Grupo Allianz divulga resultados trimestrais e do semestre 1473

Crescimento

Grupo reporta resultados robustos para o segundo trimestre de 2018 e confirma previsão para o ano

Após uma boa largada no início de 2018, o Grupo Allianz seguiu apresentando bom desempenho no segundo trimestre. Os indicadores se mantiveram próximos ou superaram os níveis do segundo trimestre de 2017, apesar das onerações impostas por instabilidades geopolíticas e flutuações cambiais. O crescimento das receitas internas, com os ajustes por efeitos cambiais e de consolidação, foi de 6,5% com todos os segmentos da empresa registrando forte crescimento. As receitas totais cresceram 2,9%, atingindo € 30,9 (no segundo trimestre de 2017 foram €30,0) bilhões de euros. O Lucro operacional aumentou 2,3% e foi a € 3,0 (€ 2,9) bilhões de euros. No segmento empresarial de Gestão de Ativos, o lucro operacional cresceu devido às receitas maiores, as quais foram impulsionadas pelos maiores volumes de ativos sob gestão (AuM), e às margens ampliadas. Isso mais do que compensou pelo declínio no lucro operacional do nosso ramo de Vida e Saúde. O lucro operacional no segmento Property & Casualty (todos os seguros, exceto Vida e Saúde) ficou estável. O lucro líquido atribuível aos acionistas diminuiu ligeiramente para € 1,9 (€ 2,0) bilhão de euros — o impacto negativo pela venda do nosso tradicional portfólio de seguro de vida em Taiwan foi apenas parcialmente neutralizado pela redução nos impostos sobre rendimentos.

Lucro Básico por Ação (EPS) aumentou 5% passando a € 8,86 (contra € 8,45) euros no primeiro semestre de 2018. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RoE) anualizado aumentou para 13,8% (contra 11,8% no ano inteiro de 2017). A Allianz manteve sua acentuada capitalização, com um coeficiente de capitalização Solvência II de 230% no final do trimestre, comparado aos 225% registrados no final do primeiro trimestre de 2018.

No primeiro semestre de 2018, o lucro operacional decresceu 1,8%, indo para € 5,8 (€ 5,9) bilhões de euros, levado sobretudo pelo nosso ramo de Vida e Saúde, devido à normalização da margem de investimento e à taxa cambial desfavorável. O lucro operacional no negócio de Gestão de Ativos cresceu, graças às maiores receitas impulsionadas pelas receitas dos ativos sob gestão (AuM). O lucro operacional de Property & Casualty aumentou ligeiramente comparado aos resultados do ano anterior. No geral, o lucro operacional para os primeiros seis meses está ligeiramente acima da média esperada para o ano inteiro. A redução nos impostos sobre rendimentos contrabalançaram o recuo no lucro operacional e no resultado não operacional: o lucro líquido atribuível aos acionistas ficou, portanto, estabilizado em € 3,8 (€ 3,8) bilhões de euros.

Oliver Bäte é CEO da Grupo Allianz
Oliver Bäte é CEO da Grupo Allianz

No dia 2 de julho de 2018, o Grupo Allianz anunciou um novo programa de recompra de ações, com um volume de até € 1,0 bilhão de euros. O programa será encerrado em 30 de setembro de 2018 e todas as ações recompradas serão canceladas.

“Nós continuamos rumo à realização da nossa meta de lucro operacional proposta para 2018. Sou muito grato a todos da equipe Allianz por possibilitarem que isso se realizasse em todos os países e em nossas empresas. Isso me deixa confiante de que iremos atingir as metas trienais do nosso Renewal Agenda”, declarou Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz.

Seguro P&C (Property-Casualty): acentuado crescimento interno e bom desempenho operacional

Os Prêmios brutos subscritos totalizaram € 12,1 (€ 11,7) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 7,3%, com os efeitos de preço e volume contribuindo com 2,2% e 5,1% respectivamente. Os principais motores desse crescimento foram AGCS, Allianz Partners e as operações na Alemanha.

