Almoço do SindSeg discute cenário do seguro no Rio Grande do Sul 8887

Entidade sindical reúne operadores do mercado, em Porto Alegre

O mercado gaúcho de seguros reúne-se há 70 anos em almoços mensais organizados pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg/RS). Nesta quinta-feira (28), Porto Alegre seria palco de palestra com o superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Joaquim Mendanha. No entanto, imprevistos impediram que isso acontecesse.

Os operadores do seguro no Rio Grande do Sul aproveitaram o momento para debater diversas questões do cenário segurador no Rio Grande do Sul. A discussão veio em momento oportuno, afinal, o legislativo estadual segue com os trabalhos da CPI das seguradoras veiculares. Conforme noticiado por JRS, a Comissão Parlamentar de Inquérito apura a existência de um cartel de oficinas, criado, supostamente, para controlar o mercado. É apurado ainda o uso de peças não autorizadas e o fomento à criminalidade através da venda de sucatas e veículos salvados em leilões. Também será investigado crime contra a ordem tributária por circulação de mercadorias.

Um dos destaques do Almoço do Mercado Segurador foi Diza Gonzaga, fundadora da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga (Vida Urgente)
Um dos destaques do Almoço do Mercado Segurador foi Diza Gonzaga, fundadora da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga (Vida Urgente)

Todas as imagens – Almoço do SindSeg/RS

Mapfre reforça importância do seguro condominial 1241

Foram abordadas as questões técnicas do produto ao público de síndicos

A Mapfre participou na terça-feira (18) de um encontro voltado para síndicos de condomínios. O intuito foi conscientizar os cinquenta participantes sobre a importância da contratação do seguro condominial.

O gerente de operações da Crédito Real, Luciano Oliveira da Silva, e o gerente territorial de seguros gerais da Mapfre, Ivan Marcos dos Santos abordaram questões técnicas a respeito do produto. “O seguro Mapfre Condomínio oferece uma linha completa de coberturas que protegem os condomínios residenciais, comerciais ou mistos contra os mais diversos riscos e proporciona muito mais segurança e tranquilidade ao síndico e moradores”, destacou o gerente da companhia.

Fotos: Filipe Tedesco/JRS

Neo Executiva reúne entidades de Oficiais de Justiça em Gramado (RS) 1690

Empresa atinge a marca de mais de 21 mil segurados 

A Neo Executiva promoveu no último final de semana a 2° Integração Nacional das Entidades de Oficiais de Justiça (INEOJ) na cidade de Gramado, na Serra gaúcha. O encontro reuniu representantes de entidades de 14 Estados brasileiros, todos vinculados a Federação dos Oficiais de Justiça Estaduais do Brasil, a FOJEBRA, e clientes da corretora.

Recentemente a empresa atingiu a marca de mais de 21 mil segurados pelo país, quase duplicando a quantidade de clientes em menos de dois meses. “Buscamos isso com muito trabalho, dedicação e empenho. Ampliamos a nossa área de atuação com escritórios novos e a parceria que fizemos com órgãos estratégicos, assim, seguimos ampliando exponencialmente o atendimento”, explica o diretor Zênio Costa.

Além disso, a Neo Executiva atingiu um bilhão em garantia segurada entre os Oficiais de Justiça e possui clientes em mais de mil municípios do país. “O Brasil é muito grande, e mesmo assim procuramos estar em todos os lugares que conseguimos, já estivemos no Pará, por exemplo, em comarcas que tinham 950 km de distância da Capital”, conta o diretor Luis Henrique Bueno. O momento contou com a presença do presidente da FOJEBRA, Edvaldo Lima, e do presidente da ABOJERIS (Associação dos Oficias de Justiça do Rio Grande do Sul), Sirlan da Rosa Cruz, além de outros representantes da categoria e de seguradoras.

Gramado foi escolhida para reunir o grupo de mais de 50 pessoas para levar os participantes e clientes da Neo a um lugar diferente. “É uma cidade bonita e receptiva, todos tinham vontade de conhecer e nada melhor do que fazer essa recepção num lugar como esse”, comenta. “Foi uma logística trabalhosa, mas muito gratificante de receber nossos clientes em um momento de comemoração de um trabalho que é feito diariamente”, acrescenta a coordenadora de treinamento da Neo, Júlia Fetter Bueno, responsável por toda a organização do INEOJ.

Fotos: Matheus Henrique Pé/JRS

Workshop aborda alta performance em vendas 1160

Workshop

Momento foi promovido pelo SindSeg MG/GO/MT/DF

Uma intensa programação de atividades provocativas, discussões e aprendizados marcou o dia de diversos profissionais das áreas comerciais de seguradoras associadas do SindSeg MG/GO/MT/DF. Conduzido por Rodrigo Maia, consultor e coach especializado em gestão de estratégias e negócios, o workshop de Alta Performance em Vendas apresentou ao público uma perspectiva inovadora sobre a necessidade de mudança de comportamento e relacionamento do mercado com o cliente.

A iniciativa, realizada na sede do Sindicato, é resultado da união dos esforços de duas comissões técnicas do SindSeg, a de Seguros de Ramos Elementares e a de Seguros de Pessoas. “Ao oferecer esse tipo de atividade de formação, desejamos que os profissionais do setor encarem esse momento de aprendizado como uma forma de oferecer o melhor para o mercado que está passando por importantes transformações”, comenta Juliana Queiroz, presidente da Comissão de Seguros de Pessoas.

