Crianças devem tomar oito minutos de Sol por dia, recomenda pediatra 644

Entenda a importância da vitamina D

A importância da vitamina D para a saúde humana é reconhecida de longa data. Esta substância está diretamente envolvida na absorção intestinal e metabolismo do cálcio e fósforo e no fortalecimento ósseo. Além de promover a saúde óssea, a vitamina D está relacionada também a vários outros benéficos como participação em funções musculares, imunológicas e neurológicas, dentre outras ainda em estudo.

A deficiência gera inicialmente sintomas inespecíficos como irritabilidade, sono intranquilo e sudorese excessiva na cabeça (segmento cefálico). Com a evolução pode ocorrer fraqueza muscular, distensão do abdômen, diminuição de resistência a infecções e alterações da mineralização óssea em várias partes do corpo. Em crianças, a deficiência severa é denominada de raquitismo.

A vitamina D apresenta-se sob duas formas biologicamente ativas: vitamina D2 ou ergocalciferol e vitamina D3 ou colecalciferol. A vitamina D2 é de origem vegetal, produzido pelas plantas, enquanto a vitamina D3 é de origem animal, produzida mediante a ação dos raios ultravioleta B (UVB) na pele. Acredita-se que ao redor de 90% da vitamina D é adquirida pela síntese cutânea e o restante pela ingestão de alimentos que contenham essa vitamina. Após a produção na pele ou a ingestão pela dieta, a vitamina D ainda inativa é transportada pela corrente sanguínea e necessita passar por dois estágios complexos, no fígado e nos rins para tornar-se ativa e funcional para o organismo.

Por que muitas crianças vêm apresentando deficiência de vitamina D atualmente?

O principal motivo é a exposição insuficiente aos raios solares, uma vez que é na pele que ocorre o início da síntese da vitamina D. Com o término do verão a preocupação com a deficiência tende a elevar-se. O ângulo do sol se modifica de acordo com as estações do ano e no outono e inverno ocorre menor intensidade de radiação ultravioleta devido à incidência oblíqua dos raios. Também no período mais frio as vestimentas impedem a exposição da pele da maior parte do corpo.

Outros fatores contribuem para o risco da deficiência, especialmente nas crianças residentes em áreas urbanas, como a poluição atmosférica, que bloqueia a chegada dos raios ultravioleta e a vida dentro de apartamentos ou outros locais fechados, pois raios de luz solar natural que geram a vitamina D na pele não atravessam os vidros das janelas.

Devido à elevada velocidade de crescimento e, portanto maiores necessidades, crianças nos primeiros anos de vida, prematuros e adolescentes estão entre os grupos de maior risco para a deficiência.

Quanto ao estado nutricional, o excesso de gordura “aprisiona” a vitamina D e prejudica sua utilização pelo organismo, por isso obesos precisam de duas vezes mais vitamina D que crianças com peso adequado. Crianças com pele mais pigmentada sintetizam menos vitamina e também necessitam exposição maior ao sol.

Como saber se seu filho (a) tem deficiência de vitamina D?

A deficiência é reconhecida pela história de situações de risco, pelo exame clínico realizado por seu pediatra e pode ser confirmada mediante a dosagem da vitamina D circulante no sangue, a 25(OH) D. Considera-se que a criança será deficiente quando os níveis de 25(OH)D encontrados forem inferiores a 20ng/mL, insuficiente na vitamina se os níveis estiverem entre 20 e 29ng/mL e suficiente em vitamina D quando os valores estiverem acima de 30ng/mL.

Então, como se deve agir para prevenir a deficiência de vitamina D e o raquitismo?

A prevenção deve utilizar todos os meios acessíveis que visem à aquisição de vitamina D, devido à sua importância para o organismo e à dificuldade de se conseguir bom aporte.

1. A exposição ao sol de forma regular e controlada, especialmente durante os meses de maior insolação, é a maneira mais natural de prevenir a deficiência. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a exposição direta da pele à luz solar com duração de 6 a 8 minutos ao dia ou 30 minutos por semana se a criança estiver usando apenas fraldas ou de 17 minutos ao dia (2 horas por semana) se apenas a face estiver exposta ao sol. Nos meses de inverno pouca vitamina D é obtida através do sol. Como a vitamina D é solúvel na gordura, ela é armazenada durante os períodos de exposição aos raios UVB e o organismo libera e utiliza essa vitamina que foi estocada durante os meses de pouca radiação.

