O corretor de seguros e o código de vestimenta 2740

Negócios

Será que o corretor de seguros deve se apresentar sempre de terno e gravata?

Renato Cunha Bueno é sócio-diretor da ARX Re Corretora de Resseguros e coordenador da Comissão Grandes Riscos e Resseguros do Sincor-SP
Renato Cunha Bueno é sócio-diretor da ARX Re Corretora de Resseguros e coordenador da Comissão Grandes Riscos e Resseguros do Sincor-SP

Quando iniciei na profissão, 40 anos atrás, era inadmissível um profissional ser visto sem terno e gravata. Uma ocasião encontrei um colega muito elegante que estava desempregado, enquanto eu caminhava com o diretor da seguradora para a qual trabalhava, pelo centro da cidade, região que à época abrigava praticamente todas as grandes empresas de São Paulo. Éramos amigos deste profissional e meu chefe ficou muito bravo com ele. “Como você tem coragem de vir ao Centro de roupa esporte? Assim você se desvaloriza e se alguém te vir ficará com uma má impressão. Volte para casa agora e só reapareça no Centro trajado adequadamente”. O amigo, totalmente envergonhado, saiu de fininho e foi embora com o rabo entre as pernas.

Muita coisa mudou de lá para cá. Mesmo o Lloyd’s de Londres, que frequento há mais de 20 anos como corretor de resseguros, mudou. Antigamente, mulheres não eram admitidas, os homens tinham cabelos curtos e ninguém tirava o paletó e a gravata nem dentro nem fora do Lloyd’s. Alguns hábitos ainda se mantêm, afinal de contas a Inglaterra é a terra da tradição. Ternos só pretos, cinzas ou azul marinho e o sapato sempre preto, jamais marrom, e nunca blazer! Em compensação eles hoje barbarizam nas meias, forros de paletós e gravatas, tudo super colorido, e nos escritórios dos corretores a grande maioria trabalha sem gravata e sem paletó, os jovens com a camisa fora da calça.

Aqui no Brasil as coisas também se transformaram, só que mais radicalmente. A princípio veio a sexta-feira casual e algumas seguradoras, ainda com muita preocupação com a aparência formal, chegaram a contratar consultorias de profissionais da moda como da Gloria Kalil, para “educar” e deixar os funcionários mais chiques. Depois, aos poucos, os funcionários de empresas do mercado segurador e financeiro foram se liberando das gravatas e passaram a se vestir à maneira de Mahmoud Ahmadinejad, ex presidente do Irã, de terno e sem gravata, e logo os blazers sem gravata passaram a dominar.

Nada contra o uso de ternos e gravatas ou qualquer tipo de roupa, cada um que se apresente como gosta, mas a verdade é que a grande maioria das pessoas se veste cada vez mais de forma casual e confortável usando inclusive jeans, camisas polo, sapatos mocassim e até tênis e camisetas.

Para minha surpresa, recebi uma notícia publicada no jornal O Estado de S. Paulo, que de tão surpreendente reproduzo integralmente:

Itaú Unibanco libera dress code ao gosto de cada colaborador

Depois de liberar o uso da bermuda na vestimenta diária, em resposta a uma demanda dos funcionários do seu Centro de Tecnologia, o Itaú Unibanco foi além. A partir deste mês, cada um dos seus mais de 85 mil colaboradores Brasil afora poderá escolher o traje de cada dia a seu bel-prazer. De camiseta, de tênis, de terno, de jeans e até de bermuda. O novo dress code do Itaú tem como mote “o nosso jeito tem seu estilo”.

Bom senso. A iniciativa, que começa a vigorar no banco a partir de amanhã, tem apenas duas regras: o bom senso e o cliente em primeiro lugar. As unidades externas do Itaú, que somam outros cerca de 14 mil funcionários, vão avaliar como aplicar a adoção do novo dress code.

Por isso, hoje aconselho: trabalhe bem, seja responsável e bom profissional, pois a aparência não resolve mais o problema de ninguém. Isso sem esquecer a boa regra do Itaú Unibanco: “bom senso e o cliente em primeiro lugar”.

*Por Renato Cunha Bueno, sócio-diretor da ARX Re Corretora de Resseguros e coordenador da Comissão Grandes Riscos e Resseguros do Sincor-SP.

Marsh adquire JLT por £ 4,3 bi 1072

Marsh JLT

Corretora global agora possui US$ 17 bilhões de receita anual

A gestora americana de riscos e seguros Marsh & McLennan Cos. chegou a um acordo para comprar a Jardine Lloyd Thompson (JLT), sediada no Reino Unido, por 4,3 bilhões de libras (US$ 5,66 bilhões). A informação é da Revista Exame.

A companhia resultante será uma corretora global, com US$ 17 bilhões de receita anual. O acordo foi anunciado nesta terça-feira, avaliando cada ação da JLT em 1,915 pence, um prêmio de 34% em relação a seu preço de fechamento da segunda-feira, na Bolsa de Londres.

