Estratégias avançadas de vendas para corretoras de seguros 4464

Diretor da Treinaseg participou de palestra organizada pelo CVG/RS

O coaching André Santos apresentou diversas estratégias avançadas de vendas a quase uma centena de pessoas, no Clube do Comércio, em Porto Alegre (RS). O encontro foi promovido pelo Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS), nesta terça-feira (26).

Segundo o especialista da Treinaseg, o crescimento de uma corretora de seguros passa pela fidelização de clientes, a prospecção de novos clientes, venda agregada e parceria com as seguradoras. Para grandes resultados, André Santos ainda considera aos administradores de corretoras que elaborem um retrato da atual situação da empresa. Questões como segurados ativos, quantidade de clientes pessoa física ou jurídica, percentual de divisão do mix de carteira e faturamento anual são fundamentais para iniciar o mapeamento de pontos a serem trabalhados para elaboração da estratégia de vendas.

Em entrevista ao JRS, o especialista em comunicação para vendas lembra que o profissional da corretagem é um solucionador de problemas, acima de tudo. “O consumidor precisa da orientação da um corretor profissional qualificado, que possa mostrar benefícios, vantagens e até mesmo quais produtos vão de acordo com o perfil daquela pessoa”, reforça. André Santos também pensa que a capacitação deve ser constante. “Temos de ser eternos alunos. São novas tecnologias e maneiras de consumo. Tudo é muito dinâmico e rápido. O corretor tem que se manter sempre atualizado e as estratégias de vendas devem estar voltadas aos resultados”, explica.

O especialista é autor de seis livros sobre a venda de seguros. Além das publicações, André Santos lembra que a Treinaseg lança no segundo semestre diversos treinamentos online. “Isso facilita muito pois é possível acessar quando se quer, onde se quer e como se quer”, diz.

Apesar das incertezas políticas que impedem um desenho mais concreto de expectativas, André Santos acredita que criatividade e inovação são os alicerces para fazer qualquer negócio prosperar, independentemente do que acontece.

Café do CVG/RS – Todas as imagens:

Brasesul conta com cobertura especial do JRS 3569

Confira a programação do maior evento de corretores no Sul do Brasil

Os Sindicatos dos Corretores de Seguros de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná promovem, nos próximos dias 19 e 20 de julho, em Florianópolis (SC), a volta do Brasesul. O objetivo do evento é propiciar integração, troca de informações, conhecimento, atualização profissional e ainda fortalecer o relacionamento com as seguradoras.

Saiba mais: Seguradoras participam em peso do Brasesul.

Todos os momentos contam com cobertura especial do JRS, maior empresa de comunicação voltada ao mercado de seguros na região. A repercussão completa acontece no programa Seguro Sem Mistério, apresentado no Bah!TV do Rio Grande do Sul, na Revista JRS e nos demais veículos do grupo.

Veja também: Congresso Sul Brasileiro reserva espaço para debates

A organização do Brasesul acaba de divulgar a programação completa do encontro. Confira abaixo:

Quinta-feira / 19 de julho:

09:00 Abertura da secretaria – credenciamento
15:00 Abertura da Feira do Mercado Segurador
16:00 Tarde das Mulheres – Café/Palestra com Maria Helena Monteiro
18:30 Solenidade de Abertura
19:00 Palestra – “99,9% não é 100% Você Pode Mais”, com Marcos Scaldelai
20:30 Jantar e show com a Banda Dazaranha – Patrocínio HDI Seguros

Feira do mercado segurador
15:00 Inicio Feira do Mercado Segurador
22:00 Encerramento Feira do Mercado Segurador

Sexta-feira / 20 de julho:

