IESS divulga vencedores do VII Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar 713

Seminário “Qualidade e Eficiência na Saúde” contou com palestras especiais e apresentou o novo IESSdata

A coordenação do VII Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar, promovido pelo Instituto de Saúde Suplementar (IESS), divulgou nesta manhã (7) os vencedores da edição 2017. A premiação destacou os melhores trabalhos acadêmicos com foco em saúde suplementar no Brasil durante o “Seminário Qualidade e Eficiência na Saúde”, no complexo Aché Cultural, no Instituto Tomie Ohtake.

“O Prêmio busca fomentar a pesquisa nacional e é uma importante colaboração do IESS com o objetivo de garantir uma melhor compreensão e a sustentabilidade da saúde suplementar no País. As categorias de Promoção da Saúde, Economia e Direito contemplam os desafios mais latentes do setor”, comenta o superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro. “A cada edição do Prêmio IESS, é notável o avanço na profundidade dos trabalhos e no debate que geram na sociedade”, conclui.

O Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar tem como objetivo incentivar a pesquisa e valorizar estudos com qualidade técnica e que contribuem para a melhoria do setor. São premiados os dois melhores trabalhos de conclusão de cursos de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado) nas três categorias que compõem o prêmio. Os trabalhos ficam disponíveis no site do IESS.

Na categoria Promoção de Saúde e Qualidade de Vida, a grande vencedora foi Eulalia Martins Fraga com o trabalho “Atenção Primária na Saúde Suplementar: estudo de caso de uma Operadora de Saúde de Belo Horizonte”, trabalho de especialização na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). O segundo lugar ficou com Fernando de Rezende Francisco, que desenvolveu o estudo “Aplicação de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) na Tomada de Decisão em Hospitais” no Mestrado em Administração de Empresas, da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O estudo vencedor na categoria Economia foi “Assimetria de informação a partir da Regulação do Mercado de Saúde Suplementar no Brasil: Teoria e Evidências”, de Luís Carlos Moriconi de Melo, do Mestrado Profissional em Economia, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Já a segunda colocação foi conquistada por Samara Lauar Santos, do Mestrado em Demografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com o trabalho “Envelhecimento Populacional e Gastos com Saúde: Uma Análise das Transferências Intergeracionais e Intrageracionais na Saúde Suplementar Brasileira.

Na categoria Direito, apenas um estudo preencheu os requisitos que configuram medidas cabíveis aos desafios do setor. O trabalho vencedor foi “Processo decisório e motivação no âmbito das normas sobre o rol de procedimentos e eventos em saúde”: uma análise exploratória”, de Bruno Araújo Ramalho, aluno do Mestrado em Direito da Regulação, da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro.

A programação do “Seminário Qualidade e Eficiência na Saúde” também apresentou o novo IESSdata, que fornece os números mais atuais do setor de saúde suplementar e da economia brasileira e as palestras especiais “Revolucionando a saúde por meio da eficiência e qualidade”, com Maureen Lewis, CEO da Aceso Global; e “Mensuração e Melhoria da Qualidade Assistencial na Saúde” com a Doutora em Medicina Preventiva Ana Maria Malik, da Fundação Getúlio Vargas.

Cairoli: “Vivemos sob domínio do corporativismo” 334

Vice-governador do RS fala sobre dificuldades financeiras do Estado

Em recente declaração, o vice-governador do Rio Grande do Sul, José Paulo Cairoli, comentou a difícil situação financeira vivida pelo Estado. Segundo o político, “todos sabem que [o atual governo] recebeu o Estado quebrado financeiramente, ineficiente na prestação de serviços e paquidérmico na capacidade de reação”.

Cairoli elenca os mais de 40 anos de gastos além do que se arrecada como um dos principais pontos de enfrentamento da atual gestão. “Essas são realidades que não se desfazem facilmente. A folha salarial dos servidores consome 75% do que se arrecada. Mais da metade, 56%, são para inativos. 29% da receita corrente líquida é destinada para aposentadorias. Temos 1.1 aposentado ou pensionista para cada funcionário na ativa. Precisamos enxugar a máquina, é óbvio”, prosseguiu.

