O corretor e o consumidor do futuro 59572

Nem tudo é sobre o acaso, na grande maioria das vezes, é sobre preparação

O futuro é um conjunto de fatos relacionados a um tempo que há de vir; destino ou sorte, conforme determina o dicionário. Mas nesse período que sucede o presente, nem tudo é sobre o acaso, na grande maioria das vezes, é sobre preparação. Os corretores de seguros estão preparados para o futuro se ele chegar hoje?

A KSA Corretora de Seguros, de Porto Alegre (RS), é um exemplo que vem trabalhando numa nova linguagem para atender os futuros consumidores. Mesmo com seus dez anos de trabalho consolidados, a empresa não ficou na zona de conforto e procurou uma agência de publicidade para dar um visual mais jovem aos seus processos. “Chegou um momento que eu entendi que o caminho e a estrada são na corretagem de seguros e começamos a fazer uma história bacana e bonita, lenta e com solidez, mas nunca nos acomodamos”, conta o fundador e diretor comercial, Jean Figueiró.

Jean Carlo Figueiró, gestor da KSA Corretora de Seguros, durante reconhecimento no 15º Troféu JRS

Para os clientes de longa data de uma corretora de seguros, é muito importante enxergar credibilidade e respeito. A cara nova da KSA reforça estes valores e insere novas possibilidades ao seu portfólio. “Com os dez anos próximos, achamos que seria legal nos reinventarmos e começar a preparar a empresa para o mercado do futuro, que é o dos meus filhos e a nova geração. O objetivo é começar a olhar o cliente deles”, comenta ao lembrar que sua trajetória vem construída de muitos anos no mercado segurador, uma vez que, no momento que voltou a operar na corretagem, obteve 70% de seus clientes de volta.

Sucessão familiar é um conceito muito forte entre os corretores de seguros, pois, em algum momento, a carteira de clientes que o profissional constituiu passará a outro. E o natural e costumeiro é que fique em família. Os dois filhos de Jean trabalham no mercado de seguros, sendo que o mais novo, Luã, está na KSA há seis anos. “Ele se preparou para isso, fazendo o curso de corretor e estudando o mercado. Eu entendo ele como um grande vendedor, pois tem uma rede de relacionamentos enorme, levando uma relação não puramente comercial, mas de vínculo e de afetividade”, diz. “Eu acho que isso transforma o nosso mercado: quando é possível ter amigos e estes amigos serem clientes”, acrescenta.

A KSA também está com projetos que visam reforçar a cultura do seguro nos consumidores. A ideia é conscientizar, além do corriqueiro automóvel, sobre outras proteções existentes, como vida e residencial, que o futuro cliente em potencial ainda não conhece. “Por isso, estamos desenvolvendo um projeto com alguns parceiros para fazer palestras em escolas públicas, debater o seguro neste ambiente de formação escolar, mas também levar a cultura do nosso produto para que eles entendam desde muito jovem que existe uma proteção e venham talvez até a repassar essas informações aos seus pais”, revela. “São estes jovens que são os futuros motoristas, futuros donos de casa e nós precisamos nos adaptar a este novo público e sobretudo ensiná-los que existe um segmento que mexe com a nossa economia, com a nossa poupança e está vinculada à proteção”, complementa.

Sobre o que realiza diariamente, a corretora capitaneada pelo corretor de seguros Jean Figueiró trabalha com todos os ramos, mas procura se especializar naqueles mais específicos e menos explorados pelos colegas em geral, como seguro para cartórios, consignados e Responsabilidade Civil. “Temos bastante seguros de cartórios, e no Brasil inteiro nos tornamos uma referência nesse produto, pois, fora nossos amigos que atuam conosco, a maioria das pessoas nem sabe que existe”, afirma. “O nosso mercado é muito grande e há muito para ser explorado, precisamos ampliar a nossa visão, deixar de manter-se no ramo tradicional e precisamos de especialização”, defende.

O futuro já chegou?

Durante muito tempo se acreditou que o futuro da corretagem seria através da venda online de seguros. Uma recente pesquisa, apresentada na 11ª edição da pesquisa TIC Domicílios 2015, mostra que 58% da população brasileira usa a internet, o que representa 102 milhões de internautas. “A penetração de conectividade vem aumentando cada vez mais. O surgimento de empresas e serviços online acontece para atender à demanda cada vez mais evidente. Com o mercado de seguros não é diferente. Ele se diversificou de acordo com as exigências dos consumidores”, explica a head de marketing da corretora de seguros online Bidu, Marcella Ewerton.

