Joe Jordan: Seguros de vida são cruciais para a essência da sociedade 5346

Especialista defende que corretores diversifiquem carteiras e criem relações de confiança


O especialista em finanças comportamentais Joe Jordan viajou à Florianópolis para palestrar no Brasesul no mês de julho, com patrocínio da Porto Seguro. Ele comentou o fato de que, em 2017, o ramo vida risco avançou R$ 1 bi a mais que o seguro automóvel, chegando a R$ 34 bilhões de faturamento no Brasil: “O seguro automobilístico é basicamente uma mercadoria, e as pessoas precisam tê-lo, mas os seguros de vida são cruciais para a formação familiar, e essa é, realmente, a essência da sociedade”.

Veja também: Porto Seguro investe em capacitações e treinamentos.

O autor do livro “Vivendo uma vida de importância” entende que o ramo é essencial quando as pessoas passam a entender que têm responsabilidades em relação a outras pessoas. “Muitos políticos dizem que vão cuidar de nós, e isso é uma mentira. Em resumo, as pessoas estão por conta própria agora”, reflete. “Então, as pessoas precisam ter responsabilidade para cuidar delas mesmas e das pessoas que amam. É um ótimo sinal que isso esteja acontecendo no Brasil, uma ótima notícia”, defende.

Jordan acredita que o empoderamento feminino nos negócios pode funcionar como forma de humanização do seguro num momento em que as relações ficam cada vez menos pessoais. “No futuro, as competências importantes serão as daquelas pessoas que conseguem estabelecer relações de confiança e as mulheres fazem isso por instinto. Temos que adaptar nosso negócio às necessidades das mulheres”, destaca. “São as mulheres que conseguem criar laços de confiança e, além disso, elas vivem mais tempo, então, elas que vão ser as beneficiárias. E outra coisa importante é que, com a sociedade envelhecendo, o que acontece é que, normalmente, quem acaba dando os cuidados são as mulheres, geralmente esposas ou filhas, então, pela minha experiência, precisamos de mais mulheres nesse negócio”, revela.

Para ele, é possível ficar rico vendendo seguro de vida e também ter uma boa vida. “Uma das melhores coisas da nossa profissão é que ela realmente faz a diferença para a sociedade. Mas o que acontece é que, quando as pessoas se atraem somente pela riqueza, elas podem se perder pelo caminho. Então, sim, você pode enriquecer fazendo isso, mas o mais importante é que pode se realizar”, defende.

O profissional crê que o corretor de seguros brasileiro precisa se certificar de realizar algumas mudanças que possam propiciar a expansão do seu negócio, como a diversificação de carteira e a especialização. “Não vendam só produtos com os quais já têm familiaridade, mas diversos produtos que os clientes precisem. Comecem a questionar, descubram exatamente quem é o seu cliente. O objetivo é a longo prazo, não só para vender, mas essa compreensão vai fazer com que as vendas aconteçam. Só aviso que, se você não fizer isso, outra pessoa pode fazer, e muito mais rápido”, diz.  “Seu diferencial deve ser a garantia de que você vai estar em contato com os clientes e que eles podem confiar em você. E, acredite em mim, há coisas acontecendo, agora, na sociedade, que faz com que a maioria das pessoas se sinta isolada e sozinha. O que as pessoas querem mesmo é sentar e conversar com alguém. Esse deve ser seu objetivo. E, na medida em que você consegue resolver vários problemas, você passa a ideia de que é confiável, os clientes vão escolher você, e você vai prestar um grande serviço à sociedade”, reflete.

Previsul Seguradora busca soluções que facilitem o dia a dia do corretor 1133

Confira entrevista com Renato Pedroso, presidente da companhia

A Previsul Seguradora participou do Congresso Sul Brasileiro dos Corretores de Seguros. Presentes, no estande da companhia, o presidente Renato Pedroso, a diretora de Negócios e Marketing, Andreia Araújo, os gerentes regionais, gerentes de sucursal da regional sul e equipe comercial de Santa Catarina.