Listada em Nova York, a Marsh & McLennan disse que o negócio fortalecerá suas operações e expandirá sua rede global de resseguros, apoiando sua posição em mercados importantes na Ásia e na América Latina. A Marsh & McLennan afirmou também que sua receita deve avançar a cerca de US$ 17 bilhões após o acordo, de cerca de US$ 14 bilhões atualmente.

Segundo a empresa, o negócio deve ser concluído na primavera de 2019 no Hemisfério Norte, que começa em março. Ele depende ainda de aprovação dos acionistas e reguladores.

10 dias para o fim das inscrições para os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros 564

Longevidade

Interessados têm até 28 de setembro para enviar trabalhos

Consolidada como uma das mais destacadas iniciativas voltadas à difusão e discussão do tema longevidade em âmbito nacional, os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros chegam à sua oitava edição em 2018 contemplando as categorias de Jornalismo, Histórias de Vida e Pesquisa, esta última voltada à comunidade acadêmica. As inscrições podem ser feitas até 28 de setembro neste endereço.

Os três primeiros colocados nas categorias de Jornalismo e Histórias de Vida e os dois primeiros de Pesquisa em Longevidade receberão prêmios, além de troféus e certificados. A cerimônia de entrega ocorrerá durante o XIII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros, que reunirá especialistas e convidados nacionais e internacionais em novembro de 2018, na cidade de São Paulo.

“Nosso principal objetivo é difundir trabalhos que demonstrem a importância e os impactos da longevidade nas diferentes esferas da vida. Se vamos viver mais, temos que nos preparar para aproveitar esse bônus de longevidade da melhor forma possível, com saúde, bem-estar e planejamento financeiro”, destaca o diretor do Grupo Bradesco Seguros, Alexandre Nogueira.

Desde a primeira edição, os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros contam com a consultoria do médico e pesquisador em saúde pública Alexandre Kalache, ex-diretor do Departamento de Envelhecimento e Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS) e uma das maiores autoridades internacionais em gerontologia.

Categorias e modalidades

Prêmio Longevidade de Jornalismo

Em reconhecimento à importância da imprensa como formadora de opinião e difusora de conhecimento, a premiação busca estimular a elaboração de trabalhos jornalísticos que tratem o tema da longevidade com criatividade, contemplando duas modalidades: “Mídia Impressa” (jornais e revistas) e “Mídia Digital” (TV, rádio e web). Estão habilitados a concorrer matérias, artigos ou outros trabalhos de cunho jornalístico veiculados no período de 5/9/2017 a 28/9/2018. Os vencedores em primeiro, segundo e terceiro lugares de cada modalidade receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 10 mil, R$ 5 mil e R$ 3 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Prêmio Longevidade Histórias de Vida

Aberto à participação de maiores de 18 anos de idade, tem como principal objetivo reconhecer e estimular a transmissão de conhecimento entre gerações, incentivando o relato de histórias que, de alguma forma, contribuam para disseminar o conceito de longevidade com qualidade de vida e bem-estar. O primeiro, segundo e terceiro colocados receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 1 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Prêmio Pesquisa em Longevidade

Direcionado à comunidade acadêmica, é composto pelas modalidades “Geriatria” e “Gerontologia”. Somente estão habilitados a concorrer projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito acadêmico, aprovados por agências de fomento nacionais e/ou estaduais nas áreas de conhecimento existentes nessas agências no período de 1º/1/2008 a 28/9/2017 e que remetam ao tema longevidade no sentido amplo. Os vencedores em primeiro e segundo lugares de cada modalidade receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Viva a Longevidade

Os Prêmios Longevidade fazem parte de um conjunto de ações mais abrangentes desenvolvidas pelo Grupo Bradesco Seguros desde 2006, com o intuito de difundir a importância de conquistar um envelhecimento ativo e saudável.

Além do “Fórum da Longevidade”, as iniciativas incluem ainda o “Circuito da Longevidade”, que já reuniu, desde 2007, mais de 400 mil participantes, em corridas e caminhadas nas principais cidades do país; o “Programa Porteiro Amigo do Idoso”, lançado em 2010 para capacitar porteiros a oferecer melhores serviços aos idosos, e que já treinou mais de 3,5 mil profissionais em bairros do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo; o movimento “Conviva”, que visa incentivar a convivência harmoniosa entre ciclistas, motociclistas, motoristas e pedestres, englobando, entre outras ações, a Ciclo Faixa de Lazer de São Paulo; e o “Programa Juntos pela Saúde”, conjunto de ações lançado em 2006 com o objetivo de estimular ações de promoção da saúde.

