Renato Pedroso encerra programação do Almoço do Mercado Segurador em 2017 3398

Encontro foi organizado pelo SindSeg-RS

2017 está chegando ao fim e também a programação do mercado. O presidente da Previsul Seguradora, Renato Pedroso, foi o palestrante da última edição do Almoço do Mercado Segurador deste ano. O encontro foi organizado pelo SindSeg-RS e contou com a presença de quase uma centena de operadores.

Almoço do Mercado Segurador com Renato Pedroso – Confira todas as imagens

Sucessão familiar marca comemorações da Pozza Corretora 4976

A família Pozza em homenagem promovida pela Sancor Seguros

Conheça a história de uma importante corretora de seguros do Rio Grande do Sul

A história da Pozza Corretora de Seguros está diretamente atrelada à trajetória profissional de seu fundador, Marcos Pozza. Formado em arquitetura, ele iniciou suas atividades no mercado segurador em 1938 pela Salomoni Seguros. “Comecei realizando relatórios de inspeção nos grandes riscos empresariais, que eram taxados pela antiga tarifa de incêndio, trabalho este realizado
pelos ditos plantistas”, conta.

Com o passar do tempo, começou a se identificar com o ramo e então resolveu ingressar no curso de formação de corretores de seguros promovido pela Escola Nacional de Seguros. “Compreendi que para dar continuidade na área seria necessário também ter conhecimento mais específico sobre seguro e em 1987 participei do curso regular em Porto Alegre”, detalha.

Apesar da distância entre Caxias do Sul e Porto Alegre, ele diz que não se arrepende de ter reunido esforços para concluir os estudos. “Foi um ano bastante puxado, pois me deslocava diariamente de Caxias do Sul à Capital do estado, mas tudo foi recompensado pela satisfação de fazer algo que me cativou profissionalmente”, recorda.

Em 1989, Marcos Pozza tornou-se oficialmente corretor de seguros habilitado e, em 1991, constituiu a Pozza Corretora de Seguros. “Logo que iniciei minhas atividades como corretor pessoa física já fui constituindo uma carteira de clientes razoável, o que possibilitou a criação da Corretora”, lembra. Atualmente, Marcos e seus dois filhos, Ricardo Salomoni Pozza e Marina Salomoni Pozza, administram a empresa que é referência na Serra Gaúcha e possui 25 anos de atividades. Em 11 de fevereiro, a Sancor Seguros prestou homenagem à Corretora. “25 anos é algo muito importante na vida de uma corretora de seguros. Temos que aproveitar muito, passa depressa. Quando se trabalha naquilo que se gosta, dá prazer e satisfação e é como um piscar de olhos. Isso que aconteceu. Eu gosto do seguro e transmiti isso à meu filho, que também é corretor”, conta o fundador Marcos Pozza.

Pozza também participa ativamente de lideranças, defendendo interesses da classe. “No decorrer desses 25 anos fui cada vez mais me apaixonando pela profissão e passei também a ocupar o tempo com a atividade sindical. Em 1994, fui convidado pelo então Presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul, Sergio Petzhold, para ser o representante na Serra Gaúcha, onde permaneci por 19 anos como Delegado, o que muito me orgulho”, relembra. Seus esforços unidos ao Sindicato possibilitaram uma série de conquistas ao corretor profissional de
seguros da região. “Neste período trabalhei em prol da redução da alíquota ISSQN do município de Caxias do Sul de 4% para 2%, conquista alcançada em 2011; e pela realização de dois cursos de habilitação de corretores, período 2010/2011 e 2014/2015 em parceria com a Escola Nacional de Seguros, Sincor-RS e Unics Brasil”, completa.

Ele também é sócio fundador da Unics Brasil, presidente por 10 anos da 1ª Cooperativa de Corretores de Seguros do país e diretor técnico cultural do Sincor-RS, mas é do amor pelo seguro que ele passou de pai para filhos que Pozza mais orgulha-se. “A maior satisfação que trago no currículo é ter estabelecido a sucessão da Pozza Corretora por, pelo menos, por mais 25 anos”, finaliza um dos grandes ícones do seguro no Rio Grande do Sul.

