Curta os jogos da Copa sem deixar os pets em apuros 2066

Dog

Estresse e outros prejuízos podem atingir a saúde dos bichinhos se alguns cuidados não forem tomados

Quem pretende assistir aos jogos da Copa na companhia de um pet deve ficar atento a algumas situações que podem comprometer o bem-estar do animal. Além do estresse, esse tipo de comemoração pode causar prejuízos à saúde do pet e até acidentes se alguns cuidados não forem tomados.

Os tutores que pretendem receber visitas, por exemplo, devem observar o comportamento do cão ou gato na presença de outras pessoas. Alguns pets podem ficar incomodados com humanos “invadindo o seu espaço”, com o excesso de movimentação ou de barulho.

A atenção deve ser redobrada quando se trata de filhotes ou animais de pequeno porte, de acordo com o médico-veterinário Rodrigo Soares Mainardi, presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP). “Cães ou gatos muito pequenos correm o risco de serem pisoteados quando há aglomeração de pessoas, o que pode ocasionar fraturas de patas, de costelas ou de coluna, por exemplo.”

Excesso de barulho

Vuvuzelas, televisão no volume máximo, fogos de artifício e até mesmo os gritos de gol têm grandes chances de causar desconforto ao animal. “Alguns animais chegam a passar mal com o barulho, podendo apresentar febre, apatia e até vômito ou diarreia, desencadeados por fatores emocionais” explica o médico-veterinário. Sendo assim, se o pet apresenta muita sensibilidade e se estressa facilmente, o tutor deve tentar evitar que ele seja exposto a sons muito altos.

Mainardi alerta ainda para o risco de fuga do animal. “Por ficarem com medo, alguns animais tendem a se esconder ou, em casos mais extremos, podem acabar fugindo de casa. Isso é muito comum nessas ocasiões, inclusive devido ao entra e sai de pessoas.”

No clima da Copa

Para quem vai vestir o animal de estimação de verde e amarelo, o presidente da Comissão de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP diz que adereços e fantasias são permitidos, desde que não prejudiquem a mobilidade e o conforto do pet. Para isso, o tamanho e o peso da fantasia devem ser proporcionais ao porte do animal.

“Os tutores devem ter um cuidado especial com tintas, purpurinas e maquiagens que não são de uso veterinário, pois podem causar graves dermatites e reações alérgicas sérias” reforça Mainardi.

Comilança

Outro ponto de atenção são os alimentos consumidos nesses eventos, como pipoca, amendoim, frituras e churrasco. Como não são alimentos próprios para cães e gatos, é importante evitar que os animais tenham acesso a esses petiscos. “Vale orientar também os familiares e amigos para que não ofereçam comida ao animal”, sugere Mainardi.

Se o pet ingerir algum alimento impróprio acidentalmente, a recomendação é levá-lo a um médico-veterinário para que este avalie o grau de comprometimento ou não da sua saúde. “Se o tutor observar algum tipo de distúrbio (vômito, diarreia ou outros) o animal deverá ser acompanhado por um médico-veterinário e mantido em observação”, salienta Yves Miceli de Carvalho, médico-veterinário presidente da Comissão Técnica de Nutrição Animal do CRMV-SP.

Nesses casos, durante os jogos e comemorações, o ideal é restringir o acesso de cães e gatos a determinados cômodos da casa, onde eles poderão circular com mais tranquilidade. Outra opção é hospedar o pet em um hotel ou creche, especialmente se ele já estiver habituado a frequentar esse tipo de espaço.

Tecnologia previne contra principais motivos de processos trabalhistas no Brasil 398

Divulgação

Ações judiciais causadas por divergências em horas extras e intervalos podem ser evitadas

Quando um conflito entre um trabalhador e uma empresa chega à esfera judicial o resultado acaba sendo um grande prejuízo para ambas as partes. Para que a situação não chegue a esse ponto é preciso que a organização esteja atenta a todos os direitos trabalhistas e responsabilidades tanto da empresa quanto do colaborador.

Um levantamento de 2017 do Tribunal Superior do Trabalho apontou que estão entre os principais motivos de processos trabalhistas por parte de funcionários, questões relacionadas a horas extras e intervalos intrajornada, especialmente motivadas por divergências em relação a folgas e inconsistência na jornada de trabalho. Ao todo, foram mais de 76 mil processos envolvendo esses motivos apenas no primeiro trimestre do ano passado.