08:30 Abertura da secretaria
09:00 Palestra Realidade e Perspectiva do Setor de Seguros no Brasil, com Armando Vergílio dos Santos
09:30 Painel – Dirigentes de Seguradoras e Corretores de Seguros
11:30 Palestra sobre Sucessão nas Empresas com o consultor Gustavo Sette
12:30 Almoço – Patrocínio Allianz Seguros
14:00 Palestra Internacional com Joe Jordan – Patrocínio Porto Seguro, com “Tradução Simultânea”
15:30 Palestra – Inovação e Criatividade na Era Digital, com Martha Gabriel
17:00 Educação Continuada Funenseg com Robert Bittar, Mario Pinto e Maria Helena Monteiro
17:45 Palestra – Tempo de Oportunidades – “Criando defensores de sua marca e do seu negócio” com conferencista Gilclér Regina
19:00 Atividades no Espaço do Mercado Segurador
21:30 Jantar de encerramento com mini Oktoberfest – Patrocínio Bradesco Seguros Bandas: Velhos Camaradas e Tropical Band
Sorteio dos 3 carros (participarão do sorteio final dos carros, os contemplados com as chaves sorteadas durante as palestras e painéis)

Feira do mercado segurador
10:00 Inicio Feira do Mercado Segurador
22:00 Encerramento Feira do Mercado Segurador

Crescente risco judicial eleva contratação de seguro garantia 1197

Justiça

É uma alternativa para alienação ou congelamento de bens, caução em dinheiro ou fiança bancária

O mercado de seguro garantia judicial no Brasil cresceu 46,67% e movimentou R$ 2,2 bilhões em 2017, resultado superior a R$ 1,5 bilhão registrado em 2016, segundo levantamento da consultoria de risco e corretora Marsh que analisou dados das seguradoras reportados para a Superintendência de Seguros Privados (Susep) nos dois períodos. Em 2017, a modalidade judicial representou cerca de 85% do total do mercado de Seguro Garantia.

Luis Guilherme Menezes é diretor de garantia e crédito da Marsh Brasil
Luis Guilherme Menezes é diretor de garantia e crédito da Marsh Brasil

Essa tendência refletiu na carteira da Marsh. Em 2017, as garantias judiciais tiveram uma expansão de 50% em relação a 2016. Para 2018, a corretora projeta novo crescimento na ordem de 30%. “É grande o número de empresas brasileiras que enfrentam processos tributários, trabalhistas, cíveis e recuperações judiciais no âmbito federal, estadual e municipal. O uso desse seguro foi a alternativa encontrada por elas para não terem que alienar ou congelar bens, apresentar caução em dinheiro ou fiança bancária para garantir o pagamento de dívida. Nosso diferencial perante o mercado, é apoiar nossos clientes para encontrarem a melhor solução de alocação de capital e desenvolver soluções diferenciadas de aprovação de crédito”, afirma Luis Guilherme Menezes, diretor de garantia e crédito da Marsh Brasil. “Contamos com uma estrutura global e capilaridade importantíssima trazendo resultado para o cliente final”, diz Menezes.

“Inclusive, em muitas ações já em tramitação, outras modalidades de garantias caucionadas foram substituídas por apólices de seguros que são menos onerosas. Isso fez com que a garantia judicial concentrasse a maior parte da produção do mercado de seguro garantia”, complementa. Segundo o executivo, o grande ponto é que as empresas têm acesso a créditos com preços muito mais competitivos do que fiança bancária, por exemplo, que podem atingir 50% a 60% de redução de custos. “Dentro do contexto nacional, onde as empresas buscam incessantemente a diminuição da sua matriz de custos, esta ferramenta faz total sentido”, diz.

Evolução da legislação relacionada ao seguro Garantia Judicial

• 2009: Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) publica Portaria nº 1.153, estabelecendo regras e requisitos gerais para a aceitação do seguro garantia judicial como forma de caução dos débitos fiscais da União.
• 2014: Lei nº 13.043 altera a Lei de Execuções Fiscais para incluir, expressamente, o seguro garantia como forma de garantia judicial nas execuções fiscais.
• 2014: Edita-se a nova Portaria PGFN nº164/2014, adequando-a a Nova Lei de Execuções Fiscais. Tal portaria inspira normas mais correlatas por parte das procuradorias dos diversos estados.
• 2015: A recente Lei nº 13.105/2015, que instituiu o Novo Código de Processo Civil, equiparou o seguro garantia judicial a dinheiro para efeito de penhora.

Reforma trabalhista abriu novo mercado

A reforma trabalhista, que entrou em vigor em Novembro de 2017 (Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017), modificando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), incluiu o seguro nos artigos 882 e 899, pacificando a aceitação da modalidade na esfera judicial.