A relação das seguradoras com os corretores 573

Assunto é tema de palestra promovida pelo Sincor-RJ

No dia 7 de março, acontece mais um debate no auditório do Sincor-RJ, das 9h às 12h, com o tema “Por que as seguradoras e corretoras não são mais parceiras como antes?”. O evento conta com a apresentação do Diretor de Ensino e Tecnologia, Arley Boullosa; do Diretor da Mapfre Seguros RJ/ES, Marcos Ferreira; do Diretor da Bradesco Seguros RJ/ES, Pablo Guimarães; e do executivo responsável pela Correcta Corretora e palestrante da Kuantta Consultoria, Gustavo Mello.

De acordo com Gustavo Mello, as seguradoras procuram o aprimoramento constante em seus produtos. “As seguradoras legitimamente buscam melhorar seus produtos e serviços através do insight dos clientes. O antigo CRM hoje passa por Design Thinking, no anseio de atender a demanda. Mas às vezes se esquecem quem é o seu cliente (o segurado ou o corretor), ou ainda quem pode oferecer esses insights da melhor maneira. Venham para o nosso debate, conto com a presença de todos”, declarou.

O Sincor-RJ está em período de recesso e só retorna no dia 01 de março. Para se inscrever antes dessa data, é só entrar em contato no WhatsApp através do telefone (21) 99137-2357.

Banrisul tem maior lucro líquido da história: mais de R$ 1 bi 1148

Banco apresentou resultados ao mercado na noite desta segunda

O Banrisul apresentou ao mercado os resultados do ano passado na noite desta segunda-feira (19). O lucro líquido atingiu um patamar recorde, na ordem de R$ 1,05 bilhão. O evento contou com a presença do governador José Ivo Sartori que reiterou a escolha do quadro diretivo do banco no início do governo, além de maior credibilidade e papel social da instituição. “O ano de 2018 será bem melhor que o de 2017. A reação da economia se mostra nos grandes números do Banrisul, representando uma fatia importante do PIB gaúcho”. Sartori ainda mencionou a presença do Banrisul em quase todos os municípios gaúchos, movimentando a economia, gerando renda e emprego.

O lucro líquido no segmento cartões atingiu o patamar de R$ 222,1 milhões de reais. A credenciadora Vero, por exemplo, cresceu 7,2% e realizou mais de R$ 261 milhões em transações.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio foi de 13,5% em 2017, representando 3,2 pontos percentuais acima do apurado em 2016. Os ativos totais alcançaram um saldo de R$ 73,3 bilhões em dezembro passado. Os ativos de crédito alcançaram R$ 31,9 bilhões no período, com aumento de 2,2% nos 12 meses. As operações de crédito apresentaram ampliação de 3,4% no período.

Para o presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Veras Mota, o desempenho recorrente registrado em 2017 frente ao ano de 2016 reflete a estabilidade da margem financeira, o menor fluxo de despesas de provisão e o crescimento, ainda que moderado, das receitas de tarifas e serviços. Parte do aumento das despesas administrativas está relacionada ao incremento nos negócios.

*Com informações de Rádio Pampa.

GBOEX participa de integração no QG do JRS no Litoral 2149

GBOEX participa de integração no QG do JRS no Litoral

Entidade participa assiduamente das ações de verão e está atenta às inovações do mercado

O sábado foi especial no QG do JRS, no litoral norte do Rio Grande do Sul. Os convidados do GBOEX prestigiaram uma tarde de integração total, regado a um belo churrasco na beira da piscina em dia de muito sol e calor.

“Já é uma tradição para o GBOEX participar da ação litoral. Este ano completamos 105 anos sendo uma entidade sem fins lucrativos, uma entidade associativa, que vem atualizando a gestão gestão com pessoas que tem por objetivo manter todos os valores que sempre fizeram parte desta entidade tão importante”, contou o diretor-presidente da entidade, Ilton Roberto Brum de Oliveira em entrevista ao Seguro Sem Mistério especial.

O apresentador Jota Carvalho elogiou a gestão excepcional realizada pela administração do GBOEX. “Temos uma marca conhecida, que já está há muito consolidada no mercado e faz parte das coisas do nosso Rio Grande do Sul e também de todo o Brasil. Sempre continuamos com nossa preocupação em manter nosso objetivo de proteção às famílias nos momentos em que elas mais precisam”, explicou o diretor-presidente.

