Safra 2017/2018 nas regiões Centro-Sul 2293

Mais de 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de dezembro de 2017

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas e destilarias do Centro-Sul atingiu 2,56 milhões de toneladas na segunda quinzena de dezembro de 2017. No acumulado, desde o início da safra até 1º de janeiro de 2018, a moagem totalizou 583,39 milhões de toneladas, permanecendo abaixo do resultado apurado até a mesma data no ciclo 2016/2017 (592,05 milhões de toneladas).

Para o diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “a safra 2017/2018 está praticamente encerrada na região Centro-Sul, pois apenas 4 unidades produtoras continuam em funcionamento após 1º de janeiro”. A quantidade de cana-de-açúcar que será processada em março, por sua vez, dependerá das condições climáticas a serem observadas nesse período de entressafra, destacou Rodrigues.

Qualidade da matéria-prima

No acumulado desde o começo do ciclo 2017/2018 até 1º de janeiro, a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 137,32 kg, incremento de 2,59% quando comparado ao mesmo período da safra anterior.

“Essa melhora na qualidade da matéria-prima compensou a redução de moagem registrada até o final de dezembro, evitando uma queda na quantidade de produtos obtidos a partir do processamento da cana na safra atual”, acrescentou Rodrigues.

Na última metade de dezembro, o teor de ATR alcançou expressivos 145,74 kg por tonelada de matéria-prima. Mas esse elevado valor do “ATR produto” deve ser analisado com muita cautela, pois é superior ao real índice verificado no laboratório das unidades produtoras..

O cálculo utilizado para obter o “ATR produto” se dá a partir do volume de cana-de-açúcar processada e das produções de etanol e de açúcar, tomando certas premissas relativas às perdas industriais e às eficiências de fermentação e de destilação. Diante desta metodologia de cálculo e considerando que quase 100% das unidades já finalizaram esta safra até 1º de janeiro, houve um descompasso entre a moagem registrada e o respectivo montante de produtos fabricados. Especificamente, a quantidade de cana-de-açúcar que estava em processamento não obteve sua respectiva contrapartida em produtos (etanol e açúcar), elevando, de maneira irreal, a qualidade da matéria-prima obtida por meio dessa sistemática de cálculo.

Produção de açúcar e etanol

Da quantidade total de cana-de-açúcar processada na segunda quinzena de dezembro, 68,75% destinaram-se à produção de etanol, ante 64,72% em igual intervalo de 2016. No acumulado desde o início da safra 2017/2018, este percentual alcançou 53,07%.

Com mais caldo direcionado ao renovável, sua fabricação totalizou 189,39 milhões de litros (183,24 milhões de litros de etanol hidratado e 6,15 milhões de litros de etanol anidro) nos 15 dias finais de dezembro de 2017. Esse resultado corresponde a um incremento de 12,33% sobre a mesma quinzena do ano anterior.

No caso do açúcar, foram 110,93 mil toneladas produzidas. Já no acumulado desde o início da safra 2017/2018 até 1º de janeiro de 2018, a quantidade fabricada somou 35,82 milhões de toneladas.

Em relação ao etanol, a produção acumulada atingiu 25,22 bilhões de litros, sendo 14,57 bilhões de litros de etanol hidratado e 10,66 bilhões de litros de etanol anidro.

Rodrigues explica que “a produção de etanol contabilizada pela UNICA inclui aquele fabricado a partir do milho”. A Entidade registrou 36,67 milhões de litros de etanol de milho produzidos na segunda quinzena de dezembro. No acumulado do ciclo atual, o volume fabricado alcançou 319,11 milhões de litros, muito acima dos 140,49 milhões de litros verificados em igual período de 2016.

Vendas de etanol

O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul, acumulado entre 1º de abril a 31 de dezembro de 2017, totalizou 19,99 bilhões de litros. Este resultado é 1,91% inferior aos 20,38 bilhões de litros observados no mesmo período de 2016.

Essa queda reflete, sobretudo, a redução de 6,89% das vendas domésticas de etanol anidro, que somaram 7,17 bilhões de litros no último ano. É oportuno mencionar que este montante não incorpora as importações totais do aditivo à região, mas apenas cerca de 30 milhões de litros importados e registrados via SAPCANA (Sistema de Acompanhamento de Produção Canavieira) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Em contrapartida, o volume acumulado comercializado de etanol hidratado no mercado interno aumentou ligeiramente: 0,22%. Atingiu 11,56 bilhões de litros, contra 11,54 bilhões de litros entre abril e dezembro de 2016.

