América Latina está atrasada para Transição Global de Energia 4627

Relatório revela que o mundo parou de avançar em direção à sustentabilidade ambiental e os preços de energia tiveram aumento real em mais da metade dos países pesquisados

O World Economic Forum divulga hoje um novo relatório, Promoção de uma Transição Energética Efetiva, onde apresenta sua Índice de Transição 2018 e avalia a atual condição dos sistemas de energia de 114 países, além de sua preparação estrutural para atender às necessidades energéticas no futuro.

O relatório criou um ranking destes países de acordo com o desempenho de seus atuais sistemas energéticos, medindo três dimensões – segurança energética e acesso à energia, a sustentabilidade ambiental do sistema e o potencial para crescimento e desenvolvimento econômico sustentável – e avalia a presença de condições que poderiam viabilizar a transição para uma economia de baixo carbono.

“Dentro desta análise dos fatos, conseguimos construir uma visão do desempenho atual de cada sistema nacional de energia e uma perspectiva do que ainda precisa ser feito para garantir seu sucesso no futuro”, disse Roberto Bocca, Chefe de Setores Básicos e de Energia, do World Economic Forum.

O principal resultado desta edição do Índice revela que o mundo parou de avançar em direção à sustentabilidade ambiental. O relatório mostra praticamente nenhuma redução da intensidade do uso de carbono: foram registrados uma melhoria de apenas 1,8% por ano durante nos últimos cinco anos, comparado com a meta de 3% exigida pelos objetivos para o clima no Acordo de Paris. Falando sobre acessibilidade, desde 2013 os preços da energia doméstica tiveram aumento real em mais da metade dos países, apesar de uma queda generalizada dos preços dos combustíveis.

Um dado positivo, de acordo com as últimas tendências globais, mais de 80% dos países registraram um aprimoramento de seus sistemas energéticos nos últimos cinco anos. No entanto, o relatório concluiu que precisamos de uma nova estratégia para ajudar mais de um bilhão de pessoas que ainda não tenham acesso a eletricidade.

O Índice de Transição Energética (ITE) de 2018

De acordo com os resultados, os países da Escandinávia e Europa Ocidental lideram o ranking geral, com a Suécia, a Noruega e a Suíça assumindo os três primeiros lugares. O Reino Unido (7) e a França (9) são as únicas economias do G7 entre os 10 primeiros do ranking.

Outras grandes economias possuem performance mistas. A Alemanha (16) enfrenta preços altos e emissões crescente, embora apresente um alto nível de preparo (11), atribuído às instituições e os regulamentos fortes do país. Os Estados Unidos (25) receberam uma pontuação baixa em relação a sustentabilidade ambiental, embora mantenha uma estrutura institucional forte e um mercado de capitais vibrante, que elevou seu nível de preparo (22).

A Colômbia (32), o Brasil (38) e a Rússia (70) possuem sistemas energéticos robustos devido à fartura de seus recursos naturais, mas apresentam um baixo nível de preparo como resultado da falta de capital humano e os desafios apresentados por suas instituições e estruturas regulatórias.

Entre os países da América Latina, Uruguai (13), Costa Rica (20), Chile (24) e México (28) registraram o melhor desempenho. Embora a região esteja em linha com a média global, considerando a contribuição do sistema energético para o crescimento econômico, segurança e acessibilidade, e pontuar acima da média em sustentabilidade ambiental, muitos países estão atrasados para iniciar o processo de transição. As principais áreas que precisam de melhoria são a inovação, o capital humano, a segurança de investimentos e as estruturas institucionais efetivas.

O relatório identifica os países como a República da Coréia (49), Jordão (65) e Quênia (71), que demonstram níveis de preparo acima da média, apesar das classificações mais baixas no seu desempenho atual, sugerindo o potencial de atingir um “ponto de inflexão” e rapidamente desenvolver sistemas energéticos mais avançados. Nesses países, o aumento do investimento em energias renováveis e eficiência energética nos últimos tempos, por exemplo, levou a uma expansão significativa no acesso à energia.