O índice combinado se elevou a 94,1% (antes 93,7%) no segundo trimestre de 2018, refletindo um índice de sinistralidade mais elevado decorrente de grandes perdas e de eventos climáticos maiores também, parcialmente compensados por um coeficiente de despesa aumentado.

O Lucro operacional permaneceu estável em € 1,455 (€ 1,446) bilhão de euros.

“Os bons resultados em Property & Casualty mostram a força subjacente da nossa empresa. Tivemos avanços na nossa iniciativa de produtividade, conforme demonstra o coeficiente de despesa. E continuamos a caminho para cumprir a nossa meta de 94% no índice combinado,” afirmou Giulio Terzariol, diretor Financeiro do Grupo Allianz.

No primeiro semestre de 2018, os prêmios brutos subscritos aumentaram ligeiramente para € 30,0 (comparado a € 29,4 bilhões de euros). Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 5,9 %, impulsionado sobretudo pelos desdobramentos positivos da AGCS, nas operações da Alemanha, e da Allianz Partners. O Lucro operacional aumentou ligeiramente em 0,9%, passando a € 2,729 bilhões de euros, comparado ao mesmo período do ano anterior, devido ao melhor resultado na subscrição. O índice combinado para o primeiro semestre aumentou em 0,2 pontos percentuais e foi a 94,4%.

Seguro Vida e Saúde: novo negócio ainda melhor

PVNBP, o valor atual dos prêmios dos novos negócios (PVNBP) aumentou para € 14,0 (€ 13,6) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018, principalmente por conta das vendas maiores de produtos eficientes em termos de capital no ramo alemão de seguro Vida.

A margem de novos negócios (NBM) se fortaleceu um pouco indo para 3,5% (3,4%) devido ao mix de negócios favorável e ao nível da taxa de juros um pouco mais alta. O valor de novos negócios (VNB) se elevou a € 491 (€ 469) milhões de euros no trimestre movido pela continuação da mudança para produtos eficientes em termos de capital.

O Lucro operacional recuou 4,6% ficando em € 1,075 (€ 1,128) bilhão de euros devido à menor margem de investimento na Espanha e no nosso ramo alemão de Vida. O reflexo negativo dos efeitos cambiais, sobretudo dos Estados Unidos devido ao enfraquecimento do dólar, também contribuíram para essa redução.

“Os resultados positivos da nossa mudança em andamento para um mix de produtos mais eficientes em termos de capital atestam a nossa capacidade em nos adaptarmos a um ambiente de taxas de juros altamente desafiadoras. Nossa margem de novos negócios de 3,5% está bem à frente da meta prevista, e o valor dos novos negócios se elevou a € 491 milhões de euros no trimestre, exibindo um bom crescimento trimestral de 5%”, disse Terzariol.

No primeiro semestre de 2018, o PVNBP subiu para € 29,0 (€ 28,4) bilhões de euros, em grande medida devido às vendas maiores dos nossos produtos eficientes em termos de capital no nosso negócio alemão de Vida e dos nossos produtos de seguro de unidade variável (unit-linked) sem garantias em Taiwan. O lucro operacional teve redução para € 2.144 (€ 2.282) bilhões de euros em decorrência das condições de mercado menos favoráveis e dos efeitos cambiais francamente adversos da transposição cambial nos EUA.

O NBM subiu para 3,4% (3,3%) por cento, elevando o VNB a € 980 (€ 922) milhões de euros.

Gestão de Ativos: crescimento continuado em faturamento e no lucro operacional – Total dos recursos sob gestão atinge o maior nível já registrado

Recursos de terceiros sob gestão (AuM) cresceram em € 35 bilhões de euros (2,5%) alcançando € 1,464 trilhão de euros, comparado ao final do primeiro trimestre de 2018. Esse aumento se deveu a efeitos positivos da transposição cambial. As saídas líquidas de recursos de terceiros totalizaram € 9,2 bilhões de euros. O total de AuM registrou um recorde de € 1,993 trilhão de euros.

