América Latina está atrasada para Transição Global de Energia 4758

Relatório revela que o mundo parou de avançar em direção à sustentabilidade ambiental e os preços de energia tiveram aumento real em mais da metade dos países pesquisados

O World Economic Forum divulga hoje um novo relatório, Promoção de uma Transição Energética Efetiva, onde apresenta sua Índice de Transição 2018 e avalia a atual condição dos sistemas de energia de 114 países, além de sua preparação estrutural para atender às necessidades energéticas no futuro.

O relatório criou um ranking destes países de acordo com o desempenho de seus atuais sistemas energéticos, medindo três dimensões – segurança energética e acesso à energia, a sustentabilidade ambiental do sistema e o potencial para crescimento e desenvolvimento econômico sustentável – e avalia a presença de condições que poderiam viabilizar a transição para uma economia de baixo carbono.

“Dentro desta análise dos fatos, conseguimos construir uma visão do desempenho atual de cada sistema nacional de energia e uma perspectiva do que ainda precisa ser feito para garantir seu sucesso no futuro”, disse Roberto Bocca, Chefe de Setores Básicos e de Energia, do World Economic Forum.

O principal resultado desta edição do Índice revela que o mundo parou de avançar em direção à sustentabilidade ambiental. O relatório mostra praticamente nenhuma redução da intensidade do uso de carbono: foram registrados uma melhoria de apenas 1,8% por ano durante nos últimos cinco anos, comparado com a meta de 3% exigida pelos objetivos para o clima no Acordo de Paris. Falando sobre acessibilidade, desde 2013 os preços da energia doméstica tiveram aumento real em mais da metade dos países, apesar de uma queda generalizada dos preços dos combustíveis.

Um dado positivo, de acordo com as últimas tendências globais, mais de 80% dos países registraram um aprimoramento de seus sistemas energéticos nos últimos cinco anos. No entanto, o relatório concluiu que precisamos de uma nova estratégia para ajudar mais de um bilhão de pessoas que ainda não tenham acesso a eletricidade.

O Índice de Transição Energética (ITE) de 2018

De acordo com os resultados, os países da Escandinávia e Europa Ocidental lideram o ranking geral, com a Suécia, a Noruega e a Suíça assumindo os três primeiros lugares. O Reino Unido (7) e a França (9) são as únicas economias do G7 entre os 10 primeiros do ranking.

Outras grandes economias possuem performance mistas. A Alemanha (16) enfrenta preços altos e emissões crescente, embora apresente um alto nível de preparo (11), atribuído às instituições e os regulamentos fortes do país. Os Estados Unidos (25) receberam uma pontuação baixa em relação a sustentabilidade ambiental, embora mantenha uma estrutura institucional forte e um mercado de capitais vibrante, que elevou seu nível de preparo (22).

A Colômbia (32), o Brasil (38) e a Rússia (70) possuem sistemas energéticos robustos devido à fartura de seus recursos naturais, mas apresentam um baixo nível de preparo como resultado da falta de capital humano e os desafios apresentados por suas instituições e estruturas regulatórias.

Entre os países da América Latina, Uruguai (13), Costa Rica (20), Chile (24) e México (28) registraram o melhor desempenho. Embora a região esteja em linha com a média global, considerando a contribuição do sistema energético para o crescimento econômico, segurança e acessibilidade, e pontuar acima da média em sustentabilidade ambiental, muitos países estão atrasados para iniciar o processo de transição. As principais áreas que precisam de melhoria são a inovação, o capital humano, a segurança de investimentos e as estruturas institucionais efetivas.

O relatório identifica os países como a República da Coréia (49), Jordão (65) e Quênia (71), que demonstram níveis de preparo acima da média, apesar das classificações mais baixas no seu desempenho atual, sugerindo o potencial de atingir um “ponto de inflexão” e rapidamente desenvolver sistemas energéticos mais avançados. Nesses países, o aumento do investimento em energias renováveis e eficiência energética nos últimos tempos, por exemplo, levou a uma expansão significativa no acesso à energia.

A China (76) também tem o potencial de avançar rapidamente com sua decisão recente de apoiar o desenvolvimento de veículos elétricos e o seu compromisso político de enfrentar seus desafios ambientais, que inclui medidas para criar um mercado de carbono. Seu desempenho ficou reduzido devido à pontuação baixa em sustentabilidade ambiental.

