6 maneiras de melhorar o processamento de sinistros em seguradoras 3366

Artigo de Ricardo Saponara, especialista em Prevenção a Fraudes do SAS Brasil

Big Data, Big Data e Big Data! Certo, mas o que Big Data tem a ver com companhias de seguro? Pense um pouco mais sobre isso. Você filtra, procura e coordena incríveis quantidades de dados: anotações de avaliadores escritas à mão, dados de apólices, cotações, informações de sistemas de gerenciamento de sinistros, entre outros. Você está utilizando todo o potencial desses dados?

Com tantas solicitações de sinistros para lidar, os analistas não têm tempo de filtrar todos esses dados para julgar cada pedido e eles podem não tomar a melhor decisão se perderem alguma informação importante. Isso significa que muitas de suas decisões são baseadas em experiências prévias, instinto e a informação limitada que está prontamente à mão.

Por esta e muitas outras razões o Big Data Analytics está se tornando cada vez mais protagonista na área de Seguros. Ao trabalhar em conjunto com os analistas, a Inteligência Analítica pode sinalizar quais sinistros precisam de uma avaliação mais detalhadas, tratamento prioritário, sindicância etc.

Seis áreas onde inteligência analítica pode fazer uma enorme diferença:

Fraude – Um em cada 10 pedidos de pagamentos de seguros é fraudulento. Como você os identifica antes de um pagamento de alto valor ser feito? A maioria das soluções de fraude no mercado hoje é baseada em regras. Infelizmente, é muito fácil para os fraudadores manipularem e burlarem as regras. Análises preventivas, por outro lado, usam uma combinação de regras, modelos, análises de textos, buscas em bases de dados e identificação de anomalias para identificar fraudes o quanto antes e mais efetivamente a cada estágio do ciclo de sinistros.

Sub-Rogação – Oportunidades para sub-rogações, geralmente, ficam perdidas na grande quantidade de dados – a maioria delas na forma de registros policiais, anotações de avaliadores e outros registros. A análise de textos busca, através desses dados não estruturados, encontrar frases que tipicamente indicam um caso de sub-rogação. E quanto mais cedo localizado, maiores as chances de recuperação e redução de perdas.

Liquidação (de pagamentos) – Para reduzir custos e assegurar equidade, as seguradoras implementam com frequência processos rápidos que liquidam os pagamentos instantaneamente. Mas liquidar um pedido de pagamento “na hora” pode custar muito se você pagar em excesso. Qualquer seguradora que tenha visto um surto de pagamentos domiciliares em uma área atingida por um desastre natural sabe como isso funciona. Analisando os sinistros e seus históricos você pode otimizar os limites para pagamentos instantâneos. O Analytics também pode reduzir o tempo do ciclo de sinistro para maior satisfação do cliente e custos menores de mão de obra. Ele também assegura economia significativa em ocorrências como, por exemplo, carros alugados em sinistros de conserto de automóveis.

Reserva de Sinistros – Assim que uma abertura de sinistro é feita, é quase impossível prever seu tamanho e duração. Entretanto, é essencial haver uma reserva precisa e previsões de sinistros, especialmente em pedidos longos, como em casos de seguros de vida. A Inteligência Analítica pode calcular mais precisamente a reserva de sinistros ao comparar os valores em casos similares. Então, quando os dados do sinistro for atualizado, o Analytics pode reavaliar a reserva de sinistro, para que você saiba exatamente quanto dinheiro você precisa ter em mãos para atender sinistros futuros.

Atividade – Faz sentido colocar avaliadores mais experientes nos pedidos de pagamento mais complexos. Mas os casos de sinistros são, geralmente, atribuídos com base em dados limitados, resultando em altas taxas de reaberturas que acabam afetando a duração do sinistro, a liquidação de quantias e, por fim, a experiência do consumidor. Técnicas de exploração de dados agrupam características de sinistros para pontuar, priorizar e atribuir casos para o avaliador mais apropriado baseado em experiência e tipo de sinistro. Em alguns casos, os sinistros podem até ser automaticamente avaliados e liquidados.

