Previdência privada: Bradesco, Itaú, Caixa, SulAmérica e Porto Seguro focam público feminino

Novos produtos para o público feminino refletem a maior participação das mulheres no mercado de previdência privada. Nos últimos 12 anos, este aumento foi de 34%, segundo dados da Fenaprevi: dos cerca de 5 milhões de planos ativos no ano 2000, 35% eram contratados por mulheres. Já em 2012, elas representavam 47,4% dos 11,1 milhões de segurados pela previdência complementar. Para atrair este público, planos de vida de grandes seguradoras, como Bradesco Vida e Previdência S.A., SulAmérica Seguros e Itaú Vida e Previdência S.A., agora oferecem indenização não apenas em casos de morte, mas também no diagnóstico de câncer de mama ou de colo de útero.

A Porto Seguro ampliou a cobertura em seu seguro de vida para todos os tipos de câncer em mulheres, exceto o de pele, com indenização de 50% da cobertura de morte. O plano da Caixa Seguros dá direito a uma consulta médica e um exame ginecológico por ano em locais credenciados pela rede, disponíveis em todos os estados brasileiros. Para ter direito ao benefício, a segurada escolhe o valor a pagar mensalmente, a partir de R$ 35, dividido entre uma previdência complementar aberta VGBL e um seguro de vida. O público-alvo são mulheres da classe C, embora a Caixa Seguros também coloque em seu radar de negócios parte da classe B. O produto é voltado para mulheres entre 18 e 65 anos, mas pretende focar naquelas que estão em período fértil.

Com informações de empresas e FenaPrevi

Topo