ANS: reajuste nos planos de saúde do brasileiro deve ocorrer em junho 757

Reajuste

Índice de correção de contratos individuais e familiares sai neste mês

Os planos de saúde estão pesando cada vez mais no orçamento das famílias. Os consumidores com convênios empresariais ou coletivos, cujas mensalidades não são controladas pelo governo, sofrem com reajustes muito acima dos índices de inflação, o que torna difícil a manutenção do benefício. A situação também não é fácil para as pessoas que aderiram a planos individuais ou familiares, já que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deverá divulgar neste mês um novo reajuste dos valores.

De acordo com dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o custo médio dos planos aumentou 4,32% neste ano, muito mais do que a variação geral dos produtos, de 0,92%. Em 12 meses, a discrepância é ainda maior: 13,51% para os convênios contra 2,76% da média geral de todos os produtos.

Fábio Bentes, economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio (CNC), ressaltou que, depois da gasolina, os planos de saúde são os itens que mais têm pressionado os índices de preços. “É um produto que tem peso grande, de 4%, no IPCA, e que é inelástico, ou seja, as famílias têm dificuldade de cortá-lo do orçamento”, disse.

O advogado Rodrigo Araújo, especialista na área, disse que a inflação médica tem crescido muito devido ao encarecimento de equipamentos e remédios. Além disso, as operadoras abusam dos reajustes, refletindo falhas no acompanhamento da ANS, segundo ele. “Não são incomuns correções de 25% ou 30%”, afirmou. “No meu escritório, recebi um pedido para abrir ação contra uma operadora que aumentou as mensalidades em 84%”, disse.

Mesmo nos planos individuais, explicou Araújo, a ANS leva em conta os valores cobrados nos seguros coletivos e empresariais, o que permite que o mercado “faça seu preço”. A servidora pública Vânia Resende, 38 anos, está apreensiva. “Tenho muito medo de não dar conta de pagar”, admitiu.

A ANS informou que o reajuste dos planos individuais e familiares está em análise no Ministério da Fazenda e deve sair ainda neste mês. A agência frisa que reajustes de planos de saúde e índices gerais de preços são coisas diferentes. “O reajuste divulgado pela ANS é um índice de valor que agrega variação de preços e de quantidades, não é, portanto, um índice de preços. Ele é composto pela variação da frequência de utilização de serviços, da incorporação de novas tecnologias e pela variação dos custos de saúde”, completou.

Amigo do mercado de seguros precisa de doadores de sangue 1642

Coração

Coleta acontece no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre (RS)

O marido da querida colega do mercado gaúcho de seguros, Yara Bolina, precisa urgentemente de doadores de sangue. O paciente é Paulo Renato Machado e os doadores devem comparecer no Hospital Mãe de Deus.

A central de coleta fica na Avenida José de Alencar, 286 – 3º andar. As doações podem ser realizadas entre 8h e 18h30min de segunda a sexta-feira. Aos sábados o horário é das 8h ás 12h.

Zurich comemora sucesso de ação com parceiros de negócios 575

Vou com Zurich

Campanha levou profissionais a viagens exclusivas para Zurique, Lisboa e Punta Cana

Mais de 200 parceiros de negócios da Zurich participaram, neste primeiro semestre de 2018, de experiências únicas por meio da campanha Vou com a Zurich. A ação integra o programa de relacionamento e incentivo da seguradora e premia corretores e parceiros estratégicos com viagens para diferentes destinos todos os anos, proporcionando momentos memoráveis.

A encantadora Zurique, a ensolarada Lisboa e a paradisíaca Punta Cana foram os destinos visitados. O grande diferencial das viagens foram os roteiros totalmente personalizados pela companhia para oferecer experiências exclusivas aos viajantes, como a neve no Monte Titlis e um Tour pelo Museu da FIFA, na Suíça; a cidade de Évora e a vinícola Herdade do Esporão, em Portugal; e a cinematográfica Ilha Samoa, na República Dominicana.

Para Edson Franco, CEO da Zurich, a ação foi um sucesso e reforça o compromisso da companhia em valorizar e reconhecer o trabalho dos seus parceiros de negócio. “Tivemos um feedback muito positivo da ação, o que nos deixa extremamente satisfeitos em poder oferecer esses momentos para profissionais que colaboram para que a Zurich continue a ser uma das maiores seguradoras globais”, afirma o executivo.

A próxima campanha Vou com a Zurich pretende premiar corretores e parceiros com viagens para Marrakesh e Aruba, em 2019.