Litígio – Uma parte significativa da média de gastos de uma empresa com ajustes de sinistros vão para as ações judiciais. Seguradoras podem usar Analytics para calcular uma pontuação de probabilidade para determinar quais sinistros tem maior chance de resultar em litígio. Você pode atribuir esses sinistros para avaliadores de nível sênior que são mais capazes de liquidá-los de forma rápida e por quantias menores.

Por que fazer da Inteligência Analítica parte do seu processo de sinistros? Porque enquanto fazer um seguro torna-se mais e mais um serviço essencial, o Analytics é fundamental para as empresas se diferenciarem. Ter essa tecnologia no ciclo de sinistros pode entregar um ROI mensurável com economia de custos. Uma melhora de apenas 1% na média de perdas para uma empresa de R$ 1 bilhão pode significar mais de R$ 7 milhões no lucro.

Chubb é a seguradora do carnaval brasileiro 1899

Carnaval

Companhia assegurou eventos em diversas cidades do País

Neste ano, a Chubb foi a seguradora responsável por alguns dos principais eventos de carnaval de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e outras, considerando blocos de rua e camarotes. As apólices contratadas concederam cobertura para vários riscos tais como danos corporais e materiais ao público presente, incluindo profissionais envolvidos com a organização dos eventos. O seguro também englobou prejuízos por danos a equipamentos, instrumentos musicais, objetos cenográficos e estruturas temporárias.

“A cada ano que passa, observamos um crescente interesse pelo seguro de evento por parte de organizadores, promotores de camarotes e blocos de rua, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro”, diz Juliana Santos, responsável pela área de seguros de entretenimento da Chubb Brasil. De acordo com a executiva, os riscos mais frequentes no carnaval têm sido quedas de estruturas, atropelamentos, acidentes envolvendo carros alegóricos e danos a equipamentos, entre outros.

Com relação a outros riscos que podem ser cobertos pelo seguro, Juliana destaca o cancelamento do evento. “Esse sinistro não é raro e pode impor pesadas perdas aos promotores, uma vez que eles ficam impedidos de obter o faturamento proporcionado com a bilheteria e ainda precisam custear a divulgação, a locação do espaço e a própria realização do evento”, finaliza.

IRB Brasil RE também marca presença no torneio Rio Open 796

Maior campeonato de tênis da América do Sul começa nesta segunda-feira no Jockey Club, no Rio

Pelo terceiro ano consecutivo, o IRB Brasil RE patrocina o Rio Open, maior torneio de tênis da América do Sul, que começa nesta segunda, no Jockey Club do Rio de Janeiro. Mais que uma competição que movimenta os grandes tenistas da atualidade, o campeonato também trabalha o esporte como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social. E esse foi o aspecto decisivo para o IRB reafirmar seu patrocínio nesta edição.

Para a gerente de Comunicação e Marketing do IRB Brasil RE, Daniele Sibucs, patrocinar um evento esportivo do porte do Rio Open traz uma grande visibilidade para a companhia. “A ocasião possibilita ampliar o reconhecimento da nossa marca pelo público em geral e, sobretudo, cria oportunidade de estreitar relacionamento com os nossos clientes e parceiros de negócios, proporcionando ao público de interesse do IRB assistir de perto a uma partida com atletas de alta performance”, afirma.

Daniele acrescenta ainda que o patrocínio estimula a socialização e o desenvolvimento de crianças e adolescentes. “Esse tipo de investimento é uma forma de contribuir para o poder de transformação da sociedade”, destacou a gerente, em uma referência ao legado social deixado pelo campeonato, que é viabilizado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte e à Cultura.