O vice-governador ainda comentou as dificuldades encontradas pelo governo para votação de projetos. “Quando conseguimos, a muito custo aprovar projetos de reestruturação do Estado, como a extinção de fundações ou combate a privilégios, esbarramos no corporativismo. Estamos sob domínio das corporações e dos sindicatos, vivemos no país da judicialização.

Todo esforço e energia que canalizamos para enxugar a máquina pública esbarra na decisão contrário de apenas um único juiz, casualmente, o juiz de plantão”, explicou. “Funcionários de fundações que estão sendo fechadas recebem os salários em dia, não por decisão do governador, mas por decisões judiciais isoladas que nos impõem essa condição. São vários Estados dentro de um mesmo Estado”, completou.

Há mais de 24 meses os servidores do Executivo não recebem seus salários em dia. “Os outros poderes recebem em dia e ainda se dão aumentos, benefícios e privilégios. Tenho dificuldade, como homem da iniciativa privada, compreender e principalmente aceitar essa anomalia que é o Estado Brasileiro. Não tenho receio de dizer, o Rio Grande do Sul está nesta situação por culpa da nossa sociedade. Devemos participar mais, enfrentar o corporativismo para termos um Estado mais enxuto. Estamos tentando transformar o nosso Estado”, finalizou.

Bradesco Seguros participa de encontro especial no litoral gaúcho 622

Momento aconteceu na noite desta quinta, nas instalações do JRS na Praia de Rainha do Mar, em Xangri-lá (RS)

Carlos Rodrigo Dias da Silva, novo superintendente da Sucursal Porto Alegre da Bradesco Seguros, participou de um momento ímpar de integração total. O momento aconteceu na noite desta quinta-feira (14), nas instalações do JRS na praia de Rainha do Mar, Xangri-lá (RS), e serviu para reunir lideranças do mercado, executivos da companhia de seguros e corretores de seguros.

“É uma honra estar ao lado dos corretores que representam o litoral norte. Que em 2018 tenhamos a oportunidade de galgar altos voos”, comentou o executivo.

SAIBA MAIS: João Batista Piazza traça novos caminhos no mercado segurador

“Onde vou todos falam sobre a diferença que o Piazza fez para a Bradesco Seguros. Ele continua ligado à companhia em uma nova etapa, agora com foco na assessoria de seguros”, disse em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério.

“Atualmente trabalho mais na gestão de assessoria e agora encerro meu ciclo. Independente da idade, a pessoa precisa de um propósito na vida. Começo agora um novo ciclo empreendedor”, disse João Batista Piazza ao ser aplaudido pelos convidados presentes.

“É uma grande satisfação receber o novo superintendente da Bradesco Seguros. Daremos todo apoio que for preciso, afinal, seguro é só com corretor de seguros. O profissional da área que está disponível em todos o momentos”, conta Alexandre Gonçalves, delegado do Sindicato dos Corretores (Sincor-RS) no Litoral Gaúcho.

Confira todas as imagens – Encontro da Bradesco Seguros no QG JRS Litoral:

João Batista Piazza traça novos caminhos no mercado segurador 689

Executivo conta com 34 anos de experiência no ramo de seguros

As instalações do JRS no Litoral Gaúcho receberam os amigos e parceiros da Bradesco Seguros, nesta quinta-feira (14), na Praia de Rainha do Mar, em Xangri-lá (RS). Na oportunidade, o executivo João Batista Piazza, gerente comercial da Bradesco Seguros na capital gaúcha, anunciou novidades em sua carreira: deixa a Bradesco Seguros para atuar na MegaSet Assessoria, onde trabalhará ao lado do filho, Leonardo Piazza.

“São 34 anos desde a União Cia de Seguros Gerais e Bradesco Seguros. Sempre fui muito valorizado e tenho uma excelente abertura com meus gerentes, superintendentes e parceiros do mercado. Neste novo desafio vou continuar trabalhando com a Bradesco Seguros, em parceria com a MegaSet Assessoria, que conta com o executivo Ricardo Ramos. Temos um forte desafio e confiamos no potencial dos corretores e no bom relacionamento que a Bradesco Seguros possui para que possamos fazer um excelente trabalho”, comentou em entrevista a Jota Carvalho, editor-chefe do JRS.

