Chatbot ganha espaço no mercado de seguros 313

Como a tecnologia pode beneficiar as empresas na automatização dos processos de atendimento ao cliente e parceiros

Em constante expansão e amadurecimento, o mercado de seguros movimenta 6,5% do PIB do país, segundo pesquisa do Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg). No ano passado, o crescimento do setor foi de 7% se comparado com o mesmo período de 2016. Com a economia dando sinais de recuperação, a expectativa é que a indústria de seguros volte ao patamar de crescimento em dois dígitos.

Com perspectivas promissoras, o momento é para investimento em ferramentas que ajudem a ganhar destaque e diferenciais competitivos, como o aperfeiçoamento do atendimento ao cliente. O que se tem como certo é que os clientes estão cada vez mais exigentes e cada vez menos disponíveis a esperar muito tempo para a resolução de problemas ou dúvidas.

A consultoria Gartner (2016) estima que cerca de 85% dos centros de atendimento ao cliente serão virtuais até 2020. Já a Grand View Research, empresa de pesquisas de mercado, calcula que o mercado global de chatbots será de US$ 1,23 bilhão em 2025. Essa tendência se deve não só pela migração dos negócios para o ambiente digital, como também pela série de transtornos que o atendimento ao cliente feito por humanos ainda gera.

E os motivos para isso são muitos. As equipes humanas das centrais de atendimento possuem limitação para dar informações sobre os problemas e atender as necessidades dos clientes. Algumas ainda não contam com sistemas e canais integrados eficientemente para otimizar o atendimento, o que obriga o consumidor a entrar em contato várias vezes e repetir as solicitações ou reclamações para diferentes atendentes e/ou departamentos.

Uma das soluções para esses e outros problemas está na automatização e inteligência artificial (AI), que vem transformando a forma como as empresas se relacionam com seus clientes e consumidores. Companhias de diversos segmentos já estão se beneficiando do avanço desses sistemas que são capazes de cruzar bases de dados, informações, prever comportamentos e simular conversas com humanos para automatizar algumas tarefas e prestar um conjunto de serviços.

Para as companhias de seguros, esse é uma ótima solução com diversas possibilidades de utilização, que vão desde o atendimento ágil até a automação do cadastro de fornecedores. Recentemente, diversas empresas de seguro adotaram o chatbot para melhorar tanto a comunicação com seus clientes quanto a comunicação interna através de diferentes plataformas.

A Allianz, por exemplo, tem um assistente virtual chamado Allie, que atende os segurados 24/7. Já a Link4, seguradora online de carros, baseada na Polônia, tem o chatbot Magda.

Entre os benefícios está, por exemplo, o suporte imediato que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Como no caso de um cliente precisar saber se o plano cobre um sinistro, ou então para tirar dúvidas sobre planos e serviços fora dos dias e horários comerciais (o chatbot pode ser configurado para apresentar todos). Além de tirar dúvidas e receber informações sobre planos, o cliente também pode fazer o uso do atendimento via chatbot para registrar, acompanhar o andamento e tirar dúvidas sobre sinistros, bem como solicitar guinchos.

Há ainda a possibilidade, por meio do chatbot, de cadastrar parceiros que desejam prestar serviços, filtrando automaticamente aqueles que atendem aos requisitos exigidos.

Mas ilude-se aquele que acha que é só colocar uma tecnologia como a de chatbot no ar que tudo estará resolvido e que os clientes terão mais um novo canal para se relacionar. O processo é bem mais complexo do que isto.

“Na verdade, a tecnologia é só uma parte de toda esta engenhoca e eu arrisco a dizer que nem é a mais importante. Ensinar o robô, monitorar os atendimentos e retroalimentar estes ensinamentos certamente são os grandes desafios. Sem falar na importância da integração com os sistemas corporativos da empresa para prestar um autosserviço assertivo e de qualidade. Agora, quando falamos em robô com o uso de Inteligência Artificial (AI), começam então a surgir novos personagens importantes nesta história, as novas profissões: os Trainers, quem treina o robô; os Explainers, responsáveis pela explicação dos termos técnicos e funcionalidades do chatbot para as áreas de negócio da empresa; e os Sustainers, os profissionais que devem monitorar o atendimento/funcionamento do chatBot de modo a identificar cenários não previstos e encaminhar para os Trainers para que o robô seja treinado para atender a estes novos cenários”, explica Alberto Sampaio de Oliveira, diretor de Relacionamento com o Cliente da VoxAge.

