Quatro passos para alcançar metas empresariais sustentáveis em 2018 12617

Confira artigo de Antonio Carlos Hencsey, líder de prática de Ética & Compliance da Protiviti

Um novo ano bate à porta e junto com ele são divulgadas as tão esperadas metas. Você já parou para pensar no impacto que esses números e expectativas organizacionais podem trazer para a gestão ética da sua empresa?

Se isso ainda não tinha passado pela sua cabeça, sugiro que você faça algumas reflexões para que a sua organização consiga os resultados esperados sem, porém, aumentar a probabilidade de ações ilícitas decorrentes de planejamento corporativo audacioso.

  • Comunique as metas de forma adequada

A maneira como as expectativas e objetivos da empresa para o próximo ano são apresentados fazem toda a diferença. Entusiasmo e desafio são fatores positivos para estimular as equipes a conseguirem superar os seus limites, porém é fundamental falar sobre o como se deseja alcançar esses números. Discursos ao estilo “missão dada é missão cumprida” devem obrigatoriamente ser acompanhados de diretrizes éticas claras, caso contrário as pessoas podem se preparar para o vale tudo da guerra sem prestar atenção nas melhores práticas do mercado.

  • Use dados de realidade para estipular as metas

O que você espera dos seus colaboradores é algo real ou é fruto de um pensamento ganancioso? Existe uma grande diferença entre vencer obstáculos e buscar o impossível. Por mais que em um processo de automotivação seja válido pensar que o impossível não existe, na prática ele é bastante real e desconsiderar questões sociais, econômicas ou operacionais ao traçar metas agressivas pode colocar em risco o posicionamento ético de profissionais. Ao desejar entregar o que é esperado, um colaborador pode manipular números ou usar atalhos para “alcançar o inalcançável”.

  • Ensine como se chega lá

Trabalhando com ética e compliance escutei muitos executivos de vendas reclamando da prática de gratificações ter sido proibida por boa parte das empresas. Eles dizem que isso impacta diretamente em suas vendas e que, por outro lado, as companhias para as quais trabalham estão cada vez mais agressivas desconsiderando esse fator. Tal ponto merece a atenção das organizações com os seguintes questionamentos: você ensina ao seu colaborador como obter seus resultados diante de cenários adversos? Qual é o suporte oferecido diante de novas realidades ou dificuldades? Cobrar sem dar as condições de obter o resultado pode aumentar o risco de fraude organizacional.

  • Observe o caminho e não só a reta final

Uma vez dadas as metas, acompanhe o trabalho da sua equipe. Verifique dificuldades, oriente os passos de acordo com o posicionamento ético esperado, ajude na identificação de saídas criativas. Os números devem ser o fim, mas de forma alguma o meio deve ser ignorado. Caso contrário, corre-se o risco de cairmos em uma armadilha, olhando exclusivamente para uma moldura financeira sem saber como os resultados foram construídos. Lembre-se das provas de matemática que você fazia na escola. Não é só a resposta final que importa, precisa-se observar toda a lógica do cálculo. Fique atento.

Café com Seguro discute desafios e oportunidades do Seguro Garantia de Leilões 1191

Leilão

Evento conta com presença de gerente executivo da ANEEL

No dia 22 de agosto, a Academia Nacional de Seguros e Previdência realiza mais uma edição do Café com Seguro. Na oportunidade, “Aneel e o Seguro Garantia de Leilões – Desafios e Oportunidades“, estará no centro das discussões. O evento acontece no auditório do Sindicato das Seguradoras de São Paulo (Sindseg-SP).

O Café, dividido em quatro painéis, aborda temas relevantes relatados pelo segurado sobre a sua experiência com o produto, o corretor de seguro e a sua responsabilidade perante o segurado e seu papel na melhoria do produto e desenvolvimento da indústria, entre outros.

O primeiro painel, apresentado pelo Dr. Romário de Oliveira Batista, Gerente Executivo da Secretaria Executiva de Leilões da ANEEL, terá como tema “A ANEEL e o Seguro de Garantia – Principais Desafios”. No segundo, o Acadêmico Edmur de Almeida, fala sobre “A Responsabilidade do Corretor de Seguro em uma Apólice de Seguro de Garantia”.