A Índia (78) melhorou seu desempenho com medidas para garantir maior acesso a eletricidade e reduzir subsídios para o setor de energia. A Índia tomou várias medidas corajosas, especialmente na implementação de energias renováveis e eficiência energética, e foi ranqueado como o “País Emergente” que está rapidamente se aproximando do ponto de inflexão.

O relatório Promoção de uma Transição Energética Efetiva foi produzido com apoio analítico da McKinsey & Company, e apresenta várias medidas para uma transição energética efetiva, ilustrando experiências bem sucedidas e estruturas comprovadas que podem servir de exemplo para outros países. Planos estratégicos de longo prazo com princípios, metas e marcos claramente definidos – e a criação dos habilitadores identificados dentro desta estrutura – são essenciais para acelerar a transição energética.

“A disrupção no sistema energético está se aproximando de um ponto de inflexão e os decisores políticos, os empresários e a sociedade devem se preparar para se beneficiar das oportunidades que as transições de energia vão oferecer. Estratégias energéticas previsíveis e flexíveis serão uma peça chave para garantir uma transição efetiva dos países, agregan valor para as empresas e a sociedade”, disse Thomas Seitz, Associado Sênior da McKinsey & Company.

“Precisamos acelerar a transição para um sistema de uso e a produção da energia mais sustentável, e precisamos reduzir emissões dos gases de efeito estufa, aumentar o acesso a energia e melhorar a qualidade do ar. Para fazer isso, devemos aproveitar uma série de tecnologias do setor de energia e aumentar a cooperação entre governos, o setor e a sociedade civil”, disse Fatih Birol, Diretor Executivo, da Agência Internacional de Energia e Presidente Conjunto do Conselho de Coordenação, da Iniciativa para Moldar o Futuro do Sistema Energético, do World Economic Forum.

SulAmérica debate oportunidades em encontro com corretores do Rio de Janeiro 459

Divulgação

Executivos da companhia apresentaram estrutura de serviços da seguradora para incentivar vendas e relação ainda mais próxima de corretores com clientes

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, participou, na última quarta-feira (15), do 1º Encontro de Corretores de Seguros da Zona Oeste do Rio de Janeiro, promovido pelo Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (Sincor-RJ) e realizado no Hotel Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca. No evento, a companhia apresentou as suas iniciativas para fortalecer ainda mais a parceria com os corretores e debateu oportunidades de crescimento, com a inovação como aliada. O vice-presidente Comercial da SulAmérica, André Lauzana, e a diretora comercial da regional Rio de Janeiro e Espírito Santo da seguradora, Solange Zaquem, palestraram no encontro.

“A SulAmérica está construindo o futuro junto com os corretores. Para isso, precisamos vender mais do que produtos, queremos entregar a melhor experiência de consumo para os segurados, cada vez mais exigentes. A tecnologia é a grande aliada para facilitarmos o dia a dia dos corretores e aproximarmos as pessoas, oferecendo um atendimento humanizado com ampla conveniência”, destacou Lauzana, que teve espaço de fala na parte da manhã no evento.

À tarde, a diretora comercial regional Solange Zaquem participou de um painel com representantes de outras seguradoras para debaterem os temas da região.

Ela destacou o Programa de Reconhecimento ao Corretor, o PRA Corretor, como uma das principais iniciativas da SulAmérica para fortalecer o relacionamento com parceiros.

“O relacionamento com os corretores do Rio de Janeiro é fundamental, pois estamos construindo o futuro juntos. Para que possamos estar na vanguarda das transformações do setor, é importante oferecer aos nossos parceiros toda a estrutura, suporte, atendimento, capacitação e incentivos”, destacou a diretora regional.

Capacitações

A SulAmérica registrou, em 2017, um aumento de 12% na quantidade de treinamentos para corretores. Foram 8.841 encontros durante todo o ano passado, ante 7.900 de 2016. Confirmando a evolução registrada nos últimos anos, a quantidade de parceiros que passaram pelo Programa de Capacitação de Corretores em 2017 foi de 48.845, uma alta de 9,4% frente a 2016, que teve 44.655 participantes.

