ANS define regras para cobrança de coparticipação e franquia em planos de saúde 2594

Resolução estabelece percentual máximo que pode ser cobrado do beneficiário e isenta mais de 250 procedimentos de cobrança

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou nesta quinta-feira (28), no Diário Oficial da União, a Resolução Normativa nº 433, que atualiza as regras para a aplicação da coparticipação e franquia em planos de saúde. A norma protege o consumidor ao estabelecer um percentual máximo a ser cobrado pela operadora para realização de procedimentos; ao determinar limites (mensal e anual) para exposição financeira do consumidor (o máximo que o consumidor pode pagar, no total, por coparticipação e franquia); e ao isentar a incidência de coparticipação e franquia em mais de 250 procedimentos, como exames preventivos e tratamentos de doenças crônicas, entre eles, tratamento de câncer e hemodiálise. Com a medida, a reguladora supre lacunas existentes na legislação, garantindo maior previsibilidade, clareza e segurança jurídica aos consumidores.

Outra novidade trazida pela norma é a possibilidade de operadoras de planos de saúde oferecerem descontos, bônus ou outras vantagens aos consumidores que mantiverem bons hábitos de saúde. A expectativa é que a medida incentive a adesão de beneficiários a iniciativas como programas de promoção da saúde e prevenção de doenças mantidos pelas operadoras.

Segundo o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, a norma tem, entre suas premissas, “a transparência nas relações, a prestação de informações claras ao beneficiário, previsibilidade e segurança jurídica, liberdade na formatação dos produtos dentro de parâmetros claros e objetivos definidos, garantindo uma variabilidade dos produtos, conferindo mais opções de escolha ao beneficiário”. O diretor destaca que o tema é de grande relevância, visto que, em 10 anos, a participação desses planos subiu de 22% para 52% do mercado. “Hoje, mais de 50% dos quase 48 milhões de beneficiários de planos de saúde estão vinculados a planos com coparticipação ou franquia”, explicou.

A coparticipação é o valor pago pelo consumidor à operadora em razão da realização de um procedimento ou evento em saúde. A franquia é o valor estabelecido no contrato do plano de saúde até o qual a operadora não tem responsabilidade de cobertura.

Um dos principais pontos da nova normativa é o estabelecimento de limites (mensal e anual) de exposição financeira do beneficiário: ou seja, o valor máximo a ser pago pela coparticipação e/ou franquia não pode ultrapassar o valor correspondente à própria mensalidade do consumidor (limite mensal) e/ou a 12 mensalidades no ano (limite anual). O limite de exposição financeira é o valor máximo a ser pago por um beneficiário em razão da incidência de coparticipação ou franquia.

As novas regras também preveem isenção de cobrança de coparticipação e franquia em mais de 250 procedimentos e eventos em saúde, tais como: consultas com médico generalista, exames preventivos e de pré-natal e tratamentos crônicos, incluindo os pacientes com câncer e com problemas renais. Atualmente, os mecanismos incidem em qualquer procedimento. Com o estabelecimento de isenções, a ANS busca incentivar o adequado cuidado à saúde. Veja abaixo os procedimentos que não poderão ter cobrança de coparticipação e franquia:

Divulgação/ANS
Divulgação/ANS

Caso seja ultrapassado o limite de exposição financeira anual, os custos de utilização do plano de saúde passarão a ser integralmente arcados pela operadora, sendo proibida a cobrança de valores excedentes no ano seguinte.

No caso de atendimentos em pronto-socorro, somente poderá ser cobrado valor fixo e único – não importando a quantidade e o tipo de procedimento realizado. O valor deverá ser previamente conhecido pelo beneficiário e não poderá ser superior a 50% do valor da mensalidade, nem maior que o valor pago pela operadora ao prestador.

Divulgação/ANS
Divulgação/ANS

Outro aspecto importante é a determinação de um percentual máximo de coparticipação a ser cobrado do beneficiário, que não poderá ultrapassar 40% do valor monetário do procedimento ou evento em saúde efetivamente pago pela operadora ao prestador ou do valor da tabela de referência de procedimentos sobre os quais incidirá a coparticipação. Atualmente, não há um percentual máximo definido nas normas da ANS.

A regulamentação dos mecanismos financeiros de regulação foi discutida pela ANS em diversas oportunidades. Em meados de 2016, os debates ganharam mais vigor, tendo sido constituído um Grupo Técnico específico sobre o assunto para ampla discussão com a sociedade. Na sequência, o tema passou por audiência pública, consulta pública, e, por último, foi realizada pesquisa aberta à participação de toda a sociedade. A consulta pública recebeu cerca de 1.140 contribuições da sociedade e a pesquisa contou com 645 contribuições.

As novas regras entrarão em vigor em 180 dias.