O Dr. João Alfredo Di Girolamo Filho, advogado e Diretor de Subscrição de Seguro Garantia da Swiss Re Corporate Solutions do Brasil, será responsável pelo terceiro painel que abordará “O Seguro de Garantia para a ANEEL – Construção de Obra ou Entrega de Energia”. A última parte, com moderação do Acadêmico Rogério Vergara, discutirá “O Contraponto da Indústria de Construção”, com o palestrante Sr. Venilton Tadini, presidente-executivo da ABDIB – Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base.

A programação estará sob a coordenação do Acadêmico Rogério Vergara, Diretor de Seguros de Danos e Coordenador da Cátedra de Riscos Financeiros da ANSP e o Acadêmico Edmur de Almeida, Diretor de Fóruns Acadêmicos da ANSP. O Acadêmico Rafael Ribeiro do Valle será responsável pela apresentação e a composição da mesa e o presidente da ANSP, João Marcelo dos Santos, ficará a cargo da abertura do evento.

O evento é gratuito, mas as vagas, limitadas. As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de agosto pelo e-mail eventos@anspnet.org.br ou pelos telefones (11) 3333-4067 e (11) 3661-4164.

Bradesco Seguros prepara corretores para os novos desafios do mercado 3572

Porto Alegre sediou bate-papo com a regional, nesta segunda-feira

A Sucursal Porto Alegre da Bradesco Seguros recebeu Guilherme Pires, Gerente Comercial de Benefícios da Regional Sul da companhia, nesta segunda-feira (13). Na oportunidade, a seguradora promoveu um bate-papo com a regional, onde os novos desafios do mercado de seguros foram abordados sob a visão dos profissionais da corretagem.

“O corretor de seguros é a ponte entre o comercial e a matriz, precisa estar atento às mudanças de comportamento dos consumidores. As empresas que fazem sucesso são aquelas que estão pensando no futuro, nas mudanças de todas as gerações”, explica Pires.

O executivo ainda trabalhou com os participantes o conceito de disrupção. “É o implemento de uma facilidade ou processo que venha trazer facilidade às pessoas a um custo-benefício interessante”, afirma. “Nós seguradores e corretores precisamos ser multicanais. Precisamos estar no WhatsApp, no e-mail, no telefone e onde pudermos para atender melhor”, completa.

A longevidade também foi abordada pelo Gerente Comercial. “Hoje mais de 26 mil pessoas no Brasil estão acima dos 100 anos”, revela ao evidenciar que as pessoas buscam propostas de valor. “As pessoas não querem ter problemas ao contratar algo. Nosso desafio é criar facilidades para atendê-las e consequentemente crescer”, revela ao detalhar a posição privilegiada do setor de seguros. “Nosso setor sempre cresce, mesmo na crise”, conclui.

Outros números revelam a grandiosidade das operações da Bradesco Seguros. A companhia possui 32% de participação no mercado de beneficiários de planos odontológicos. “Outro exemplo é o seguro de pessoas, que é de fácil penetração e acompanha muito a relação entre o mercado e a economia. É nosso dever atacar esse mercado de oportunidades e mostrar para as pessoas o quê e por que elas precisam”, diz ao destacar a importância de momentos como o promovido pela seguradora.

Guilherme Pires evidencia que um corretor multirramo acaba tendo maior facilidade na hora de gerir sua carteira de clientes. “Assim fica mais fácil fidelizar, garantir uma rentabilidade diversificada e obter uma menor exposição às oscilações que possam ocorrer no setor. Soluções completas vão auxiliar na profissionalização da corretora e da equipe”, conta. “Por favor, nos demandem. O mundo precisa cada vez mais de nós e, por isso, estamos aqui. Trazemos produtos e serviços para que as pessoas sintam-se assistidas”, finaliza.