No caso específico das filiais no Rio de Janeiro, a companhia executou 479 capacitações entre janeiro e junho de 2018, com 4,7 mil corretores treinados.

MetLife define startups para seu programa de aceleração global 503

Startup

Companhia selecionou 10 startups com propostas disruptivas para iniciar seu primeiro programa de aceleração mundial

A MetLife anuncia o grupo de startups participantes do seu programa de aceleração ‘MetLife Digital Accelerator powered by Techstars’. Com o propósito de desenvolver soluções digitais capazes de gerar experiências diferenciadas para clientes, o programa tem como base o Campus Global de Tecnologia da MetLife, em Cary, na Carolina do Norte/EUA, e mantém um cronograma intensivo de 13 semanas.

Entre os projetos eleitos estão soluções como novos produtos para profissionais freelancers, proprietários que alugam suas casas em sites como Airbnb e para pessoas com estilo de vida esportivo; melhorias em processos de subscrição e distribuição de seguros; a adequação dos melhores planos para terceira idade; e clientes de baixo risco.

Também se destacaram projetos voltados para saúde e bem-estar como plataformas que possibilitam a integração de pais de crianças autistas a bons profissionais da área; conteúdos de interesse para mulheres que acabaram de ter filhos; e, ainda, informações que contribuem para manter os colaboradores mais saudáveis e produtivos.

Para a MetLife, as inovações tecnológicas estão impulsionando mudanças fundamentais no mercado de seguros e apoiar estas propostas desde o estado inicial significa ser um agente importante na transformação do setor. Direcionar e influenciar as startups do momento da concepção até o protótipo final permitirá à MetLife atuar junto a iniciativas com potencial de remodelar o segmento, a companhia e o dia a dia dos clientes.

Com previsão de conclusão em 18 de outubro, as startups apresentarão seus projetos à MetLife e possíveis investidores em um Demo Day.

Veja a lista das 10 startups selecionadas:

  • Aligned Business (Singapore): Plataforma digital que realiza serviços de ponta a ponta para operadoras criarem, definirem, subscreverem e distribuírem rapidamente qualquer categoria de produtos em diversos mercados.
  • AnswersNOW (Richmond, Virginia): Por meio de uma plataforma digital, a AnswersNOW é responsável por apoiar pais de crianças com autismo, os unindo a especialistas certificados e provendo estudos clínicos sobre o tema.
  • Buddy (Richmond, Virginia): Focada em desenvolver seguros de acidentes pessoais sob demanda para quem leva uma vida ligada ao esporte e ao ar livre.
  • Enroll Hero (Santa Monica, California): Ferramenta que ajuda a Adultos Mais a escolherem os melhores planos de saúde em questões de minutos.
  • FitBliss (San Jose, California): Plataforma digital sobre bem-estar focada em melhorar a produtividade e saúde de trabalhadores em todo mundo.
  • FIX: Fitness Interactive Experience (Atlanta, Georgia): Proporciona um comportamento mais saudável por meio do entretenimento e gamificação.
  • Halos Insurance (Washington, D.C.): Plataforma de seguros voltada para clientes de baixo risco securitário.
  • MamaMend (Boulder, Colorado): Voltada para a saúde e orientações pós-parto é uma plataforma digital que busca informar, fortalecer e melhorar a saúde de novas mamães.
  • Portabl (London, United Kingdom): Um serviço de assinatura abrangente que busca proteger profissionais freelancers e temporários a partir de produtos de seguros personalizados voltados para poupança e outros benefícios.
  • Safely (Atlanta, Georgia): Indicado para proprietários que alugam suas residências em sites como Airbnb e HomeAway, é um seguro que analisa a qualidade dos inquilinos temporários a partir de um banco de dados e, ainda, oferece até US $ 1 milhão de cobertura para danos aos imóveis.

Bradesco Seguros anuncia novidades com foco em benefícios para os clientes 870

Divulgação

Executivo Sallam Saleh passa a ser superintendente comercial das filiais Caxias do Sul e Bento Gonçalves (RS)

A Bradesco Seguros anunciou Sallam Saleh como superintendente comercial das filiais de Caxias do Sul e Bento Gonçalves (RS). “Trata-se de um funcionário de carreira, que começou em Pelotas e está na companhia há mais de 7 anos, além de ter desempenhado um excelente papel na sucursal Novo Hamburgo”, explica Anderson Mundim, superintendente executivo da Regional Sul.