A China (76) também tem o potencial de avançar rapidamente com sua decisão recente de apoiar o desenvolvimento de veículos elétricos e o seu compromisso político de enfrentar seus desafios ambientais, que inclui medidas para criar um mercado de carbono. Seu desempenho ficou reduzido devido à pontuação baixa em sustentabilidade ambiental.

A Índia (78) melhorou seu desempenho com medidas para garantir maior acesso a eletricidade e reduzir subsídios para o setor de energia. A Índia tomou várias medidas corajosas, especialmente na implementação de energias renováveis e eficiência energética, e foi ranqueado como o “País Emergente” que está rapidamente se aproximando do ponto de inflexão.

O relatório Promoção de uma Transição Energética Efetiva foi produzido com apoio analítico da McKinsey & Company, e apresenta várias medidas para uma transição energética efetiva, ilustrando experiências bem sucedidas e estruturas comprovadas que podem servir de exemplo para outros países. Planos estratégicos de longo prazo com princípios, metas e marcos claramente definidos – e a criação dos habilitadores identificados dentro desta estrutura – são essenciais para acelerar a transição energética.

“A disrupção no sistema energético está se aproximando de um ponto de inflexão e os decisores políticos, os empresários e a sociedade devem se preparar para se beneficiar das oportunidades que as transições de energia vão oferecer. Estratégias energéticas previsíveis e flexíveis serão uma peça chave para garantir uma transição efetiva dos países, agregan valor para as empresas e a sociedade”, disse Thomas Seitz, Associado Sênior da McKinsey & Company.

“Precisamos acelerar a transição para um sistema de uso e a produção da energia mais sustentável, e precisamos reduzir emissões dos gases de efeito estufa, aumentar o acesso a energia e melhorar a qualidade do ar. Para fazer isso, devemos aproveitar uma série de tecnologias do setor de energia e aumentar a cooperação entre governos, o setor e a sociedade civil”, disse Fatih Birol, Diretor Executivo, da Agência Internacional de Energia e Presidente Conjunto do Conselho de Coordenação, da Iniciativa para Moldar o Futuro do Sistema Energético, do World Economic Forum.

GBOEX apresenta o novo Portal do Associado: prático e inovador 3152

Espaço foi pensado para manter desempenho em computadores e smartphones

O GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas – está sempre inovando seus produtos e serviços, para garantir o melhor atendimento aos seus clientes. Recentemente apresentou o novo Portal do Associado: além do design moderno e clean, está mais fácil localizar informações de interesse, atualizar dados cadastrais, consultar benefícios e vantagens.

O Portal foi planejado pensando na melhor experiência para os seus usuários, mantendo excelente desempenho tanto em acessos pelo desktop ou notebook, quanto em dispositivos móveis, como celular e tablet.

Outra novidade é que esse espaço agora contempla recursos de acessibilidade, como a possibilidade de aumento das fontes. “Buscamos sempre aprimorar as formas de comunicação com os nossos associados. O Portal está mais intuitivo, facilitando e atendendo as necessidades de todos os perfis de usuários”, explica a Assessora de Marketing e Comunicação do GBOEX, Ana Maria Pinto. Além de todas essas vantagens, a segurança das informações disponibilizadas são garantidas pelo certificado digital.

O GBOEX completa 105 anos em maio de 2018, e sua missão é garantir aos seus associados a segurança que a sua família merece.

GBOEX – Tradição, solidez e segurança, valores que fazem a diferença na vida de muitas pessoas.

Generali lança perfil no Spotify 2947

Ideia é posicionar marca e demonstrar visão positiva do mercado de seguros

A Generali Brasil Seguros, subsidiária brasileira da Generali e uma das principais seguradoras do mundo, lançou no dia 21, quarta-feira, seu perfil no aplicativo de música Spotify. Com as playlists “Meu Caminho Generali”, “Meu Tempo Generali”, “Meu Foco Generali” e “Generali do Brasil”, com duração média de 1h, a Companhia inova suas opções de comunicação com o público, de uma forma atrativa e divertida.

