Quatro passos para alcançar metas empresariais sustentáveis em 2018 12216

Confira artigo de Antonio Carlos Hencsey, líder de prática de Ética & Compliance da Protiviti

Um novo ano bate à porta e junto com ele são divulgadas as tão esperadas metas. Você já parou para pensar no impacto que esses números e expectativas organizacionais podem trazer para a gestão ética da sua empresa?

Se isso ainda não tinha passado pela sua cabeça, sugiro que você faça algumas reflexões para que a sua organização consiga os resultados esperados sem, porém, aumentar a probabilidade de ações ilícitas decorrentes de planejamento corporativo audacioso.

  • Comunique as metas de forma adequada

A maneira como as expectativas e objetivos da empresa para o próximo ano são apresentados fazem toda a diferença. Entusiasmo e desafio são fatores positivos para estimular as equipes a conseguirem superar os seus limites, porém é fundamental falar sobre o como se deseja alcançar esses números. Discursos ao estilo “missão dada é missão cumprida” devem obrigatoriamente ser acompanhados de diretrizes éticas claras, caso contrário as pessoas podem se preparar para o vale tudo da guerra sem prestar atenção nas melhores práticas do mercado.

  • Use dados de realidade para estipular as metas

O que você espera dos seus colaboradores é algo real ou é fruto de um pensamento ganancioso? Existe uma grande diferença entre vencer obstáculos e buscar o impossível. Por mais que em um processo de automotivação seja válido pensar que o impossível não existe, na prática ele é bastante real e desconsiderar questões sociais, econômicas ou operacionais ao traçar metas agressivas pode colocar em risco o posicionamento ético de profissionais. Ao desejar entregar o que é esperado, um colaborador pode manipular números ou usar atalhos para “alcançar o inalcançável”.

  • Ensine como se chega lá

Trabalhando com ética e compliance escutei muitos executivos de vendas reclamando da prática de gratificações ter sido proibida por boa parte das empresas. Eles dizem que isso impacta diretamente em suas vendas e que, por outro lado, as companhias para as quais trabalham estão cada vez mais agressivas desconsiderando esse fator. Tal ponto merece a atenção das organizações com os seguintes questionamentos: você ensina ao seu colaborador como obter seus resultados diante de cenários adversos? Qual é o suporte oferecido diante de novas realidades ou dificuldades? Cobrar sem dar as condições de obter o resultado pode aumentar o risco de fraude organizacional.

  • Observe o caminho e não só a reta final

Uma vez dadas as metas, acompanhe o trabalho da sua equipe. Verifique dificuldades, oriente os passos de acordo com o posicionamento ético esperado, ajude na identificação de saídas criativas. Os números devem ser o fim, mas de forma alguma o meio deve ser ignorado. Caso contrário, corre-se o risco de cairmos em uma armadilha, olhando exclusivamente para uma moldura financeira sem saber como os resultados foram construídos. Lembre-se das provas de matemática que você fazia na escola. Não é só a resposta final que importa, precisa-se observar toda a lógica do cálculo. Fique atento.

Pós oferece formação completa para gestores comerciais 755

Aulas terão início a partir de 16 de março e serão ministradas em oito cidades

O gestor comercial desempenha um importante papel na cadeia de valor de uma empresa seguradora ou corretora. É este profissional que avalia necessidades de mercado, prospecta clientes, oferece produtos e soluções, acompanha os movimentos e tendências do consumidor, e fornece atendimento de manutenção e relacionamento.

Até pouco tempo atrás, havia uma lacuna na capacitação desses profissionais, que foi preenchida pela Escola Nacional de Seguros em 2017, com o lançamento da pós-graduação em nível de extensão Gestão Comercial do Seguro.

Com uma visão holística da gestão comercial, o curso aborda o planejamento, o controle e a gestão do ambiente, os recursos envolvidos no processo de comercialização, e técnicas utilizadas em negociações.

O conteúdo é dividido em nove disciplinas presenciais, dentre elas Ambiente de Negócios de Seguros, Cenários Econômicos, Planejamento Estratégico de Vendas, Negociações Complexas em Seguros, Gestão do Relacionamento com o Cliente e Marketing de Serviços.