Abordando conceitos relevantes para a produtividade do profissional como venda consultiva, administração e gestão do tempo e comunicação pessoal, Rodrigo ressaltou a necessidade de uma mudança comportamental tanto para o mercado quanto para os seus profissionais. “Os colaboradores das seguradoras precisam compreender que o foco de sua atuação não é apenas vender um produto, e sim, ser capaz de perceber as necessidades e desejos dos seus clientes”.

Parceria estratégica

Rodrigo defende que a venda deve ser uma consequência de um processo bem executado, e não uma causa ou um objetivo. “É preciso entender que os profissionais e os clientes são seres humanos com medos, receios e sonhos, e o corretor deve atuar como um parceiro estratégico nesse momento de disruptura do mercado”. Ele ainda complementa que a necessidade de readequar o setor leva a um modelo de negócio mais sustentável e humanizado e a formar profissionais mais ativos e conscientes.

Geraldo Pereira Filho, que preside a comissão de Seguros de Ramos Elementares, encara a atividade como uma possibilidade importante de atualizar os colaboradores das seguradoras com as novas ferramentas existentes para melhorar a performance dos profissionais. “Ao mesmo tempo em que a tecnologia exige dedicação às atividades diárias, ela também possibilita uma maior facilidade de atendê-las. É importante despertar os profissionais para a necessidade de saber gerir as ferramentas disponíveis, para buscarem uma alta produtividade nos negócios. Assim, o mercado estará em constante crescimento”.

Icatu Seguros é a empresa com clientes mais satisfeitos no País 1660

Divulgação

Levantamento é do Instituto MESC

Especialista em pessoas, a Icatu Seguros foi eleita a empresa com os clientes mais satisfeitos em todo o País nos segmentos de Vida, Capitalização e Previdência. O ranking elaborado pelo Instituto MESC avaliou 35 empresas do mercado segurador, a partir da opinião de mais de 15,5 mil clientes. Em 2017, a Icatu havia conquistado o segundo lugar neste prêmio e, desta vez, ficou à frente inclusive de grandes instituições financeiras.

O prêmio foi entregue na última segunda-feira, dia 10 de setembro, em São Paulo. Para a superintendente de Canais de Relacionamento da Icatu, Tatiana Ambrósio, o resultado mostra o grande investimento que a companhia tem feito para entender e aprimorar a jornada do cliente na empresa.

“Somos uma seguradora de pessoas e o cliente é o foco do nosso negócio. Nos últimos cinco anos, passamos a estudar melhor o índice de satisfação do cliente, promovendo pesquisas e adotando a metodologia Net Promoter Score (NPS). Ao mensurar o grau de lealdade e satisfação, temos a oportunidade de ajustar processos, avaliar produtos e melhorar sua experiência”, explica ela.

Há um outro detalhe especial que contribui para este resultado, segundo Tatiana: a Icatu Seguros também foi escolhida pelo quarto ano consecutivo como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil, no ranking Great Place to Work. “O bom ambiente de trabalho e o clima organizacional estão intimamente ligados ao atendimento e satisfação do cliente e ao crescimento da companhia”, afirma a superintendente.

Critérios

O Ranking das Melhores Empresas em Satisfação do Cliente do Instituto MESC avalia 42 segmentos de mercado. Ano passado, a Icatu foi a segunda colocada na categoria Seguros Gerais, competindo inclusive com companhias de seguros de veículo e saúde. Desta vez, o Instituto criou a categoria Seguros de Vida, Capitalização e Previdência.
A pesquisa foi realizada entre março de 2017 e abril de 2018, utilizando a metodologia do Pentagrama da Satisfação do Cliente, que apresenta confiança estatística de 98%. Os entrevistados foram questionados sobre Valor, Atendimento e Execução de 35 empresas. Com Índice de Satisfação do Cliente superior a 60%, 23 delas passaram para a segunda fase e a partir daí tiveram suas práticas criteriosamente auditadas pela equipe do Instituto MESC.

Marsh adquire JLT por £ 4,3 bi 1395

Marsh JLT

Corretora global agora possui US$ 17 bilhões de receita anual

A gestora americana de riscos e seguros Marsh & McLennan Cos. chegou a um acordo para comprar a Jardine Lloyd Thompson (JLT), sediada no Reino Unido, por 4,3 bilhões de libras (US$ 5,66 bilhões). A informação é da Revista Exame.

A companhia resultante será uma corretora global, com US$ 17 bilhões de receita anual. O acordo foi anunciado nesta terça-feira, avaliando cada ação da JLT em 1,915 pence, um prêmio de 34% em relação a seu preço de fechamento da segunda-feira, na Bolsa de Londres.

Listada em Nova York, a Marsh & McLennan disse que o negócio fortalecerá suas operações e expandirá sua rede global de resseguros, apoiando sua posição em mercados importantes na Ásia e na América Latina. A Marsh & McLennan afirmou também que sua receita deve avançar a cerca de US$ 17 bilhões após o acordo, de cerca de US$ 14 bilhões atualmente.

Segundo a empresa, o negócio deve ser concluído na primavera de 2019 no Hemisfério Norte, que começa em março. Ele depende ainda de aprovação dos acionistas e reguladores.