Curta os jogos da Copa sem deixar os pets em apuros 1410

Dog

Estresse e outros prejuízos podem atingir a saúde dos bichinhos se alguns cuidados não forem tomados

Quem pretende assistir aos jogos da Copa na companhia de um pet deve ficar atento a algumas situações que podem comprometer o bem-estar do animal. Além do estresse, esse tipo de comemoração pode causar prejuízos à saúde do pet e até acidentes se alguns cuidados não forem tomados.

Os tutores que pretendem receber visitas, por exemplo, devem observar o comportamento do cão ou gato na presença de outras pessoas. Alguns pets podem ficar incomodados com humanos “invadindo o seu espaço”, com o excesso de movimentação ou de barulho.

A atenção deve ser redobrada quando se trata de filhotes ou animais de pequeno porte, de acordo com o médico-veterinário Rodrigo Soares Mainardi, presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP). “Cães ou gatos muito pequenos correm o risco de serem pisoteados quando há aglomeração de pessoas, o que pode ocasionar fraturas de patas, de costelas ou de coluna, por exemplo.”

Excesso de barulho

Vuvuzelas, televisão no volume máximo, fogos de artifício e até mesmo os gritos de gol têm grandes chances de causar desconforto ao animal. “Alguns animais chegam a passar mal com o barulho, podendo apresentar febre, apatia e até vômito ou diarreia, desencadeados por fatores emocionais” explica o médico-veterinário. Sendo assim, se o pet apresenta muita sensibilidade e se estressa facilmente, o tutor deve tentar evitar que ele seja exposto a sons muito altos.

Mainardi alerta ainda para o risco de fuga do animal. “Por ficarem com medo, alguns animais tendem a se esconder ou, em casos mais extremos, podem acabar fugindo de casa. Isso é muito comum nessas ocasiões, inclusive devido ao entra e sai de pessoas.”

No clima da Copa

Para quem vai vestir o animal de estimação de verde e amarelo, o presidente da Comissão de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP diz que adereços e fantasias são permitidos, desde que não prejudiquem a mobilidade e o conforto do pet. Para isso, o tamanho e o peso da fantasia devem ser proporcionais ao porte do animal.

“Os tutores devem ter um cuidado especial com tintas, purpurinas e maquiagens que não são de uso veterinário, pois podem causar graves dermatites e reações alérgicas sérias” reforça Mainardi.

Comilança

Outro ponto de atenção são os alimentos consumidos nesses eventos, como pipoca, amendoim, frituras e churrasco. Como não são alimentos próprios para cães e gatos, é importante evitar que os animais tenham acesso a esses petiscos. “Vale orientar também os familiares e amigos para que não ofereçam comida ao animal”, sugere Mainardi.

Se o pet ingerir algum alimento impróprio acidentalmente, a recomendação é levá-lo a um médico-veterinário para que este avalie o grau de comprometimento ou não da sua saúde. “Se o tutor observar algum tipo de distúrbio (vômito, diarreia ou outros) o animal deverá ser acompanhado por um médico-veterinário e mantido em observação”, salienta Yves Miceli de Carvalho, médico-veterinário presidente da Comissão Técnica de Nutrição Animal do CRMV-SP.

Nesses casos, durante os jogos e comemorações, o ideal é restringir o acesso de cães e gatos a determinados cômodos da casa, onde eles poderão circular com mais tranquilidade. Outra opção é hospedar o pet em um hotel ou creche, especialmente se ele já estiver habituado a frequentar esse tipo de espaço.

Chubb Brasil nomeia novo Vice Presidente de P&C 780

Chubb

Companhia foca em serviços superiores aos clientes

Leandro Martinez é o novo vice-presidente de Subscrição de P&C da Chubb Brasil
Leandro Martinez é o novo vice-presidente de Subscrição de P&C da Chubb Brasil

A partir de julho, Leandro Martinez assume a Vice-Presidência de Subscrição de P&C da Chubb Brasil, reportando-se diretamente ao Presidente Executivo da Chubb Brasil, Antonio Trindade e funcionalmente a Pablo Korze, Vice Presidente Sênior de P&C Commercial.

Leandro será responsável pelo P&L de Global, Middle Market/SME e Resseguros. O executivo está na companhia desde janeiro de 2011, e em agosto de 2014, passou a desempenhar o papel de Vice Presidente Regional de Linhas Financeiras, onde contribuiu com desenvolvimento das carteiras de D&O, PI, FI e Cyber na América Latina.