As aulas terão início a partir de 16 de março e serão ministradas em oito cidades: Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Parcelável em até sete vezes, o investimento é de R$ 5.000,00 em todas as localidades, com exceção de São Paulo, que tem o valor de R$ 5.500,00.

As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site da Escola Nacional de Seguros, onde mais informações encontram-se disponíveis.

Curso para formação de corretores terá material didático 100% digitalizado 766

Estão abertas as inscrições para o Curso para Habilitação de Corretores de Capitalização, em 68 localidades

Acompanhando as tendências tecnológicas e sempre buscando formas de facilitar a rotina dos alunos, a Escola Nacional de Seguros está lançando novidades para o Curso para Habilitação de Corretores em 2018.

Uma delas é que todo o material didático passará a ser disponibilizado em ambiente digital, podendo ser acessado em plataformas variadas, como notebooks, celulares, tablets, entre outras. A mudança garantirá aos alunos mais flexibilidade e conveniência aos estudos, que poderão ser realizados em qualquer horário e local, de forma prática e ágil.

“Por meio de avaliações e pesquisas entre alunos e professores, procuramos entender as necessidades dos estudantes e adaptamos o curso de forma a torná-lo mais funcional, num esforço contínuo. Acreditamos que essas inovações irão contribuir para que os alunos absorvam o conteúdo de forma ainda mais eficiente”, afirma a diretora de Ensino Técnico da Escola, Maria Helena Monteiro.

Inscrições abertas

No momento, estão abertas as inscrições para o Curso para Habilitação de Corretores de Capitalização, em 68 localidades de todo o País. As aulas terão início a partir de fevereiro.

A Escola é a única Instituição credenciada a ministrar o Curso para Habilitação de Corretores de Seguros. Os aprovados recebem certificado e podem solicitar registro profissional junto à Superintendência de Seguros Privados (Susep).

O Curso de Capitalização é o primeiro do programa completo, que tem outros dois: Vida e Previdência, e Demais Ramos. Os requisitos para participar são ensino médio e maioridade.

Inscrições e mais informações, como investimento e conteúdo programático, estão disponíveis neste hotsite.

Enxugamento de subsídio ao seguro rural muda estratégia do setor 745

Mudança impulsiona oferta de outras linhas

As seguradoras que oferecem cobertura a agricultores têm alterado suas estratégias para compensar a redução de subsídios do governo. O valor originalmente destinado subvenção ao prêmio do seguro rural em 2018 caiu de R$ 550 milhões para R$ 395 milhões.

Essa mudança leva a uma maior oferta de linhas que não dependem do orçamento federal, como a que segura as receitas do agricultor, diz Wady Cury, presidente da comissão do segmento na FenSeg (Federação Nacional de Seguros).

“Para quem planta café, milho e soja, principalmente, o ideal que seguremos mais o faturamento do que o risco climático. algo que dever ganhar fora em 2018”, diz Fernando Barbosa, presidente da área no Grupo Segurador BB e Mapfre.

Cerca de 25% dos prêmios emitidos pelo grupo no ramo agrícola são desse tipo.

“Como nunca há certeza do orçamento do programa de subvenção, fizemos um modelo de negócio que anda sozinho”, afirma Barbosa. “A maior preocupação a Selic (taxa básica de juros). Estamos estudando como a queda afeta a contratação”, completa.

A redução dos juros pode levar a uma alta de preços para compensar a perda de receita das seguradoras, já que parte significativa de seus ganhos financeiros são atrelados a títulos públicos.

A Swiss Re Corporate Solutions diz no acreditar em um corte drástico dos subsídios, mas afirma que também tem trabalhado modalidades que independem do governo.

Portarias da Susep aprovam mudanças em capitais sociais 677

Além de aportes ou reduções, autarquia aprova também eleições para escolha de novos administradores

Diversas portarias publicadas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) nesta terça-feira aprovam alterações no capital social de seguradoras, ratificam reformas nos estatutos sociais ou nomes de novos administradores.