A Generali utilizará o perfil no aplicativo para ampliar a visibilidade da marca e permitir interações positivas no ambiente digital. Também irá transmitir o posicionamento da marca e demonstrar a visão positiva do mercado de seguros.

“Essa parceria com o Spotify mostra que a Generali enxerga a necessidade de apostar em novas formas de integrar a vida real e digital das pessoas a fim não só de protegê-las, mas também de participar ativamente do dia a dia de cada uma. Nosso intuito é ampliar nossos canais para milhões de pessoas mostrando por que a Generali é uma das maiores seguradoras mundiais”, afirma Michele Cherubini, Head de Marketing e Comunicação Externa.

Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor? 8658

Wagner Torres

Wagner Torres abriu as atividades do CVG/RS em 2018

Um grupo seleto de corretores e operadores do mercado de seguros acompanhou a abertura das atividades do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) em 2018. O momento aconteceu no Clube do Comércio, localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na manhã desta terça-feira.

“Um novo corretor de seguros para o mercado de vida? Ou um novo mercado para este corretor?”. Foi com este questionamento que o gerente executivo da diretoria geral de Vida da Mapfre Seguros, Wagner Torres, deu início a apresentação onde correlacionou diversos fatores chave para o crescimento da participação dos seguros no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Na visão do especialista a solução não é a venda casada, e sim, a conscientização da importância do seguro de vida na manutenção das famílias.

Torres ainda apresentou alguns dados que evidenciam o panorama geral do seguro no Brasil, e, principalmente, quem é o corretor de seguros da atualidade. Segundo o executivo, 65% das receitas das corretoras são oriundas de negócios com Pessoas Físicas. O faturamento de até R$ 20 mil é registrado em mais de 60% dos casos.

Ainda na sequência de dados sobre os corretores, Wagner Torres evidenciou que a grande maioria das operações de corretoras são familiares, 66% funcionam com até 5 pessoas trabalhando – 5 também é o número médio de seguradoras que 78% dos profissionais da corretagem trabalham.

Palestra com Wagner Torres no CVG/RS – Todas as imagens

Corretores da Grande Porto Alegre prestigiam novidades da Mapfre 12913

Nomes importantes do mercado da região participaram de almoço no Restaurante Casa do Marquês

Nesta quarta-feira, 7, os corretores de seguros da Grande Porto Alegre prestigiaram ação da Mapfre Seguros, com foco nos produtos de Vida. Na oportunidade, o diretor territorial Sandro Pinto de Moraes e a executiva Katiane Frigulha elencaram pontos em que a companhia inovou nas apólices do ramo. O encontro faz parte dos planos de aproximação da companhia com os profissionais do Rio Grande do Sul, conforme JRS mostrou em recente reportagem.

“Realmente precisamos estar juntos aos corretores e demonstrar as oportunidades de negócio que estes produtos disponibilizam aos profissionais. Além da rentabilidade, fica evidenciado o cunho social que este tipo de apólice tem na vida de todos”, contou Moraes ao lembrar da baixa adesão do brasileiro aos planos de seguro de vida.

Durante a fala dos executivos, ficou evidenciada a importância do corretor profissional de seguros centralizar a carteira, de modo que a gestão de riscos do segurado passe por este profissional.

No mês de março as mulheres são foco da companhia, que destaca diversas vantagens do Mapfre Vida Mulher. O produto é específico para o público feminino e conta com cobertura de diversos itens específicos, como em casos de câncer do colo do útero, mama, entre outros.