A conveniência de comprar, lidar com problemas de atendimento ou qualquer outra coisa que o chatbot faça, acaba gerando mais envolvimento com a marca. Além de proporcionar uma melhor experiência de compra, o chatbot incentiva decisões de compra mais rápidas.

Corretores associados ao Sincor-RS terão transporte gratuito para o Brasesul 1407

Demais corretores e executivos do mercado também podem utilizar serviço 


O Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul está disponibilizando transporte para o mercado de seguros gaúcho comparecer ao Congresso Sul Brasileiro dos Corretores de Seguros. O Brasesul está marcado para acontecer nos dias 19 de 20 de julho em Florianópolis (SC).

Os corretores de seguros associados ao Sincor-RS terão transporte gratuito e os demais corretores e profissionais do mercado também podem pegar carona pelo valor de R$ 115 (ida e volta). Basta entrar em contato com o setor de eventos do Sindicato, através do telefone (51) 3225-7726.

O Brasesul reúne os corretores de seguros do três estados da Região Sul do Brasil. “Todos os associados do Sincor-RS que se interessarem terão a viagem cortesia como uma forma de reconhecermos o empenho destes profissionais, que são os donos da entidade. Os não associados, securitários, profissionais das seguradoras e das assessorias também podem viajar conosco, e para isso estaremos cobrando exclusivamente o valor do próprio ônibus”, explica o vice-presidente do Sincor-RS, André Thozeski. “É uma grande oportunidade para viajarmos em conjunto, com amigos e colegas a um grande evento”, convida.

GBOEX participa da Campanha do Agasalho 1420

Doações podem ser entregues até o dia 23 de agosto

O inverno chegou e, com ele, a tradicional Campanha do Agasalho GBOEX. A empresa é uma das parceiras oficiais da Prefeitura de Porto Alegre (RS) na edição de 2018. Provando que solidariedade nunca sai de moda, roupas novas e usadas, cobertores, travesseiros e calçados podem ser doados até o dia 23 de agosto. A campanha é aberta à comunidade em geral e a caixa coletora está à disposição na Unidade de Negócios Porto Alegre, localizada na Rua Siqueira Campos, 701, no Centro Histórico da Capital gaúcha.

Os donativos recebidos serão distribuídos em entidades ligadas à Fundação de Assistência e Cidadania (Fasc) e outras instituições que podem se cadastrar pelo aplicativo #EuFaçoPOA, ou no site oficial da campanha.

Esta é uma das ações sustentáveis da Campanha Ambiente Responsável – Atitudes GBOEX para Viver Melhor, que procura conscientizar sobre o bem coletivo. Com quase dez anos, tem por objetivo criar e divulgar ações que viabilizem a sustentabilidade para todos, com foco em estimular a participação e integração dos colaboradores, associados e parceiros em ações sociais.​

Amigo do mercado de seguros precisa de doadores de sangue 1642

Coração

Coleta acontece no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre (RS)

O marido da querida colega do mercado gaúcho de seguros, Yara Bolina, precisa urgentemente de doadores de sangue. O paciente é Paulo Renato Machado e os doadores devem comparecer no Hospital Mãe de Deus.

A central de coleta fica na Avenida José de Alencar, 286 – 3º andar. As doações podem ser realizadas entre 8h e 18h30min de segunda a sexta-feira. Aos sábados o horário é das 8h ás 12h.

Zurich comemora sucesso de ação com parceiros de negócios 575

Vou com Zurich

Campanha levou profissionais a viagens exclusivas para Zurique, Lisboa e Punta Cana

Mais de 200 parceiros de negócios da Zurich participaram, neste primeiro semestre de 2018, de experiências únicas por meio da campanha Vou com a Zurich. A ação integra o programa de relacionamento e incentivo da seguradora e premia corretores e parceiros estratégicos com viagens para diferentes destinos todos os anos, proporcionando momentos memoráveis.