A relação custo-rendimento (CIR) melhorou 0,9 ponto percentual e foi para 61,6 % no segundo trimestre de 2018, visto que o aumento nos rendimentos superou o aumento nas despesas.

O Lucro operacional aumentou 11,6% e bateu em €652 (€584) milhões de euros no segundo trimestre de 2018. Isso se deveu a um aumento no rendimento operacional, decorrente tanto da média mais elevada de AuM como de uma margem ampliada. Após o ajuste pelos efeitos da transposição cambial, o lucro operacional teve alta de 18,8 %.

“A combinação de maior volume de ativos sob gestão, margens mais altas e um coeficiente de custo-rendimento mais baixo leva a um crescimento de dois dígitos no lucro. Ao passo que tivemos saídas líquidas no trimestre, registramos entradas líquidas para os meses de junho e julho. Estamos muito satisfeitos com a performance da nossa Gestão de Ativos”, disse Giulio Terzariol.

No primeiro semestre de 2018, as receitas operacionais cresceram 4,6% alcançando € 3,3 bilhões de euros, principalmente devido a uma média maior de AuM de terceiros na PIMCO e a um crescimento nas margens impulsionado por AuM, tanto na PIMCO como na AllianzGI. Como as despesas operacionais subiram apenas 2,7%, o CIR recuou 1,2 ponto percentual e caiu para 61,7%. O lucro operacional subiu 7,9 % e bateu na casa dos € 1,247 (€ 1,156) trilhão de euros. Adicionalmente, os efeitos cambiais favoráveis e as entradas de terceiros superaram os efeitos de mercado negativos, resultando em AuM de terceiros da ordem de € 1,464 trilhão de euros – um aumento de € 17 bilhões de euros comparado ao final do ano de 2017.

Divulgação
Divulgação

Andre Gouw entre os Profissionais de Comunicação do ano do Prêmio Comunique-se 4116

Executivo participou no processo de integração que culminou no lançamento da marca Sompo no Brasil

Andre Gouw, gerente de Comunicação e Marketing da Sompo Seguros, está entre os profissionais de destaque na categoria Profissional de Comunicação Corporativa da 16ª edição do Prêmio Comunique-se. O executivo figura numa lista dos dez profissionais mais lembrados por jornalistas, publicitários, profissionais e estudantes do segmento, bem como internautas interessados no mercado de comunicação.

Esta será a quarta vez que Gouw está entre os profissionais de destaque. As outras três aconteceram nas edições de 2013, 2015 e 2017. Agora já está aberta a 2ª etapa de votação do prêmio, por meio da qual será dada distinção aos três executivos com mais votos. A votação nesta fase acontece até o dia 8 de julho e pode ser feita por meio deste link. “Estar numa lista em que os profissionais são indicados conforme a lembrança do público já é um reconhecimento importante. No caso do Prêmio Comunique-se, que já é amplamente reconhecido e sempre conta com milhares de indicações, o grau de relevância aumenta substancialmente”, comemora Gouw.

O executivo é o único representante de uma seguradora a estar entre os finalistas. Na segunda fase, Andre Gouw concorre com profissionais de comunicação que atuam em marcas de reconhecimento global nos ramos de Alimentação, Aviação, Automotiva, Consumo, Eletrônicos e Tecnologia; para a etapa que define os três finalistas que concorrem à premiação final. O Prêmio Comunique-se tem como objetivo reconhecer o desempenho do profissional ou agência pelo conjunto do seu trabalho em determinado período, ao invés de avaliar um trabalho específico. “Estar entre os profissionais mais lembrados é um reconhecimento que devo compartilhar com a equipe de comunicação da Sompo, sempre empenhada em levar ao mercado um entendimento do mercado de seguros com uma linguagem atrativa e amigável”, complementa Gouw.