Leandro é advogado, pós-graduado em Direito Civil e de Empresas, com MBA pela FGV e extensões em mercado de capitais pela Escola Superior de Advocacia da OAB de São Paulo.

Toda mudança realizada na Chubb tem como objetivo garantir uma subscrição e execução superiores, bem como a entrega de um serviço superior para os seus clientes.

Dicas para investir e ir às Olimpíadas no Japão, em 2020 1367

Tokyo

Quem não foi à Rússia, pode aportar em fundos cambiais para realizar sonho de fazer parte da torcida brasileira

Quem gosta de grandes eventos esportivos, mas não conseguiu ir para a Rússia, pode se preparar para as Olimpíadas do Japão, em 2020. De acordo com a Mapfre Investimentos, existem boas alternativas para fazer o dinheiro render e fazer parte da torcida brasileira do outro lado do mundo.

Antes de realizar uma aplicação, é necessário definir o montante necessário para o passeio, considerando o valor em moeda estrangeria – já que a viagem é para o exterior– e o tempo disponível até o embarque, neste caso, dois anos. “O fundo deve ter pouco risco para não comprometer o volume de dinheiro essencial para viajar. A recomendação é seguir o planejamento de investir parte em fundo cambial e parte em fundos de renda fixa”, explica Carlos Eduardo Eichhorn, diretor de gestão de recursos da Mapfre Investimentos.

“Os fundos cambiais são uma opção segura e rentável, porque garantem o poder de compra em dólares e liquidez para a data estimada da viagem. Além disso, também não há a cobrança do spread exigido pelas casas de câmbio”, completa.

Já os fundos de renda fixa são os mais populares entre os brasileiros. São veículos de investimento com menos risco e que podem ser compostos por títulos públicos e de crédito, com o objetivo de rentabilidade associado ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Sustentare alcança marca de 100 Unidades de Negócios 1508

Empresa expandiu também em Santa Catarina

Marcos Stock Trevisan é CEO da Sustentare Seguros
Marcos Stock Trevisan é CEO da Sustentare Seguros.

A Sustentare Seguros atingiu a marca de 100 Unidades de Negócios no fechamento do primeiro semestre do ano. Os escritórios estão concentrados no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. “Batalhamos bastante para chegar a esta marca porque entendemos que ainda há muito potencial para crescer. Estas Unidades estão somando forças junto conosco e nos ajudando a cada vez mais entregar um serviço de qualidade”, destaca o CEO da Sustentare Seguros, Marcos Stock Trevisan.

Alcançar este número foi possível graças à meta traçada pela empresa no final do ano passado, com uma operação de expansão planejada no estado vizinho, que hoje já conta com vinte corretores. “Tudo isso aconteceu depois termos ficado 2016 sem colocar nenhum parceiro, modificando nosso regime fiscal e contratos. Já em 2017 houve um aumento considerável do número de Unidades e agora em 2018 foi momento de colocar cada vez mais parceiros, com frentes de expansão nos dois estados da região Sul”, comenta.

AIG conclui a aquisição da Validus 729

Aquisição

Transação foi anunciada em janeiro

A AIG anunciou na quarta-feira a finalização do processo de aquisição da Validus Holdings Ltd. (“Validus”), após aprovações regulatórias e dos acionistas da Validus. A transação foi anunciada pela primeira vez em 22 de janeiro de 2018.

Como parte da AIG, a Validus acrescenta franquias atraentes e diversificadas ao portfólio da companhia, incluindo a Validus Re, plataforma líder de resseguro; AlphaCat, gestor de ativos de títulos ligados a seguros; Talbot, consórcio do banco Lloyd; Western World, especialista nos Estados Unidos em riscos comerciais para pequenas e médias empresas; e Serviços de Riscos Agrícolas, que fornecem acesso ao mercado norte-americano de seguros agrícolas.

“Estamos muito felizes em receber a Validus. A experiente equipe e seus negócios complementares nos ajudarão a gerar um crescimento sustentável e lucrativo, à medida que continuamos a gerar valor aos nossos acionistas”, disse Brian Duperreault, CEO e Presidente da AIG.

De acordo com Peter Zaffino, CEO da área de Seguros Gerais da AIG, “o trabalho com o time da Validus deve expandir as capacidades e valores entregues aos clientes e corretores parceiros. Os negócios da Validus serão imediatamente acrescentados à atuação de Seguros Gerais da AIG, já que eles já fazem parte da AIG oficialmente.”