RS: Sincor e Sindseg promovem almoço com superintendente da Susep 1241

Joaquim Mendanha é superintendente da Susep

Joaquim Mendanha participa de palestra-almoço no dia 04 de outubro

O Sindicato dos Corretores de Seguros e das Seguradoras do Rio Grande do Sul, Sincor-RS e Sindseg-RS, respectivamente, apresentam mais um almoço do mercado segurador. O encontro recebe Joaquim Mendanha, superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), no dia 4 de outubro. O Clube do Comércio é cenário para a palestra-almoço que há mais de 70 anos reúne os profissionais do setor no Estado.

Para participar é preciso confirmar presença até o dia 2 de outubro, pelo e-mail margareth.souza@sindsegrs.org.br ou nos telefones (51) 3221-4433 ou (51) 3221-4960. O convite custa R$ 60,00.

Divulgação
Divulgação

Liberty oferece treinamento inovador para o corretor com imersão no Facebook 904

Facebook

Liberty Academia Digital traz encontro na sede do Facebook, vídeos, vouchers e apoio de consultor para corretores terem sucesso no digital

Atenta à tendência de digitalização e dedicada a ajudar os corretores parceiros a crescerem seus negócios, a Liberty Seguros acaba de lançar um novo formato de treinamento inovador para esse público: a Liberty Academia Digital, que conta com importantes insights do time de atendimento do Facebook no Brasil e tem como principal objetivo habilitar os corretores a promover os produtos de seguro nas mídias sociais e a alcançar potenciais clientes.

A Liberty Academia Digital consiste em um treinamento digital por meio de vídeo-aulas baseada no conceito de gamificação e com foco na experiência de vender seguros. O treinamento atende aos mais diferentes perfis de corretores: aos que tem pouco conhecimento em mídias sociais, aos que possuem algum conhecimento, mas que não sabem como criar conteúdo e aos que já produzem conteúdos, mas que não sabem como otimizar seus resultados.

As aulas serão divididas em três módulos: o Módulo 1, que pode ser acessado por qualquer profissional do Brasil e estará disponível na página do Programa Conexão no Facebook; o Módulo 2 e o Módulo 3, que só poderão ser acessados se o corretor for parceiro da Liberty Seguros, por meio da plataforma de treinamento da seguradora. Caso o profissional inicie o treinamento e ainda não seja parceiro, pode facilmente tornar-se um por meio do site da Liberty Seguros. Ao final do Módulo 3, o Facebook receberá em sua sede, em São Paulo, um grupo de corretores para  uma verdadeira imersão em suas plataformas – Facebook e Instagram.  Além disso, os corretores que concluírem o curso contarão com um consultor digital, que estará à disposição, via Facebook Messenger, para orientar e tirar as principais dúvidas, garantindo que os principais objetivos das campanhas de mídia sejam alcançados.

“Acreditamos muito no valor dos corretores e queremos que nossos parceiros desenvolvam seu negócio, e cresçam com a Liberty. Apoiar o corretor para ingressar no mundo digital e utilizar o online a seu favor é um tema muito importante para nós. Desde 2015, a Liberty investe em treinamentos de mídias sociais para captação e fidelização de clientes. A Academia Digital reúne três anos de feedback dos nossos parceiros, além de incentivos para nossos corretores desenvolverem suas campanhas nas mídias sociais gerando resultados para o seu negócio” comenta Patricia Chacon, Diretora de Marketing e Estratégia da Liberty Seguros.

A ação foi cocriada junto à CUBOCC, que lidera a comunicação digital da Liberty Seguros.

Memória do seguro brasileiro completa 10 anos 884

Seguro

Projeto reúne depoimentos de mais de 130 personalidades do setor

Neste ano, o Projeto Memória do Seguro Brasileiro, da Academia Nacional de Seguros e Previdência, completa 10 anos. Idealizado em 2008 com o intuito de manter viva a história do setor, a iniciativa já registrou, em vídeo, depoimentos de mais de 130 personalidades que contribuíram para a construção do seguro no Brasil. A coletânea está disponível no site da Academia.

Para João Marcelo dos Santos, presidente da ANSP, “é um projeto que tem o benefício de registrar informações valiosas e torná-las disponíveis de modo simples e efetivo para um grande público. São depoimentos muito especiais de pessoas que realmente sabem como chegamos até aqui”, explica. “Falo com muita satisfação sobre isso. É a história de cada pessoa, instituição, as realizações e os momentos”, complementa Mauro César Batista, um dos entusiastas da Memória do Seguro e Presidente do Conselho Superior da Academia.

Mauro relembra que o projeto teve início após o falecimento de Olavo Egydio Setúbal, ex-presidente do Conselho de Administração do Itaú. “Assim como eu lamento a ausência neste arquivo do saudoso e querido Manuel Póvoas, também lamento a ausência de Olavo Setúbal”, afirma.

“Para o futuro, o objetivo é tornar essa coletânea ainda mais conhecida e utilizada por todos. Foram, apenas, os primeiros dez anos”, conclui João Marcelo dos Santos.