Construção de Marca

Andre Gouw atua há mais de 35 anos no mercado de comunicação, dos quais mais de 17 no setor de Seguros. Entre suas ações mais recentes, o executivo conduziu o processo de construção e apresentação da marca Sompo, que completa dois anos no mercado brasileiro em julho. O lançamento envolveu estratégias específicas para públicos interno e externo (agentes de mercado, imprensa, corretores e segurados e público geral), além de campanhas publicitárias em nível nacional. Atualmente está em veiculação uma campanha multiplataforma de abrangência nacional que tem como mote criativo a confiabilidade da seguradora de origem japonesa e traz Lyoto Machida – lutador brasileiro de MMA e Karatê – como protagonista.

O processo para adoção da nova identidade da Sompo Seguros teve início em 2009, quando a Marítima Seguros, uma companhia fundada em Santos (SP) há mais de 70 anos, vendeu 50% de sua participação acionária à Yasuda Seguros, que atuava no Brasil desde 1959 e era subsidiária do Grupo Sompo Japan (hoje, Grupo Sompo Holdings). No início de 2013, o Grupo Sompo, por intermédio da Yasuda Seguros., aumentou sua participação, assumindo o controle acionário da Marítima Seguro. Já em abril de 2014, a companhia obteve a aprovação prévia da Superintendência de Seguros Privados (Susep), para se incorporar, passando a se chamar Yasuda Marítima Seguros. A aprovação final do órgão regulador foi concedida e publicada no dia 7 de outubro de 2014. Após conclusão do processo de integração houve a decisão pela mudança da marca para Sompo Seguros, já autorizada pela Susep e que passou a valer desde 1º de Julho de 2016.

JRS sorteia entradas para Noite Italiana de Antônio Prado (RS) 444

Rainhas da edição 2017 da Noite Italiana de Antônio Prado/RS

Sortudas foram conhecidas em transmissão ao vivo, na manhã de hoje

Em parceria com a Solaris Corretora de Seguros e CDL de Antônio Prado, o JRS realizou, na manhã desta quarta-feira, o sorteio de entradas para a Noite Italiana. O momento contou com transmissão ao vivo pela página do JRS em uma rede social.

Veja também: Cobertura especial do JRS na Noite Italiana de Antônio Prado (RS), em 2017

Nara Melo, Eliane Pacheco e Luana Dondé Tochetto Scopel foram as grandes felizardas. Nossa produção já entrou em contato com ambas, que devem informar nome completo e CPF também dos acompanhantes. Realizada por mais um ano consecutivo, a promoção atingiu recordes de alcance. Mais de 35 mil pessoas visualizaram a publicação e, ao todo, 600 participantes foram validados para o sorteio.

Acompanhe a transmissão ao vivo:

 

As entradas sorteadas pelo JRS dão direito ao participante com acompanhante a participarem da maior festa da cidade mais italiana do Brasil, no próximo sábado 18 de agosto. A Noite Italiana de Antônio Prado (RS) ainda acontece no dia 25 de agosto. Uma série de atrações deve encantar visitantes de todas as partes, que podem adquirir seus ingressos neste site.

Justiça revoga bloqueio de bens de seguradora para suprir previdência da Aplub 814

Decisão judicial

Decisão praticamente inviabilizava operações de grupo segurador

Conforme noticiado por JRS em 8 de agosto, uma liminar determinava o bloqueio dos ativos livres de várias empresas ligadas à seguradora Capemisa, a fim de suprir as provisões técnicas relativas aos planos previdenciários da Aplub. Os valores necessários seriam apurados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), interventora da Aplub desde 2015.

No último dia 10 de agosto, o desembargador Pedro Luiz Pozza decidiu suspender a decisão, que “praticamente inviabiliza as atividades das recorrentes, que se veem, de uma hora para a outra, sem a disponibilidade de seus ativos financeiros, o que pode implicar na sua imediata liquidação pela ausência de meios para arcar com suas obrigações, que seria uma medida praticamente irreversível”, explica no despacho emitido pela 12ª Câmara Cível, da comarca de Porto Alegre (RS).

