Inadimplência do consumidor abre o ano com alta de 2,10% 838

É o maior crescimento desde junho de 2016

A inadimplência do consumidor aumentou 2,10% em janeiro de 2018 ante o mesmo mês do ano passado. Esse foi o maior crescimento desde junho de 2016, quando a elevação foi de 2,78%. Na comparação mensal com dezembro de 2017 o aumento foi de 0,96%, o maior desde maio de 2017. Segundo os dados do Indicador de Inadimplência do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), divulgados hoje (9), são mais de 60,7 milhões de consumidores brasileiros inscritos em cadastros de inadimplentes, número que representa aproximadamente 40% da população adulta do país.

O presidente da CNDL, José Cesar da Costa, disse que para os primeiros meses a expectativa é a de um processo lento de recuo no volume de atrasos nos pagamentos, caso as projeções de inflação controlada, juros baixos e melhora dos indicadores se confirmem. “Ainda assim, o que mais favorecerá um ciclo de queda da inadimplência será uma recuperação mais acentuada do mercado de trabalho e a volta de ganhos na renda real do consumidor, que ainda não se recuperou das quedas dos últimos anos”, disse.

Região

A pesquisa da CNDL aponta que o maior número de consumidores negativados está o Sudeste. São 25,7 milhões de pessoas, o que representa 39% da população adulta da região. Em seguida aparece o Nordeste, com 16,5 milhões de negativados (41% da população da região); o Sul, com 8,2 milhões de inadimplentes (37% da população adulta); o Norte, com 5,4 milhões de devedores (45% do total da população residente, a maior entre as cinco regiões); e o Centro-Oeste, com um total de 4,9 milhões de inadimplentes, ou 42% da sua população.

Quando analisada a faixa etária, o que os dados revelam é que 50% da população entre 30 anos e 39 anos iniciou o ano com o nome em alguma lista de devedores. São 17,3 milhões de consumidores nessa situação. Entre aqueles que têm entre 40 anos e 49 anos, 13,4 milhões, ou 48%, têm alguma dívida não paga, o que pode ser explicado pelo fato de que nessa fase da vida muitos já têm família e filhos. “Por isso assumem mais compromissos financeiros. Em um momento de crise, pode ser difícil equilibrar o orçamento se não houver controle e disciplina”, explicou a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Entre os consumidores com idade entre 18 anos e 24 anos a proporção de inadimplentes cai para 20%, ou seja, 4,8 milhões. Já a população idosa, considerando-se a faixa etária entre 65 anos e 84 anos, a proporção é de 31%, o que representa cinco milhões de pessoas com o CPF inscritos em cadastros de inadimplentes. Nas outras faixas etárias são 7,8 milhões de inadimplentes entre 25 anos e 29 anos; 12,2 milhões entre os que têm 50 anos e 64 anos e aproximadamente 232 mil idosos acima dos 85 anos que estão com o CPF restritos.

Dívidas atrasadas

O SPC Brasil e a CNDL apuraram ainda que houve variação negativa de 1,94% em janeiro de 2018 ante o mesmo período do ano passado no volume de dívidas atrasadas. Já na comparação mensal, com dezembro de 2017 houve alta de 0,87%. Os atrasos com empresas concessionárias de serviços de água e luz foi o que mostrou a maior queda de dívidas em janeiro na comparação anual, de 7,12%. Os atrasos no comércio tiveram queda de 6,97%.

Os atrasos com as dívidas bancárias (cartão de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros) aumentaram 1,69% no período. No caso do setor de comunicação (telefonia, internet e TV por assinatura) apresentaram a alta mais elevada, com 9,01% a mais de atrasos na comparação com janeiro do ano passado.

“A quantidade de dívidas em atraso desacelera de forma mais intensa do que o número de devedores negativados. Isso quer dizer que o consumidor inadimplente tem iniciado o pagamento de dívidas em atraso aos poucos. Como consumidor inadimplente tem em médias, duas dívidas em atraso, ainda que ele quite uma, seu CPF continua restrito por causa da outra dívida”, explicou Kawauti.

De acordo com o indicador, cinco em cada dez dívidas pendentes (51%) de pessoas físicas no país têm como credor algum banco ou instituição financeira. A segunda maior representatividade fica por conta do comércio, que concentra 18% do total de dívidas não pagas, seguido pelo setor de comunicação (14%). Os débitos com as empresas concessionárias de serviços básicos como água e luz representam 8% das dívidas não pagas no Brasil.