Bate-papo com a regional – Todas as imagens:

Diversas novidades marcam encontro do Clube da Pedrinha em Seguros (RS) 2468

Momento contou com palestra motivacional e integração plena entre operadores do mercado

A noite desta segunda-feira (13) foi especial para os amigos do Clube da Pedrinha em Seguros. Na oportunidade, os membros aprovaram a inclusão de novos pedrinhas em seguros, que recebem seus pins no próximo encontro da entidade. O restaurante Casa do Marquês, em Porto Alegre (RS), foi cenário ainda de uma palestra motivacional com a coach especialista em desenvolvimento pessoal Arieli de Freitas Groff.

Arieli destacou a importância de se traçar objetivos claros, além do domínio sobre o autoconhecimento para uma vida mais leve. “É preciso aliar talentos, valores e visão de futuro a quem você decide ser, ou seja, definir seu propósito”, explicou.

Também graduada em psicologia, Arieli lembra que a definição de prioridades claras auxilia principalmente na produtividade e em uma vida mais feliz. “Quando você organiza tudo isso fica perceptível que o tempo passa no tempo certo. Não se tem aquela ideia de que passou depressa ou devagar demais. Se tem tempo para tudo que é realmente importante, pois ninguém irá conseguir fazer absolutamente tudo ao mesmo tempo. O dia tem 24h para todos”, reitera.

A presidente do Clube da Pedrinha, Ana Maria Pinto, anunciou uma série de novidades. Além de um banco de currículos, a entidade disponibiliza assessoria jurídica aos membros e os participantes de palestras receberão comprovantes com carga horária para a comprovação em cursos que possam exigir horas complementares.

Na disputa do bem, onde gremistas e colorados doam valores destinados à instituições de caridade, deu Grêmio com R$ 126. Já o Inter arrecadou R$ 82. Segundo a diretoria do Clube, já são quase R$ 1 mil arrecadados ao longo dos encontros de 2018. Mais uma prova que o mercado de seguros tem um aspecto social fundamental.

A próxima edição do tradicional encontro do Clube da Pedrinha em Seguros (RS) acontece no dia 11 de setembro, em piquete especial proporcionado pelo Grupo Autosul e Sultec Vistorias, no Acampamento Farroupilha.

Clube da Pedrinha em Seguros – Todas as imagens:

Sancor Seguros completa 3 anos de operação no RS 2635

Companhia de origem argentina cai no gosto dos consumidores e corretores gaúchos

A segunda-feira (13) foi especial para a equipe da Sancor Seguros no Rio Grande do Sul. A companhia atua há mais de 5 anos em solo brasileiro e há 3 conta com filial no Rio Grande do Sul, sob gestão da executiva Estela de Moura Rey.

Em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério, apresentado aos domingos no Canal Bah!TVEstela lembra do apoio dos primeiros 8 corretores cadastrados na operação inicial da companhia. “Hoje são mais de 300 corretores parceiros de prospecção. Somando com os profissionais da Lojacorr e Sustentare Seguros esse número é muito maior. Isso muito me orgulho, pois sei o quanto é difícil iniciar uma operação com foco em um público exigente como o do Rio Grande do Sul. Mas depois que conquistamos, ganhamos grandes parceiros”, explica a executiva.

Estela de Moura Rey e Andreia Alves deram início às operações da Sancor no Rio Grande do Sul. “Agora estamos em 8 profissionais aqui no Estado. Se pudesse resumir esse dia hoje, resumiria em muito orgulho e uma sensação de missão cumprida em poder contar com meu relacionamento a favor da companhia. Essa primeira etapa já foi cumprida”, comemora.

A gestora da filial gaúcha da Sancor Seguros destaca o crescimento totalmente orgânico da seguradora. “Estamos avançando muito em todo País. Acabamos de abrir um ponto em São Paulo, na cidade de Ribeirão Preto, também contamos com filial em Mato Grosso do Sul e percebemos que, aos poucos, a companhia está se movimentando para marcar presença em todos os Estados do Brasil”, explica. “É muito bacana ver a companhia conquistando essa posição de destaque com seu próprio esforço, sem negociações, tratativas ou fusões. Este é um trabalho de equipe, realizado dia após dia”, revela.

Estela ainda lembra que os profissionais da corretagem de seguros podem contar com toda estrutura da Sancor. “É uma empresa muito confiável e sempre que necessário podemos contar com o apoio da operação argentina. A companhia acredita muito no Brasil e entendemos que em momento algum vamos deixar de honrar com nossas promessas e compromissos”, afirma.