A Itaú Seguros de Auto e Residência recebeu autorização para reduzir seu capital social em R$ 124.673.361,96, aos R$ 420.000.000,00, dividido em 391.874.389 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal; além de aprovar reforma em seu artigo 5º do estatuto social.

Já a microsseguradora ALM Seguradora S.A. obteve autorização para elevar seu capital social em R$ 613.417,81, para R$ 4.755.417,81, dividido em 136.567.944 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal; além de receber sinal verde para alterar seu estatuto social.

Outra que elevou seu capital social foi a Suhai Seguradora S.A- aportando R$ 1.700.000,00- para R$ 21.126.198,00, dividido em 21.572.279 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal; e também aprovou mudança no artigo 5º do estatuto social.

Na PQ Seguros S.A., com sede em Salvador – BA, a Susep aprovou a eleição de administradores, conforme deliberado na reunião do Conselho de Administração da seguradora, realizada em 25 de setembro de 2017.

A autarquia aprovou também a eleição de administrador na Tokio Marine Seguradora S.A., CNPJ n. 33.164.021/0001-00, com sede na cidade de São Paulo – SP, conforme deliberado na reunião do conselho de administração realizada em 08 de dezembro de 2017. Também ratificou a eleição de administrador de Sompo Seguros

Na Companhia de Seguros Aliança da Bahia, a portaria da Susep aprova a eleição de fiscais da companhia. Na Generali Brasil Seguros, a seguradora recebeu sinal verde para elevar seu capital social em R$ 50.000.000,02, aumentando-o para R$ 1.306.177.730,11, representado por 2.633.006 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal; no mesmo documento, a autarquia aprovou reforma e consolidação do estatuto social.

Affinity visa capacitar 500 novos corretores no Rio em 2018 669

Treinamentos gratuitos começam na Região Serrana

Erick Lorga é gestor de Corretoras da Affinity

Em um mercado de trabalho cada vez mais concorrido, estar capacitado é fundamental. E em tempos de crise econômica, nada melhor do que se qualificar de forma gratuita. O ano de 2018 começou a todo vapor na Affinity. Até o final de 2018 a empresa quer capacitar cerca de 500 novos corretores de seguro no Estado do Rio de Janeiro, além de promover uma “reciclagem” aos profissionais já cadastrados. O primeiro treinamento gratuito já tem data marcada e acontece na cidade de Nova Friburgo, na Região Serrana, na próxima quarta-feira, dia 17 de janeiro.

Erick Lorga, gestor de Corretoras da Affinity, será o responsável por ministrar a palestra: Seguro Viagem, um Produto Transitório de Carteira. “Queremos que os corretores entendam que seus clientes ainda não sabem que eles comercializam o seguro viagem e, por isso, acabam buscando os canais tradicionais como agências de viagens físicas e online”, explica Lorga.

O objetivo é atingir corretores da própria Nova Friburgo e de cidades vizinhas como Teresópolis, Cordeiro, Cantagalo, Macuco, São Sebastião do Alto, Trajano de Moraes, Santa Maria Madalena, Itaocara, Duas Barras, Carmo, Sumidouro e Bom Jardim. No dia 31/01 o treinamento da Affinity chega a Volta Redonda e no dia 28/02 acontece em Petrópolis.

A Affinity ultrapassou a marca de meio milhão (500.000) de bilhetes comercializados ao longo de 2017. Hoje são mais de 4 mil parceiros comerciais, entre corretores de seguros e agências de viagem. Os viajantes Affinity contam com o mais moderno atendimento 24h no mundo, uma rede com profissionais trilíngues para que em casos de imprevistos possam ser atendidos com rapidez e agilidade.

Serviço:

Local: Sala de Convenções do Hotel Habitare
Endereço: Rua Augusto Cardoso, 71 – Centro – Nova Friburgo (RJ)
Data: 17/01
Horário: 9h30min
Inscrições pelo WhatsApp (21) 99825-5128 – Com Elisandra