Safra 2017/2018 nas regiões Centro-Sul 2586

Mais de 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de dezembro de 2017

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas e destilarias do Centro-Sul atingiu 2,56 milhões de toneladas na segunda quinzena de dezembro de 2017. No acumulado, desde o início da safra até 1º de janeiro de 2018, a moagem totalizou 583,39 milhões de toneladas, permanecendo abaixo do resultado apurado até a mesma data no ciclo 2016/2017 (592,05 milhões de toneladas).

Para o diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “a safra 2017/2018 está praticamente encerrada na região Centro-Sul, pois apenas 4 unidades produtoras continuam em funcionamento após 1º de janeiro”. A quantidade de cana-de-açúcar que será processada em março, por sua vez, dependerá das condições climáticas a serem observadas nesse período de entressafra, destacou Rodrigues.

Qualidade da matéria-prima

No acumulado desde o começo do ciclo 2017/2018 até 1º de janeiro, a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 137,32 kg, incremento de 2,59% quando comparado ao mesmo período da safra anterior.

“Essa melhora na qualidade da matéria-prima compensou a redução de moagem registrada até o final de dezembro, evitando uma queda na quantidade de produtos obtidos a partir do processamento da cana na safra atual”, acrescentou Rodrigues.

Na última metade de dezembro, o teor de ATR alcançou expressivos 145,74 kg por tonelada de matéria-prima. Mas esse elevado valor do “ATR produto” deve ser analisado com muita cautela, pois é superior ao real índice verificado no laboratório das unidades produtoras..

O cálculo utilizado para obter o “ATR produto” se dá a partir do volume de cana-de-açúcar processada e das produções de etanol e de açúcar, tomando certas premissas relativas às perdas industriais e às eficiências de fermentação e de destilação. Diante desta metodologia de cálculo e considerando que quase 100% das unidades já finalizaram esta safra até 1º de janeiro, houve um descompasso entre a moagem registrada e o respectivo montante de produtos fabricados. Especificamente, a quantidade de cana-de-açúcar que estava em processamento não obteve sua respectiva contrapartida em produtos (etanol e açúcar), elevando, de maneira irreal, a qualidade da matéria-prima obtida por meio dessa sistemática de cálculo.

Produção de açúcar e etanol

Da quantidade total de cana-de-açúcar processada na segunda quinzena de dezembro, 68,75% destinaram-se à produção de etanol, ante 64,72% em igual intervalo de 2016. No acumulado desde o início da safra 2017/2018, este percentual alcançou 53,07%.

Com mais caldo direcionado ao renovável, sua fabricação totalizou 189,39 milhões de litros (183,24 milhões de litros de etanol hidratado e 6,15 milhões de litros de etanol anidro) nos 15 dias finais de dezembro de 2017. Esse resultado corresponde a um incremento de 12,33% sobre a mesma quinzena do ano anterior.

No caso do açúcar, foram 110,93 mil toneladas produzidas. Já no acumulado desde o início da safra 2017/2018 até 1º de janeiro de 2018, a quantidade fabricada somou 35,82 milhões de toneladas.

Em relação ao etanol, a produção acumulada atingiu 25,22 bilhões de litros, sendo 14,57 bilhões de litros de etanol hidratado e 10,66 bilhões de litros de etanol anidro.

Rodrigues explica que “a produção de etanol contabilizada pela UNICA inclui aquele fabricado a partir do milho”. A Entidade registrou 36,67 milhões de litros de etanol de milho produzidos na segunda quinzena de dezembro. No acumulado do ciclo atual, o volume fabricado alcançou 319,11 milhões de litros, muito acima dos 140,49 milhões de litros verificados em igual período de 2016.

Vendas de etanol

O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul, acumulado entre 1º de abril a 31 de dezembro de 2017, totalizou 19,99 bilhões de litros. Este resultado é 1,91% inferior aos 20,38 bilhões de litros observados no mesmo período de 2016.

Essa queda reflete, sobretudo, a redução de 6,89% das vendas domésticas de etanol anidro, que somaram 7,17 bilhões de litros no último ano. É oportuno mencionar que este montante não incorpora as importações totais do aditivo à região, mas apenas cerca de 30 milhões de litros importados e registrados via SAPCANA (Sistema de Acompanhamento de Produção Canavieira) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Em contrapartida, o volume acumulado comercializado de etanol hidratado no mercado interno aumentou ligeiramente: 0,22%. Atingiu 11,56 bilhões de litros, contra 11,54 bilhões de litros entre abril e dezembro de 2016.