“Atualmente trabalho mais na gestão de assessoria e agora encerro meu ciclo. Independente da idade, a pessoa precisa de um propósito na vida. Começo agora um novo ciclo empreendedor”, disse ao ser aplaudido pelos convidados presentes.

Aplicativos enviarão “lembretes” sobre o Trenó Iluminado da Bradesco Seguros 299

São, ao todo, 58 apps parceiros

Quem passar pela Avenida Paulista nos dias que antecedem o Natal vai receber, no celular, um convite para participar da ação Trenó Iluminado do Grupo Bradesco Seguros. Os “lembretes” (imagens em anexo) poderão ser enviados por um dos 58 aplicativos parceiros da iniciativa, que contam com o sistema de geolocalização. Por meio deles, os usuários serão informados sobre o evento natalino que começa neste fim de semana na CicloFaixa de Lazer de São Paulo – iniciativa idealizada pela Prefeitura de São Paulo e patrocinada, desde sua inauguração, em 2009, pela marca Bradesco Seguros.

Na ação, o Papai Noel irá passear pela Avenida Paulista em um Trenó Iluminado, puxado por bicicletas, entre as praças do Ciclista e Oswaldo Cruz. Neste sábado (16), a partir das 17h, o Trenó ficará exposto na Praça do Ciclista para que o público possa tirar fotos com o Papai Noel. Já no domingo, o horário vai das 10h às 16h. Neste mesmo dia, haverá empréstimos de bicicletas para que os ciclistas possam seguir o trenó, além de distribuição de gorros de Natal.

CicloFaixa de Lazer de São Paulo – Especial de Natal: Trenó Iluminado

Data: 16, 17, 23 e 24 de dezembro de 2017;
Local: trecho da Avenida Paulista ao Parque do Ibirapuera, com exposição do Trenó Iluminado na Praça do Ciclista;
Horário: dias 16 e 23 (sábados), o Trenó ficará exposto para fotos com o Papai Noel das 17h às 22h. Já o passeio pela Avenida Paulista será realizado das 22h às 2h de domingo (17 e 24), saindo a cada 30 minutos. Nos domingos (17 e 24), o passeio acontecerá das 10h às 16h – nesses dias, o Bom Velhinho ficará em exposição para fotos nos intervalos entre as saídas do Trenó.

Uso de blockchain no setor de finanças e seguros 304

Startup brasileira quer acelerar o uso em diversos setores da economia com o apoio de parceiros

A Smartchains, consultoria brasileira especialista em blockchain permissionada, anuncia parceria com a ProjecTI, focada em serviços de TI para o mercado de Meios de Pagamento e Seguros. Juntas, as empresas planejam fomentar o uso de blockchain especialmente entre Bancos e Seguradoras, a fim de tornar o setor ainda mais seguro e transparente.

“A Smartchains passa a ser um braço de inovação da ProjecTI. Temos investido em novas tecnologias e precisávamos de um parceiro que nos ajudasse a compreender a blockchain e como ela pode ser aplicada nas operações de nossos clientes e prospects”, aponta Vinicius Lopes, Presidente e Fundador da ProjecTI. “Essa parceria nos coloca à frente com relação à essa tecnologia em meios de pagamento e esperamos ter excelentes resultados a médio e longo prazo”.

Para Fulvio Xavier, co-fundador da Smartchains, essa aliança é estratégica por permitir que a startup se insira no setor de pagamentos de forma rápida e assertiva. “Ao juntarmos a expertise da ProjecTI aos nossos conhecimentos, somos capazes de disseminar, cada vez mais, os inúmeros usos das redes privadas de blockchain no mercado de Pagamentos para tornar as operações das empresas mais seguras, confiáveis e transparentes”, explica.

Busca por novos parceiros

A Smartchains busca novas alianças com empresas de tecnologia voltadas para o desenvolvimento de soluções e projetos especializados em um ou mais setores. O objetivo da startup é, com o apoio dos parceiros, expandir o uso da blockchain nos mais variados mercados.

“Essa tecnologia permite às organizações rastrear e acompanhar ativos e dados com precisão, sem desconfianças ou abertura para golpes – e isso se aplica a qualquer indústria”, diz Fúlvio. “A ideia, então, é unir nossa experiência nessa tecnologia ao conhecimento especializado desses parceiros e desenvolver plataformas aderentes a diversas áreas da economia­­”.