Segundo o diretor Técnico da UNICA, “esse crescimento reduzido não retrata adequadamente a recuperação das vendas a partir de agosto de 2017”.

De fato, desde o início da safra 2017/2018 até 16 de agosto, as vendas quinzenais de etanol hidratado apresentavam recuo médio de 15% em relação ao volume registrado em 2016. A partir da segunda metade daquele mês até 31 de dezembro essa tendência se inverteu, e as vendas passaram a registrar aumento de 20%.

Com efeito, em dezembro o volume de etanol hidratado comercializado no mercado interno alcançou 1,43 bilhão de litros, expressiva alta de 26,83% comparativamente a 2016. Destas vendas, 677,34 milhões de litros ocorreram na segunda metade do mês.

Para Rodrigues, “esse volume indica um mercado aquecido, pois a entrega física de etanol pelas usinas do Centro-Sul em dezembro foi prejudicada pelo início da safra na região Nordeste e pelo provável efeito da importação de anidro, que pode ter estimulado a produção e as vendas de hidratado pelos produtores daquela região”. Além da retração nas transferências de etanol do Centro-Sul decorrente desse movimento, houve redução nos estoques dos distribuidores em dezembro, diminuindo a necessidade de compra de hidratado das usinas – tradicionalmente esses agentes buscam reduzir os volumes armazenados para fins de fechamento contábil no final do ano, acrescentou o executivo.

Em relação ao açúcar, a quantidade comercializada pelas usinas da região Centro-Sul no mercado interno cresceu 1,39% no comparativo de abril a dezembro de 2017 sobre o mesmo período de 2016. Por sua vez, a quantia destinada à exportação aumento 0,96%.

Rede Lojacorr inaugura 46ª Unidade, em Sergipe 537

Maior rede de corretoras de seguros do Brasil segue processo de expansão

A Rede Lojacorr, maior Rede de Corretoras de Seguros independentes do Brasil, segue em processo de expansão por todo o país e inaugurou na última quinta-feira (11/01), na capital de Sergipe, Aracaju, sua 46ª Unidade.

Para celebrar a nova Unidade Rede Lojacorr Sergipe, foi oferecido um café da manhã no hotel Aquarios, com a presença de aproximadamente 50 pessoas, entre corretores e representantes das companhias seguradoras locais, e diretores da empresa. “A expectativa de desenvolvimento da Unidade Sergipe é ótima”, afirma Mayara Barreto, concessionária responsável pela Unidade. “O evento rendeu muitos contatos de corretores interessados em realizar o cadastro conosco, e já iniciamos os agendamentos para reuniões com eles. Temos, de imediato, dois inscritos, já produzindo, e mais oito agendados interessados em ingressar”.

O diretor Comercial da Rede Lojacorr, Geniomar Pereira, declara a satisfação com a chegada a Sergipe. “Há dois anos estávamos planejando ingressar no Nordeste e agora inauguramos a Unidade Sergipe, que já é a nossa quinta na região. Essas conquistas são motivo de muito orgulho e dão a noção de onde queremos chegar – a Rede Lojacorr pretende, no curto prazo, atender corretores de seguros de todos os pontos do Nordeste. Iremos inaugurar ainda no primeiro semestre de 2018 as Unidades Maceió, Fortaleza e Recife, e nosso objetivo é chegar até o início de 2019 com uma Unidade em cada estado nordestino. Estamos dando passos firmes para abranger todo o Nordeste e todo o Brasil”, demonstra.

Multiplus oferece 15 pontos por real gasto na contratação de seguro viagem Assist Card 484

Promoção é válida até 25 de janeiro

Os participantes Multiplus que estão com viagem marcada para o mês de janeiro poderão acumular ainda mais pontos na contratação do seguro viagem. Até o dia 25 deste mês, será possível acumular 15 pontos por real gasto na contratação de uma apólice da Assist Card, por meio da Multiplus Corretora de Seguros. Membros do novo Clube Multiplus terão até 30% de pontos extras, conforme o plano contratado, e assim acumularão ainda mais pontos.