Inserida neste meio, a Bidu, quando começou suas atividades em 2011, tinha ideia de simplificar a contratação de seguros, tornando tudo mais prático e acessível. Apesar de sua forte aposta na internet, a empresa acredita que a prática é uma das possibilidades de intermediação no mercado de seguros, mas não é a única. “O que vemos atualmente, mesmo em meio ao boom de tecnologia, são corretores tradicionais que aumentam sua carteira de clientes e seguem fazendo bons negócios”, confia. “Assim como em outros mercados, a venda online não é o único futuro. Por exemplo, no mercado de varejo, o surgimento de e-commerces foi importante para o mercado. Mas não fez com que lojas físicas desaparecessem: o mercado mostrou que há espaço para diferentes formas de negócio”, exemplifica.

A corretagem de seguros, como tantos outros ramos, caminha para um novo formato. A indústria de seguros, que inclui a corretagem, está num movimento que de adaptação às novas tecnologias e demandas do público. Muitos corretores acreditam na venda online mista, aquela que só coleta os dados do cliente e finaliza a venda através de outro meio. Tratando-se do seguro auto, carro chefe da corretora, o cliente tem a opção de escolher o processo que prefere. “No nosso site, é possível seguir todos os passos da contratação online, tendo um contato telefônico apenas de auditoria dos dados. Porém, muitos clientes preferem esse contato antes e com um tom consultivo: nossos consultores auxiliam na escolha do melhor seguro e tiram as dúvidas que podem surgir durante a contratação”, declara.

Além da venda através do computador, a Bidu também procura outras formas de inovar. “Hoje, nossa inovação está centrada em encontrar novos produtos para atender nossos clientes e inseri-los no nosso universo. Além de buscar fazer isso com muita eficiência, analisando diversas perspectivas do nosso negócio constantemente”, expõe. Mas Marcela lembra que o início já se tratou de uma inovação, uma vez que foi preciso unir dois elementos de dois mundos diferentes, a tecnologia e o seguro. “Fazer a integração online com as seguradoras, por exemplo, para conseguirmos mostrar para o cliente o preço online foi um grande desafio, que hoje já dominamos e fazemos apenas ajustes e adequações”, avalia.

Além disso, foi preciso entender que seguro não é um tema com o qual o brasileiro está habituado. Por isso, a empresa investe em seu papel para esclarecer o assunto. “Temos um time de conteúdo e comunicação focado em produzir textos, vídeos e outros formatos para deixar o mundo dos seguros mais acessível aos consumidores. Além disso, o nosso atendimento é preparado para resolver qualquer dúvida que um cliente possa ter”, específica ao reiterar que isso também garante o bom entendimento de um contrato de seguros comercializado pela rede mundial de computadores. “É importante, antes, investir em educação sobre esse tema. Assim, o cliente já tem informações suficientes para tomar uma decisão consciente na hora de contratar um seguro”, conclui.

Andre Gouw entre os Profissionais de Comunicação do ano do Prêmio Comunique-se 4116

Executivo participou no processo de integração que culminou no lançamento da marca Sompo no Brasil

Andre Gouw, gerente de Comunicação e Marketing da Sompo Seguros, está entre os profissionais de destaque na categoria Profissional de Comunicação Corporativa da 16ª edição do Prêmio Comunique-se. O executivo figura numa lista dos dez profissionais mais lembrados por jornalistas, publicitários, profissionais e estudantes do segmento, bem como internautas interessados no mercado de comunicação.

Esta será a quarta vez que Gouw está entre os profissionais de destaque. As outras três aconteceram nas edições de 2013, 2015 e 2017. Agora já está aberta a 2ª etapa de votação do prêmio, por meio da qual será dada distinção aos três executivos com mais votos. A votação nesta fase acontece até o dia 8 de julho e pode ser feita por meio deste link. “Estar numa lista em que os profissionais são indicados conforme a lembrança do público já é um reconhecimento importante. No caso do Prêmio Comunique-se, que já é amplamente reconhecido e sempre conta com milhares de indicações, o grau de relevância aumenta substancialmente”, comemora Gouw.