Ilton Roberto Brum de Oliveira ainda comentou a importância de ações coletivas do setor de seguros. “Essa troca de conhecimentos e de ideias permite que todos estejam juntos fazendo algo em prol da coletividade”, comentou. “A tradição não exclui a inovação. Buscamos trazer todas as formas de gestão de forma que sejamos sempre competitivos, mais ágil nos processos e atendendo os anseios das pessoas, que vão se renovando. Queremos estar junto com este público e é isso que estamos buscando”, completou.

Convidados especiais do GBOEX aproveitaram um dia incrível no litoral gaúcho

Marco Mattos, Gerente Comercial Nacional do GBOEX, destacou o crescimento fantástico do GBOEX em 2017. Os números foram ampliados em 30%, quando comparados ao ano anterior. “Este é o fruto do trabalho de toda uma equipe, seja em nossa Matriz ou nas Unidades de Negócios, presentes em todos os cantos do País, e principalmente pelo Corretores de Seguros que promovem o nome do GBOEX.

Operação no RS fiscaliza 115 mil veículos no feriadão de Carnaval 1171

Foram mais de 21 mil infrações de trânsito

Nos seis dias de atuação reforçada foram realizados 6.868 testes de etilômetro, que registraram 145 infrações por alcoolemia, além de 243 autuações por recusa

A Viagem Segura de Carnaval, que teve início à zero hora de sexta-feira (09) e se estendeu até a meia-noite de quarta-feira (14), registrou 21.511 infrações de trânsito, recolheu 1.230 veículos a depósito e reteve 548 carteiras de habilitação irregulares. Nesta 85ª edição da operação foram fiscalizados, em todo o Estado, 115.091 veículos no período.

Nos seis dias de atuação reforçada foram realizados 6.868 testes de etilômetro, que registraram 145 infrações por alcoolemia, além de 243 autuações por recusa. A ação da Polícia Rodoviária Federal, Brigada Militar e Comando Rodoviário da BM permitiu retirar das ruas 388 potenciais causadores de acidentes, que responderão de acordo com as sanções administrativas por infração dos artigos 165 e 165-A do Código de Trânsito Brasileiro: multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por um ano, além da retenção do veículo e do documento. Destes, 19 incorreram em crime de trânsito e ainda foram conduzidos a delegacias.

Neste feriadão ocorreram 318 acidentes, que resultaram em 19 mortes no local. Além disso, 280 pessoas ficaram feridas nas ruas e estradas gaúchas. No ano passado, foram 29 mortes, considerando os óbitos que ocorrem em até 30 dias pós-acidente.

A Operação Viagem Segura

A Operação Viagem Segura, que completou seis anos de atividades no último feriado de 15 de novembro, tem como principais parceiros Polícia Rodoviária Federal (PRF), Brigada Militar (BM), Comando Rodoviário da BM (CRBM), Detran/RS e Polícia Civil. Também colaboram órgãos de trânsito municipais (EPTC em Porto Alegre), ANTT, DNIT, Cetran/RS, DAER, EGR, Famurs, além de representantes da sociedade civil organizada, como o Lions Club e o Instituto Zero Acidente.

Nas 85 edições já realizadas até o momento, mais de 5,2 milhões de veículos foram fiscalizados. O resultado foi a autuação de 914,1 mil infrações, o recolhimento de 87,3 mil veículos e 23,5 mil Carteiras Nacionais de Habilitação. Foram realizados 190,9 mil testes de etilômetro, que registraram 15,4 mil infrações por alcoolemia, além de outras 2,6 mil por recusa ao teste.

Megablitz

Na noite de sexta-feira para sábado, DetranRS, Brigada Militar, Polícia Civil e EPTC realizaram duas blitze conjuntas na Capital, buscando coibir comportamentos de risco e retirar de circulação aqueles motoristas sem condições de dirigir.  As operações foram montadas nas avenidas Assis Brasil, nas proximidades do nº 1.696, e 24 de outubro, defronte ao número 200. No total foram fiscalizados 68 veículos, somando os esforços dos agentes da Balada Segura à Operação Viagem Segura.

Os órgãos de trânsito autuaram 29 infrações diversas e realizaram 60 testes de etilômetro. Dois motoristas tiveram resultado positivo no teste e foram autuados por dirigir sob a influência de álcool. Outros oito foram autuados por recusa ao bafômetro.