“Ou seja, a decisão recorrida pode provocar justamente aquilo que quis evitar, que é a liquidação da Aplub. Com isso, estar-se-ia, como dizem as recorrentes, despindo um santo para vestir outro”, segue a decisão.

JRS na 37ª Noite Italiana de Antônio Prado 588

Cobertura especial da grande festa da cidade mais italiana do Brasil

O maior evento gastronômico da cidade mais italiana do Brasil começou neste sábado. A 37ª Noite Italiana de Antônio Prado (RS) contou com a participação de quase 4 mil pessoas, que usufruíram da hospitalidade típica italiana, regada a queijos, frango, polenta e muito vinho. Tudo à vontade.

A repórter Júlia Senna e Laureano Fortuna, CEO do Grupo Solaris

A noite foi embalada por Jeverson Carelli e Grupo, Zo Scarpon – Os Colonos e Chiquito e Bordoneio e contou com a presença das soberanas, como a rainha Manoella Sandi e as princesas, Ana Paula Borsoi e Bruna Bertoldo, além do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), promotora do evento, Luiz Ziliottto.

Evento contou com quase 4 mil participantes

O evento conta com patrocínio da Solaris Corretora de Seguros, que em parceria com o JRS sorteou dois pares de ingressos para o final de semana de integração plena. “No dia 26 acontece novamente. Venham que será um prazer enorme para a cidade. Patrocinamos este evento e para a Solaris é uma satisfação enorme participar da comunidade”, comentou Laureano Fortuna, CEO do Grupo Solaris.

As soberanas da 37ª Noite Italiana

O mercado segurador prestigiou em peso o evento. Gilson Bochernitsan, diretor regional da SulAmérica; Waldecyr Schilling, diretor Região Sul da Zurich Seguros; Peterson Goi, executivo da Zurich; além do apoio institucional da Generali. O casal Clovis e Joyce Della Flora, do Grupo Autosul, também prestigiou a ação.

Gilson Bochernitsan em entrevista ao JRS

Confira todas as imagens:

Busca por dinheiro rápido, geralmente, é a receita para o desastre 948

Especialista dá dicas para quem quer começar a investir

O especialista em investimentos Henrique Bredda participou esta semana do Encontro com Gestores, promovido pela Icatu Seguros, em Novo Hamburgo (RS). A agenda do executivo foi complementada em uma série de palestras voltadas aos operadores parceiros da seguradora.

Veja também: Henrique Bredda descomplica mercado financeiro.

Bredda explica que os fundos no Brasil são como condomínios. “As pessoas dividem, dentro desse condomínio, os benefícios dos investimentos e despesas que são feitos. É como se fosse um CNPJ onde os investimentos são feitos com o capital dos cotistas, cada um na sua proporção, e esse dinheiro é utilizado para investimento em compra de ações, compra de títulos públicos e o que é vendido com lucro é socializado entre todos os cotistas, na proporção de peso e do aporte de cada um”, explica.

O executivo da Alaska Asset aponta que quem deseja iniciar operações com investimentos deve ter uma visão que não seja limitada ao curto prazo. “Quem pensa em investir com cabeça de curtíssimo prazo, digo para evitar ao máximo se envolver com a bolsa, pois em curtíssimo prazo a volatilidade varia conforme o humor dos investidores e quase que não há lógica alguma para curtos períodos. Com o tempo passando, a longo prazo, vai se desenvolvendo e aparecem muito mais os fundamentos para se investir em ações”, revela.

Segundo Henrique Bredda, um dos principais desafios é exatamente esse, o de as pessoas aguardarem o momento certo para agir no caso de investimentos. “Quando se busca ganhar dinheiro muito rápido, geralmente, é receita para o desastre. Você só precisa ficar rico uma vez na vida, nem que isso demore um pouco mais, não tem problema”, finaliza.