O executivo é o único representante de uma seguradora a estar entre os finalistas. Na segunda fase, Andre Gouw concorre com profissionais de comunicação que atuam em marcas de reconhecimento global nos ramos de Alimentação, Aviação, Automotiva, Consumo, Eletrônicos e Tecnologia; para a etapa que define os três finalistas que concorrem à premiação final. O Prêmio Comunique-se tem como objetivo reconhecer o desempenho do profissional ou agência pelo conjunto do seu trabalho em determinado período, ao invés de avaliar um trabalho específico. “Estar entre os profissionais mais lembrados é um reconhecimento que devo compartilhar com a equipe de comunicação da Sompo, sempre empenhada em levar ao mercado um entendimento do mercado de seguros com uma linguagem atrativa e amigável”, complementa Gouw.

Construção de Marca

Andre Gouw atua há mais de 35 anos no mercado de comunicação, dos quais mais de 17 no setor de Seguros. Entre suas ações mais recentes, o executivo conduziu o processo de construção e apresentação da marca Sompo, que completa dois anos no mercado brasileiro em julho. O lançamento envolveu estratégias específicas para públicos interno e externo (agentes de mercado, imprensa, corretores e segurados e público geral), além de campanhas publicitárias em nível nacional. Atualmente está em veiculação uma campanha multiplataforma de abrangência nacional que tem como mote criativo a confiabilidade da seguradora de origem japonesa e traz Lyoto Machida – lutador brasileiro de MMA e Karatê – como protagonista.

O processo para adoção da nova identidade da Sompo Seguros teve início em 2009, quando a Marítima Seguros, uma companhia fundada em Santos (SP) há mais de 70 anos, vendeu 50% de sua participação acionária à Yasuda Seguros, que atuava no Brasil desde 1959 e era subsidiária do Grupo Sompo Japan (hoje, Grupo Sompo Holdings). No início de 2013, o Grupo Sompo, por intermédio da Yasuda Seguros., aumentou sua participação, assumindo o controle acionário da Marítima Seguro. Já em abril de 2014, a companhia obteve a aprovação prévia da Superintendência de Seguros Privados (Susep), para se incorporar, passando a se chamar Yasuda Marítima Seguros. A aprovação final do órgão regulador foi concedida e publicada no dia 7 de outubro de 2014. Após conclusão do processo de integração houve a decisão pela mudança da marca para Sompo Seguros, já autorizada pela Susep e que passou a valer desde 1º de Julho de 2016.

Previsul Seguradora busca soluções que facilitem o dia a dia do corretor 1045

Confira entrevista com Renato Pedroso, presidente da companhia

A Previsul Seguradora participou do Congresso Sul Brasileiro dos Corretores de Seguros. Presentes, no estande da companhia, o presidente Renato Pedroso, a diretora de Negócios e Marketing, Andreia Araújo, os gerentes regionais, gerentes de sucursal da regional sul e equipe comercial de Santa Catarina.

Na avaliação de Pedroso, o tema do evento está em sintonia com o momento da Previsul, que tem buscado, por meio da tecnologia, soluções que facilitem o dia a dia do corretor de seguros. “Somos uma seguradora orientada para o futuro. Por isso, estamos sempre atentos às tendências e necessidades do mercado, evoluindo em tecnologia para oferecer ferramentas digitais que tragam mais agilidade e autonomia ao corretor”, afirma. Entre as ferramentas citadas por Pedroso, destaca-se o Cota+, cotador online que realiza o processo de cotações de forma rápida e prática. “Também temos o Portal do Corretor, canal digital para que o corretor possa ter acesso a documentos, movimentações de vida, e muito mais.”, completa.

JRS sorteia entradas para Noite Italiana de Antônio Prado (RS) 444

Rainhas da edição 2017 da Noite Italiana de Antônio Prado/RS

Sortudas foram conhecidas em transmissão ao vivo, na manhã de hoje

Em parceria com a Solaris Corretora de Seguros e CDL de Antônio Prado, o JRS realizou, na manhã desta quarta-feira, o sorteio de entradas para a Noite Italiana. O momento contou com transmissão ao vivo pela página do JRS em uma rede social.