CVG/RS organiza Feijoada de Integração do Mercado no Dia Continental do Seguro 975

Feijoada CVG/RS 2017

Segunda edição da iniciativa acontece no dia 19 de maio, no Grêmio Náutico Gaúcho

O Dia Continental do Seguro foi criado para ressaltar a importância social e econômica do ramo, além de promover confraternização entre os profissionais de seguros das Américas. A data, comemorada no dia 14 de maio, ganha comemoração especial em Porto Alegre (RS). O Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) organiza pelo segundo ano consecutivo a Feijoada de Integração do Mercado, no Grêmio Náutico Gaúcho.

Feijoada de Integração do Mercado
Feijoada de Integração do Mercado / Divulgação

Os convites individuais podem ser adquiridos por R$ 65. Sócios possuem desconto, e participam pelo valor de R$ 50. Os valores não incluem bebidas e o estacionamento.

Em 2017 foram mais de 250 participantes em um sábado tomado pela emoção e troca de experiências entre grandes amigos do mercado segurador. “Este evento agora já faz parte do nosso setor”, destacou Eder Oliveira, presidente do CVG/RS.

Libertadores de futsal: ACBF avança para as quartas de final com apoio de seguradora 910

ACBF Divulgação

Rio Grande Seguros e Previdência incentiva o esporte e consolida marca na memória dos gaúchos

As vantagens da prática esportiva são inúmeras. Em um país como o Brasil, onde são registradas mais de 60 mil mortes por ano, o esporte é grande aliado para inibir os jovens do mundo do crime. A saúde é outro ponto importante, estima-se que 50% da população brasileira esteja acima do peso, o que desencadeia em uma série de malefícios para o corpo e para o desenvolvimento cerebral.

Diante desses dados, a Rio Grande Seguros e Previdência é patrocinadora oficial da ACBF, de Carlos Barbosa, na Libertadores de Futsal. A equipe é anfitriã do torneio e a iniciativa consolida a seguradora como uma das grandes marcas na memória dos gaúchos.

A equipe da Serra avançou na segunda-feira (23) para as quartas de final da competição, quando venceu o Colo-Colo por 4 a 0. São, ao todo, seis pontos em dois jogos. A ACBF derrotou o Boca Juniors na estreia de 5 a 3.

A ACBF segue adiante na Copa Libertadores de futsal. Anfitriã do torneio, a equipe de Carlos Barbosa venceu o Colo-Colo por 4 a 0, nesta segunda-feira (23), no principal jogo da segunda rodada da competição, e está classificada para as quartas de final. Na terça, foi a vez de garantir 100% de aproveitamento nesta primeira fase contra o C.R.E, da Bolívia, por 2 a 0.

Próximos jogos da Libertadores de Futsal / Divulgação
Próximos jogos da Libertadores de Futsal / Divulgação

A competição vai até o dia 29 de abril, quando acontece a disputa pelo 3º lugar, a partir das 11h, e a grande final, a partir das 13h.

Seguro Prestamista: tranquilidade evita a inadimplência 2093

Cobertura de parcelas a vencer evita inadimplência em caso de desemprego involuntário, invalidez ou morte

Consumidor consciente se preocupa em manter seus débitos em dia, mesmo em situações difíceis: para isso, contrata um Seguro Prestamista, que garante a quitação de sua dívida ou o pagamento de um determinado número de parcelas, dependendo do contrato, em caso de desemprego involuntário, perda de renda do autônomo, invalidez ou morte.

A contratação do Seguro Prestamista é tão importante hoje que, de janeiro a novembro de 2017, cresceu 24,3%, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep). “Esse tipo de seguro é oferecido ao consumidor por lojas que vendem a crédito, bancos e financeiras, para a proteção das empresas que tem valores a receber e a tranquilidade dos segurados, ” afirma Rubens Nogueira, Diretor de Seguros Massificados, da BR Insurance.

O Seguro Prestamista pode garantir a quitação dos valores em aberto a vencer até o limite da dívida, que é o mais corriqueiro, mas também pode garantir um valor acima da dívida contraída, para as situações em que ocorrer um dos riscos previstos na apólice. Nesse caso, a dívida será quitada e o saldo remanescente será pago ao beneficiário que o segurado tiver indicado na hora da contratação.