Divulgação
Divulgação
O executivo Sallam Saleh / Divulgação
O executivo Sallam Saleh / Divulgação

A iniciativa é resultado do planejamento estratégico da Bradesco Seguros, que considera a região muito importante para os negócios, relacionamento e proximidade com os profissionais da corretagem. “Isso é resultado do aumento de produção, bom relacionamento e excelência na gestão da carteira de corretores. A afirmativa é confirmada pela presença efetiva de nossos parceiros e membros de entidades sindicais da região”, explica Mundim ao lembrar que um executivo que conhece bem os processos e forma de atuação da seguradora faz toda diferença.

A companhia ainda anuncia Andrei Pires de Almeida como novo superintendente da sucursal de Ponta Grossa, no Paraná. “Essa novidade vem abrilhantar a região, após o excelente trabalho que ele desenvolveu na sucursal Porto Alegre. Os segurados da região contarão com foco total nos benefícios em que a Bradesco Seguros pode proporcionar, através de suas soluções completas”, finaliza Anderson Mundim.

Prevenção para uma vida mais feliz e saudável 1078

Dicas valem tanto para homens, como para mulheres

Iniciativas como o Instituto da Mulher Saudável (IMUSA), o Movimento de Amparo à Mulher Saudável (MAMS) e o Programa de Apoio em Prevenção e Promoção à Saúde (PAPPS) fazem toda diferença para uma vida mais feliz e saudável. Quem explica é a Dra. Carlen Luz, em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério na TV. “Esses programas vêm ocupar um espaço primário em relação à saúde. Isso é fundamental para que as pessoas possam se organizar e focar na prevenção. Isso vale tanto para homens, como para mulheres”, revela.

“A vida é muito corrida, muitas vezes as pessoas têm uma rotina muito estressante e pode-se acabar deixando de lado a questão de prevenção às doenças. Para ocupar esta lacuna é que o IMUSA e os demais projetos foram criados”, prossegue Carlen ao ressaltar os visíveis impactos positivos na qualidade de vida dos participantes dos programas, criados há aproximadamente 5 anos.

“É perceptível no olhar dessas pessoas que tiveram suas vidas modificadas. Elas contam com um brilho no rosto, voltam a ter atividades diversas e, principalmente, vontade de viver com propósitos”, finaliza a Dra. Carlen Luz.

Os projetos funcionam em região privilegiada de Porto Alegre (RS), na Rua dos Andradas, 1.512. “Venha conhecer”, convoca a especialista.

Parceiros da Mapfre e Sicredi conhecem benefícios e vantagens dos serviços Autoglass 826

Mapfre e Sicredi/Autoglass

Gerente de Contas apresentou informações em evento realizado em Porto Alegre

A Autoglass realizou um evento em parceria com Mapfre e Sicredi, no último dia 8 de agosto, em Porto Alegre (RS). Na oportunidade, foram apresentadas informações sobre as coberturas, produtos e principais benefícios da empresa, além da distribuição de vouchers de gratuidade para realização dos serviços nas lojas.

Para Thiago Schmid, Gerente de Contas da Autoglass: “É importante agradecer aos parceiros do Sicredi e Mapfre pela oportunidade e iniciativa de apresentarmos o quanto podemos ser mais fortes quando trabalhamos em conjunto. Propagar as informações e fazer com que elas cheguem de forma mais assertiva aos associados é um passo importante para fazer com essa parceria seja ainda mais benéfica”.

Na ocasião, estiveram também presentes Luiz Carlos Soares, da gerência de sup. desenvolvimento de negócios do Sicredi, e os representantes da Mapfre, Ivan Carlos Pedra (gerente comercial canais estratégicos) e Andreia dos Santos (gerente comercial).

Para Luiz Carlos: “O evento foi recheado de dicas e benefícios da Autoglass que impactam de maneira muito positiva os nossos associados. Foi perceptível que o discurso do Thiago agregou e muito e que poderá na prática mostrar aos nossos associados uma experiência muito maior que o simples consumo de um produto”.