Veja também: Cobertura especial do JRS na Noite Italiana de Antônio Prado (RS), em 2017

Nara Melo, Eliane Pacheco e Luana Dondé Tochetto Scopel foram as grandes felizardas. Nossa produção já entrou em contato com ambas, que devem informar nome completo e CPF também dos acompanhantes. Realizada por mais um ano consecutivo, a promoção atingiu recordes de alcance. Mais de 35 mil pessoas visualizaram a publicação e, ao todo, 600 participantes foram validados para o sorteio.

Acompanhe a transmissão ao vivo:

 

As entradas sorteadas pelo JRS dão direito ao participante com acompanhante a participarem da maior festa da cidade mais italiana do Brasil, no próximo sábado 18 de agosto. A Noite Italiana de Antônio Prado (RS) ainda acontece no dia 25 de agosto. Uma série de atrações deve encantar visitantes de todas as partes, que podem adquirir seus ingressos neste site.

Neo Executiva inaugura escritório em Florianópolis (SC) 7116

Em expansão, corretora conta com 11.670 clientes do produto vida pelo Brasil

A Neo Executiva Corretora de Seguros inaugurou no sábado (21) filial em Florianópolis (SC). Parte do projeto de expansão da empresa, o novo escritório está localizado de forma estratégica logística e comercialmente. “A ideia é agregar cada vez mais e fortalecer a Região Sul, além de todo o Brasil que já atendemos”, destaca o diretor da Neo Executiva, Zênio Costa.

A corretora conta com 11 mil 670 clientes do produto vida pelo país, desde a sua última contagem. “A nossa forma de atuação é de adesão, então estes clientes foram conquistados individualmente e somados dentro da nossa operação, não vieram numa grande massa”, conta. “Além dos outros ramos que temos trabalhado bastante, como um mix de carteira empresarial que estamos começando”, acrescenta.

A empresa avançará nos próximos meses ao Nordeste, com inauguração de escritório em Recife (PE) em agosto e outro está previsto na Bahia na sequência. “Esse é o nosso projeto: atender a todo Brasil e ficar ainda mais próximos dos Estados e dos clientes”, afirma o diretor da Neo Executiva, Luis Henrique Bueno. “Para atender nacionalmente é preciso muita dedicação e coragem”, complementa.

Além disso, o gerente de seguros de pessoas da Sancor Seguros Brasil, Rafael Leonel, e a gerente comercial Estela de Moura Rey acompanharam o momento da inauguração na Capital catarinense. “Para nós é uma satisfação muito grande ter uma corretora como a Neo como parceira, pois esta parceria vai completar um ano e já colhemos frutos excepcionais a cada dia”, comenta Leonel.

A Sancor e a Neo Executiva realizam o trabalho de levar seguro de vida a todos os brasileiros. “A Sancor com cinco anos de Brasil e a Neo com oito anos de atuação, ambas estão conquistando e avançando. Nos honra muito esta parceria, pois a Neo trabalha com um segmento muito importante, que é a proteção das famílias através do produto vida”, finaliza Estela.

Confira as imagens – Neo Executiva Florianópolis (SC):

Justiça revoga bloqueio de bens de seguradora para suprir previdência da Aplub 814

Decisão judicial

Decisão praticamente inviabilizava operações de grupo segurador

Conforme noticiado por JRS em 8 de agosto, uma liminar determinava o bloqueio dos ativos livres de várias empresas ligadas à seguradora Capemisa, a fim de suprir as provisões técnicas relativas aos planos previdenciários da Aplub. Os valores necessários seriam apurados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), interventora da Aplub desde 2015.

No último dia 10 de agosto, o desembargador Pedro Luiz Pozza decidiu suspender a decisão, que “praticamente inviabiliza as atividades das recorrentes, que se veem, de uma hora para a outra, sem a disponibilidade de seus ativos financeiros, o que pode implicar na sua imediata liquidação pela ausência de meios para arcar com suas obrigações, que seria uma medida praticamente irreversível”, explica no despacho emitido pela 12ª Câmara Cível, da comarca de Porto Alegre (RS).

“Ou seja, a decisão recorrida pode provocar justamente aquilo que quis evitar, que é a liquidação da Aplub. Com isso, estar-se-ia, como dizem as recorrentes, despindo um santo para vestir outro”, segue a decisão.