Safra 2017/2018 nas regiões Centro-Sul 2587

Mais de 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de dezembro de 2017

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas e destilarias do Centro-Sul atingiu 2,56 milhões de toneladas na segunda quinzena de dezembro de 2017. No acumulado, desde o início da safra até 1º de janeiro de 2018, a moagem totalizou 583,39 milhões de toneladas, permanecendo abaixo do resultado apurado até a mesma data no ciclo 2016/2017 (592,05 milhões de toneladas).

Para o diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “a safra 2017/2018 está praticamente encerrada na região Centro-Sul, pois apenas 4 unidades produtoras continuam em funcionamento após 1º de janeiro”. A quantidade de cana-de-açúcar que será processada em março, por sua vez, dependerá das condições climáticas a serem observadas nesse período de entressafra, destacou Rodrigues.

Qualidade da matéria-prima

No acumulado desde o começo do ciclo 2017/2018 até 1º de janeiro, a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 137,32 kg, incremento de 2,59% quando comparado ao mesmo período da safra anterior.

“Essa melhora na qualidade da matéria-prima compensou a redução de moagem registrada até o final de dezembro, evitando uma queda na quantidade de produtos obtidos a partir do processamento da cana na safra atual”, acrescentou Rodrigues.

Na última metade de dezembro, o teor de ATR alcançou expressivos 145,74 kg por tonelada de matéria-prima. Mas esse elevado valor do “ATR produto” deve ser analisado com muita cautela, pois é superior ao real índice verificado no laboratório das unidades produtoras..

O cálculo utilizado para obter o “ATR produto” se dá a partir do volume de cana-de-açúcar processada e das produções de etanol e de açúcar, tomando certas premissas relativas às perdas industriais e às eficiências de fermentação e de destilação. Diante desta metodologia de cálculo e considerando que quase 100% das unidades já finalizaram esta safra até 1º de janeiro, houve um descompasso entre a moagem registrada e o respectivo montante de produtos fabricados. Especificamente, a quantidade de cana-de-açúcar que estava em processamento não obteve sua respectiva contrapartida em produtos (etanol e açúcar), elevando, de maneira irreal, a qualidade da matéria-prima obtida por meio dessa sistemática de cálculo.

Produção de açúcar e etanol

Da quantidade total de cana-de-açúcar processada na segunda quinzena de dezembro, 68,75% destinaram-se à produção de etanol, ante 64,72% em igual intervalo de 2016. No acumulado desde o início da safra 2017/2018, este percentual alcançou 53,07%.

Com mais caldo direcionado ao renovável, sua fabricação totalizou 189,39 milhões de litros (183,24 milhões de litros de etanol hidratado e 6,15 milhões de litros de etanol anidro) nos 15 dias finais de dezembro de 2017. Esse resultado corresponde a um incremento de 12,33% sobre a mesma quinzena do ano anterior.

No caso do açúcar, foram 110,93 mil toneladas produzidas. Já no acumulado desde o início da safra 2017/2018 até 1º de janeiro de 2018, a quantidade fabricada somou 35,82 milhões de toneladas.

Em relação ao etanol, a produção acumulada atingiu 25,22 bilhões de litros, sendo 14,57 bilhões de litros de etanol hidratado e 10,66 bilhões de litros de etanol anidro.

Rodrigues explica que “a produção de etanol contabilizada pela UNICA inclui aquele fabricado a partir do milho”. A Entidade registrou 36,67 milhões de litros de etanol de milho produzidos na segunda quinzena de dezembro. No acumulado do ciclo atual, o volume fabricado alcançou 319,11 milhões de litros, muito acima dos 140,49 milhões de litros verificados em igual período de 2016.

Vendas de etanol

O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul, acumulado entre 1º de abril a 31 de dezembro de 2017, totalizou 19,99 bilhões de litros. Este resultado é 1,91% inferior aos 20,38 bilhões de litros observados no mesmo período de 2016.

Essa queda reflete, sobretudo, a redução de 6,89% das vendas domésticas de etanol anidro, que somaram 7,17 bilhões de litros no último ano. É oportuno mencionar que este montante não incorpora as importações totais do aditivo à região, mas apenas cerca de 30 milhões de litros importados e registrados via SAPCANA (Sistema de Acompanhamento de Produção Canavieira) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Em contrapartida, o volume acumulado comercializado de etanol hidratado no mercado interno aumentou ligeiramente: 0,22%. Atingiu 11,56 bilhões de litros, contra 11,54 bilhões de litros entre abril e dezembro de 2016.

Segundo o diretor Técnico da UNICA, “esse crescimento reduzido não retrata adequadamente a recuperação das vendas a partir de agosto de 2017”.

De fato, desde o início da safra 2017/2018 até 16 de agosto, as vendas quinzenais de etanol hidratado apresentavam recuo médio de 15% em relação ao volume registrado em 2016. A partir da segunda metade daquele mês até 31 de dezembro essa tendência se inverteu, e as vendas passaram a registrar aumento de 20%.