“Com isso, a apólice de seguro é oferecida ao tribunal como garantia de que o valor do depósito recursal será integralizado na condenação. Desta forma, o seguro garantia está desonerando os depósitos recursais que têm que ser oferecidos pelas empresas. Anteriormente, as empresas precisavam fazer depósitos em dinheiro para garantir a admissibilidade do pedido perante os tribunais”, explica Luis Guilherme Menezes, diretor de garantia e crédito da Marsh Brasil.

Os custos desses depósitos são tabelados pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), fixados em R$ 9.189 para a interposição de recurso ordinário, e em R$ 18.378 para recursos direcionados aos tribunais superiores. “Ainda que o valor individual possa parecer pequeno, nos casos de grandes indústrias, com diversos funcionários, pode-se chegar a quantias bem expressivas. Desenvolvemos inclusive parcerias com as principais seguradoras deste segmento para agilizar a emissão das apólices onde o próprio cliente poderá fazê-la através de um sistema altamente customizado e automatizado. Isto faz com que a apólice possa ser emitida em minutos”, afirma.

Previsul Seguradora inaugura sucursal em São Paulo (SP) 2545

Nova Sucursal SP da Previsul

Com localização estratégica, espaço está situado no melhor eixo corporativo da cidade

Localizada na Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini, 105, conj 151, Torre Berrini One, Itaim Bibi, a Previsul Seguradora inaugurou na noite desta quarta-feira (12) sua sucursal em São Paulo (SP). O presidente da Previsul, Renato Pedroso, a diretora de Negócios e Marketing, Andréia Araújo, e equipe comercial da Previsul SP receberam corretores da região, personalidades do mercado segurador e a imprensa para um coquetel.

Segundo Renato Pedroso, a nova sucursal foi planejada para acompanhar o crescimento e a evolução da Previsul. “Somos uma empresa orientada para o futuro que acompanha os movimentos e necessidades do mercado. Nossa mudança para esta nova sede, visa proporcionar uma estrutura melhor de atendimento ao corretor de seguros, nosso principal parceiro. Além disso, acompanha a nossa estratégia de crescimento nessa região. Hoje, já estamos presentes em 6 cidades do território paulista, além da própria capital São Paulo.”, destaca.

Renato explica que a evolução da empresa também passa por uma série de ferramentas disponibilizadas que facilitam e agilizam a vida dos corretores, parceiros da companhia. “Uma delas é o Cota+, cotador online que realiza o processo de cotações muito mais rápido e de maneira mais prática. Também temos o Portal do Corretor, canal exclusivo e totalmente digital para que o corretor possa ter acesso a todas as informações sobre cotações e propostas, o aplicativo Previsul, o novo site, e o atendimento online via chatBot e WhatsApp. Tudo isso sempre para facilitar o dia a dia daqueles que fazem parte da Previsul”, ressalta.

A Previsul Seguradora possui 111 anos de atuação e é referência em seguro de pessoas no Brasil. Está presente em 12 estados brasileiros, com aproximadamente 30 pontos de atendimento em todo o país, que oferecem todo o suporte para o corretor, principal parceiro da Previsul.

Autosul Locadora está em novo endereço em Porto Alegre 1440

Espaço aproxima serviços do Grupo Autosul

Fernando Della Flora, executivo da Autosul Locadora

A Autosul Locadora está em novo endereço na Capital gaúcha. Quem quiser encontrar o serviço de qualidade da empresa, com mais de 15 anos no ramo de locação de veículos, pode ir até a Avenida Brasil, 870, no bairro São Geraldo.

O novo espaço comporta com mais comodidade as operações da empresa, além de estar localizado em frente a oficina do Grupo Autosul. “O intuito da mudança é tornar todos os serviços mais próximos, deixando ainda mais prático e agradável para os nossos clientes”, destaca o executivo da Autosul Locadora, Fernando Della Flora.

A Autosul Locadora também possui filiais em Novo Hamburgo, Caxias do Sul, Santa Maria e Pelotas.