Na avaliação de Pedroso, o tema do evento está em sintonia com o momento da Previsul, que tem buscado, por meio da tecnologia, soluções que facilitem o dia a dia do corretor de seguros. “Somos uma seguradora orientada para o futuro. Por isso, estamos sempre atentos às tendências e necessidades do mercado, evoluindo em tecnologia para oferecer ferramentas digitais que tragam mais agilidade e autonomia ao corretor”, afirma. Entre as ferramentas citadas por Pedroso, destaca-se o Cota+, cotador online que realiza o processo de cotações de forma rápida e prática. “Também temos o Portal do Corretor, canal digital para que o corretor possa ter acesso a documentos, movimentações de vida, e muito mais.”, completa.

Neo Executiva inaugura escritório em Florianópolis (SC) 7123

Em expansão, corretora conta com 11.670 clientes do produto vida pelo Brasil

A Neo Executiva Corretora de Seguros inaugurou no sábado (21) filial em Florianópolis (SC). Parte do projeto de expansão da empresa, o novo escritório está localizado de forma estratégica logística e comercialmente. “A ideia é agregar cada vez mais e fortalecer a Região Sul, além de todo o Brasil que já atendemos”, destaca o diretor da Neo Executiva, Zênio Costa.

A corretora conta com 11 mil 670 clientes do produto vida pelo país, desde a sua última contagem. “A nossa forma de atuação é de adesão, então estes clientes foram conquistados individualmente e somados dentro da nossa operação, não vieram numa grande massa”, conta. “Além dos outros ramos que temos trabalhado bastante, como um mix de carteira empresarial que estamos começando”, acrescenta.

A empresa avançará nos próximos meses ao Nordeste, com inauguração de escritório em Recife (PE) em agosto e outro está previsto na Bahia na sequência. “Esse é o nosso projeto: atender a todo Brasil e ficar ainda mais próximos dos Estados e dos clientes”, afirma o diretor da Neo Executiva, Luis Henrique Bueno. “Para atender nacionalmente é preciso muita dedicação e coragem”, complementa.

Além disso, o gerente de seguros de pessoas da Sancor Seguros Brasil, Rafael Leonel, e a gerente comercial Estela de Moura Rey acompanharam o momento da inauguração na Capital catarinense. “Para nós é uma satisfação muito grande ter uma corretora como a Neo como parceira, pois esta parceria vai completar um ano e já colhemos frutos excepcionais a cada dia”, comenta Leonel.

A Sancor e a Neo Executiva realizam o trabalho de levar seguro de vida a todos os brasileiros. “A Sancor com cinco anos de Brasil e a Neo com oito anos de atuação, ambas estão conquistando e avançando. Nos honra muito esta parceria, pois a Neo trabalha com um segmento muito importante, que é a proteção das famílias através do produto vida”, finaliza Estela.

Confira as imagens – Neo Executiva Florianópolis (SC):

Justiça revoga bloqueio de bens de seguradora para suprir previdência da Aplub 938

Decisão judicial

Decisão praticamente inviabilizava operações de grupo segurador

Conforme noticiado por JRS em 8 de agosto, uma liminar determinava o bloqueio dos ativos livres de várias empresas ligadas à seguradora Capemisa, a fim de suprir as provisões técnicas relativas aos planos previdenciários da Aplub. Os valores necessários seriam apurados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), interventora da Aplub desde 2015.

No último dia 10 de agosto, o desembargador Pedro Luiz Pozza decidiu suspender a decisão, que “praticamente inviabiliza as atividades das recorrentes, que se veem, de uma hora para a outra, sem a disponibilidade de seus ativos financeiros, o que pode implicar na sua imediata liquidação pela ausência de meios para arcar com suas obrigações, que seria uma medida praticamente irreversível”, explica no despacho emitido pela 12ª Câmara Cível, da comarca de Porto Alegre (RS).