Com efeito, em dezembro o volume de etanol hidratado comercializado no mercado interno alcançou 1,43 bilhão de litros, expressiva alta de 26,83% comparativamente a 2016. Destas vendas, 677,34 milhões de litros ocorreram na segunda metade do mês.

Para Rodrigues, “esse volume indica um mercado aquecido, pois a entrega física de etanol pelas usinas do Centro-Sul em dezembro foi prejudicada pelo início da safra na região Nordeste e pelo provável efeito da importação de anidro, que pode ter estimulado a produção e as vendas de hidratado pelos produtores daquela região”. Além da retração nas transferências de etanol do Centro-Sul decorrente desse movimento, houve redução nos estoques dos distribuidores em dezembro, diminuindo a necessidade de compra de hidratado das usinas – tradicionalmente esses agentes buscam reduzir os volumes armazenados para fins de fechamento contábil no final do ano, acrescentou o executivo.

Em relação ao açúcar, a quantidade comercializada pelas usinas da região Centro-Sul no mercado interno cresceu 1,39% no comparativo de abril a dezembro de 2017 sobre o mesmo período de 2016. Por sua vez, a quantia destinada à exportação aumento 0,96%.

Pedidos de falência caem 19,6% no acumulado em 12 meses 409

Falência

Dados são da Boa Vista/SPC

Os pedidos de falência caíram 19,6% no acumulado 12 meses (setembro de 2017 até agosto de 2018 comparado aos 12 meses antecedentes), segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista SCPC. Mantida a base de comparação, as falências decretadas subiram 15,0%, enquanto para os pedidos de recuperação judicial houve diminuição de 6,0%. As recuperações judiciais deferidas registraram queda de 2,9%.

Na comparação mensal os pedidos de falência avançaram 22,9% em relação a julho, assim como os pedidos de recuperação judicial (57,6%), falências decretadas (22,3%) e recuperações judiciais deferidas (42,7%).

Divulgação
Divulgação

De acordo com os resultados acumulados em 12 meses, os pedidos de falência continuam caindo. O movimento de queda está atrelado a melhora nas condições econômicas desde o ano passado, que permitiu às empresas apresentarem sinais mais sólidos nos indicadores de solvência. Entretanto, a continuidade desse processo dependerá de uma retomada mais acelerada da atividade econômica.

Metodologia

O indicador de falências e recuperações judiciais é construído com base na apuração dos dados mensais registrados na base de dados da Boa Vista SCPC, oriundos dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados.

Nova diretoria do CVG/RS tomará posse em outubro 694

Andreia Araujo assumirá como presidente da entidade

A nova diretoria do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) para a gestão 2018/2020 tomará posse no dia 03 de outubro. A nova liderança conta com a diretora de negócios a Previsul Seguradora, Andreia Araujo, como presidente da entidade.

Em decorrência do compromisso, não haverá o café/palestra do CVG/RS programada para o dia 25 de setembro. A posse da nova diretoria acontecerá a partir das 19h na sede do Sindicato das Seguradoras do RS, na Rua Otávio Rocha, 115 – Sétimo andar.

Posse da nova diretoria do CVG/RS
Posse da nova diretoria do CVG/RS

Grupo Segurador compensa emissão de CO2 de veículos segurados 561

Carro

Dia Mundial Sem Carro é celebrado neste sábado

Para compensar a emissão de gases de efeito estufa (GEE) dos veículos segurados de sua carteira, o Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre promoverá, no Dia Mundial Sem Carro, celebrado em 22 de setembro, compra de créditos de carbono com investimento em projeto de compensação florestal.

Serão compensadas 6.582 tCOe (toneladas de carbono equivalente), com base em metodologia de empresa especializada na área, contratada pelo Grupo Segurador.

Os créditos de carbono adquiridos, por sua vez, serão investidos no projeto de recuperação florestal Ecomapuá, da Amazônia paraense.

Trata-se de uma área que se estende por 90.000 hectares do bioma amazônico na Ilha de Marajó, na jusante do Rio Amazonas, região de conservação considerada de prioridade “extremamente alta” pelo Ministério do Meio Ambiente. Nessa área residem mais de 100 famílias, que dependem dos recursos naturais da floresta para sobreviver.

“A compensação das emissões veiculares é uma ação que mostra ser possível ter atitudes que tragam benefícios para as pessoas e para o meio ambiente, além de trazer uma reflexão sobre a mobilidade nos centros urbanos”, explica Leonardo Mattedi, diretor geral de Administração, Finanças e Marketing do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

O compromisso do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre com a sustentabilidade não se resume a este projeto. Desde 2013, o Grupo Segurador relata suas emissões de gases de efeito estufa, por meio de inventário anual de emissões, utilizando a metodologia GHG Protocol. Para o cálculo, são considerados dados como consumo de diesel da sua sede, no edifício WTorre Morumbi, em São Paulo, de combustível de sua frota de veículos e consumo de energia elétrica, além dos dados de viagens a negócios, a destinação dos resíduos não recicláveis para aterros e outros.