2. Propiciar à criança estilo de vida saudável, com atividades regulares ao ar livre. A atividade física também é importante na medida em que auxilia na deposição de cálcio nos ossos.

3. Garantir adequada ingestão alimentar de cálcio e vitamina D.

4. Suplementação vitamínica para a faixa etária em maior risco e com exposição incerta aos raios UVB como nas cidades industrializadas. A prevenção com baixas doses de vitamina D não apresenta toxicidade, sendo recomendada para as crianças até os dois anos de idade e equivale a 400 unidades ao dia.

A aplicação na pele de filtro solar interfere com a absorção da vitamina D?

Sim. Como exemplo citaremos o uso de protetor solar fator 8. Neste caso, os estudos mostram que ocorrerá diminuição da capacidade de produção de vitamina D em aproximadamente 90%, devendo ser aplicado, portanto, após a exposição recomendada à luz solar direta.

Quais são as melhores fontes de vitamina D do ponto de vista alimentar?

Poucos alimentos em sua forma natural são boas fontes de vitamina D. Óleo de fígado de peixe e alguns tipos de peixe mais gordurosos e de águas frias como sardinha, salmão, cavala e atum são os alimentos que contêm o maior conteúdo de vitamina D. Gema de ovo, fígado e cogumelos possuem algum conteúdo da vitamina embora em menor concentração do que nos peixes.

Alimentos ainda podem ser fortificados com vitamina D, tais como cereais, suco de laranja, iogurtes, leite, manteiga e margarina. Crianças nos primeiros anos de vida beneficiam-se com a oferta de fórmulas lácteas após o desmame, pois todas são enriquecidas.

Night Run é patrocinada no Rio de Janeiro pela SulAmérica 1393

Night Run

Maior circuito de corrida noturna de rua do mundo chega à cidade carioca

A cidade do Rio de Janeiro recebe a corrida noturna “Night Run”, dia 11 de agosto, patrocinada pela SulAmérica, maior seguradora independente do País. A prova integra a cartilha de eventos que a companhia incentiva, visando divulga-los pelo Brasil.

O compromisso da seguradora com a sociedade, em fomentar a cultura e incentivar melhores hábitos saudáveis, permanece intacto através de seus patrocínios. Para a SulAmérica, o bem-estar de seus colaboradores, segurados e parceiros é essencial.

“Para nós é muito importante receber essa prova, é uma grande oportunidade de oferecer aos cariocas uma noite de diversões e, ao mesmo tempo, dar acesso ao esporte, que pode mudar vidas”, afirma a diretora da regional Rio de Janeiro e Espírito Santo da SulAmérica, Solange Zaquem.

Marcada para 11 de agosto, a corrida de que mistura esporte e música, será no Posto 3 da Praia da Barra, e conta com duas largadas, de 5km e 10km, ambas às 20h. Para mais informações sobre o evento, basta acessar este site.

Circuito SulAmérica Música e Movimento

O Circuito SulAmérica Música e Movimento, que completa dez anos em 2018, já patrocinou espetáculos que foram sucesso em todo o país, dentre eles Tim Maia – Vale Tudo, As Noviças Rebeldes, Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, Palavra Cantada, Turma da Mônica – O Show e recentemente Vamp – O Musical. A seguradora também patrocina eventos de esporte de participação, que buscam incentivar a prática de atividade física por meio de ações e iniciativas em diversas cidades, como o circuito Up Night Run.

Serviço:

Data: 11 de agosto de 2018.
Horário da largada de 5km e 10km: 20h.
Local: Praia da Barra – Posto 3.
Endereço: Avenida Lucio Costa – Rio de Janeiro/RJ.

Pacientes com câncer devem ter mais cuidados com a saúde bucal 1460

Dentes

Especialista explica impactos da quimioterapia e da radioterapia na saúde bucal e como minimizar efeitos colaterais

Câncer é o nome dado a um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e desordenado de células em grande velocidade, invadindo tecidos e órgãos de forma agressiva e prejudicial ao organismo. Os tratamentos mais comuns para combater essas células cancerosas são a quimioterapia e a radioterapia. Entretanto, essas medicações produzem efeitos colaterais por todo o organismo, inclusive na boca.