O consumidor pode, por exemplo, contratar um Seguro Prestamista quando tomar um empréstimo num banco, para cobrir o cheque especial ou fatura do cartão de crédito, ou, ainda, quando obtiver um financiamento para aquisição de um imóvel, veículo ou eletrodoméstico. O preço a pagar mensalmente pela contratação deste seguro costuma ser barato, então observe em sua próxima compra se o produto está disponível para adesão.

O futuro do seguro de automóveis 8105

Um dos principais nichos do mercado foi tema de workshop no Sindseg-RS

Antecipar-se às transformações é fundamental para a sobrevivência do seguro de automóveis. O assunto foi tema de workshop organizado pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS), promovido na manhã desta quarta-feira (21), e contou com público recorde – no auditório da Escola Nacional de Seguros – em Porto Alegre (RS).

“Nosso setor é um dos mais regulados. São normas necessárias, que preservam, legitimam e previnem problemas para o mercado segurador”, disse Guacir de Llano Bueno, presidente do sindicato gaúcho.

A formação do preço do seguro de automóveis também foi abordada pelos palestrantes Giovani Menger e Edson de Oliveira, da HDI Seguros, e Sérgio Machado, executivo principal da BL Car. “Os números das companhias são muito parecidos”, comentou Menger ao comparar as variáveis existentes na precificação de apólices na capital e no interior do RS. A diferença chegou a 52%, na simulação apresentada pelo gerente da HDI Seguros na filial da capital gaúcha.

“O cliente até pode adquirir um seguro via aplicativo, mas provavelmente procurará um corretor de seguros no caso de um sinistro”, completou ao abordar a complexidade existente na distribuição do seguro pela internet. As redes, segundo Giovane Menger, são ambientes propícios para aplicação de fraudes – o que encarece a precificação e prejudica o setor como um todo.

Tendências como o car sharing e veículos autônomos devem enfrentar obstáculos para dominarem as rodovias do Brasil, na visão dos painelistas. “O País ainda enfrenta grandes problemas estruturais e de modalidade”, completou Machado.

Confira todas as imagens – Workshop do Sindseg/RS

Clique para ampliar

Alberto Júnior palestra e orienta 130 corretores no ES 6488

Chairman do Grupo Life Brasil participou da 1ª Jornada Capixaba do Seguro de Vida

Em torno de 130 corretores de seguros capixabas compareceram nesta quinta-feira (15) na 1ª Jornada Capixaba do Seguro de Vida, sob o comando do corretor de seguros Alberto Júnior. Pela manhã, o Chairman do Grupo Life Brasil e CEO do Life Brasil Franchising destacou o sucesso da holding em seus 20 anos de vendas exclusiva no seguro de vida e falou sobre a expansão da marca por intermédio da rede de franquias e do empreendedorsa.com.br, sempre visando alcançar destaque para a marca levando oportunidade e conhecimento.

O evento também realizou oficinas de seguro de vida. Foram 13 mesas com nove corretores e um segurador para que todos tivessem a oportunidade de ter contato com todos os corretores. Alberto Júnior orientou na parte de conexão entre o corretor, as vendas e o produto das seguradoras.

Para encerrar o dia, os participantes colocaram suas dúvidas, questionamentos e sugestões diretamente para uma mesa formada por seguradores. “Considerando as oportunidades no Espírito Santo, há um público de corretores bem interessante, que mostra que só não consegue obter resultados se não tiver atividade”, afirmou Alberto. “Estou bem animado com a possibilidade de conseguir bons parceiros franqueados e quem sabe ter a nossa operação também aqui neste estado. Acreditamos muito nessa área e provamos mais uma vez que o caminho e as oportunidades são realmente verdadeiras”, acrescentou.

Realizado pelo Sindicato dos Corretores de Seguros do Espírito Santo (Sincor-ES) e pelo Clube Vida em Grupo (CVG-ES), a Jornada foi acompanhada de perto pelos respectivos presidentes José Romulo da Silva e Antônio Santa Catarina. Além disso, mais de 100 exemplares do livro A Lógica, de autoria de Alberto Júnior, foram vendidos na oportunidade.

*Imagens de Bruno Carvalho/Grupo Life Brasil.

Queremos conhecer ainda mais nosso público, participe da pesquisa de opinião! (Leva menos de 2 minutos)Participar
+