MT/DF, Augusto Matos, e do Sincor-MG, Maria Filomena Branquinho.

Com crescimento das franquias, mercado segurador traz grande oportunidade ao empreendedor 362

Dados divulgados em novembro pela ABF mostram que setor cresceu 7,8% no 3º trimestre

Divulgação

Criação e inovação são características imprescindíveis para quem quer se tornar um empreendedor de sucesso. Esses aspectos ilustram o crescimento do número de pessoas que querem uma empresa para chamar de sua, na busca da construção do seu próprio castelo e a geração de uma renda que garanta conforto e estabilidade financeira. De acordo com pesquisa divulgada em novembro, pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento do setor brasileiro de franquias cresceu 7,8% no terceiro trimestre de 2017. Em comparação com o segundo trimestre, que contou com um crescimento de 6,8%, o mercado de franquias cresceu 11,4%. Na pesquisa, são levados em conta os números do semestre atual em relação ao mesmo período no ano anterior. A Associação ainda divulgou dados que mostram que o número de empregos gerados pelas franquias cresceu 0,4%. Com esse número, o franchising gerou o total de 1.205.714 empregos diretos.

Recentemente, o Grupo Life Brasil iniciou o processo de Franchising em Seguro de Vida, através do Minha Franquia Minha Vida. De acordo com Alberto Junior, Chairman do Grupo Life Brasil, o modelo de negócio de sucesso, os processos já estabelecidos e a marca constituída são os principais pontos que levam o desejo das pessoas em ter a sua própria franquia. “Além do fato de ser dono do seu próprio negócio, os franqueados contam com menor risco de falência, exatamente por ser direcionados e orientados por quem entende do assunto, já fez acontecer e, claro, por ter a definição de empreender em algo que agregue valor a sua estratégia”, disse Alberto.

A incorporação do novo modelo de franchising do Grupo já recebeu o seu primeiro reconhecimento, com a conquista do prêmio de Inovação em Franquias no 15º Troféu JRS, um dos principais eventos nacionais de destaque às empresas do mercado segurador brasileiro. Com a conclusão do treinamento dos primeiros franqueados da Life Brasil Franchising e o crescimento do setor de franquias no Brasil, Alberto Junior destaca que o principal objetivo agora é a aceleração com sucesso dos franqueados, acertando na conexão do perfil e capacidade intelectual e física para buscar suas conquistas.

Para isso, o Chairman frisou os principais pontos que destacam o sucesso para quem quer investir em franquias de seguro e proteção de pessoas. “Com o aumento da conscientização da população sobre a importância do seguro e, consequentemente, na medida em que as pessoas passem a aderi-los, maior será o grau de estruturação e experiência, os ganhos em escala e hereditários e, por fim, a possibilidade de multiplicação do seu próprio negócio em um novo mercado que está em crescimento potencial”, disse.

Sete dicas para vender mais no Natal 302

Confira artigo de Vanderlei Kichel, CEO SetaDigital

O ano de 2017 voou e já é dezembro de novo, ou seja, é quase Natal. Para o varejo, a boa notícia é se trata de um mês potencial dobrar ou triplicar as vendas e, com o setor a todo vapor, essa é a hora de aproveitar para vender mais, levando em consideração com algumas dicas bem simples. Serei bem curto e objetivo. E, depois de ler, corra e coloque tudo em prática para garantir um natal surpreendente para a sua loja e seus clientes.

1. Atenda, entenda e surpreenda seu cliente: uma experiência de compra única é o que os seus clientes procuram e merecem. Use a criatividade e as habilidades de cada colaborador para construir um time campeão, bem-humorado e que queira fazer a diferença na vida das pessoas. Organize os processos de atendimento e finalização das compras nos caixas. Seu cliente pode demorar uma hora para escolher os presentes, mas na hora de pagar ele quer agilidade e isso fará toda a diferença na experiência de compra.

2. Use técnicas para despertar o desejo de compra: quanto mais atrativa for sua área de vendas, mais desejo de usar aquele calçado novo seu consumidor terá. Deixe a loja limpa, arrumada, bem iluminada, faça cartazes criativos com pitadas de humor. Evidencie produtos, crie um ambiente e vitrines que mecham com a emoção das pessoas. Afinal, estamos em clima de Natal.

3. Será que o seu consumidor precisa só de um calçado novo? Pergunte para o seu cliente se ele já comprou o presente de Natal para as pessoas do seu círculo social. Além disso, ele mesmo pode precisar de outros itens que não está levando, como uma bolsa nova, uma carteira, um par de meias e por aí vai.

4. Arrume a bagunça o mais rápido possível: pesquisas mostram que os itens mais vendidos dentro de uma loja, como a de calçados, são os que estão dispersos nos provadores. Por isso, não perca tempo. Terminou a venda? Leve os calçados de volta para as prateleiras e garanta que outros consumidores possam vê-los e compra-los.
5. Use a emoção em suas campanhas de Natal: campanhas que emocionam tem tudo a ver com o Natal. É tempo de reunir a família, os amigos e muitas vezes reencontrar pessoas que não vimos há muito tempo, bem como comprar os presentes para todas essas pessoas. Por isso, defina quais canais de comunicação irá utilizar e não esqueça de sempre atualizar sua equipe sobre as campanhas que estão sendo desenvolvidas.

6. Se o cliente não pode ir até a loja, que tal a loja ir até ele? Uma pesquisa com alguns lojistas mostrou que a venda condicional pode aumentar o faturamento das vendas em até 30%. Se seu cliente não pode ir à loja comprar um calçado novo, é uma oportunidade para o seu negócio. Conheça bem o seu cliente e considere investir nesta dica.

7. Capriche nos pacotes de presente: sabia que você pode marcar o Natal dos seus clientes com pequenos detalhes? Um pacote de presente feito com cuidado e carinho faz toda a diferença. Capriche no embrulho e use laços delicados.

Cada estabelecimento tem um público alvo diferente, por isso, faça a adaptação das sugestões para a sua loja. O importante é gerar resultado. E, por último, mas não menos importante: converta seus consumidores! Se eles gostarem para valer da sua loja, vão lembrar sempre de você. Afinal, cliente surpreendido volta. Portanto, dê toda atenção de que ele precisa, lembre-se do aniversário dele, descubra do que ele gosta, ou seja, surpreenda-o. Feliz Natal e boas vendas!