Segundo o diretor Técnico da UNICA, “esse crescimento reduzido não retrata adequadamente a recuperação das vendas a partir de agosto de 2017”.

De fato, desde o início da safra 2017/2018 até 16 de agosto, as vendas quinzenais de etanol hidratado apresentavam recuo médio de 15% em relação ao volume registrado em 2016. A partir da segunda metade daquele mês até 31 de dezembro essa tendência se inverteu, e as vendas passaram a registrar aumento de 20%.

Com efeito, em dezembro o volume de etanol hidratado comercializado no mercado interno alcançou 1,43 bilhão de litros, expressiva alta de 26,83% comparativamente a 2016. Destas vendas, 677,34 milhões de litros ocorreram na segunda metade do mês.

Para Rodrigues, “esse volume indica um mercado aquecido, pois a entrega física de etanol pelas usinas do Centro-Sul em dezembro foi prejudicada pelo início da safra na região Nordeste e pelo provável efeito da importação de anidro, que pode ter estimulado a produção e as vendas de hidratado pelos produtores daquela região”. Além da retração nas transferências de etanol do Centro-Sul decorrente desse movimento, houve redução nos estoques dos distribuidores em dezembro, diminuindo a necessidade de compra de hidratado das usinas – tradicionalmente esses agentes buscam reduzir os volumes armazenados para fins de fechamento contábil no final do ano, acrescentou o executivo.

Em relação ao açúcar, a quantidade comercializada pelas usinas da região Centro-Sul no mercado interno cresceu 1,39% no comparativo de abril a dezembro de 2017 sobre o mesmo período de 2016. Por sua vez, a quantia destinada à exportação aumento 0,96%.

Make-up Canoas oferece condição especial para arranhões superficiais 636

Serviço está a partir de R$ 80

A Make-up Canoas está com condição especial para quem precisa reparar arranhões superficiais do seu automóvel. Agora não tem mais desculpas para deixar seu carro com aquela marca indesejada.

O inovador método SRA pode deixar o veículo com a aparência de 0km de novo. Aproveite a condição especial da unidade: a partir de R$ 80 para arranhões superficiais*.

Agenda sua avaliação através do telefone (51) 3463-1540 ou vá até a Make-up Canoas, que fica na Avenida Getúlio Vargas, 4294 – Centro.

*Sujeito a avaliação.

Sucesso no lançamento de segunda obra de Alberto Júnior 1358

“Vendedor C.O.U.G.A.T.I” já chegou às mãos de quase 300 leitores

Os leitores compareceram em peso no lançamento da obra “Vendedor C.O.U.G.A.T.I – O vendedor mais cobiçado” na terça-feira (18) na Capital gaúcha. Somando a pré-venda online e as vendas na Livraria Cultura, o mais recente livro de Alberto Júnior, também autor do best-seller “A Lógica – Como ganhar milhões com seguro de vida”, já chegou às mãos de quase 300 pessoas.

O especialista em vendas no ramo de seguro de vida mostra os passos de como sair do lugar comum através de sete passos, todos coordenados pelas letras C, O, U, G, A, T e I. “Todos nós somos vendedores”, confia Alberto Júnior, que é fundador do Grupo Life Brasil, uma das maiores corretoras de seguros de vida do Brasil e CEO da Life Brasil Franchising. “Vendedor bom é aquele que vai além das suas próprias expectativas, que se doa ainda mais na arte de vender e que sempre tem algo a mais a oferecer. É exatamente como funciona com o creme dental, que apesar de estar no fim, ainda consegue nos doar um pouco a mais”, conclui.

O livro pode ser adquirido em qualquer Livraria Cultura e Saraiva ou através do endereço vendedorcougati.com.br.

Fotos: Matheus Henrique Pé/JRS

Como um aplicativo pode tornar você um motorista melhor 789

Motorista

“Trânsito+gentil” ainda traz descontos e premiações para bons condutores

Entre os dias 18 e 25 de setembro acontece a Semana do Trânsito, que em 2018 tem como tema: “Nós somos o trânsito”. Em reforço a essa causa, que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de um tráfego mais seguro, motoristas podem conhecer e baixar gratuitamente o app Trânsito+gentil, do Porto Seguro Auto.

Lançado pela companhia no primeiro semestre desse ano, o aplicativo concede descontos de até 35% para os motoristas de 18 a 24 anos no seguro auto. Além disso, todo mês os 10 melhores condutores, com boa performance na direção, podem ganhar prêmios de R$ 200 a R$ 4.000.