O Rio Open é o primeiro ATP World Tour 500 da história do Brasil e integra o seleto grupo de 13 torneios denominados ATP 500, sendo um dos 22 mais importantes do calendário da ATP (Associação de Tenistas Profissionais). Isso o credencia o torneio como o maior evento esportivo anual do Rio de Janeiro e um dos únicos ATP 500 de saibro no mundo. Entre os atletas confirmados para participar desta edição estão os três “top 10”: Dominic Thiem, Marin Cilic e Pablo Carreño Busta. A estimativa de público nas arenas de saibro é de cerca de 50 mil pessoas até o dia 25 de fevereiro, quando acontece a final do campeonato.

Plano de emergência para atender segurados atingidos pelas chuvas no Rio 1324

Veja

Equipe da Sompo Seguros intensifica atendimento por conta de alagamentos e quedas de árvores

A Sompo Seguros criou uma estrutura especial de atendimento na cidade do Rio de Janeiro para auxiliar nas ocorrências relacionas às fortes chuvas que atingiram a cidade na madrugada do dia 15. De acordo com o Centro de Operações Rio (COR), em apenas uma hora, foram registrados mais de 123 mm de chuva na região Oeste do Rio, deixando a cidade em Estágio de Crise.

Ricardo Ramos Costa, gerente da área de Experiência do Cliente
Ricardo Ramos Costa, gerente da área de Experiência do Cliente / Divulgação

A seguradora reforçou as ações das equipes de Experiência do Cliente e Sinistros para atender à demanda de segurados que necessitarem de assistência ou tiverem seus bens danificados pelas chuvas e alagamentos. Em decorrência das precipitações climáticas foram registrados casos de alagamentos, quedas de árvores, deslizamento e desabamento de muros, interdição de ciclovias e quedas de postes.

“A exemplo do que já ocorreu em anos recentes em outras localidades, tais como Porto Alegre e Interior de São Paulo, nossa equipe conta com um plano de contingência a fim de garantir pronto atendimento e rápida solução dos sinistros a fim de minimizar os efeitos que eventos dessa natureza costumam causar nos segurados”, explicou Ricardo Ramos Costa, gerente da área de Experiência do Cliente.

Histórico

O episódio ocorrido durante a madrugada do dia 15 de fevereiro foi considerado um fenômeno atípico na cidade, causando maiores danos na região Oeste do Rio de Janeiro. Dados do Sistema Alerta Rio da Prefeitura do Rio de Janeiro indicam que essa foi a tempestade mais intensa desde 1997, na relação precipitação em uma hora.

Prevenção

As fortes chuvas ainda podem castigar o Rio de Janeiro nos próximos dias, mantendo a cidade em Estado de Alerta. Diante desse cenário, é importante seguir algumas medidas de segurança:

  • Evite pontos de alagamento já conhecidos e procure rotas alternativas caso tenha que dirigir. Caso encontre algum pelo caminho, não atravesse. Isso pode resultar em aquaplanagem ou até mesmo arrastar o veículo pela enxurrada, colocando em risco a sua segurança e a de quem estiver com você.
  • Caso tenha que parar o carro, mantenha o pé na embreagem, coloque o veículo em ponto morto e pise nos freios com cautela. Isso manterá o automóvel acelerado, evitando que a água entre pelo motor;
  • Caso o motor desligue em meio à travessia, nunca tente dar a partida. Mantenha o carro desligado e reboque o veículo até a oficina mais próxima ou de sua preferência, pois há grande possibilidade de a pane ter sido causada pelo calço hidráulica;
  • Se for preciso passar pelo trecho alagado, e já com o carro andando, é recomendado dar algumas pisadas leves no freio, para secar o sistema mais rápido e poder parar numa emergência.
  • Tenha sempre em mãos o telefone de contato de sua seguradora e do Serviço de Atendimento 24 horas. Para os clientes da Sompo no Rio de Janeiro, o telefone de contato do Serviço de Assistência 24 horas é 0800-016-2727.

Nessas situações, sobretudo, é importante manter a calma. O nervosismo irá diminuir seu foco durante a direção e pode colocar em risco a sua segurança e de quem estiver com você.