Tokio Marine é eleita uma das 100 Melhores Empresas em Satisfação do Cliente 422

Tokio Marine

MESC ouviu mais de 300 mil consumidores de todo o Brasil

A qualidade do atendimento da Tokio Marine a seus clientes foi reconhecida pelo Instituto MESC (Melhores Empresas em Satisfação do Cliente). Durante evento realizado na noite desta segunda-feira (10), em São Paulo, a seguradora foi eleita uma das 100 Melhores Empresas em Satisfação do Cliente no País.

Maria Clara Ramos é Superintendente de Projetos, Processos e Serviços da Tokio Marine
Maria Clara Ramos é Superintendente de Projetos, Processos e Serviços da Tokio Marine

“O compromisso com o bom atendimento a corretores e clientes é um dos nossos valores corporativos. A excelência nos serviços está no nosso DNA e tem importância estratégica para a seguradora, por isso, estamos empenhados em atender as necessidades e superar as expectativas dos nossos públicos”, afirma Maria Clara Ramos, Superintendente de Projetos, Processos e Serviços da Tokio Marine.

O ranking elaborado pelo Instituto MESC ouviu mais de 300 mil consumidores em todo o país em 24 segmentos de mercado, avaliando a experiência do consumidor em cada um desses setores.

Qualicorp firma acordo para otimizar atendimento de clientes 404

Qualicorp

Iniciativa visa garantir ainda mais agilidade e resolutividade na resposta aos consumidores

A Qualicorp, líder brasileira na comercialização e administração de planos de saúde coletivos, e o Procon de Santos assinaram na última sexta-feira (14) um Termo de Cooperação para otimizar o atendimento aos clientes da companhia no município santista.

O acordo entre o órgão e uma empresa do setor de saúde é inédito e irá disponibilizar canais exclusivos de comunicação entre o Procon e a Qualicorp, por meio de telefone e e-mail. Além disso, o prazo de resposta aos clientes da companhia também será reduzido para, no máximo, 5 dias.

Segundo Juliana Pereira, Diretora Executiva de Clientes da Qualicorp, “o acordo firmado é mais um passo para que possamos nos aproximar do Procon de Santos e prestar aos nossos clientes um atendimento ainda mais ágil e resolutivo. Além de envolver menos agentes durante as tratativas, essa iniciativa também ajuda a evitar a judicialização”. Ainda de acordo com Juliana, “esse é o primeiro termo assinado pela Qualicorp com um Procon, e já estamos trabalhando para firmar novos acordos com Procons de outros municípios”.

Para Rafael Quaresma, Coordenador do Procon de Santos, “o termo assinado traz diversos benefícios aos consumidores, como um canal direto de atendimento e a priorização das demandas, além da redução pela metade do prazo de resposta ao cliente”.

Foco no atendimento ao cliente: o acordo com o Procon de Santos é o quinto assinado junto a um órgão público com o objetivo de otimizar o atendimento ao cliente. Nos últimos dois anos, a Qualicorp também firmou parceria com os Núcleos de Defesa do Consumidor (Nudecon) do Rio de Janeiro, do Maranhão e do Distrito Federal e com a Defensoria Pública da Bahia. “Iniciativas como essa reforçam nosso compromisso com o cliente e também nossa busca por um sistema de saúde inovador, eficiente e centrado nas pessoas”, conclui Juliana.

Workshop aborda alta performance em vendas 758

Workshop

Momento foi promovido pelo SindSeg MG/GO/MT/DF

Uma intensa programação de atividades provocativas, discussões e aprendizados marcou o dia de diversos profissionais das áreas comerciais de seguradoras associadas do SindSeg MG/GO/MT/DF. Conduzido por Rodrigo Maia, consultor e coach especializado em gestão de estratégias e negócios, o workshop de Alta Performance em Vendas apresentou ao público uma perspectiva inovadora sobre a necessidade de mudança de comportamento e relacionamento do mercado com o cliente.

A iniciativa, realizada na sede do Sindicato, é resultado da união dos esforços de duas comissões técnicas do SindSeg, a de Seguros de Ramos Elementares e a de Seguros de Pessoas. “Ao oferecer esse tipo de atividade de formação, desejamos que os profissionais do setor encarem esse momento de aprendizado como uma forma de oferecer o melhor para o mercado que está passando por importantes transformações”, comenta Juliana Queiroz, presidente da Comissão de Seguros de Pessoas.

Abordando conceitos relevantes para a produtividade do profissional como venda consultiva, administração e gestão do tempo e comunicação pessoal, Rodrigo ressaltou a necessidade de uma mudança comportamental tanto para o mercado quanto para os seus profissionais. “Os colaboradores das seguradoras precisam compreender que o foco de sua atuação não é apenas vender um produto, e sim, ser capaz de perceber as necessidades e desejos dos seus clientes”.