Segundo o Relatório Justiça em Números de 2018, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Justiça Trabalhista concentra 6,9% de todos os processos do país, totalizando mais de 5,5 milhões ao todo, tendo como principais temas problemas com rescisão do contrato de trabalho e verbas rescisórias resultantes de horas extras e jornadas irregulares.

De acordo com André Ferreira, coordenador de Marketing da Pontomais, empresa que disponibiliza tecnologia para registro e gestão de ponto na nuvem, boa parte desses problemas pode acontecer em razão da resistência à tecnologia por parte das empresas. “Ainda existem muitas empresas que insistem em utilizar ferramentas ultrapassadas, como planilhas e livros ponto, para controlar as horas trabalhadas dos funcionários. Além de ser passível de fraude, esse tipo de controle não permite que a empresa descubra inconsistências de jornada e deixa o cálculo de horas suscetível a erros humanos”.

Uma das melhores opções para diminuir o número de processos trabalhistas relacionados ao controle de horas é a adoção de um sistema online para gerenciar as jornadas da empresa. A startup curitibana Pontomais, que já conquistou mais de 5.000 clientes em todo o país e nomes de peso como Havaianas e Unimed, oferece uma solução online oferece opções para registro de ponto, é capaz de identificar se as jornadas de trabalho, intervalos, horas extras e folgas estão sendo cumpridos de maneira apropriada e ainda identifica irregularidades de acordo com a legislação trabalhista para evitar possíveis processos.

Com a tecnologia, é possível até mesmo registrar a jornada de trabalhadores remotos, por exemplo, além de preparar a solução para jornadas flexíveis, até mesmo para trabalhadores PJ e freelancers que não têm um horário fixo já estabelecido.

“As empresas precisam estar atentas ao controle de jornada de seus trabalhadores. Com a ajuda da tecnologia, é possível fazer isso de maneira mais ágil e precisa, corrigindo qualquer imprecisão ou falha humana que podem trazer dores de cabeça para ambas as partes”, afirma Ferreira.

Pontos que merecem atenção depois da Reforma Trabalhista

Com a tecnologia, é possível atender a diversas exigências da legislação com as quais os departamentos de Recursos Humanos precisam ter atenção redobrada, inclusive com as mudanças estabelecidas pela Reforma Trabalhista do ano passado. Esse é o caso do cálculo de horas extras e da compensação do banco de horas, que passam a ser negociados entre o patrão e o empregado em até seis meses. Por isso, é preciso que o controle de horas trabalhadas e os registros de ponto sejam muito bem esclarecidos e exibidos de forma transparente ao trabalhador.

Além dos cálculos das horas extras e banco de horas, um dos casos em que o acordo prévio se faz necessário é ajornada de trabalho 12×36, em que o trabalhador realiza o expediente por 12 horas e descansa por 36 horas. Qualquer excedente nesse período é considerado como hora extra.

Também são pontos que merecem a atenção os casos do intervalo intrajornada, que exigem que o funcionário realize uma pausa de pelo menos uma hora em jornadas com mais de seis horas, e do intervalo interjornada, em que é necessário de um descanso de pelo menos 11 horas entre duas jornadas seguidas.

“Qualquer redução ou descumprimento desses períodos, além de erros com o cálculo das horas poderá incorrer em irregularidades trabalhistas que trazem prejuízos para o trabalhador e para a própria a empresa. Vale lembrar também que se o patrão e o empregado mantiverem uma relação transparente a possibilidade de existirem problemas para ambas as partes é muito pequena”, afirma Ferreira.

Grupo MBM homenageia Corretora de Seguros 350

Divulgação

Lapis Bellus Corretora de Seguros atua no Rio de Janeiro

Na última semana, o Grupo MBM homenageou a Lapis Bellus Corretora de Seguros. A homenagem aconteceu através de almoço comemorativo, seguido da entrega de uma placa a diretoria da corretora.

No evento, o Grupo MBM esteve representado pela gerente da filial MBM Rio de Janeiro, Tatiana Antoniazzi, e pelo assistente comercial, Reginaldo Barreto. “Nossa grande parceira de negócios Lapis Bellus Corretora de Seguros, completou 14 anos de atividade. Temos imenso orgulho de fazer parte deste momento, pois vivenciamos dia-a-dia a dedicação e empenho que esta distinta corretora dispensa aos seus segurados e parceiros”, comenta Tatiana.