A novidade é uma espécie de medidor de gentileza que influência o condutor a ter ações que promovam um trânsito mais consciente e colaborativo. O aplicativo propõe uma jornada aos usuários, que passam por diversos desafios e missões para acumular pontos e concorrer aos prêmios que incluem itens, como TV, smartphones, notebook e até viagens. Para avaliar a performance do condutor, são utilizadas cinco variáveis: aceleração, frenagem, velocidade, curvas e uso do celular ao volante. O bom desempenho, somado à condução com responsabilidade, dará ao motorista moedas e medalhas online de ouro, prata e bronze.

“Por meio do aplicativo, o Porto Seguro Auto incentiva um trânsito mais responsável. O motorista que andar na velocidade permitida, que frear suavemente, que realizar as curvas de forma tranquila e não acelerar bruscamente, será recompensado e contribuirá para a diminuição dos acidentes no trânsito”, destaca o diretor do Porto Seguro Auto, Jaime Soares.

Lógica de descontos

Ao baixar e se cadastrar no app, todos os usuários ganham 3% de desconto ao contratar ou renovar com o Porto Seguro Auto. Além disso, nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia, os motoristas com zero ponto na habilitação somam mais 7%, podendo chegar a 10% no total de descontos.

Já os condutores de 18 a 24 anos, além desses descontos, podem ganhar até 15% pela maneira como dirige e ainda, ao realizar os cursos online Direção Segura e Emocional, garantem mais 10% de desconto no Porto Seguro Auto Jovem, somando-se 35% para este público.

Saiba mais neste endereço.

Grupo Delta inaugura nova unidade em São Paulo 676

Delta

Filial está localizada em Pinheiros

Em sequência ao alinhamento estratégico e com o compromisso de se aproximar cada vez mais dos corretores, seguradoras e clientes, o Grupo Delta inaugurou esta semana sua nova unidade em São Paulo.

O novo espaço permitirá alocar profissionais da área comercial trazendo mais proximidade, segurança e eficiência aos parceiros da região sudeste.

“A região sudeste representa uma grande parte de nossos negócios atualmente, com a nova unidade vamos aproximar e agilizar nosso contato com seguradoras, corretores e demais parceiros da região”, afirma o diretor executivo do Grupo, Nícolas Galvão. Comandado por Gabriel Prezensky, o escritório conta também com outros profissionais de grande experiencia no mercado de seguros.

Além do foco em assistência 24h para frotas e afinidades, com a Delta Global Assistance, a nova unidade de São Paulo vai trabalhar a expansão da recém lançada DeltaSat, empresa de rastreamento e monitoramento do grupo com tecnologia 100% própria, o que proporciona uma personalização do sistema de acordo com as necessidades de cada cliente.

Atualmente o Grupo Delta mantém operações em outras três unidades: a matriz em Porto Alegre, escritórios em Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A unidade de São Paulo fica localizada no bairro de Pinheiros, importante região de negócios da capital paulista.

O endereço da unidade fica na rua Paes Leme, 215 – sala 809, Pinheiros (SP), telefone (11) 3032.4658. Saiba mais nesse endereço.

Berkley anuncia mudanças na estrutura organizacional 638

Divulgação

Novidade é atribuída a evolução da companhia, segundo presidente

Seguindo o direcionamento estratégico na busca do contínuo crescimento e fortalecimento dos negócios da companhia, a Berkley informa algumas importantes mudanças em sua estrutura organizacional que entraram em vigor no mês de setembro.

O executivo Eduardo Viegas deixa a função de diretor de Riscos Financeiros da Berkley e assume o cargo de vice-presidente técnico operacional, sendo responsável pela gestão do portfólio dos produtos Transportes, Garantia, Riscos de Engenharia, RD Equipamentos, Acidentes Pessoais, Entretenimento, E&O, D&O, RCG, Fiança Locatícia, Gestão Técnica/Negócios e Sinistros.

O atual COO (Chief Operating Officer) da companhia, Leandro Okita, assume o cargo de vice-presidente executivo da Berkley e será responsável pelas áreas Financeiro, Contábil, Resseguro, Sinistros, Administrativo, Recursos humanos, Jurídico, Tecnologia.

Segundo o presidente da Berkley, José Marcelino Risden, a nova estrutura operacional é resultado da evolução da companhia e do reconhecimento ao trabalho de Eduardo Viegas e Leandro Okita. “Essa reformulação visa otimizar os nossos processos, utilizando o conhecimento e experiência dos dois executivos para reforçar e apoiar o trabalho dos demais colegas da equipe, sempre com vistas à melhoria dos nossos serviços, de forma a privilegiar os nossos parceiros de negócios”, ressalta.