Com o objetivo de esclarecer a relação entre os tratamentos contra o câncer e os problemas bucais, a dentista e consultora da GUM, marca mais inovadora de cuidado bucal no Brasil e presente em 90 países, Isabella Mendes, explica alguns aspectos importantes abaixo:

Impactos da quimioterapia e radioterapia na saúde bucal

Mais de um terço das pessoas em tratamento contra o câncer desenvolvem complicações que afetam a boca e diminuem a qualidade de vida do paciente.

Entre as complicações está a mucosite, feridas e aftas na boca que dificultam a higiene e a alimentação. Além de serem doloridas, representam uma porta de entrada para bactérias em um organismo já debilitado pelo tratamento oncológico. “A quimioterapia ainda provoca náuseas e vômitos na maioria dos pacientes, cujos ácidos estomacais podem causar danos irreversíveis no esmalte dos dentes”, informa.

Segundo a especialista, a radioterapia tem ação mais local, com emissão da radiação apenas na região afetada pelo câncer, por isso possui menos efeitos colaterais. Mas, se o câncer for na região da cabeça e pescoço é possível que haja comprometimento das glândulas salivares, rouquidão, perda do paladar e xerostomia, conhecida como boca seca. “Obviamente cada organismo reage de uma forma, por isso cada paciente apresentará diferentes efeitos colaterais”, ressalta.

Diminuição dos impactos de tratamentos oncológicos na saúde bucal

De acordo com a dentista, a boca pode ser uma de porta de entrada de bactérias responsáveis por doenças e infecções. Como o sistema imunológico, que atua na defesa contra esses microrganismos, é enfraquecido pela radio e quimio, os pacientes com câncer ficam mais suscetíveis às essas bactérias.

“Tanto a quimioterapia como a radioterapia requerem acompanhamento odontológico, com um especialista. Ao consultar um dentista antes do início das sessões de quimio ou radio, ele poderá diagnosticar possíveis focos de infecção como cáries, gengivites e periodontites e indicar a melhor forma de controla-las em tempo hábil para início do tratamento oncológico”, argumenta.

A dentista ainda ressalta que o profissional responsável pela saúde bucal pode receitar produtos repositores de saliva ou lubrificantes orais. “Em geral estes itens são capazes de manter a cavidade oral úmida e protegida dos ácidos, inclusive alguns possuem enzimas similares aos encontrados na saliva natural”, revela. “Os enxaguantes bucais, sem álcool, também são ótimos para combater fungos e bactérias causadores de infecções”, completa.

“É essencial que o paciente procure orientação de um especialista ao detectar qualquer mudança na cavidade oral mesmo após o término do tratamento de quimio ou radio, para restabelecer e manter a saúde bucal”, finaliza Isabella.

Sincor-RJ prestigia lançamento da Bradesco Saúde 2533

Café da manhã foi realizado no Windsor Guanabara Hotel

A Bradesco Saúde promoveu o lançamento de mais um produto no Rio de Janeiro e convidou os corretores de seguros e seus principais parceiros de negócios para um café da manhã, realizado no Windsor Guanabara Hotel. O presidente do Sincor-RJ, Henrique Brandão, e a diretoria do Sindicato prestigiaram o evento, com objetivo de ampliar a aproximação entre os executivos da companhia com a categoria.

Na ocasião, Henrique Brandão afirmou que o “Bradesco Saúde Rio” é uma nova alternativa na modalidade de negócio para comercialização e que os corretores precisam estar atentos em relação aos detalhes do produto, para que possam passar as informações com objetividade aos segurados. “Quando uma companhia elabora um novo modelo de seguro, nós que somos corretores de seguros precisamos nos empenhar e ter toda atenção no que diz respeito a todos os informes inseridos no que vamos comercializar, pois não há condições de aumentar a demanda de novos negócios sem conhecer o que estamos oferecendo ao consumidor final. O corretor de seguros é um agente que cuida não só do patrimônio, mas também do bem estar dos seus segurados”, declarou.