Murilo Riedel abre atividades do Sindseg-RS em 2018 1023

Entidade divulga calendário do primeiro semestre ao mercado gaúcho de seguros

O Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS) divulgou nesta segunda-feira (8) o calendário de atividades da entidade no primeiro semestre de 2018. A programação inclui almoços e workshops. O presidente da HDI Seguros, Murilo Riedel, abre mais um ano de história dos tradicionais Almoços do Mercado Segurador, realizados há mais de 70 anos.

Confira a agenda:

05/03 – 9:00 – Reunião Diretoria
15/03 – 12:00 – Almoço do Mercado Segurador com a presença do Sr. Murilo Riedel – Presidente da HDI Seguros
21/03 – 9:00 – Workshop sobre Seguro Automóveis
02/04 – 9:00 – Reunião Diretoria
19/04 – 10:00 – Workshop e 12:00 Almoço do Mercado Segurador em Pelotas/RS
07/05 – 9:00 – Reunião Diretoria
17/05 – 12:00 – Almoço do Mercado Segurador
23/05 – 9:00 – Workshop

As vantagens de terceirizar a área de sinistros de uma corretora de seguros 1176

Planos se adequam de acordo com o volume de produção

A proposta inovadora da Regula, que desde 2017 oferece atendimento a sinistros para corretoras de seguros, vem conquistando corretores de seguros de todos os portes, com planos que se adequam a cada volume de produção.

O cliente Boris ber, da Asteca Corretora de Seguros​
O cliente Boris Ber, da Asteca Corretora de Seguros​ / Divulgação

Importante cliente que acaba de fechar contrato com a empresa é a Asteca Corretora de Seguros, gerida pelo corretor de seguros Boris Ber, que possui grande produção e, consequente, alto índice de sinistros mensalmente. O profissional aderiu ao conceito de que é muito mais vantajoso direcionar os colaboradores para prospectarem novos negócios e ter uma equipe de atendimento de sinistros terceirizada. Com foco no atendimento, a Regula também contribuí diretamente para fidelizar os segurados e conquistar novos negócios para os clientes.

Veja também: Mais de 48 mil corretores de seguros participaram de treinamentos.

“Apesar de termos na Asteca uma área de sinistros com quatro funcionários, às vezes temos excesso de casos para atender, por isso optamos pela parceria com a Regula. Queremos deixar aqueles sinistros mais complicados e demorados de resolver com o atendimento terceirizado. É uma proposta inovadora que pode realmente reduzir os custos de uma corretora. No nosso caso, teríamos que colocar mais funcionários para fazer este atendimento. Vamos usar para os excessos, mas pode ser interessante para o corretor de seguros que não quiser demandar qualquer investimento ou tempo nos processos de sinistros”, afirma Boris Ber.

Veja também: Rede Lojacorr reúne corretoras que buscam a expansão através de parcerias.

Comprovando que os corretores de seguros deixam de ganhar dinheiro quando se debruçam no atendimento de sinistros, a Regula desenvolveu o Custo de Oportunidade, com uma fórmula matemática que avalia quanto se deixa de obter quando o corretor de seguros líder da empresa para de vender para atender sinistros ou mesmo quando opta por estruturar uma equipe de atendimento, e compara com o valor da terceirização. “O corretor de seguros pode direcionar seu investimento (custo) de funcionário que estava na área de sinistro para uma alguma que traga mais resultados, como vendas, cross-sell, e utilizar um plano da Regula adequado à sua produção”, sugere Boris Ber.

Daniel Bortoletto, sócio da Regula
Daniel Bortoletto, sócio da Regula / Divulgação

O sócio-diretor da Regula, Daniel Bortoletto, acredita que a terceirização dos sinistros para equipe especialista é uma forma inteligente de gerir e reduzir custos. “Administrar uma empresa é uma arte, controlar os seus números é um desafio e reduzir seus custos de forma inteligente é uma obrigação para o empreendedor”.