Parceria estratégica

Rodrigo defende que a venda deve ser uma consequência de um processo bem executado, e não uma causa ou um objetivo. “É preciso entender que os profissionais e os clientes são seres humanos com medos, receios e sonhos, e o corretor deve atuar como um parceiro estratégico nesse momento de disruptura do mercado”. Ele ainda complementa que a necessidade de readequar o setor leva a um modelo de negócio mais sustentável e humanizado e a formar profissionais mais ativos e conscientes.

Geraldo Pereira Filho, que preside a comissão de Seguros de Ramos Elementares, encara a atividade como uma possibilidade importante de atualizar os colaboradores das seguradoras com as novas ferramentas existentes para melhorar a performance dos profissionais. “Ao mesmo tempo em que a tecnologia exige dedicação às atividades diárias, ela também possibilita uma maior facilidade de atendê-las. É importante despertar os profissionais para a necessidade de saber gerir as ferramentas disponíveis, para buscarem uma alta produtividade nos negócios. Assim, o mercado estará em constante crescimento”.

Icatu Seguros é a empresa com clientes mais satisfeitos no País 1222

Divulgação

Levantamento é do Instituto MESC

Especialista em pessoas, a Icatu Seguros foi eleita a empresa com os clientes mais satisfeitos em todo o País nos segmentos de Vida, Capitalização e Previdência. O ranking elaborado pelo Instituto MESC avaliou 35 empresas do mercado segurador, a partir da opinião de mais de 15,5 mil clientes. Em 2017, a Icatu havia conquistado o segundo lugar neste prêmio e, desta vez, ficou à frente inclusive de grandes instituições financeiras.

O prêmio foi entregue na última segunda-feira, dia 10 de setembro, em São Paulo. Para a superintendente de Canais de Relacionamento da Icatu, Tatiana Ambrósio, o resultado mostra o grande investimento que a companhia tem feito para entender e aprimorar a jornada do cliente na empresa.

“Somos uma seguradora de pessoas e o cliente é o foco do nosso negócio. Nos últimos cinco anos, passamos a estudar melhor o índice de satisfação do cliente, promovendo pesquisas e adotando a metodologia Net Promoter Score (NPS). Ao mensurar o grau de lealdade e satisfação, temos a oportunidade de ajustar processos, avaliar produtos e melhorar sua experiência”, explica ela.

Há um outro detalhe especial que contribui para este resultado, segundo Tatiana: a Icatu Seguros também foi escolhida pelo quarto ano consecutivo como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil, no ranking Great Place to Work. “O bom ambiente de trabalho e o clima organizacional estão intimamente ligados ao atendimento e satisfação do cliente e ao crescimento da companhia”, afirma a superintendente.

Critérios

O Ranking das Melhores Empresas em Satisfação do Cliente do Instituto MESC avalia 42 segmentos de mercado. Ano passado, a Icatu foi a segunda colocada na categoria Seguros Gerais, competindo inclusive com companhias de seguros de veículo e saúde. Desta vez, o Instituto criou a categoria Seguros de Vida, Capitalização e Previdência.
A pesquisa foi realizada entre março de 2017 e abril de 2018, utilizando a metodologia do Pentagrama da Satisfação do Cliente, que apresenta confiança estatística de 98%. Os entrevistados foram questionados sobre Valor, Atendimento e Execução de 35 empresas. Com Índice de Satisfação do Cliente superior a 60%, 23 delas passaram para a segunda fase e a partir daí tiveram suas práticas criteriosamente auditadas pela equipe do Instituto MESC.

Marsh adquire JLT por £ 4,3 bi 915

Marsh JLT

Corretora global agora possui US$ 17 bilhões de receita anual

A gestora americana de riscos e seguros Marsh & McLennan Cos. chegou a um acordo para comprar a Jardine Lloyd Thompson (JLT), sediada no Reino Unido, por 4,3 bilhões de libras (US$ 5,66 bilhões). A informação é da Revista Exame.

A companhia resultante será uma corretora global, com US$ 17 bilhões de receita anual. O acordo foi anunciado nesta terça-feira, avaliando cada ação da JLT em 1,915 pence, um prêmio de 34% em relação a seu preço de fechamento da segunda-feira, na Bolsa de Londres.

Listada em Nova York, a Marsh & McLennan disse que o negócio fortalecerá suas operações e expandirá sua rede global de resseguros, apoiando sua posição em mercados importantes na Ásia e na América Latina. A Marsh & McLennan afirmou também que sua receita deve avançar a cerca de US$ 17 bilhões após o acordo, de cerca de US$ 14 bilhões atualmente.

Segundo a empresa, o negócio deve ser concluído na primavera de 2019 no Hemisfério Norte, que começa em março. Ele depende ainda de aprovação dos acionistas e reguladores.