Encontro da Mapfre Seguros em Porto Alegre – Todas as imagens:

RS forma novos corretores de seguros 11089

60 alunos comemoraram conclusão do curso de habilitação da Escola Nacional de Seguros

A noite desta quinta-feira (22) foi mais do que especial para os 60 alunos do curso de habilitação em corretagem de seguros da Escola Nacional de Seguros. A cerimônia de formatura contou com o apoio de Liberty Seguros, representada pela gerente Marina Mello; Icatu Seguros, representada pelo executivo Raul Lopardo; e Bradesco Seguros, representada pelo superintendente rede Lourenço Lorini.

Os três alunos com maiores notas das três turmas de formandos

“Resolvi vir para a corretagem após acompanhar a expertise do meu pai, que está há 30 anos no mercado. Atuamos em diversos ramos como empresariais, condomínio, automóvel”, contou o formando Felipe Dalpiaz, da Criseg Corretora.

“Foi muito tempo de estudo, premiado agora com a Formatura. A área do seguro é apaixonante e o mercado é muito amplo, possui espaço para todos. Especialização e investimento em cursos, muitos oferecidos pelas companhias seguradoras, é fundamental”, disse a formanda Aline Gomes, da Diretiva Corretora.

A corretora Aline Gomes em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério

Diversos integrantes do Clube de Seguros de Vida em Seguros do Rio Grande do Sul (CVG-RS), os presidentes do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS), Guacir de Llano Bueno, e do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), Ricardo Pansera e demais autoridades do setor na região marcaram presença na cerimônia, realizada no auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS).

“Oportunidades inúmeras lhes aguardam. Desejo que alcancem pleno êxito na carreira de corretores de seguros”, desejou Guacir Bueno, presidente do SindSeg-RS. Bueno destacou o êxito da Escola Nacional de Seguros, que formou mais de 4.300 novos profissionais em 2017.

Jane Manssur é coordenadora da Escola Nacional de Seguros no Rio Grande do Sul

Este trabalho no Rio Grande do Sul é coordenado por Jane Manssur. “Amizades, negócios e parcerias foram feitas. Na vida é preciso agradecer sempre, ainda mais àqueles que foram fundamentais para nossa chegada até aqui”, afirmou Jane no discurso realizado ao público presente.

Marina Mello, gerente da Liberty Seguros no Rio Grande do Sul

Os seguradores também deram o recado. “Buscamos sempre qualidade, entrega e procuramos oferecer tranquilidade aos corretores na operação conosco, é com muito orgulho que parabenizo vocês”, explicou a gerente Marina Mello, da Liberty Seguros.

Lourenço Lorini, superintendente rede Bradesco Seguros

“Nada melhor que preparação. Trabalho de especialista ninguém irá substituir. Com esta qualificação vocês passam a ser fundamentais para outras pessoas, empresas. Nosso mercado é muito promissor e é muito bom ver que existem novas pessoas acreditando e ingressando nele”, estimou o superintendente rede da Bradesco Seguros, Lourenço Lorini.

Raul Lopardo, executivo da Icatu Seguros

“Busquem sempre o caminho da especialização e do conhecimento. Nunca esqueçam o papel social do seguro, desempenhem esta atividade com paixão, pois estarão ajudando não apenas seus clientes, como a sociedade como um todo. Contem sempre com a Icatu Seguros para este objetivo”, disse o executivo Raul Lopardo.

Ricardo Pansera, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul

O Sincor-RS também marcou presença. O presidente Ricardo Pansera deu as boas vindas aos novos corretores. “Estes profissionais, tenho plena convicção, muito acrescentarão ao mercado segurador. Parabéns por escolherem esta atividade nobre. Nossa profissão protege pessoas, garante patrimônios e garante conquistas. Além da responsabilidade social, ressalto a nossa responsabilidade ética”, concluiu Pansera.

Confira todas as imagens – Formatura dos Corretores de Seguros do RS:

Queremos conhecer ainda mais nosso público, participe da pesquisa de opinião! (Leva menos de 2 minutos)Participar
+