Novo endereço Autosul Locadora Porto Alegre:

Avenida Brasil, 870 – Bairro São Geraldo, Porto Alegre (RS)
Horário de atendimento: De segunda à sexta, das 8h às 18h
Sábado das 8h às 13h

CCS-RJ divulga sugestões entregues a seguradoras sobre seguro auto 1254

Carros

Bradesco Seguros, Mapfre, Porto Seguro, SulAmérica e Tokio Marine receberam documento estudam o que pode ser colocado em prática

Após entregar a cinco seguradoras um documento com sugestões para a operação do seguro de automóvel no Rio de Janeiro, que vem sofrendo com os altos índices de roubos e furtos em diversas regiões, a Comissão de corretores formada no 1º Encontro dos Corretores de Seguros da Baixada Fluminense, da Zona Norte e da Zona Oeste, realizado em março, divulga agora os seis itens apresentados.

Tanto o encontro como a elaboração do documento foram uma iniciativa do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) em conjunto com a Associação dos Corretores de Seguros da Baixada Fluminense (ACBF), unidos pelo objetivo de viabilizar a manutenção da carteira de seguros de automóvel nas regiões mais afetadas pelo aumento do roubo de veículos no estado.

A comissão é formada por seis corretores, um dirigente do Clube e um da ACBF, sendo dois corretores da Zona Norte, um corretor da Zona Oeste e três corretores da Baixada Fluminense. “A grave crise de segurança que estamos vivendo vem atingindo com mais intensidade as Zonas Norte e Oeste da capital e os municípios da Baixada Fluminense”, diz o presidente do CCS-RJ, Jayme Torres.

Ele explica que a empreitada visa a beneficiar não só os corretores das regiões representadas, mas de todos os locais do estado que apresentam a mesma dificuldade, como São Gonçalo, Niterói e algumas cidades da Região dos Lagos.

O problema social impacta a atividade seguradora. Provoca, por exemplo, o aumento nas taxas de seguros, que, muitas vezes, inviabilizam a manutenção dos segurados, inibe e até proíbe a entrada de novos clientes. Outra consequência é a recusa de riscos e de segurados sem histórico de sinistro, o que dificulta a atuação dos corretores nas regiões, abrindo espaço para a atuação das associações que comercializam a proteção veicular.

Confira as sugestões:

1 – Criação de produto ou aumento do desconto nos prêmios quando o segurado optar por porcentagem da FIPE igual ou inferior a 90% nos produtos atuais. A participação do cliente no prejuízo deverá contribuir para um cuidado ainda maior do segurado com seu veículo e para reduzir proporcionalmente a sinistralidade por Perda Total (PT);

2 – Criação de produto ou aumento do desconto nos prêmios quando o segurado optar por franquia facultativa nos produtos atuais. Hoje, a diferença de prêmios gerados quando o segurado faz opção por franquia facultativa ou até mesmo obrigatória em relação à franquia reduzida é muitas vezes insignificante;

3 – Criação ou adaptação de produtos atuais com cobertura exclusiva para Perda Total (PT), roubo e acidente com limitação da FIPE em 80% a 90%, ou aplicação de franquia com opções de 10% ou 20%. Trata-se de uma alternativa para alta demanda de clientes preocupados com maior risco, porém, com sua participação nos prejuízos, é provável que as fraudes sejam reduzidas, devendo ser atraente também para proprietários de veículos com mais de cinco anos de uso;

4 – Nas renovações sem sinistro, limitar o reajuste do prêmio a 20%, ainda que seja necessário aumento da franquia ou limitação da porcentagem da FIPE em 85%. Essa ação evita a dificuldade de justificar alguns aumentos extremamente significativos de prêmios para segurados que não têm sinistro. Serve também para que esse segurado com bom histórico não saia do nosso mercado;

5 – Melhores condições de aceitação para carros blindados. A evolução tecnológica utilizada nos veículos nos últimos cinco anos minimizou bastante os danos e os riscos nos veículos, diferentemente do que ocorria no passado. Porém, a política de aceitação desses riscos não acompanhou essa evolução. Seria interessante uma reavaliação nesses critérios;

6 – Maior flexibilização na análise do perfil do cliente. Muitos clientes têm o risco recusado ou o prêmio agravado em função do seu histórico no Serasa. Entretanto, um estudo revela que 41% dos brasileiros estão, de alguma forma, negativados em função da crise econômica. A sugestão é uma análise pontual, caso a caso, com o corretor, para identificar o que de fato teria potencial para fraude.