Os profissionais da Neo Executiva Corretora de Seguros comemoram a parceria com a Sancor Seguros. “Estamos comemorando esse desenvolvimento de novos produtos, parcerias e corretores que passaram a fazer parte deste relacionamento ao longo dos últimos 3 anos. A Estela não está apenas no Rio Grande do Sul, está ganhando o mercado brasileiro junto conosco, nos apoiando e crescendo. Todo esse suporte faz toda diferença para o corretor”, explica a corretora Júlia Fetter.

A Neo Executiva, por exemplo, demonstra total entusiasmo com o panorama do seguro no cenário brasileiro. “O servidor público é um de nossos principais clientes, contamos com a Federação dos Oficiais de Justiça ao nosso lado, por exemplo. Atendemos não apenas o servidor do Judiciário, como também de outras esferas, com produtos exclusivos, diferenciados e de excelente custo-benefício”, reforça Júlia. “É preciso entender a necessidade dos clientes, quais são seus diferenciais, para aí ofertar o produto mais assertivo”, complementa.

No mesmo sentido, Estela de Moura Rey reforça o papel do seguro na sociedade. “A ideia do seguro é proteger sua família, sua vida. É garantir a continuidade do bem-estar. A palavra proteção resume bem o seguro. Proteja as pessoas que você ama através da contratação de um seguro”, finaliza ao reforçar a atenção às preferências do consumidor final.

3 anos de operação da Sancor Seguros no RS – Todas as imagens:

Estratégias para mitigação de riscos em momentos de desordem civil 1433

Confira artigo de Carlos Cortés, Head of Risk Engineering da Zurich no Brasil

Desordens civis e tumultos não são considerados riscos novos. Porém, representam uma ampla ameaça que deve ser avaliada detalhadamente pelas empresas com bases nas operações e vulnerabilidades do negócio.

Protestos como os que vivemos recentemente, com a greve dos caminhoneiros e o consequente desabastecimento de bens de consumo básicos, impactam fortemente o dia a dia da sociedade. A escalada desta situação pode resultar em agitação, incêndio, vandalismo, motins ou distúrbios civis. Estes eventos e suas consequências podem durar um curto período ou vários dias, elevando o potencial de risco para as empresas.

Importante também ressaltar que o atual ambiente econômico e político, bem como a capacidade oferecida pelas mídias sociais de se comunicar de forma rápida e mobilizar grandes multidões, acabam impactando ainda mais negativamente este risco.

Uma boa abordagem para mitigar esta ameaça é realizar uma avaliação de risco detalhada e executar as mudanças necessárias no programa de gerenciamento de riscos. O ideal é uma avaliação para cada local que possa estar exposto à desordem civil. Recomendamos avaliações separadas para cada local, já que as ameaças e vulnerabilidades podem variar de local para local.

Mas quais condições podem apresentar um maior nível de exposição à perturbação da ordem pública? Algumas delas que podemos destacar: localidades urbanas com problemas de segurança; proximidade de locais como estradas com presença de grevistas, complexos esportivos, rotas de desfile ou paradas que possam desencadear um protesto, empresas que podem ser alvo de protesto; bem como edifícios governamentais, embaixadas e consulados estrangeiros.

Outro aspecto importante também a ser levado em consideração é a conscientização antecipada de um evento, que poderia levar a desordens civis. Isso propicia tempo para que locais potencialmente afetados tomem medidas razoáveis para se preparar. Desenvolva um plano de ação para preparar antecipadamente a instalação para a desordem civil, considerando a possibilidade de restringir as operações, se necessário.

Uma avaliação de riscos ajudará a preparar uma lista concisa de ações para complementar e melhorar a comunicação, proteção, mitigação e os planos de resposta de emergência da empresa. A estratégia deve ser focada na abordagem “Preparação-Resposta-Recuperação” para ajudar a reduzir o impacto negativo na empresa e assegurar a resiliência e a continuidade dos negócios. Reveja as apólices de seguro e cobertura com o corretor ou agente de seguros.