“Ou seja, a decisão recorrida pode provocar justamente aquilo que quis evitar, que é a liquidação da Aplub. Com isso, estar-se-ia, como dizem as recorrentes, despindo um santo para vestir outro”, segue a decisão.

JRS na 37ª Noite Italiana de Antônio Prado 598

Cobertura especial da grande festa da cidade mais italiana do Brasil

O maior evento gastronômico da cidade mais italiana do Brasil começou neste sábado. A 37ª Noite Italiana de Antônio Prado (RS) contou com a participação de quase 4 mil pessoas, que usufruíram da hospitalidade típica italiana, regada a queijos, frango, polenta e muito vinho. Tudo à vontade.

A repórter Júlia Senna e Laureano Fortuna, CEO do Grupo Solaris

A noite foi embalada por Jeverson Carelli e Grupo, Zo Scarpon – Os Colonos e Chiquito e Bordoneio e contou com a presença das soberanas, como a rainha Manoella Sandi e as princesas, Ana Paula Borsoi e Bruna Bertoldo, além do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), promotora do evento, Luiz Ziliottto.

Evento contou com quase 4 mil participantes

O evento conta com patrocínio da Solaris Corretora de Seguros, que em parceria com o JRS sorteou dois pares de ingressos para o final de semana de integração plena. “No dia 26 acontece novamente. Venham que será um prazer enorme para a cidade. Patrocinamos este evento e para a Solaris é uma satisfação enorme participar da comunidade”, comentou Laureano Fortuna, CEO do Grupo Solaris.

As soberanas da 37ª Noite Italiana

O mercado segurador prestigiou em peso o evento. Gilson Bochernitsan, diretor regional da SulAmérica; Waldecyr Schilling, diretor Região Sul da Zurich Seguros; Peterson Goi, executivo da Zurich; além do apoio institucional da Generali. O casal Clovis e Joyce Della Flora, do Grupo Autosul, também prestigiou a ação.

Gilson Bochernitsan em entrevista ao JRS

Confira todas as imagens:

Busca por dinheiro rápido, geralmente, é a receita para o desastre 1042

Especialista dá dicas para quem quer começar a investir

O especialista em investimentos Henrique Bredda participou esta semana do Encontro com Gestores, promovido pela Icatu Seguros, em Novo Hamburgo (RS). A agenda do executivo foi complementada em uma série de palestras voltadas aos operadores parceiros da seguradora.

Veja também: Henrique Bredda descomplica mercado financeiro.

Bredda explica que os fundos no Brasil são como condomínios. “As pessoas dividem, dentro desse condomínio, os benefícios dos investimentos e despesas que são feitos. É como se fosse um CNPJ onde os investimentos são feitos com o capital dos cotistas, cada um na sua proporção, e esse dinheiro é utilizado para investimento em compra de ações, compra de títulos públicos e o que é vendido com lucro é socializado entre todos os cotistas, na proporção de peso e do aporte de cada um”, explica.

O executivo da Alaska Asset aponta que quem deseja iniciar operações com investimentos deve ter uma visão que não seja limitada ao curto prazo. “Quem pensa em investir com cabeça de curtíssimo prazo, digo para evitar ao máximo se envolver com a bolsa, pois em curtíssimo prazo a volatilidade varia conforme o humor dos investidores e quase que não há lógica alguma para curtos períodos. Com o tempo passando, a longo prazo, vai se desenvolvendo e aparecem muito mais os fundamentos para se investir em ações”, revela.

Segundo Henrique Bredda, um dos principais desafios é exatamente esse, o de as pessoas aguardarem o momento certo para agir no caso de investimentos. “Quando se busca ganhar dinheiro muito rápido, geralmente, é receita para o desastre. Você só precisa ficar rico uma vez na vida, nem que isso demore um pouco mais, não tem problema”, finaliza.