A promoção é válida para os seguros emitidos por meio da plataforma da Multiplus, com vigência inicial ainda no mês de janeiro e com voo saindo do Brasil. Os pontos serão creditados na conta do participante em até 30 dias após a data do pagamento.

Os planos da Assist Card incluem assistência médica, rastreamento de bagagem, reembolso em caso de cancelamento ou atraso de voos, emergências odontológicas, cobertura para práticas de esportes radicais e acompanhamento de menores de idade.

Países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen, por exemplo, exigem que o viajante tenha um seguro viagem. Com a promoção, além de garantir uma viagem tranquila, o participante incrementará a sua poupança de pontos e poderá utilizá-los em novas viagens para mais de mil destinos operados pela LATAM e companhias aéreas parceiras pela oneworld.

Casa de Saúde São José inaugura nova emergência 446

Hospital passa a oferecer atendimento em novas especialidades a partir deste mês

A Casa de Saúde São José, tradicional hospital do Rio de Janeiro, vai inaugurar uma nova Emergência 24 horas, em janeiro. O setor passou por remodelação e modernização e teve sua área triplicada, o que permitiu a ampliação das especialidades oferecidas. Com a nova estrutura, haverá atendimento médico em Cardiologia, Clínica Médica, Ortopedia e Obstetrícia, além de especialidades de apoio nas áreas de Neurologia, Neurocirurgia, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Urologia e Cirurgia Cardíaca. Foram investidos R$ 10 milhões nessa iniciativa.

“Esperamos um aumento de 200% nos atendimentos para os próximos dois anos, chegando a 6 mil por mês. Para isso, contaremos com uma equipe altamente qualificada, com mais de 100 profissionais especialmente treinados para este tipo de atendimento. Fizemos contratações para diversas posições, como enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos. Nossa equipe praticamente dobrou para atender às novas demandas”, aponta o diretor executivo da Casa de Saúde São José, Nélisson do Espírito Santo.

Coordenador clínico da Casa de Saúde São José, o cardiologista José Kezen explica que o projeto foi baseado em quatro pilares. “Teremos os seguintes pontos focais: atendimento voltado para a necessidade individual, classificação de risco e admissão simultâneas, pacientes graves com encaminhamento direto ao leito e casos menos graves com assistência mais ágil”, explica José Kezen.

A remodelação incluiu também uma obra no pátio, o que vai garantir o melhor acesso de ambulâncias à unidade. De acordo com Kezen, algumas iniciativas já foram implementadas para garantir mais agilidade ao atendimento. Desde agosto, os pacientes são recebidos na recepção por um enfermeiro, o que confere à etapa de classificação de risco mais técnica e acolhimento.

“Além disso, os colaboradores foram treinados para usar uma ferramenta de gerenciamento de fluxo de trabalho. A meta é reduzir o tempo de atendimento do paciente, da recepção à alta hospitalar”, aponta o médico.

SulAmérica traz ao Brasil o aplicativo Sharecare 451

Programa Saúde Ativa é reforçado em 2018 com tecnologia inédita para gestão de saúde e bem-estar

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, apresenta mais uma novidade do programa Saúde Ativa para apoiar a gestão de saúde e bem-estar dos beneficiários: o aplicativo Sharecare. Inédita no Brasil, a ferramenta de e-health contribui para que o usuário adote um estilo de vida mais equilibrado, agregando tecnologias inovadoras para monitorar condições de saúde e engajá-lo em atividades de autocuidado.

“Trazer um aplicativo tão inovador e completo quanto o Sharecare para o mercado nacional é mais uma iniciativa da SulAmérica que reforça o compromisso da companhia com a excelência e a inovação na gestão de saúde populacional. Este é um trabalho que temos desenvolvido desde 2002, por meio do Saúde Ativa, e que é intensificado com a chegada da ferramenta, oferecendo ao segurado uma experiência personalizada, eficaz e divertida para cuidar da saúde”, afirma o vice-presidente de Saúde e Odonto da SulAmérica, Maurício Lopes.