A filial MBM Rio de Janeiro está localizada na Rua Álvaro Alvim, 21 – 3º andar, no Centro do Rio de Janeiro. Os telefones para contato são (21) 2533.3589 e (21) 2240.4328.

RS: Palestras apresentam potenciais do Seguro Viagem 416

Sincor-RS apresenta palestra sobre as vantagens do Seguro Viagem

Eventos acontecem em Novo Hamburgo e Caxias do Sul 

Nesta terça-feira (25), em Novo Hamburgo (RS), e na quarta-feira (26), em Caxias do Sul (RS), a Face Assessoria e a Affinity Seguro Viagem promovem a palestra “Divulgando o Seguro Viagem”. O momento é promovido em parceria com o Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS). Ambas as apresentações começam a partir das 8h30min.

“Venha saber mais sobre esse produto, que tem grande potencial para divulgação e comercialização em sua carteira de clientes. Você verá vários exemplos de corretores que passaram a oferecer e surpreenderam-se com os resultados”, clama a entidade.

Veja ainda: Para quê serve o Seguro Viagem?

Com grande abrangência de coberturas, custos acessíveis e excelente comissionamento, o Seguro Viagem é um produto de simples contratação.

“A oportunidade de operar em novos nichos, conhecer outros produtos e oportunidades motiva nossa categoria e ajuda no desenvolvimento do mercado segurador gaúcho”, disse Ricardo Pansera, presidente do Sincor-RS.

Em Novo Hamburgo, o evento acontece na sede do Sindilojas (Rua Canela, 297). Em Caxias do Sul, na sede da ACICS (Rua Sinimbu, 1280). As inscrições são limitadas e podem ser realizadas neste endereço.

Sincor-RS promove palestras sobre Seguro Viagem
Sincor-RS promove palestras sobre Seguro Viagem

RS: Palestra aborda inovação, competitividade e crescimento 405

Inovação

Iniciativa é da Escola Nacional de Seguros em parceria com o Sincor-RS

No dia 18 de outubro, a partir das 19h, a Escola Nacional de Seguros e o Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), promovem a palestra “Inovação, Competitividade e Crescimento no Mercado de Seguros na Era da Humanização”. Rodrigo Maia aborda o assunto na Associação Comercial de Porto Alegre.

Veja também: Filosofia empresarial deve colocar o cliente em primeiro lugar.

“A atual situação do mercado exige que o profissional busque na inovação a solução para aumentar sua competitividade, gerando assim, o crescimento esperado. Inovar em um mercado altamente regulado como o de seguros é um desafio, mas também um grande diferencial para quem conseguir identificar as possibilidades de inovação e colocá-las em prática, conquistando e fidelizando clientes, de forma a permitir o crescimento sustentável do negócio”, diz o chamamento do evento.

Palestra: Inovação, competitividade e crescimento no mercado de seguros na era da humanização
Palestra: Inovação, competitividade e crescimento no mercado de seguros na era da humanização

Nova CEO da AXA Art Américas visita o Brasil 581

Irina Buchmann lidera a divisão do Grupo AXA especializada em seguro para obras de arte e artigos colecionáveis

Irina Buchman é CEO da AXA Art Américas
Irina Buchman é CEO da AXA Art Américas

A nova CEO da AXA Art Américas, Irina Buchman, chega hoje à cidade de São Paulo para conhecer pessoalmente a comunidade artística brasileira e parceiros de negócios da companhia. Irina, que assumiu o cargo em maio deste ano, é responsável por liderar as operações comerciais de seguros para arte e colecionáveis nos EUA, Canadá, México e Brasil. A AXA Art opera no país há cinco anos e a operação nacional é liderada pela executiva Cristiane Porto Rodrigues.

Com mais de 15 anos de atuação na indústria de seguros, Irina Buchman tem grande experiência em estratégia de negócios, finanças e gerenciamento de riscos. A maior parte da sua carreira foi construída no Grupo AXA, no qual participou de iniciativas estratégicas na Alemanha, Bélgica e França. No AXA Bank Europe S.A, ocupou diversas posições de liderança. A executiva é fluente em quatro idiomas: espanhol, inglês, francês e alemão.

Segundo o Art Basel Market Report, o mercado global de seguros para obras de arte e artigos colecionáveis cresceu 12% em 2017. No mesmo ano, o mercado global de arte movimentou cerca de US$ 63,7 bilhões.