Generali fecha parceria e anuncia produtos inovadores no ramo de saúde 1064

Saúde

TEM Saúde oferece cartão pré-pago para uso em consultas e exames médicos

A Generali Brasil Seguros fechou parceria com a TEM Saúde para oferecer produtos inovadores que farão parte dos benefícios dos cartões pré-pagos ContaSaúde, regulamentado pelo Banco Central. Atualmente estes produtos já contam com os serviços para uso em consultas e exames médicos e laboratoriais.

A parceria atenderá a um público que busca uma alternativa acessível e de alta qualidade frente aos desafios de demora e ineficiência do sistema público de saúde, atendendo não somente a população sem acesso ao sistema de saúde privado, mas também aos milhões de brasileiros impactados pela crise financeira que acabaram perdendo o seus planos.

O consumidor contará com benefícios especialmente pensados e desenhados para essa população. Um dos destaques é o seguro para diárias de internação hospitalar e o de diagnóstico para cobertura de doenças graves, modalidades pouco difundidas no mercado nacional, porém com alto valor agregado. “Nossa intenção é minimizar os problemas dos segurados e reduzir significativamente seus custos”, declara Claudia Papa, Head de Mass Channels da Generali.

A operação marca a entrada da seguradora neste mercado, um dos que mais crescem no país, formado majoritariamente por startups. Dos 200 milhões de brasileiros, 155 milhões não possuem planos de saúde e dependem do SUS. A nova parceria visa atingir em no máximo 4 anos, de 6% a 7% desses desprovidos de planos, chegando à marca de 10 milhões de segurados. “Essa fintech é uma alternativa para reduzir custos de atendimentos médicos, dentistas e de laboratórios de todo o Brasil, com uma rede de atendimento ampla, abrangendo praticamente todo o território nacional. É uma forma inovadora, criativa e ferramenta de inclusão social”, esclarece Antonio Cássio dos Santos, CEO das Américas e do Sul da Europa da Generali.

“Os cartões TEM são comercializados em planos individuais e familiares, possibilitando a adesão de outros membros da família, sem carência nem limite de idade, além de possibilitarem ao usuário valores para os procedimentos médicos menores do que os praticados no atendimento particular”, afirma Tuca Ramos, co-fundador da TEM, ao lado de Igor Pinheiro.

Sompo patrocina atividade que ensina crianças a lidar com situações de emergência 2240

Parceria KidZania e Sompo

Segurados participam com 15% de desconto

A Sompo Seguros firmou parceria com a KidZania, uma minicidade voltada para o público infantil que combina inspiração, diversão e aprendizagem por meio de atividades realistas. A companhia agora é a patrocinadora do Corpo de Bombeiros. Por meio dessa atividade, a criança veste uniformes de bombeiros personalizados com a marca e participa de um treinamento de brigada de incêndio. Com isso, os visitantes recebem ferramentas de autoconhecimento para saber como reagir e quais ações devem ser tomadas para oferecer o suporte necessário em situações de emergência.

Além de ser responsável pela atividade dos bombeiros, na qual as crianças podem vivenciar de uma forma lúdica a rotina da profissão, a Sompo Seguros também disponibiliza aos segurados dos produtos Auto, Vida Individual, Saúde e Residencial; um desconto de 15% na compra do ingresso. “Além de ser uma maneira de ensinar às crianças sobre a profissão por meio de uma experiência única, participar da atividade também é uma oportunidade de aprendizado sobre questões relevantes de segurança no dia-a-dia, que são importantes para evitar acidentes e incêndios”, considera André Gouw, gerente de marketing da Sompo Seguros.

Na KidZania, cada experiência é projetada especialmente para dar confiança e inspirar às crianças como cidadãos. Na sede de São Paulo, a atividade dos bombeiros, por exemplo, patrocinada pela Sompo Seguros, busca passar aos participantes as habilidades de colaboração e raciocínio lógico, ao mesmo tempo que ensina valores como responsabilidade e solidariedade. As crianças que optarem por essa experiência receberão treinamento de como reagir a uma situação de emergência e irão atender aos chamados de urgência pela cidade. “A escolha de associar nossa marca à atividade dos bombeiros se deu porque os objetivos dessa atividade estão alinhados com a missão da Sompo, que é gerar bem-estar e proteção à sociedade”, lembra Gouw.