A plataforma possui um sistema de inteligência que permite ao usuário descobrir se a sua idade cronológica corresponde à idade real do seu corpo, aplicação que tangibiliza, de forma lúdica, o resultado do monitoramento de saúde. Essa estimativa é calculada a partir de informações captadas por interações diárias via app, além da integração com wearables, dispositivos eletrônicos e bancos de dados. Criada pelos especialistas Dr. Mehmet Oz e Dr. Mike Roizen, nos Estados Unidos, a metodologia já foi testada por mais de 40 milhões de pessoas em todo o mundo.

Dessa forma, o segurado pode acessar, com privacidade e segurança, num único aplicativo, todo o seu perfil de saúde, incluindo medidas antropométricas, pressão arterial, doenças preexistentes, resultados de exames e hábitos de alimentação, sono e exercícios. É possível, ainda, monitorar o estresse a partir do tom e da intensidade de voz utilizados em ligações telefônicas ou através de comando manual, de acordo com o sistema operacional do smartphone. Com a atualização constante desses dados, os algoritmos aprendem cada vez mais sobre o indivíduo e sobre o que ele precisa para uma vida mais feliz e equilibrada.

A plataforma trabalha, então, para apoiá-lo na adoção de um estilo de vida saudável, identificando pontos de melhoria e recomendando mudanças simples que possam fazer a diferença ao longo do tempo. Diariamente, o usuário recebe conteúdos de especialistas e recomendações personalizadas, além de lembretes para atividades. Quando oito ou mais metas diárias são atingidas, conquista-se um Green Day (Dia Saudável).

O aplicativo Sharecare está disponível para download gratuito na Google Play Store (Android) e na Apple Store (iOS). Para acesso a conteúdos exclusivos da SulAmérica, os segurados devem baixa-lo diretamente pelo app SulAmérica Saúde.

Clube dos Corretores do RJ: Perspectivas para 2018 448

Presidente do CCS-RJ faz balanço de 2017 e projeta 2018

A perspectiva de retomada do crescimento da economia é um dos fatores que, de acordo com o presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Jayme Torres, podem melhorar o desempenho do mercado de seguros. Apesar de ver 2018 com bons olhos, ele observa que também será um ano em que será preciso estar atento. “Com as eleições, grandes eventos e os feriados prolongados, estatisticamente, roubos podem ser mais frequentes do que em outros anos”, avalia.

Além disso, Torres acha importante, para os seguradores, dispensar atenção extra às novidades tecnológicas e como elas podem facilitar o trabalho dos corretores. “O uso de novas ferramentas pode ser um estímulo para o aprimoramento da carreira dos corretores, é preciso despertar essa necessidade para aqueles que ainda não aderiram à era digital”, afirma.

O presidente do CCS-RJ chama a atenção também para as primeiras responsabilidades do ano dos corretores de seguros. “O corretor que possuir uma empresa enquadrada no Simples Nacional tem que estar atento para o recadastramento das Corretoras PJ pela Susep”, relembra. O prazo para recadastramento na Superintendência de Seguros Privados (Susep) vai de 1º de março até 30 de agosto de 2018.

Um balanço de 2017

Para o presidente do CCS-RJ, 2017 foi um ano de conquistas no combate à proteção veicular. Ele destaca a presença do Clube nas audiências públicas sobre o tema e a crescente atenção que tem sido dada pela imprensa ao assunto. “Ganhamos mais voz no combate a essa prática com matérias veiculadas no jornal O Globo, no Bom dia Brasil, na Rede Bandeirantes, na Globo News e no ‘Mais você’. Em todas elas participamos com informações e entrevistas”, afirma.

Um dos objetivos da diretoria para este ano é intensificar essa atuação. “Continuaremos nosso trabalho na divulgação, denúncia e combate à forma ilegal como essas associações atuam, buscando conscientizar as pessoas que pensam estar protegidas ao contratarem uma proteção veicular quando, na verdade, estão ainda mais vulneráveis”, garante.

Torres destaca outras ações do CCS-RJ no ano que passou, como a viabilização da participação dos corretores do Rio no Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros. “Nossa aproximação e trabalho em conjunto com as principais entidades do mercado, como o Sindseg-RJ, o CVG-RJ, o Sincor-RJ, a Escola Nacional de Seguros e a​ Fenacor também foram muito importantes em 2017”. Ele acredita ainda que a presença dos executivos das principais seguradoras nos encontros do Clube foram extremamente produtivas para a instituição. E anuncia: “a programação para 2018 será divulgada em breve”.