A encantadora Zurique, a ensolarada Lisboa e a paradisíaca Punta Cana foram os destinos visitados. O grande diferencial das viagens foram os roteiros totalmente personalizados pela companhia para oferecer experiências exclusivas aos viajantes, como a neve no Monte Titlis e um Tour pelo Museu da FIFA, na Suíça; a cidade de Évora e a vinícola Herdade do Esporão, em Portugal; e a cinematográfica Ilha Samoa, na República Dominicana.

Para Edson Franco, CEO da Zurich, a ação foi um sucesso e reforça o compromisso da companhia em valorizar e reconhecer o trabalho dos seus parceiros de negócio. “Tivemos um feedback muito positivo da ação, o que nos deixa extremamente satisfeitos em poder oferecer esses momentos para profissionais que colaboram para que a Zurich continue a ser uma das maiores seguradoras globais”, afirma o executivo.

A próxima campanha Vou com a Zurich pretende premiar corretores e parceiros com viagens para Marrakesh e Aruba, em 2019.

Lloyd’s prevê França campeã e queda do Brasil nas quartas de final 2136

Bandeira da França

Seleção Brasileira tem valor segurado estimado em US$ 1,5 bilhão

JRS ligado na Copa do Mundo!
JRS ligado na Copa do Mundo!

Referência mundial em seguros e resseguros, o Lloyd’s divulgou uma pesquisa realizada em conjunto com o Centro de Pesquisa Econômica e Empresarial (CEBR) para ranquear cada país participante na Copa do Mundo da FIFA em relação ao valor segurado total dos 23 jogadores. O elenco brasileiro soma US$ 1,5 bilhão – atrás apenas de França (US$ 2 bilhões) e Inglaterra (US$ 1,6 bilhão). Estes números estão alinhados com o ranking da FIFA, no qual o país é o segundo – atrás apenas da Alemanha, atual campeã.

O Brasil é o favorito para dominar o Grupo E, que conta com um valor segurado total bem abaixo da seleção de Tite. A Costa Rica conta com US$ 94 milhões, a Sérvia com US$ 460 milhões e a Suíça com US$ 500 milhões. Para comparação, o valor segurado médio de um jogador brasileiro é maior do que a somatória de todo o elenco panamenho.

Se estes valores se refletirem no campo, o Lloyd’s prevê que o Brasil avança até às quartas de final, perdendo para a Inglaterra, uma seleção mais jovem, e, portanto, mais valiosa. Análise similar foi realizada pelo Lloyd’s e o CEBR antes da Copa do Mundo de 2014, a qual acertou a previsão de que a Alemanha seria vitoriosa.

Esta pesquisa oferece perspectivas nos valores segurados por posição e idade dos jogadores. Por exemplo, atacantes são os jogadores mais valiosos na edição deste ano, com uma média de US$ 27 milhões, enquanto os meio-campistas contam com a maior porcentagem do valor segurado (38%). Jogadores entre 18 e 24 anos tem a maior média de valor segurado, com US$ 28,1 milhões.

O CEBR usou salários e receitas de patrocínios dos jogadores, juntamente com uma coleção de indicadores adicionais para construir um modelo econômico que estima a renda dos jogadores até a aposentadoria. Estas projeções formaram a base para avaliar os valores segurados por idade, posição e nacionalidade.

A análise permitiu ao Lloyd’s prever as seleções que irão se classificar em cada grupo. Na segunda fase, o Lloyd’s traçou o caminho de cada seleção com base nos valores segurados. A equipe com maior valor segurado total é a escolhida pelo Lloyd’s como vencedora de cada confronto.

A pesquisa foi realizada com o apoio do Sporting Intelligence, que providenciou os dados salariais de cada uma das 32 seleções participantes da Copa do Mundo de 2018, baseados nas listas de 30 jogadores enviadas por cada federação.

Para Marco Castro, Country Manager do Lloyd’s no Brasil, “a pesquisa Lloyd’s Dream Team é um grande exemplo de como a indústria de seguros usa uma variedade de técnicas de modelagem para prever resultados”. “Estamos muito satisfeitos em ver que a seleção brasileira está em boa companhia entre os favoritos quando se trata de valor segurado. Tenho certeza que o Brasil será um dos fortes desafiantes”, completa.