Lloyd’s prevê França campeã e queda do Brasil nas quartas de final 2136

Bandeira da França

Seleção Brasileira tem valor segurado estimado em US$ 1,5 bilhão

JRS ligado na Copa do Mundo!
JRS ligado na Copa do Mundo!

Referência mundial em seguros e resseguros, o Lloyd’s divulgou uma pesquisa realizada em conjunto com o Centro de Pesquisa Econômica e Empresarial (CEBR) para ranquear cada país participante na Copa do Mundo da FIFA em relação ao valor segurado total dos 23 jogadores. O elenco brasileiro soma US$ 1,5 bilhão – atrás apenas de França (US$ 2 bilhões) e Inglaterra (US$ 1,6 bilhão). Estes números estão alinhados com o ranking da FIFA, no qual o país é o segundo – atrás apenas da Alemanha, atual campeã.

O Brasil é o favorito para dominar o Grupo E, que conta com um valor segurado total bem abaixo da seleção de Tite. A Costa Rica conta com US$ 94 milhões, a Sérvia com US$ 460 milhões e a Suíça com US$ 500 milhões. Para comparação, o valor segurado médio de um jogador brasileiro é maior do que a somatória de todo o elenco panamenho.

Se estes valores se refletirem no campo, o Lloyd’s prevê que o Brasil avança até às quartas de final, perdendo para a Inglaterra, uma seleção mais jovem, e, portanto, mais valiosa. Análise similar foi realizada pelo Lloyd’s e o CEBR antes da Copa do Mundo de 2014, a qual acertou a previsão de que a Alemanha seria vitoriosa.

Esta pesquisa oferece perspectivas nos valores segurados por posição e idade dos jogadores. Por exemplo, atacantes são os jogadores mais valiosos na edição deste ano, com uma média de US$ 27 milhões, enquanto os meio-campistas contam com a maior porcentagem do valor segurado (38%). Jogadores entre 18 e 24 anos tem a maior média de valor segurado, com US$ 28,1 milhões.

O CEBR usou salários e receitas de patrocínios dos jogadores, juntamente com uma coleção de indicadores adicionais para construir um modelo econômico que estima a renda dos jogadores até a aposentadoria. Estas projeções formaram a base para avaliar os valores segurados por idade, posição e nacionalidade.

A análise permitiu ao Lloyd’s prever as seleções que irão se classificar em cada grupo. Na segunda fase, o Lloyd’s traçou o caminho de cada seleção com base nos valores segurados. A equipe com maior valor segurado total é a escolhida pelo Lloyd’s como vencedora de cada confronto.

A pesquisa foi realizada com o apoio do Sporting Intelligence, que providenciou os dados salariais de cada uma das 32 seleções participantes da Copa do Mundo de 2018, baseados nas listas de 30 jogadores enviadas por cada federação.

Para Marco Castro, Country Manager do Lloyd’s no Brasil, “a pesquisa Lloyd’s Dream Team é um grande exemplo de como a indústria de seguros usa uma variedade de técnicas de modelagem para prever resultados”. “Estamos muito satisfeitos em ver que a seleção brasileira está em boa companhia entre os favoritos quando se trata de valor segurado. Tenho certeza que o Brasil será um dos fortes desafiantes”, completa.

Joaquim Mendanha apresenta ações e próximos passos da Susep 3589

Joaquim Mendanha é superintendente da Susep

Superintendente da autarquia palestra no Almoço do Mercado Segurador, em Porto Alegre (RS)

Joaquim Mendanha, superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), palestra no próximo Almoço do Mercado Segurador. O evento, realizado há mais de 70 anos no Rio Grande do Sul, acontece no dia 28 de junho, no Clube do Comércio de Porto Alegre.

Apresentado pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg/RS) e pelo Sindicato dos Corretores (Sincor/RS), o painel apresenta um resumo das últimas ações e os próximos passos a serem dados pela autarquia que regula o mercado brasileiro de seguros.

Mapfre apresenta nova executiva de seguros pessoais 1950

Vanessa Chies ocupa o posto na Territorial Rio Grande do Sul da Companhia

A Mapfre segue com grande foco no seguro de pessoas. Vanessa Chies demonstra entusiasmo e expectativa ao alcançar a gerência de seguros pessoais na Territorial Rio Grande do Sul da companhia.

“Ainda existe muito espaço para o seguro de vida. No exterior ele é mais difundido, mas aqui no Brasil ainda temos muito o que buscar”, destaca a executiva.

O corretor de seguros é a peça fundamental do negócio, na visão de Vanessa. “O profissional devidamente treinado e habilitado para prestar a devida consultoria que o cliente espera e deve receber”, completa.