“O registro público dos inventários tem o objetivo de criar um banco de dados que permite o estabelecimento de benchmarks setoriais, além de contribuir para a transparência do negócio perante a sociedade. Esse trabalho está alinhado com a COP 21/Paris Pledge for Action (ou Manifesto de Paris pela Ação), compromisso assinado pelo Grupo que visa à redução das emissões de carbono para contribuir com o crescimento e o desenvolvimento sustentável do planeta”, explica Fátima Lima, diretora de Sustentabilidade do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

Qualicorp firma acordo para otimizar atendimento de clientes 737

Qualicorp

Iniciativa visa garantir ainda mais agilidade e resolutividade na resposta aos consumidores

A Qualicorp, líder brasileira na comercialização e administração de planos de saúde coletivos, e o Procon de Santos assinaram na última sexta-feira (14) um Termo de Cooperação para otimizar o atendimento aos clientes da companhia no município santista.

O acordo entre o órgão e uma empresa do setor de saúde é inédito e irá disponibilizar canais exclusivos de comunicação entre o Procon e a Qualicorp, por meio de telefone e e-mail. Além disso, o prazo de resposta aos clientes da companhia também será reduzido para, no máximo, 5 dias.

Segundo Juliana Pereira, Diretora Executiva de Clientes da Qualicorp, “o acordo firmado é mais um passo para que possamos nos aproximar do Procon de Santos e prestar aos nossos clientes um atendimento ainda mais ágil e resolutivo. Além de envolver menos agentes durante as tratativas, essa iniciativa também ajuda a evitar a judicialização”. Ainda de acordo com Juliana, “esse é o primeiro termo assinado pela Qualicorp com um Procon, e já estamos trabalhando para firmar novos acordos com Procons de outros municípios”.

Para Rafael Quaresma, Coordenador do Procon de Santos, “o termo assinado traz diversos benefícios aos consumidores, como um canal direto de atendimento e a priorização das demandas, além da redução pela metade do prazo de resposta ao cliente”.

Foco no atendimento ao cliente: o acordo com o Procon de Santos é o quinto assinado junto a um órgão público com o objetivo de otimizar o atendimento ao cliente. Nos últimos dois anos, a Qualicorp também firmou parceria com os Núcleos de Defesa do Consumidor (Nudecon) do Rio de Janeiro, do Maranhão e do Distrito Federal e com a Defensoria Pública da Bahia. “Iniciativas como essa reforçam nosso compromisso com o cliente e também nossa busca por um sistema de saúde inovador, eficiente e centrado nas pessoas”, conclui Juliana.

Conselho Deliberativo do GBOEX completa 76 anos 420

Reunião Plenária comemorou a ocasião e prestou homenagens

O Conselho Deliberativo do GBOEX completou, neste ano, 76 anos de existência. A empresa, que tem 105 anos, conta com o grupo de Conselheiros que, juntamente com a Diretoria Executiva, ditam as suas diretrizes e tomam decisões importantes em prol dos associados.

Na quarta-feira (19), diretores, colaboradores e parceiros se reuniram no auditório da Matriz na Capital gaúcha para destacar a ocasião durante Reunião Plenária comemorativa. “É uma responsabilidade enorme, pois o Conselho é solidário com tudo que acontece na empresa. Porém, como trabalhamos em equipe, a missão se torna mais fácil com a competência da Diretoria Executiva”, afirma o Presidente do Conselho Deliberativo do GBOEX, Flávio Vianna. O GBOEX conta com 90 mil associados, o que, para o presidente Vianna, reforça a quem os negócios são direcionados e dedicados. “Nós dirigimos a empresa, mas os donos dela são os associados, nosso verdadeiro patrimônio social”, acrescenta.

O momento também contou com uma homenagem especial ao ex-presidente, Sergio Renk. Ele presidiu o Conselho Deliberativo do GBOEX entre os anos 2005 e 2007 e 2013 até 2017, assim como também assumiu a presidência da Diretoria Executiva em 2008. Ao todo, Renk soma 22 anos de dedicação à empresa, tendo iniciado como gerente em 1996. “Ele é um ícone nesta empresa, alguém que passou por praticamente por todos os postos, começando como gerente, e que acredita no espírito de equipe, algo que só é possível graças a sua capacidade de aglutinação e inteligência administrativa”, afirma Vianna.

Além disso, outras justas homenagens à pessoas amigas do GBOEX foram realizadas. Receberam um certificado o ex-secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, General de Brigada Edson de Oliveira Goularte, o presidente do Grêmio Sargento Expedicionário Geraldo Santana, Capitão Ivo Izolan, e o ex-conselheiro, Ênio Castilhos Ibañez.

Fotos: Filipe Tedesco/JRS